Olavo de Carvalho (1947-2022) | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (I)
>>> A primeira ofensa recebida sobre algo que escrevi
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Procissão
>>> Mais espetáculo que arte
>>> teu filho, teu brilho
>>> O Medium e o retorno do conteúdo
>>> A Poli... - 10 anos (e algumas reflexões) depois
>>> Web-based Finance Application
>>> Pensando sozinho
Mais Recentes
>>> Local, Global de Heloisa Buarque de Almeida pela Berlendis & Vertecch (2013)
>>> A Ordem Negra de James Rollins pela Ediouro (2007)
>>> Geometria Analítica Plana de Steinbruch Basso pela Makron Books (1991)
>>> Plano de Negócios de Egoy Walter Wildauer pela Intersaberes (2012)
>>> A Rendeira Borralheira de Socorro Acioli; Alexandre Camanho pela Positivo Livros (2009)
>>> How to Launch a Brazilian Depositary Receipts (bdrs) Program de Vários Autores pela Pwc
>>> Amanhã é outro dia de J.m. Simmel pela Nova Fronteira (1978)
>>> Tempo Bom, Tempo Ruim de Jean Wyllys pela Paralela (2014)
>>> O Fantasma de Canterville de Oscar Wide pela Scpione (2006)
>>> não vi enão gastei - O fenômeno do Prenconceito de Renato da Siva Queiroz pela Moderna (1997)
>>> O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec pela Ide (2016)
>>> Giocondo Dias - a Vida de Revolucionario de João Falçãqo pela Agir (1993)
>>> Passenger to Frankfurt de Agatha Christie pela Harpercollins Uk (2017)
>>> Por Que Sonhei Com Isso? de Evelyn Kay Massaro; Lauri Quinn Lowenberg pela Best Seller (2017)
>>> Born Montoneros - 9 Meses En las Entranãs de Montoneros de María Odonnell pela Sudamericana (2015)
>>> Mesa para Dois de Nora Roberts pela Harlequin Books Br (2007)
>>> Controle o Estresse de Augusto Cury pela Gold
>>> Schwert, Das de Daniel Easterman pela Aufbau Tb (2009)
>>> English in Formation 3rd Edition 8 Teacher Book de Wilson Liberato pela Standfor (2016)
>>> Metade de uma Rosa de Jonas Ribeiro pela Do Brasil (2007)
>>> Alarde Poético de Vários pela Não consta (2006)
>>> Perfume Derramado de Denise Seixas pela Bolabooks (2016)
>>> Evangelho Eterno e Orações Prodigiosas de Osvaldo Polidoro pela Do Autor (2009)
>>> Nao Pergunte Se Ele Estudou de Renato Alves pela Humano (2011)
>>> Habermas e a Dialética de David Igram pela Edunb (1993)
COLUNAS

Terça-feira, 25/1/2022
Olavo de Carvalho (1947-2022)
Julio Daio Borges

+ de 1100 Acessos

Conheci Olavo de Carvalho décadas antes de ele ser ideológo do governo Bolsonaro. E, mesmo passado todo esse tempo, não consigo chegar a uma conclusão a seu respeito.

Quando o descobri, em meados dos anos 90, achava válida a sua crítica à imprensa, que ele considerava majoritariamente de esquerda.

Não só por “achismo”, mas porque Olavo havia feito parte dela, como jornalista - e, tendo sido militante comunista na juventude, conhecia todos os truques.

Sua explicação para a chegada da esquerda ao poder no Brasil, nos anos 2000, fazia sentido - pela via da cultura, da comunicação e dos costumes, “fazendo a cabeça” de gerações.

O problema, a meu ver, é que Olavo atuava da mesma forma, só que no espectro ideológico oposto, como sintetizou Paulo Polzonoff Jr. em 2003:

“Aliciou jovens até então sem destino para a sua causa e, por isso, foi chamado de guru da nova direita.”

Ou como escrevi, em 2004:

“Não era santo - e sob o pretexto de querer desanuviar algumas mentes confusas, estava doutrinando outras tantas.”

Quando percebi esse procedimento, rompi - e os “olavettes” nunca me perdoaram...

O que mais irritou, em 2004, foi a minha conclusão:

“Convém lembrar que[...] uma ‘neodireita’ pode ser tão nefanda quanto a ‘neo-esquerda’ atual...”

(Pausa para você me dizer se foi ou não...)

Por outro lado (e sempre tem um outro lado), é inegável que Olavo de Carvalho conhecia filosofia, falava da “vida intelectual” como poucos no Brasil - e foi um intelectual público com grande influência política (embora, em termos de governo, a gente só tenha a lamentar o resultado...).

Como já disse Pondé, reconheço também que Olavo trouxe uma nova bibliografia, para o nosso “debate de ideias” - mas sempre achei igualmente lamentável que se dissipasse em palavrões pelas redes sociais...

Me surpreendeu a qualidade do documentário “O Jardim das Aflições” (2017), que - de tão perseguido, proibido, criticado (hoje na Amazon) - eu imaginava que fosse uma bela porcaria...

Mas daí a dizer que Olavo de Carvalho foi filósofo... Existe uma distância considerável.

Toda a “novidade” que Olavo representou, na imprensa, está em “O Imbecil Coletivo” (1996).

Sua compilação de Carpeaux pela Topbooks (1999) foi importante, mas eu precisaria reler seu “esboço biográfico” para saber se concordo...

E juro que tentei ler sua “filosofia”, mas nunca me convenceu. “O Jardim das Aflições”, o livro, começa com mais uma de suas diatribes contra um intelectual brasileiro...

Olavo era pródigo em dar apelidos jocosos: “Piza Nabolla strikes again”, sobre o Daniel Piza; “Falsíssimo Verissimo”, sobre o Luis Fernando Verissimo; “Ralé de Toga”, sobre a Filosofia da USP...

E, falando, tinha um poder de convencimento espantoso (o YouTube está aí para provar) - mas rompeu com praticamente todos os seus discípulos (e sua vida familiar, bem, é impublicável)...

Por essas e por outras, é muito difícil fazer um “balanço” de Olavo de Carvalho. Para começar, de qual “Olavo” estamos falando? (É possível isolar um “Olavo” dos demais?)

Eu mesmo não me considero “neutro” - porque troquei correspondência com ele no final dos anos 90 (Olavo elogiava os textos do J.D. Borges)...

E me impressiona que ele tenha dominado a internet, elegendo um candidato assumidamente “de direita” - e que tenha se tornado best-seller, num país de “não leitores”...

São feitos consideráveis, para quem tinha, contra si, o establishment (seja ele intelectual, editorial, global etc.)

Mas nem por isso estou de acordo com a mensagem... E todo intelectual que ascende ao poder... vende um pouco de sua alma (de Platão a FHC, a lista é extensa)...

Como leitor, só espero que o Wagner Carelli conclua a biografia de Olavo de Carvalho. Concordando ou não com seu ideário, sua vida movimentada produzirá entretenimento da melhor qualidade ;-)


Julio Daio Borges
São Paulo, 25/1/2022


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques de Jardel Dias Cavalcanti
02. A ostra, o Algarve e o vento de Elisa Andrade Buzzo
03. Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas de Cassionei Niches Petry
04. 20 contos sobre a pandemia de 2020 de Luís Fernando Amâncio
05. LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo de Renato Alessandro dos Santos


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges
01. Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges - 29/1/1974
02. Freud e a mente humana - 21/11/2003
03. A internet e o amor virtual - 5/7/2002
04. É Julio mesmo, sem acento - 1/4/2005
05. Frida Kahlo e Diego Rivera nas telas - 25/4/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Esboços de Sermões
Luis Roberto Silvado
A. D Santos
(2012)



Outras do Analista de Bagé
Luis Fernando Veríssimo
L pm
(2022)



Boas Maneiras e Sucesso nos Negócios
Celia Ribeiro
L&pm
(1993)



O Perito
Robert Finn
Publicações Europa-américa
(2009)



Au Arquitetura & Urbanismo Nº 155
Pini
Pini



O Estudante
Adelaide Carraro
Global
(2001)



Comunicacao Modernizacao e Difusao de Inovacoes no Brasil
Jose Marques de Melo
Vozes
(1978)



Inteligência - Perspectivas Teóricas
Leandro S. Almeida, Aristides Ferreira
Almedina
(2009)



Wireless Java With J2me - Sams Teach Yourself - in 21 Days.
Michael Morrison
Sams



Historias da Vo Cotinha Vivencias e Virtudes
Lucia Nobrega
Rideel
(2010)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês