A compra do Twitter por Elon Musk | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
42918 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Projeto “Equilibrando” oferece oficinas e apresentações gratuitas de circo
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Assim criamos os nossos dois filhos
>>> Compreender para entender
>>> Para meditar
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ruy Proença: poesia em zona de confronto
>>> E a Turma da Mônica cresceu
>>> FLIP 2006 III
>>> Franz Kafka, por Louis Begley
>>> Solidariedade é ação social
>>> ¿Cómo sobrevivo?
>>> Deixa se manifestar
>>> Falta Política
>>> No caminho de Sterne
>>> Biografias literárias
Mais Recentes
>>> Incidente Em Antares de Érico Veríssimo pela Globo (1994)
>>> O Alfaiate Polonês de Debora Finkielsztejn pela Babilonia (2017)
>>> Aventuras de um Geólogo Pioneiro na Amazônia de Francisco Mota Bezerra da Cunha pela Ibp (2012)
>>> Cavalos da Chuva de Cadão Volpato pela Sesi-SP (2018)
>>> O Alienista Em Cordel de Machado Assis pela Nova Alexandria (2010)
>>> Johnny Vai à Guerra de Dalton Trumbo pela Biblioteca Azul (2017)
>>> Meu anjo da guarda - Novo e completo Manual de piedade para meninos e meninas de Não encontrado pela Oficinas gráficas Aparecida (1944)
>>> The Culture of the Copy de Hillel Schwartz pela Zone Books (1998)
>>> Você, Líder do Seu Sucesso de Inácio Dantas pela Clube de Autores (2018)
>>> As Plantas Mágicas: Botânica Oculta de Paracelso pela Hemus (1976)
>>> O Advogado de Henri Robert pela Martins Fontes (2002)
>>> Como Compreender Símbolos de Clare Gibson pela Senac (2012)
>>> Michaelis Minidicionário Inglês - Português, Português - Inglês de Vários Autores pela Melhoramentos (1989)
>>> Escritos Políticos de Max Weber pela Martins Fontes (2014)
>>> A Imagem do Corpo: As Energias Construtivas da Psique de Paul Schilder pela Martins Fontes (1981)
>>> Michaelis Minidicionário Francês - Português, Português - Francês de Jelssa Ciardi Avolio e Mara Lucia Faury pela Melhoramentos (2007)
>>> Ciência e Comportamento Humano de B. F. Skinner pela Martins Fontes (1978)
>>> Mussolini e a Ascensão do Fascismo de Donald Sassoon pela Agir (2009)
>>> A Presença de Castello de Edilene Matos e Neuma Cavalcante pela Humanitas (2003)
>>> A Tragédia Shakeasperiana de A. C. Bradley pela Martins Fontes (2009)
>>> O Teatro de Shakespeare de Sérgio Viotti pela Martins Fontes (2013)
>>> Gramática Metódica da Língua Portuguesa de Napoleão Mendes de Almeida pela Saraiva (1981)
>>> A Consolação da Filosofia de Boécio pela Martin Fontes (1998)
>>> Mãos Unidas - 22ª ED (Otimo Estado) de Francisco Candido Xavier pela Instituto de Difusão Espírita (2002)
>>> Sonhos de Einstein de Alan Lightman pela Companhia Das Letras (1993)
COLUNAS

Terça-feira, 26/4/2022
A compra do Twitter por Elon Musk
Julio Daio Borges
+ de 3800 Acessos

Meu perfil no Twitter é de 2008. Tenho uma relação de amor e ódio com a plataforma. Fui um grande entusiasta no começo, quando era possível descrevê-la como uma “news network” (uma rede de notícias). Ao mesmo tempo, já perdi a conta de quantas vezes instalei e desinstalei o aplicativo.

É a rede em que fomos mais bem-sucedidos (eu e minhas iniciativas). Lá tenho alguns milhares de seguidores, na “física” - ainda que raramente atualize. O perfil do Digestivo tem algumas dezenas de milhares - e se atualiza sozinho. O do Portal dos Livreiros, alguns milhares - e, durante a pandemia, era sensível a relação entre vendas e “tweets”.

Escrevi sobre o Elon Musk em 2016, antes de ele encabeçar a lista da Forbes. É um dos maiores empreendedores da internet e, se chegar a Marte, será um dos maiores de todos os tempos. É “o” rival de Jeff Bezos, da Amazon - que, aliás, foi destronado por ele (inclusive na corrida espacial).

A notícia de Musk comprando o Twitter é boa para a rede social, ainda que os desafios sejam consideráveis.

Apesar da simpatia que o Twitter desperta em pessoas como Musk, em matéria de rede social teve um sucesso ainda modesto. Enquanto o “conglomerado” Facebook tem dois bilhões de usuários, o Twitter tem duzentos milhões. E, enquanto a Meta (a holding do “ex” Facebook) vale mais de meio trilhão de dólares, o Twitter foi comprado por menos de cinquenta bilhões.

Mark Zuckerberg, uma vez, descreveu os fundadores do Twitter como “três palhaços que se perderam dentro de uma mina”. Enquanto isso, Musk declarou que sua motivação é menos financeira e mais uma “defesa” da liberdade de expressão. Alguém pensou em Trump? Lembrando que o ex-presidente foi expulso do Twitter há pouco mais de um ano.

Outro alguém - com argúcia - observou que o Twitter é, na verdade, uma economia de bilhões de dólares em marketing (para seu novo dono). Afinal, Musk conta com mais de oitenta milhões de seguidores. E - como todo mundo - precisa divulgar o que anda fazendo na vida (Tesla e SpaceX incluídas).

É significativo que Bezos tenha comprado um jornal, o outrora nobre mas deficitário Washington Post - enquanto que Musk, ao invés de uma publicação tradicional, escolheu uma plataforma. “Seria um novo tipo de barão da mídia?”, editoriais se perguntaram.

Lembrando que, desde a internet, o negócio de mídia não é mais o mesmo. Com a publicidade majoritariamente dominada por Alphabet (Google, YouTube etc.) e Meta (Instagram, WhatsApp etc.) -, o conteúdo dificilmente reinará de novo (mesmo com um Bezos no comando).

O caso da Netflix - que bateu numa espécie de teto em número de assinantes, e viu sua cotação desabar neste ano - é ilustrativo: na guerra via streaming, em que combatem novos e antigos entrantes, ganha quem tem os bolsos mais fundos? Apple e Amazon (de novo)?

Uma década sem Steve Jobs nos faz pensar o que ele teria dito sobre a aquisição de Musk. Nos últimos anos, cresceu a suspeita de que a Apple estaria desenvolvendo um “eletric vehicle”. Tim Cook - que é “operations” e não é “de produto” - tem realmente chance?

Jobs, entusiasta do “hardware”, teria enxergado no Musk “construtor de foguetes” um seguidor? Lembrando que o negócio de Jobs não era bem o espaço - tanto que desviou a atenção de todo mundo para os computadores (um subproduto da Segunda Guerra).

Naval - um pensador do Twitter (sim, isso existe) - declarou que Musk o inspira a realizar “grandes coisas”. Faz a humanidade dar um passo adiante, nas palavras de Jobs (em “think different”).

O fato é que, se o Twitter já era uma grande distração para o sujeito que pretendia nos salvar de um planeta frágil e belicoso, imagine, agora, ter de lidar com assuntos como “fake news”, polarização, algoritmos e “bots”?

Eu quase prefiro Marte... E vocês?

Boa sorte, @twitter e Elon Musk!

Para ir além
"Elon Musk" (2016). "A Eclosão do Twitter, de Nick Bilton" (2014). "Troquei meus feeds RSS pelo Twitter" (2009).


Julio Daio Borges
São Paulo, 26/4/2022

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Lançamentos de literatura fantástica (1) de Luís Fernando Amâncio
02. 10 coisas que a Mamãe me ensinou de Julio Daio Borges
03. Escola (e escolinha) de Julio Daio Borges
04. Confissões do homem invisível, de Alexandre Plosk de Ricardo de Mattos
05. Os beijos de Tchekhov de Marília Almeida


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2022
01. 80 anos do Paul McCartney - 18/6/2022
02. Jô Soares (1938-2022) - 12/8/2022
03. Maradona, a série - 1/1/2022
04. As maravilhas do modo avião - 27/5/2022
05. Rodolfo Felipe Neder (1935-2022) - 28/9/2022


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O amanuense Belmiro
Cyro dos Anjos
Garnier
(1994)



Faith, Hope & Healing / Capa Dura
Bernie Siegel M . D. and Jennifer Sander
Wiley
(2009)



Livro - Em Cima da Hora
Roger Mello
Companhia das Letrinhas
(2004)



Claws - Level 3
John Landon
Heinemann
(1992)



Livro - Manual dos Direitos do Médico
Ernesto Lippmann
Segmento Farma
(2008)



Na Cruz de Cristo Somos Curados
Ironi Spuldaro
Canção Nova
(2015)



Pachamama Missão Terra 2 Ações para Salvar o Planeta
Vários Autores
Melhoramentos
(2011)



João da Água
Patricia Engel Secco
Fundação Educar
(2013)



Um Presente do Mar
Kate Banks
Cosac & Naify
(1997)



Citizen Marketers Clientes Armados e Organizados Ameaça
Ben Mcconnell e Jackie Huba
M. Books
(2008)





busca | avançada
42918 visitas/dia
1,4 milhão/mês