80 anos do Paul McCartney | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
>>> Seminário Trajetórias do Ambientalismo Brasileiro, parceria entre Sesc e Unifesp, no Sesc Belenzinho
>>> Laura Dalmás lança Show 'Minha Essência' no YouTube
>>> A Mãe Morta
>>> BATA ANTES DE ENTRAR
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O humor é como as marés, ora sobe ora desce
>>> Guimarães Rosa em Buenos Aires
>>> Festival de Curitiba 2010
>>> O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
>>> O INVISÍVEL
>>> Meu reino por uma webcam
>>> De louco todos temos um pouco
>>> Doces Cariocas
>>> A imaginação educada, de Northrop Frye
>>> Weezer & Tears for Fears
Mais Recentes
>>> Tempo 1 - Cahier Dexercices de évelyne Bérard; Y. Canier pela Didier do Brasil (1997)
>>> A Arca de Noé de Ruth Rocha pela Ática (2001)
>>> Crédito-prêmio de Ipi: Novos Estudos e Pareceres de Paulo de Barros Carvalho e Outros pela Manole (2005)
>>> The Washington Manual of Medical Therapeutics de Daniel H. Cooper; Andrew J. Krainik; Sam J. Lubner pela Lippincott Usa (2007)
>>> Vidas Investigadas de Sócrates a Nietzsche de James Miller pela Rocco (2011)
>>> Depois do Funeral de Agatha Christie pela Círculo do Livro
>>> Processo Civil - Recurso - 3 ° Edição de Gilson Delgado Miranda / Patricia Miranda Pizzol pela Atlas (2002)
>>> Como Deus Cura a Dor de Mark W. Baker pela Sextante (2008)
>>> Winnie the Pooh de Disney's pela Ladybird
>>> Timidez - Como Ajudar Seu Filho a Superar de Lorecy Scavazzini pela Gente (2008)
>>> O Processo de Franz Kafka pela Folha de S. Paulo
>>> Teoria Da Regulação de Vinícius Portela Martins pela Campus (2010)
>>> Mentiras Perfeitas Superando os Mitos Que Se Colocam Entre Você de Jennifer Crow pela Palavra (2015)
>>> A Obra Em Negro de Marguerite Yourcenar pela Nova Fronteira
>>> Envelhecer Ou Morrer, Eis a Questão de Pedro Paulo Monteiro pela Gutenberg Autentica (2008)
>>> Momentos de Reflexão de Dr. Jorge Lordello pela Diario de Suzano
>>> Autodefesa Espiritual de Stamatios Zannis Philippoussis pela Não Encontrada
>>> Die Sterne Blicken Herab de A. J. Croninn pela Bertelsmann Lesering (1960)
>>> Eternas Escamas de Tera Lynn Childs pela Id (2012)
>>> Coleção Dr. Drauzio Varella - Aids de Drauzio Varella & Carlos Jardim pela Geral
>>> O Princípio Dilbert de Scott Adams pela Ediouro
>>> Interesses Difusos e Coletivos - Esquematizado de Cleber Masson; Adriano Andrade; Landolfo Andrade pela Metodo (2011)
>>> Introdução a Gestão Pública de Clesio Saldanha dos Santos pela Saraiva (2009)
>>> Tarsila do Amaral de Angela Braga pela Moderna (1998)
>>> 31 Reasons People do Not Receive Their Financial Harvest de Mike Murdock pela Wisdom International (1998)
COLUNAS

Sábado, 18/6/2022
80 anos do Paul McCartney
Julio Daio Borges

+ de 400 Acessos

O primeiro beatle que eu descobri foi o John Lennon. Óbvio que já tinha ouvido muito Beatles por causa dos meus pais, que viveram a época. Mas conhecer as ideias, as opiniões e a versão de John, para a história toda, mudou a minha visão das coisas.

Foi um desses livros bem vagabundos de banca, literalmente “O pensamento vivo de John Lennon”, que juntava entrevistas dele, provavelmente sem pagar os direitos autorais - e que comprei com catorze anos e levei para ler nas férias, na Bolívia.

A visão crítica de John para os Beatles, como banda, para a sua geração, e os anos 60, me marcaram. As grandes entrevistas dele são, sobretudo, da fase em que estava com Yoko Ono, quando tentava virar a página dos Beatles (com extrema dificuldade, diga-se de passagem).

Depois que John morreu, Yoko tentou consolidar a visão do pacifista e “sonhador” de “Imagine” (1971) - de cuja letra ela, Yoko, recebeu créditos recentemente -, mas a verdade é que John sempre foi muito ácido e até cruel, basta ler qualquer biografia dele (eu li a de Philip Norman, recomendo).

Assim, minhão visão de Paul, durante muitos anos, foi aquela divulgada por John - que não era nada bonzinho e que diminuía o papel de Paul na banda sempre que podia (ainda que o próprio Paul fosse mais diplomático e procurasse não polemizar com John).

Minha visão começou a mudar quando alugei um CD - sim, isso existia: “alugar CDs” - de Paul na época em que era lançado: “Tripping the Live Fantastic”, de 1990, ano da primeira vinda de Paul ao Brasil - que misturava hits inevitáveis dos Beatles com a produção solo de Paul e dos Wings.

Então, penso que uma coisa que devemos a Paul - e *só* a Paul (e, não, aos demais) - foi ter-nos mantido em contato com os clássicos dos Beatles, em releituras que só ele poderia fazer: “Got to get you into my life”, “Things we said today”, “Golden slumbers/ Carry that weight/ The end” (presentes em “Tripping...” - entre outras, mais manjadas).

Enquanto nos brindava com pérolas de sua autoria: “Jet”, “Band on the run”, “Ebony and Ivory”, “We got married”, “Maybe I’m amazed”, “Coming up” (entre outras, igualmente manjadas).

John, naturalmente, teria criticado a insistência de Paul em continuar executando números dos Beatles décadas depois, mas se não fosse por isso - se não fosse pela paciência de Paul em entoar “Hey Jude” anos a fio - eu, por exemplo, jamais teria visto o show de um beatle (algo que aconteceu em 1994, ainda com a Linda McCartney nos teclados).

Me comoveu, igualmente, as canções que ele dedicou a ela (Linda), depois de sua morte (1997) - embora, hoje, ache o respectivo disco triste, um pouco datado e quase nunca o escute.

Prefiro as coletâneas dos Wings, que, acredito, é a melhor fase dele pós-Beatles. Talvez porque continuasse na “inércia criativa” dos Beatles (os Wings são dos anos 70) e porque há um “espírito de banda” - onde Paul, apesar da sua genialidade, é “só mais um membro”...

E, sim, eu considero Paul McCartney um gênio. Me convenci quando li, há pouco tempo, seu livro de memórias: “Many years from now”, em co-autoria com Barry Miles. Na época do lançamento, em 1997, achei meio pretensioso, da parte dele, querer “reescrever” a história dos Beatles, dando o devido crédito a ideias que foram originalmente dele (Paul) e que terminaram associadas a John.

Mas hoje considero incontestável a liderança que Paul exerceu sobre a banda a partir de “Sgt. Peppers” (1967), que foi uma ideia dele, já que os Beatles estavam cansados de si mesmos, e de suas personas, até “Let it be” (1970), cujo documentário, atualmente no streaming Disney Plus, mostra que Paul era o único “preocupado” - arrastando a banda enquanto pôde (sim, eu sei que esse acento já caiu)...

“Magical Mystery Tour” (1967) também, conceitualmente, foi uma ideia dele, já que os Beatles não excursionavam mais e Paul imaginou um filme, ou especial de tevê, que compensasse a ausência dos palcos. “Abbey Road” (1970) é - sabemos hoje - um conjunto de “sobras” de “Let it be”, ainda que tenha saído antes. E o “White Album” (1968), uma colcha de retalhos (ainda que genial), onde cada beatle praticamente gravava sua parte - e que teve projeto gráfico dele, Paul, que era ligado às artes plásticas...

No documentário mais recente, de Peter Jackson, que é longo demais e um verdadeiro “tour de force” até para beatlemaníacos, é simbólica a cena, em um dia de manhã, onde Paul chega para John e pergunta: “E aí? Você trouxe alguma coisa?”, revelando sua preocupação, já que o grupo tinha um álbum - e um especial - contratado(s) e não havia produzido nada ainda...

Então, Paul arranca nada mais nada menos que “Get back” do seu baixo, enquanto desfila, ao piano, uma série de trechos de canções, que acabaria utilizando depois, seja nos Beatles seja em álbuns solo.

As “usinas” de canções eram John e Paul, seguidos, mais atrás, por George, principalmente nos últimos nos, e por um Ringo, mais preocupado em manter boas relações com os amigos (do que em entrar em competição com eles por hits)...

O que eu sei é que os Beatles, em conjunto e solo, forneceram a trilha sonora para nossas vidas - e, por mais que seu legado gere receitas infinitas, nunca vamos terminar de “retribuir”. Talvez seja uma definição de obra-prima: o que ela dá ao mundo, à humanidade, à civilização, é sempre mais do que o mundo, a humanidade, a civilização consegue retribuir...

Happy birthday, Paul!


Julio Daio Borges
São Paulo, 18/6/2022


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Ao pai do meu amigo de Julio Daio Borges
02. Arte virtual: da ilusão à imersão de Gian Danton
03. A casa da Poesia de Mariana Portela
04. Arthur Bispo do Rosário, Rei dos Reis de Jardel Dias Cavalcanti
05. Despindo o Sargento Pimenta de Luiz Rebinski Junior


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2022
01. Maradona, a série - 1/1/2022
02. A compra do Twitter por Elon Musk - 26/4/2022
03. As maravilhas do modo avião - 27/5/2022
04. Olavo de Carvalho (1947-2022) - 25/1/2022
05. 80 anos do Paul McCartney - 18/6/2022


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Viver Literatura : Ensaios e Artigos
Dirce Cortes Riel
Eduerj
(2009)



Clara e a olimpíada de 2016
Ilan Brenman Silvana Rando
BRInque-book
(2013)



Historietas Argentinas En La Biblioteca Nacional
Miguel Ángel
Conabip
(2012)



Dicionário Biográfico Vol 1
Varios Autores
Abril
(1972)



Maracanã adeus
Edilberto Coutinho
Corpo da letra
(1989)



Contra as Pobrezas, Agir Juntos
Mizael Donizetti Poggioli
Vicentina
(2016)



S. O. S Família
Divaldo Pereira Franco
Leal
(1999)



Eva
William P. Young
Arqueiro
(2015)



Classicos Disney-Pixar Para Ler E Ouvir - Os Incriveis+CD
Disney Pixar
Abril Coleções
(2009)



Ganhar
Bernard Tapie
Cultura
(1987)





busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês