Somos todos consumidores | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
69457 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Lançamento do livro 'Pesquisa e ensino de história na Amazônia'
>>> Maurício Limeira lança coronavídeo GUERRA
>>> Mostra de Teatro traz quatro peças para assistir on-line
>>> Festival Som na Faixa apresenta edição online com atrações da música instrumental
>>> Leituras Urbanas começa novo ciclo literário
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cuba e O Direito de Amar (1)
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Saudade do amanhã
>>> Cata-lata
>>> A busca
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Defesa dos Rótulos
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Mapa da sala de aula
>>> Gostar de homem
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> O chá do imperador
>>> Papa Francisco
>>> Pequena notável
Mais Recentes
>>> O pastor que Deus usa de Eugene H. Peterson pela Textus (2003)
>>> As Idéias da Álgebra de Arthur F. Coxford, Albert P. Shulte pela Atual (1995)
>>> Buso Renkin volume 2 de Nobuhiro Watsuki pela Jbc Mangás (2003)
>>> Caminhos da Justiça de John Grisham pela Rocco (2010)
>>> Fullmetal Alchemist volume 28 de Hiromu Arakawa pela Jbc Mangás (2006)
>>> Fullmetal Alchemist volume 27 de Hiromu Arakawa pela Jbc Mangás (2006)
>>> Fullmetal Alchemist volume 5 de Hiromu Arakawa pela Jbc Mangás (2002)
>>> Da reforma protestante á pentecostalidade da igreja de Bernardo Campos pela Sinodal (2002)
>>> Vampire Kisses Laços de sangue de Ellen Schreiber e Rem pela Tokyo Pop (2008)
>>> De Repente nas Profundezas do Bosque de Amóz Oz pela Seguinte (2007)
>>> Onegai Twins volume 2 de Please1 e Akikan pela Jbc Mangás (2008)
>>> Nana volume 2 de Ai Yazawa pela Jbc Mangás (2008)
>>> Regras de Cortesia de Amor Towles pela Rocco (2012)
>>> Paradise kiss volume 2 de Ai Yazawa pela Conrad (2007)
>>> Comentário de Romanos versículos por versículo de C. E. B Granfield pela Vida Nova (2005)
>>> Omega complex volume 3 de Shonen Izu pela Astral comics (2014)
>>> Tenho Tenge volume 1 de Oh Great pela Jbc Mangás (2009)
>>> Ainda Sou Eu de Jojo Moyes pela Intrínseca (2018)
>>> A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca (2007)
>>> Estruturas de Dados e Algoritmo em Java de Michael T. Goodrich e Roberto Tamassia pela Bookman (2001)
>>> Pablo Escobar: Meu Pai - As Histórias que Não Deveríamos Saber de Juan Pablo Escobar pela Planeta do Brasil (2015)
>>> Dom Hélder Câmara: Entre o Poder e a Profecia de Nelson Piletti; Walter Praxedes pela Ática (1997)
>>> O Andarilho das Estrelas de Jack London pela do Conhecimento (2004)
>>> Kill la Kill volume 3 de Ryo Akizuki e Trigger/ Kazuki Nakashima pela Jbc Mangás (2015)
>>> O Homem que Comeu de tudo de Jeffrey Steingarten pela Companhia das Letras (2000)
>>> A Costureira de Dachau de Mary Chamberlain pela Agir (2015)
>>> Doos Of Chaos volume 1 de Ryoko Mitsuki pela Tokyo Pop (2008)
>>> Kanpai volume 1 de Maki Murakami pela New pop (2008)
>>> Aprender Depois dos 50 de Ivonne Assunta Cortelletti; Miriam Bonho Casara; Isabel Aurora Marrachinho Toni pela Educs (2007)
>>> Bleach volume 7 de Tite Kubo pela Panini comics (2007)
>>> À Sombra do Vento de Carlos Ruiz Zafón pela Suma de Letras (2017)
>>> A Bolsa Amarela de Lygia Bojunga pela Casa Lygia Bojunga (2003)
>>> Naruto volume 18 de Masashi Kishimoto pela Panini comics (2008)
>>> Senhor Gelado e Outras Histórias de Igor Natusch pela Zouk (2016)
>>> Hunter x Hunter VOLUME 14 de Yoshihiro Togashi pela Jbc Mangás (2009)
>>> The lost Canvas Os Cavaleiros do Zodíaco a Saga de Hades volume 11 de Masami Kurumada e Shiori Teshirogi pela Jbc Mangás (2008)
>>> Death Note volume 3 de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata pela Jbc Mangás (2004)
>>> Death Note volume 2 de Tsuneo Takano e Takeshi Obata pela Jbc Mangás (2004)
>>> Death Note volume 1 de Tsuneo Takano e Takeshi Obata pela Jbc Mangás (2004)
>>> O estrangeiro de Albert Camus pela Record (2004)
>>> O governo Kubitschek de Maria Victoria de Mesquita Benevides pela Paz e Terra (1975)
>>> Fairy Tail volume 1 de Hird Nahima pela Jbc Mangás (2010)
>>> Death Note volume 7 de Tsuneo Takano e Takeshi Obata pela Jbc Mangás (2007)
>>> Mistério Magazine(16=17=18=19=20) de Ellery Queen pela Globo (1950)
>>> Death Note volume 6 de Tsuneo Takano e Takeshi Obata pela Jbc Mangás (2007)
>>> Death Note volume 4 de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata pela Jbc Mangás (2007)
>>> Mamãe & Eu & Mamãe de Maya Angelou pela Rosa dos Tempos (2018)
>>> Mistério Magazine(7=8=9=10=11=12=13) de Ellery Queen pela Globo (1977)
>>> Poemas Coronários de Cyro dos Anjos pela Globo (2009)
>>> Hunter x Hunter de Yoshihiro Togashi pela Jbc Mangás (2009)
COLUNAS

Sexta-feira, 8/4/2011
Somos todos consumidores
Marta Barcellos

+ de 4100 Acessos
+ 1 Comentário(s)

― Obrigada, mas odeio promoção.

― A senhora nem gostaria de conhecer as vantagens?...

― Não gosto de levar vantagem. Prefiro pagar caro ― respondo. Não fosse o risco de prolongar a conversa, eu acrescentaria: Não acredito mais em almoço grátis.

Já acreditei, confesso. Penso mesmo ter almoçado de graça, algumas vezes, por conta da camaradagem de quem não contabilizava aquilo como investimento. Mas isso foi antes de todos fazermos parte de bancos de dados gerenciados por softwares de última geração, antes de os relacionamentos serem agrupados em redes de influência, antes de sermos primeiro consumidores e depois cidadãos.

É verdade que dá para ser um consumidor mais, ou menos, esperto. Veja o exemplo da internet. Se você souber usufruir da gratuidade sem entupir a sua caixa postal de spam, nem infectar o computador com o vírus que rouba a sua senha bancária, o almoço sai quase de graça.

Quase porque, de qualquer forma, terá que investir o seu tempo (dinheiro?) para manter a expertise de não desperdiçar o seu tempo (dinheiro?) com propaganda indesejada. Se você trabalha o dia inteiro no computador, e ainda por cima na área de tecnologia, não há desperdício nisso, mas se for um acrobata de circo ou cirurgião plástico, o almoço na internet pode sair caro e desagradável.

Mas deixemos a internet de lado, para não parecer implicância, pois já falei aqui da minha desconfiança de que ela não seja isso tudo. Passemos a uma situação de compra corriqueira, off-line, da qual você, uma vez nascido consumidor, numa sociedade eminentemente de consumo, não pode fugir, mesmo se fizer o estilo frugal ou consciente. Na hora de pagar por um produto ou serviço (até um corte de cabelo), lhe pedem o CPF. Um cadastro abre-se na tela do computador do lado de lá e a mocinha do caixa, como quem não quer nada (só quer você, o consumidor), começa a lhe pedir "alguns dados". Endereço. Ok, ninguém mais gasta dinheiro enviando papel pelo correio. Telefone da residência. Ok, a empregada está acostumada a despachar o telemarketing. E-mail. Juro que não tenho. Celular. Por acaso (?) está na minha mão. Preciso mesmo dar o número? Ok, cedo.

Sábado, 9h35 da madrugada, o telefone toca.

― Oi, Marta! Aqui é a Priscila, da Folic!

― Quem?

― Priscila, da Folic!

― Ahn.

― Estou ligando para avisar que a nossa liquidação continua!

Quem mandou fazer cadastro em butique para acumular pontos? Aliás, por que diabos as pessoas agora vivem para juntar pontos? Lembro da cena de O amor sem escalas em que George Clooney é saudado no avião por ter batido um recorde de milhas e atingido, assim, o objetivo de sua vida. O mesquinho que antes juntava dinheiro no colchão poderia ter sua imagem substituída pela do cliente que soma pontos no cartão fidelidade. Para continuarmos no cinema, Marilyn Monroe diria hoje que o cartão diamante é o melhor amigo de um homem.

Voltando à lição de sábado, mesmo quem não sonha com diamantes precisa aprender que o preço de ser um "cliente fidelidade" é acordar com o celular exigindo novas compras. Mas digamos que você não se considere cliente, muito menos fiel. Odeia shopping center. Não preenche cadastro de loja nem sob tortura. Afinal, não é uma mulherzinha consumista, repudia quem tem mais de três pares de sapatos e só corta o cabelo em casa. Não adianta. Também aqueles sem o tal poder aquisitivo, ou que abriram mão dele em busca de outro tipo de poder (o do conhecimento?), correm o risco de passar o dia recusando "ofertas" especialmente selecionadas para o seu CPF ou número de telefone. É como ser um vegetariano tentando apreciar saladas em churrascaria rodízio. Não, obrigado, não.

― Senhora Marta, esta ligação é para informar a senhora que a Vivo vai reduzir as suas tarifas nos fins de semana.

― Sei... E o que eu preciso fazer em troca? Não quero mudar de plano, não quero contratar nenhum "pacote" e já me aborreci com uns "pacotes" que vocês enfiaram na minha conta no ano passado.

― A senhora não precisa fazer nada. Apenas concordar na redução de tarifa nos fins de semana. Gostaria de informar a senhora que esta ligação está sendo gravada.

― Olha, não gosto de promoção, não gosto de levar vantagem...

― Mas a senhora não gostaria de estar reduzindo as tarifas nos fins de semana? É uma iniciativa da Vivo para clientes especiais como a senhora. Gostaria de lembrar à senhora que esta ligação está sendo gravada.

― Ok, tudo bem, pode reduzir a tarifa. Mas não inventa nada na minha conta, tá?

― A Vivo agradece a sua atenção, senhora, e uma boa tarde para a senhora.

Apesar da interrupção, consegui avançar no livro, e à noite comentei o quanto havia sido dura com a atendente da operadora. Estava com aquele peso na consciência que temos depois de explodir com uma ligação de telemarketing, esquecidos de que aqueles trabalhadores, afinal, são os operários dos novos "tempos modernos". Coitada da moça, retrucou o meu interlocutor, e para aumentar a minha culpa citou uma reportagem que lera sobre a redução de tarifas de telecomunicações, motivada pela concorrência entre as empresas. O almoço estava ficando mais barato.

Deixei a culpa pra lá, porque afinal culpa combina mais com a época em que éramos primeiro cidadãos e depois consumidores, e não o contrário. No dia seguinte, quando o torpedo apitou, levei alguns segundos antes de começar a espumar: "Parabéns. Você adquiriu o pcte fim de semana 50min no valor mensal de R$19,90" (sic).

Às vezes penso em virar hippie. Morar no meio do mato, abdicar dos bens materiais, ignorar os avanços da tecnologia, acender um incenso. Mas aí me lembro que a década de 70 acabou faz tempo. Melhor respirar fundo e repetir o mantra: não existe almoço grátis, não existe almoço grátis, não existe almoço grátis...

Nota do Editor
Marta Barcellos mantém o blog Espuminha


Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 8/4/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. K 466 de Renato Alessandro dos Santos
02. Dheepan, uma busca por uma nova vida de Guilherme Carvalhal
03. Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico de Jardel Dias Cavalcanti
04. Em busca da adrenalina perdida de Marta Barcellos
05. Geza Vermes, biógrafo de Jesus Cristo de Ricardo de Mattos


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2011
01. A internet não é isso tudo - 14/1/2011
02. Entre livros e Moleskines - 11/2/2011
03. Somos todos consumidores - 8/4/2011
04. Em busca da adrenalina perdida - 4/3/2011
05. A novíssima arquitetura da solidão - 4/11/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/4/2011
16h41min
Com o tempo desenvolvi minhas táticas de afugentar estes telepentelhos da minha vida. Volta e meia me passo por um jardineiro ou pedreiro e digo que o patrão não está. Noutras digo que o atendente interrompeu uma atividade particular que estava fazendo, dando a entender várias coisas. E, por fim, repito várias vezes não quero, não me interessa, eu tenho 7 cartões de crédito e por aí afora. Estes dramas já me renderam até poesia.
[Leia outros Comentários de Ricardo Mainieri]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ARTIMANHAS DA FLEXIBILIZAÇÃO
JACOB CARLOS LIMA
TERCEIRA MARGEM
(2002)
R$ 22,00



EU TE AMO E SUAS ESTRÉIAS
ELISA LUCINDA
RECORD
(1999)
R$ 6,80



PATHOLOGIE OCULAIRE - HISTO-PATHOLOGIE DE L OEIL ET DES ANNEXES
V. MORAX
FÉLIX ALCAN
(1921)
R$ 65,15



QUANDO CAI A TARDE E O DIA JÁ DECLINA: MENSAGEM DE ESPERANÇA
MARIO GERLIN
FUNDAÇAO MARIANA RESENDE
(1988)
R$ 6,90



O BARÃO DO RIO BRANCO VISTO POR SEUS CONTEMPORÂNEOS
FUNAG
CENTRO DE HISTÓRIA E DOCUMENTA
R$ 20,00



MARECHAL EURICO GASPAR DUTRA - O DEVER DA VERDADE
MAURO RENAULT LEITE / NOVELLI JÚNIOR
NOVA FRONTEIRA
(1983)
R$ 9,00



HISTÓRIA GERAL E BRASIL- ENSINO MÉDIO- VOL. ÚNICO
JOSÉ GERALDO VINCI DE MORAES
ATUAL
(2005)
R$ 45,90



PERFECT ?THAI
TERRY JEAVONS
PARRAGON
(2006)
R$ 75,00



A ARTE DE REVIVER
MANOEL CARLOS
EDIOURO
(2006)
R$ 9,99



POEMAS DE GONÇALVES DIAS - COLEÇÃO PRESTÍGIO
GONÇALVES DIAS
EDIOURO
(1996)
R$ 6,90





busca | avançada
69457 visitas/dia
2,0 milhão/mês