O cão da meia-noite | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
74915 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Com 21 apresentações gratuitas, FLOW Literário aborda multi linguagens da literatura
>>> MASP, Osesp e B3 iniciam ciclo de concertos online e gratuitos
>>> Madeirite Rosa apresenta versão online de A Luta
>>> Zeca Camargo participa de webserie sobre produção sustentável de alimentos
>>> Valéria Chociai é uma das coautoras do novo livro Metamorfoses da Maturidade
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
>>> Notívagos
>>> Sou rosa do deserto
>>> Os Doidivanas: temporada começa com “O Protesto”
>>> Zé ninguém
>>> Também no Rio - Ao Pe. Júlio Lancellotti
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sobre escrever
>>> Os Axiomas de Zurique, de Max Gunther
>>> Sou diabético
>>> 3 de Maio #digestivo10anos
>>> O Joca me adora
>>> A volta das revistas eletrônicas
>>> As duas divas da moderna literatura romântica
>>> Entrevista com Rogério Pereira
>>> Bafana Bafana: very good futebol e só
>>> Suspense, Crimes ... e Livros!
Mais Recentes
>>> Manual para a Elaboração do Plano de Negócios - Tcc de Equipe Ulbra pela Ulbra (2011)
>>> O Mundo da Arte - Mundo Islâmico de Ernst J. Grube pela Encyclopaedia Britannica (1966)
>>> A Escola e Seu Entorno Como Ferramentas de Ensino da História Local de Aristides Leo Pardo pela Monstro dos Mares (2019)
>>> Descobrindo a gramática : nova proposta de Gilio Giacomozzi, Gildete Valério 50. ano pela Ftd (2006)
>>> O Mundo da Arte - Mundo Oriental de Jeannine Auboyer - Roger Goepper pela Encyclopaedia Britannica (1978)
>>> Luluzinha - Ano II - Nº 23 de Abril pela Abril (1976)
>>> Bolinha - Ano V - Nº 35 de Abril pela Abril (1979)
>>> Manual para a Elaboração do Plano de Negócios - Tcc de Equipe Ulbra pela Ulbra (2011)
>>> 52 Coisas Que Você Precisa Entender nos Homens de Clene Salles pela Melhoramentos (2011)
>>> Postais do Coração de Ella Griffin pela Novo Conceito
>>> Viva Mais Leve de Helnio J. Nogueira pela Cpb Didaticos (2014)
>>> Cinema Pirata de Cory Doctorow pela Galera (2012)
>>> Noções de Primeiros Socorros no Trânsito de Abramet pela Abramet (2005)
>>> 9788582121610 de Regiane Banzzatto Bergamo pela Regiane Banzzatto Bergamo
>>> Posso Conseguir o Que Desejo de Iyanla Vanzant pela Sextante (2005)
>>> Construindo a escrita Língua portuguesa, Textos, gramática e ortografia 50. ano de Carmen Silvia Carvalho et al 2008 pela Ática (2008)
>>> Minhas Esperanças de Raisa Gorbachev pela Globo (1992)
>>> A Juventude Vai ao Cinema de Inês de Castro Teixeira (org) pela Autênrica (2009)
>>> Da Hora, da Onda, da Vinci de Jon Scieszka; Sérgio Alcides; Adam Mccauley pela Companhia das Letras (2006)
>>> O Circo - Coleção Folha Charles Chaplin Nº 7 - Com Dvd de Charles Chaplin - Carlos Cassio Starling pela Folha de São Paulo (2012)
>>> Porno Política - Paixões e Taras na Vida Brasileira de Arnaldo Jabor pela Objetiva (2006)
>>> Contrapontos em Linguagem & Educação de Luciane de Lima - Márcia Letícia Gomes - Sérgio Nunes de Jesus pela Snj (2005)
>>> Titulo de Aut pela Abc (1999)
>>> Razão e Violência de R D Laing - D G Cooper pela Vozes (1976)
>>> Titulo de Aut pela Abc (1999)
COLUNAS

Sexta-feira, 19/12/2014
O cão da meia-noite
Gian Danton

+ de 6900 Acessos

No final do século XIX e início do século XX a literatura brasileira era dominada pelos parnasianos. Um dos princípios dessa corrente literária era a linguagem empolada, difícil, afastada do populacho. Monteiro Lobato foi o primeiro a se revoltar contra essa maneira de escrever - a ponto de se recusar a ser chamado de escritor, pois associava o nome à "alta literatura" e, por tabela, aos parnasianos. Para Lobato, a literatura devia falar a língua do povo, repetir suas gírias e modos de dizer. Posteriormente, essa proposta seria levada a cabo pelos modernistas, mas ninguém conseguiu encarnar a proposta de Lobato de maneira tão completa e perfeita como Marcos Rey. O grande autor de livros juvenis, cujo pai era encadernador na gráfica lobatiana, conseguiu como ninguém apanhar o jeito de falar de toda gente e transformá-lo em palavra impressa. Ótimo exemplo disso é o livro de contos O cão da meia-noite (Global editora, 216 páginas).

No volume, Rey conta histórias de pessoas normais que acabam sendo envolvidas em algum tipo de drama. Algo em comum em todos eles é iniciar com um episódio cotidiano, pitoresco (como amigos que se encontram num bar, ou um homem que resolve adotar um cachorro), que vai se tornado mais e mais complexo ao correr das páginas.

No primeiro conto, "Eu e meu fusca", vemos o que parece ser o relato apenas de um garoto viciado em seu carro, mas que logo se torna uma história policial no melhor estilo serial killer (provavelmente um dos primeiros textos ficcionais sobre o assunto escritos no Brasil). Todo narrado em primeira pessoa, o texto repete as gírias das ruas da década de 1960.

Em "O bar dos cento e tantos dias" um redator publicitário desempregado conhece um boêmio que lhe dá dicas de empregos (quase sempre furadas) enquanto lhe ensina a "observar o espetáculo da cidade" e seus personagens - um exercício que certamente o autor fez à exaustão, a se tirar pela fauna presente nesse livro.

No conto que dá título ao livro vemos um homem que encontra um cachorro de rua e resolve leva-lo para casa e cuidar dele. Ocorre que se trata de um cão de rua, incapaz de viver preso. O que começa como um simples gesto de carinho acaba se tornando uma obsessão assassina e acabamos tendo mais uma história policial. Para entender "A escalação" é interessante saber que Marcos Rey foi roteirista de cinema, mais especificamente da pornochanchada, o que lhe permite falar com muita propriedade do assunto. No texto, um produtor cinematográfico reúne o elenco de seu novo filme, mas joga psicologicamente com cada um deles de modo a sempre ganhar. Ali temos desde o roteirista que aceita qualquer salário porque é perseguido pela ditadura e ninguém quer lhe dar emprego até a atriz decadente em busca de um papel que a traga de volta à cena.

Muito difícil escolher o melhor conto num livro de pérolas como esse, mas se fosse necessário, eu escolheria "O adhemarista". O mote é simples, quase irrisório: um taxista que faz campanha para Adhemar de Barros num texto narrado por um amigo igualmente taxista. Nada demais. Mas Marcos Rey nos revela neste conto uma verve psicológica, um talento para coletar tipos e a capacidade de escrever como as pessoas de determinada época falavam de maneira ímpar. Saca só:

"Aquela foi a semana mais quente que o Moa (Moacir) viveu na puta da vida. Nós, do ponto, é que sabíamos. Quente, digo, em toda parte. No carro, na rua, na sede do partido, na Lila, em casa. O homem estava envenenado, com fé em Deus e pé na tábua, dormindo só uma três horas por noite. Foi também a semana do papo, da lábia, da saliva, dia e noite de campanha, amarrando votos, aliciando os indecisos. Nunca vi na life um cabo eleitoral com tanta corda, tanta garra, tanto embalo".

Não bastasse a ótima análise do tipo fanático, que transforma política em torcida de futebol e coloca a eleição acima de tudo, Marcos Rey ainda constrói sua narrativa como um verdadeiro suspense policial, em que o mistério não é saber quem é o assassino, mas quem irá ganhar a eleição.

"Soy loco por ti, América!", repete o tema de "A escalação". Nele, vemos uma festa de granfinos e estrelas do cinema e da televisão no dia anterior ao golpe militar. Regada a lança-perfumes, a festa, que começa tímida, torna-se um verdadeiro circo, com direito a gay enrustido, que de repente se interessa por uma atriz, para desespero de seu parceiro assumido, a atriz que humilha o produtor que a recusou antes da fama e anfitrião que filma tudo.

Em "Traje de rigor" encontram-se no bar quatro homens muito diferentes: um publicitário (cujos slogans, como "Mil a vista e o resto a perder de vista", lhe renderam um ótimo salário), um jornalista decadente, que parece interessado unicamente em vender um revólver para qualquer um que encontre, um velho cantor igualmente decadente e um homem de família, com filho doente em casa, que quer apenas levar uma lata de leite em pó para casa. Esses quatro juntam-se numa inesperada jornada pela noite de São Paulo que a vai se revelando mais e mais surpreendente a capa página (o homem de família, por exemplo, acaba se mostrando o mais bôemio).

Finalmente, em "Mustangue cor-de-sangue" acompanhamos o relato de um redator de um programa infantil estrelado por um anão que no dia-a-dia é um devasso e, na ocasião, resolve transar justamente com a vedete pela qual o escriba é apaixonado. O conto oscila entre as tentativas do anão e as fugas da moça, interessada em um contrato na TV e os planos do intelectual para salvá-la e, ao mesmo tempo, tirar sua casquinha da moça. Daria uma ótima pornochanchada, como muitas das que foram escritas por Marcos Rey para a boca do lixo na década de 1970. Aqueles que, quando crianças e adolescentes se deliciaram com as histórias de Marcos Rey para a coleção Vaga-lume irão se deliciar ao descobrir esse outro lado do escritor.


Gian Danton
Goiânia, 19/12/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Daumier, um caricaturista contra o poder de Jardel Dias Cavalcanti
02. 007 ― Quantum of Solace de Alexandre Inagaki


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2014
01. Uma norma para acabar com os quadrinhos nacionais? - 25/7/2014
02. Monteiro Lobato: fragmentos, opiniões e miscelânea - 24/1/2014
03. O cão da meia-noite - 19/12/2014
04. Abelardo e Heloísa - 28/2/2014
05. A cultura visual e a emancipação do receptor - 20/6/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Sobressalto!
Lilian Sypriano
Formato
(2000)
R$ 6,70



Tributação Efetiva Sobre Consumo e Renda do Trabalho e do Capital
Cadernos Direito Tributário Finanças, Nº 11
Revista dos Tribunais (sp)
(1995)
R$ 19,82



Porto Belo - Sua História Sua Gente
Dieter Hans Bruno Kohl
Outros
R$ 10,00



Qual É a Sua Cor? o Caminho para Saúde Através da Cor
Annie Wilson & Lilla Bek
Martins Fontes
(1985)
R$ 13,90



Inspector Logan - Level 1 - 4ª Ed.
Richard Macandrew
Cambridge University Press
(2004)
R$ 13,19



Primeiro Encontro Sobre o Ensino da História Comunicações
Diversos Autores
Fundação Calouste Gulbenkian
(1992)
R$ 23,45



Hollow Land: Israel's Architecture of Occupation
Eyal Weizman
Verso
(2012)
R$ 250,00
+ frete grátis



Vip Luize Altenhofen Nº 237
Vários Autores
Abril
(2005)
R$ 10,00



Crônicas Escolhidas Lima Barreto
Lima Barreto
Ática
(1995)
R$ 5,99



Iniciação à História da Ciência
David B. Kitts/ Duane H. D. e outros
Cultrix
(1966)
R$ 6,90





busca | avançada
74915 visitas/dia
2,3 milhões/mês