Santa Xuxa contra a hipocrisia atual | Lucas Rodrigues Pires | Digestivo Cultural

busca | avançada
46852 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 12/12/2002
Santa Xuxa contra a hipocrisia atual
Lucas Rodrigues Pires

+ de 11500 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Uma coisa não se pode negar a Xuxa: ela teve coragem e cacife para fazer um filme como Xuxa e os Duendes. Mais ainda ela juntou para filmar Xuxa e os Duendes 2, que estréia nesta sexta-feira 13 de dezembro. E, se a profecia se realizar, ano que vem teremos de aturar Xuxa e os Duendes 3, já que Suzana Vieira se prestou ao papel de aparecer como uma bruxa segundos antes dos créditos finais para dizer apenas que "isso não vai ficar assim"...

Antes de começar, queria apenas destacar que este filme, diferentemente de Xuxa Requebra e Xuxa Popstar, tem uma mensagem. Sim, há aquela moral da história com alguma moral em que os valores não aparecem invertidos. Por outro lado, o tino comercial de Xuxa continua a mil. A cena na qual as crianças fazem propaganda descarada da bolacha Passatempo, que é recheada e deixa a língua colorida, beira o cúmulo do ridículo. Sem dúvida, a seqüência mais deprimente dos últimos tempos do cinema brasileiro.

Sociologia do egoísmo
A rainha dos X e das crianças continua a ser o nome mais forte do cinema brasileiro contemporâneo. Desde o início da década de 90, com o lançamento de Lua de Cristal, ela domina as bilheterias, escolhe quem irá participar de seus filmes, define a trilha musical e com quem irá ficar no final de cada filme. Seu poder é tamanho que conseguiu até colocar Gugu Liberato, estrela da emissora de televisão concorrente, contracenando com ela e Guilherme Karan, e ver um cara como Carlinhos Brown fazer a música-tema intitulada "Duendes"!!!. A força que nunca seca, Xuxa atraiu cada vez mais pessoas a seus filmes nos últimos três anos. Agora não deverá ser diferente, ainda mais por contar com um elenco de apoio de muito peso. Alguns dos que de Xuxa e os Duendes 2 participam: Vera Fisher, Deborah Secco, Zezé Motta, Cristina Pereira, Betty Lago e Suzana Vieira. Todas são coadjuvantes, pouco ou quase nada aparecem, servindo apenas de chamariz ou tampão para o filme. Quem deve e sempre brilhará num filme de Xuxa é apenas Xuxa; o invólucro egoístico da moça destrói a todos que com ela contracenam. A função de cada um é parecer ridículo a ponto de conseguirmos enxergar ali apenas a antiimagem já difundida daquela personalidade. Para tanto, disfarces de bruxas e fadas, como todo o imaginário que tais conceitos trazem às crianças, são necessários para aperfeiçoar o golpe.

Xuxa tem o dom de unir diversos talentos da Rede Globo e inverter o conceito que ronda sobre eles. Vera Fisher, de deusa do Olimpo, a Rainha das Fadas que causa ojeriza no maior dos fãs da atriz; a nova musa da libertinagem, uma Lolita de temperos picantes, Deborah Secco surge como uma bruxa sem vocação ao Mal que se apaixona por um elfo e termina por se tornar uma fada; a bela Betty Lago, do topo de todo seu estilo e charme, se presta a ser a bruxa Algaz, mesquinha, com voz de debilóide com gripe, e sedenta por um choro de criança...

Como não tirar o chapéu para Xuxa se ela consegue a proeza de desmascarar esses falsos "alephs" do mundo moderno e dar a eles nova roupagem, distante do mundo de Caras e Playboy em que essas celebridades reinam e se perpetuam a cada cirurgia plástica realizada?

Transgressão anunciada
Xuxa e os Duendes 2 tem outra função também. Talvez sirva para reunir a apresentadora/atriz/cantora/executiva/milionária/mãe solteira com o pai de Sasha. Talvez para o tão esperado irmãozinho que a pequena e única herdeira do reino mágico de aspirações de Xuxa pediu à mãe e que esta proclamou - via Caras - aos sete ventos. Sim, porque Luciano Szafir é um achado no filme. Ele é Rafael, tio de quatro crianças, solteirão em busca de sua cara metade. Sim, ele vai se apaixonar por Kira, a personagem de Xuxa. Mas, se pensarmos bem, ali nada é encenado. Szafir é Luciano Szafir, com todos seus defeitos como ator, mas todas suas qualidades de homem apaixonado. Ele não esconde a admiração que sente por Xuxa e nem aquele sentimento que só quem gosta de verdade demonstra no rosto. Luciano Szafir, o escolhido, o eleito entre milhões, nada mais faz do que ser ele mesmo, com toda sua pompa e expressão inexpressiva. Caso contrário, seria acreditar demais na força e veracidade de sua interpretação. Szafir faz cara de quem quer comer e não sabe como fazer, o que acaba por deixar a outrem o papel de tomar a iniciativa, ofuscando seu personagem.

Xuxa é exímia em trazer à tona os pecados do mundo. Se em Xuxa e os Duendes ela terminou sozinha, não haveria como repetir a dose. A vida imaginária da Terra das Fadas ou o Mundo dos Duendes tem de dar ao imaginário humano e idiossincrático da população brasileira o que Xuxa não pôde dar-lhes na vida real. O final feliz da mulher Xuxa com um homem ao seu lado foi difícil demais para ela suportar; assim sendo, dá o circo e o pão à massa necessitada e faminta em seu filme - une na ficção o que na vida real lhe foi impossível. O final feliz da botânica Kira com o professor Rafael, este sim possível e saudável, pois mascarado pela mediação do filme, é a realidade que todos queriam se habituar, menos ela. A mulher independente e forte no filme acaba se entregando a uma paixão, coisa que se esquivou na vida real. E o final com o casamento e o beijo é o clímax a que a sociedade voyerista atual foi privada, mas pela ficção a mesma pode liberar seus gemidos orgasmáticos.

Xuxa e os Duendes 2 marca uma reviravolta na carreira cinematográfica da moça. Ela revoluciona seu imaginário infantil para levar às telas muitos efeitos especiais e certas ousadias que não caberia anteriormente. A libido à flor da pele está em todas as partes do filme. Como não se extasiar (para não dizer outra coisa) com os beijos na boca e de língua entre Deborah Secco e seu par romântico Thiago Fragoso? Da união de uma bruxa com um elfo, um bebê nasceu... As relações homem-mulher chegam ao cinema de Xuxa, e não mais apenas via a presença de tios e sobrinhos (como nas histórias dos personagens criados por Walt Disney e presente pelos personagens de Rafael e seus quatro sobrinhos - as crianças do filme). Enfim, é o mundo do profano invadindo o mundo fantástico e assexuado de Xuxa.

Não se assustem se desse filme nascer o irmãozinho de Sasha. Nas profundezas da ficção, a realidade prepara seu próximo show. Se não exteriorizado nas telas, a insinuação de um filme proibido para menores de 18 anos se acentua. Ou alguém duvida da capacidade de Xuxa em transformar virgens puritanas em libertinas sedentas pelo ópio carnal?


Lucas Rodrigues Pires
São Paulo, 12/12/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Imprimam - e repensem - suas fotografias de Ana Elisa Ribeiro
02. Era uma vez um inverno de Elisa Andrade Buzzo
03. Simone Weil no palco: pergunta em forma de vida de Heloisa Pait
04. São Paulo e o medo no cinema de Elisa Andrade Buzzo
05. A Imagem do Som de Fabio Gomes


Mais Lucas Rodrigues Pires
Mais Acessadas de Lucas Rodrigues Pires em 2002
01. Santa Xuxa contra a hipocrisia atual - 12/12/2002
02. O limite de um artista - 4/6/2002
03. O melhor nacional do ano - 17/10/2002
04. Cidade de Deus, um fenômeno comercial - 7/11/2002
05. O que eles têm que nós não temos? - 5/12/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/12/2002
16h48min
Sr. Lucas. Não acha que seu texto, mesmo tecendo críticas à Xuxa e seus filmes ridículos, deu até grande valor a essa "lixaiada" toda que temos que aturar em nossa midia ? Considero que os atores da rede globo, bem como amigos, filhos e apradinhados desta tal "Rainha Xuxa", um bando de hipócritas e infelizes; acho que não merecem crítica alguma, detalhada ou não, .. porque não passam de "NADA" do ponto de vista cultural; apenas continuam sujando a imagem da cultura construtiva, na qual estamos em falta ultimamente.
[Leia outros Comentários de David Samborn]
20/12/2002
17h04min
Lucas,Também tive o desprazer de assistir esse filme imbecilizante, e saí do cinema com náuseas. Pela liçãozinha de moral, pela sofrível interpretação dos atores, pela primariedade do roteiro, pelo merchandising descarado, enfim... sinceramente esse filme é uma vergonha para o cinema nacional. Vamos espalhar isso aos quatro ventos, salvar nossas crianças da ideologia que está por trás de Xuxa, esse monstro asqueroso da indústria cultural de massa.
[Leia outros Comentários de Paula Penedo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PÂNICO NO ACAMPAMENTO (GOOSEBUMPS 10 - HISTÓRIAS DE ARREPIAR)
R. L. STINE
ABRIL
(1992)
R$ 22,28



A DOENÇA COMO LINGUAGEM DA ALMA
RÜDIGER DAHLKE
CULTRIX
(2004)
R$ 42,00



VIVER, PERDER, GANHAR
JANET GREESON
BEST SELLER
(1993)
R$ 7,80



A CIDADE DOS BEBÊS
JANE GREEN
RECORD
(2003)
R$ 18,00



OS SIGNOS E AS MULHERES
JUDITH BENNETT
NOVA ERA
(2002)
R$ 39,00



ROBERTO SCHUMANN SU ARTE Y SU VIDA
WILLI REICH
RICORD AMERICANA
(1957)
R$ 20,00



ORE DEPOSITES AND MANTLE PLUMES
FRANCO PIRAJNO
KLUWER ACADEMIC
(2000)
R$ 300,00



COPOS QUE ANDAM
ANTONIO CARLOS E VERA LÚCIA
PETIT
(1994)
R$ 15,00



O DESENHO DE LASAR SEGALL
NÃO DEFINIDO
MUSEU LASAR SEGALL
(1991)
R$ 35,00



HOMICÍDIO CONJUGAL EM PORTUGAL
ELZA MARIA HENRIQUES DEUS PAIS
HUGIN
(1998)
R$ 83,74





busca | avançada
46852 visitas/dia
1,1 milhão/mês