Comentários de daniela sandler | Digestivo Cultural

busca | avançada
76281 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Jazz Festival: Primeira edição de evento da Bourbon Hospitalidade promete encantar com grandes nomes
>>> Coletivo Mani Carimbó é convidado do projeto Terreiros Nômades em escola da zona sul
>>> CCSP recebe Filó Machado e o concerto de pré-lançamento do álbum A Música Negra
>>> Premiado espetáculo ‘Flores Astrais’ pela primeira vez em Petrópolis no Teatro Imperial para homenag
>>> VerDe Perto, o Musical Ecológico tem sessões grátis em Santo Antônio do Pinhal e em São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Tempo di valsa
>>> O Príncipe Maquiavel
>>> Marcelo Mirisola: entrevista
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Diogo Salles no Roda Viva
>>> Gidon Kremer Piano Quartet e a Temporada 2009
>>> Procura-se a década de 60
>>> A proposta libertária
>>> Soluções geniais para a escola e a educação
>>> Como detectar MAVs (e bloquear)
Mais Recentes
>>> Coleção Enciclopédia Ilustrada da Ciência de Globo pela Globo
>>> Radiestesia Psiquica - Apuntes para Un Estudio Del Fenomeno Radiestesico de J. M. Pilon y Valero de Bernabe pela Mundi-Prensa (1976)
>>> Cigar Smoking: The Fast & Easy Way To Go From Novice Cigar Smoker To Know-it-all Cigar Aficionado! Updated Second Edition de Winston Carter pela Independently Published (2019)
>>> Zen: O Salto Quântico da Mente para a Não Mente de Osho pela Gente
>>> Livro Biografias Federico García Lorca Uma Biografia de Ian Gibson pela Globo (1989)
>>> Oceano Langenscheidt Compact Diccionario Didactico Aleman de Dieter Gotz pela Oceano Langenscheidt Ediciones (1999)
>>> Mestre Inesquecível de Augusto Cury pela Gmt
>>> Literatura Brasileira Ponciá Vicêncio de Conceicao Evaristo pela Pallas (2017)
>>> Doutor miragem de Moacyr Scliar pela Lpm (1978)
>>> Crystal Growth And Nucleation: Faraday Discussions No 136 (faraday Discussions, Volume 136) de Lionel Mandell pela Royal Society Of Chemistry (2007)
>>> Livro Infanto Juvenis Meu Avô Japonês Coleção Imigrantes do Brasil de Juliana de Faria pela Panda Books (2016)
>>> China 1 e 2 de Grandes Impérios e Civilizações pela DelPrado (1996)
>>> Quatro Estações de Stephen King pela Francisco Alves (1991)
>>> Obras Psicológicas de Sigmund Freud - 1 Volume de Sigmund Freud pela Imago (2004)
>>> A Camisa Do Marido de Nélida Piñon pela Record (2014)
>>> A Bíblia 1 e 2 de Grandes Impérios e Civilizações pela DelPrado (1996)
>>> O Mar, O Mar de Iris Murdoch pela Nova Fronteira (1980)
>>> Livro Filosofia Teoria Crítica e Educação de Bruno Pucci pela Vozes (1994)
>>> Metafísica do Vegetarianismo - Alimentação e Transcendência de Shrila Bhaktivedanta Narayana Goswami Maharaja pela Braja (2014)
>>> Entrevista Com O Vampiro de Anne Rice pela Rocco (1992)
>>> Um Dia "Daqueles" (capa dura) de Bradley Trevor Greive pela Sextante (2001)
>>> Míni Aurélio: O Dicionário Da Língua Portuguesa de Unknown pela Positivo; 6 Edition (2024)
>>> O Mestre Do Amor de Augusto Cury pela Gmt (2012)
>>> Livro Infanto Juvenis O Castelo dos Gatos de Loic Jouannigot pela Melhoramentos (2011)
>>> A Redoma de Vidro de Sylvia Plath pela Biblioteca Azul (2014)
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Quarta-feira, 6/2/2002
Comentários
daniela sandler

Bzzzzzzzzzzz
Adri, daqui destas paragens nevadas e fleumáticas, fiquei devaneando ao ler sua coluna, com uma espécie de saudade do futuro, já que nunca pulei carnaval. Mas que maravilha, nas suas palavras, esta quarta de fogo (hoje!). Só não tenho certeza quanto à sua proposta de que o poder público deveria investir nas Muriçocas. Será que isso não iria torná-las "oficiais" demais, institucionalizadas, big business? Será que no fim não virariam mais um produto cultural para consumo comercial (e elitizado)? Ou será que fiquei cética demais?

[Sobre "De Tambaú ao Rio Sanhauá*"]

por daniela sandler
6/2/2002 às
19h26 64.12.107.38
 
perguntinha
rafael, antes de mais nada, o que significa "pegar pilha"?

[Sobre "Somos diferentes. E daí? "]

por daniela sandler
30/1/2002 às
19h40 152.163.205.79
 
a gente somos...
Em resposta à questão da utilidade: Ainda que a gente usasse “função” como critério, encontraríamos utilidade em tudo – ou em nada, porque o “útil” depende de nossos parâmetros e das circunstâncias também. A utilidade de Mozart, ou de alguém que escreve sobre, estuda ou escuta Mozart, pode não ser óbvia, mas isso não quer dizer inexistente. Nem tudo pode ser útil para todos sempre. E, por fim, uma coisa (útil) não exclui outra coisa (útil).

[Sobre "ô ô"]

por dani sandler
26/1/2002 às
22h41 64.12.107.44
 
show!
Dri, Poderosa, vitaminada a sua crítica! A-d-o-r-e-i a história da subversão da segregação (à qual estamos, infelizmente, acostumados). Depois de descrever os absurdos sócio-espaciais do show, a sua narração do momento anárquico da Rita é climática! Fiquei até emocionada. Aliás, não há nada de errado com suas descrições espaciais (e olha que sou, ou fui, arquiteta!). Deu pra visualizar tudo, da treliça da cobertura às cadeiras de lona – e ficou mais claro q muita revista especializada. Quero umas cadeiras de lona também! (sem ácaros, por favor!)

[Sobre "Aqui, ali, em qualquer lugar perto do palco"]

por dani sandler
26/1/2002 às
22h34 64.12.107.44
 
vão-se os buracos
...ficam os livros também, claro. Faz um tempão, li em algum lugar (não lembro autor, referência, nada) uma passagem sobre o "valor", ou a razão, da arte. O autor deixava a pergunta "para que serve arte" sem resposta, e começava a falar das coisas vitais da sobrevivência. Para que a gente trabalha? Para ganhar dinheiro. Para que a gente ganha dinheiro? Para comer. Para que a gente come, faz higiene, vai ao médico, constrói casa etc. etc.? Para sobreviver. E para que a gente sobrevive??? Para que o trabalho todo de manter a carcaça viva? Só por instinto? E o que nos faz humanos, então? A resposta do autor, claro, era esta: a arte. Vivemos para poder produzir e participar da cultura. Também ouço muita teoria do buraco de rua, na forma daquele sorriso amarelo quando tento explicar meu doutorado em "Estudos Culturais e Visuais". Que bom que nem todo mundo caiu na armadilha do buraco de rua - senão, a gente ia mesmo pro buraco!!!

[Sobre "Teoria do Buraco de Rua"]

por dani sandler
26/1/2002 às
21h40 64.12.107.44
 
resposta
Caro Jardel, Seu comentário tocou num ponto importante não só do meu texto, mas da arte de uma forma geral. Por isso, minha resposta será um pouco longa. Concordo que a forma comunica sentido - talvez outros textos meus deixem isso mais claro. Mas isso não significa que o formalismo esteja acima de críticas. A julgar de declarações do próprio diretor, Luiz Fernando Carvalho, _Lavoura Arcaica_ preocupa-se com questões que vão além do lirismo formal. O diretor é sensível à complexidade emocional dos personagens, às suas contradições, ao envolvimento entre as pessoas e sua herança cultural, seu contexto familiar e natural. Restaurando um modo de ver, a atenção a minúcias, o tempo lento, o filme opõe-se à dessensibilização "videoclipe", mas não apenas no que esta tem de formal. A intensidade dramática, de sentimentos e de palavras (a riqueza da linguagem, das falas) não pode ser reduzida às imagens ou ao conceito de beleza, e creio que apreciar _Lavoura Arcaica_ apenas por seus méritos estéticos não faz jus à intenção artística ou comunicativa da obra. É pelo fato mesmo de o filme colocar tão intensamente o sofrimento de André (desde a primeira cena) que vi-me incomodada pelos momentos de estetização, em especial o desfecho, como se esses momentos traíssem a profundidade alcançada em outros trechos. A iluminação que a arte pode nos fornecer não está necessariamente no prazer estético, na apreciação da beleza, numa experiência sensorial diferente – pode estar na incongruência, no desconforto, no questionamento pessoal ou social. _Limite_ difere de _Lavoura Arcaica_ em sua qualidade “formalista”. Em primeiro lugar, a rejeição do conteúdo, a atenção à forma e ao suporte, e a tendência à abstração tinham um significado muito diferente no começo do século, quando os movimentos modernistas (em todas as áreas) exploraram essas vias expressivas como crítica e comentário à arte precedente, à academia, à sociedade. Hoje em dia, ser formalista não envolve o mesmo risco, não requer a mesma audácia, e – pior – não significa necessariamente postura crítica. É fácil fazer um quadro abstrato que será pouco mais que papel de parede – ou um audiovisual que não causará espanto na MTV. _Limite_ é às vezes criticado por ser formalista demais, permitindo um “vale-tudo” interpretativo. Pessoalmente, discordo dessas críticas (e gosto muito do filme), mas acho importante ver como as obras podem nos fornecer, elas mesmas, as pistas de sua fruição. Essa fruição não é necessariamente intelectual, não significa sempre entendimento racional ou cerebral – há outras formas de insight e “comunicação” artística. Talvez por isso você tenha entendido meu texto como “mental”. Acho também que você teve a impressão (imprecisa) de que rejeitei _Lavoura Arcaica_ como um todo. Ora, foi justamente por ter sido tocada profundamente pelo filme que lhe dediquei esforço e atenção. É desnecessário dizer que crítica não significa elogio, e que atentar para os problemas não exclui apreciar as qualidades. Foi o que quis dizer com meu comentário sobre a “perfeição”, ao fim do texto.

[Sobre "Virtudes e pecados (lavoura arcaica)"]

por daniela sandler
12/1/2002 às
18h27 200.191.65.147
 
Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Educação escolar entre as grades
Elenice Maria Cammarosano Onfre
Edufscar
(2007)



Mosaico 9 Arte - Ancestralidade + CD
Béa Meira e outros
Scipione
(2020)



Empreendimentos Sociais Sustentáveis
Mckinsey And Company, Ashoka (fellowship)
Peirópolis
(2001)



Manifesto do planeta dos macacos
Manual Vazquez Montalbán
Scritta
(1995)



Outros Brasis 401
Gerson Lodi-Ribeiro
Unicórnio Azul
(2006)



A Cama Desfeita
Françoise Sagan
Circulo do Livro
(1983)



Livro Infanto Juvenis O Atalho Secreto
Mark Teague; Gilda de Aquino
Brinque Book
(2009)



Outros cantos
Maria Valéria Rezende
Alfaguara
(2016)



Portugueses En Brasil En El Siglo Xx
Eulalia Maria e Lahmeyer Lobo
Editorial Mapfre
(1994)



Eu fico Loko 2
Christian Figueredo de Caldas
Novas Páginas
(2015)





busca | avançada
76281 visitas/dia
2,1 milhões/mês