vão-se os buracos | dani sandler

busca | avançada
50856 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Prêmio AF de Arte Contemporânea abre inscrições para a edição comemorativa de 10 anos
>>> Inscrições abertas para o Prêmio LOBA Festival: objetivo é fomentar o protagonismo de escritoras
>>> 7ª edição do Fest Rio Judaico acontece no domingo (16 de junho)
>>> Instituto SYN realiza 4ª edição da campanha de arrecadação de agasalhos no RJ
>>> O futuro da inteligência artificial: romance do escritor paranaense Roger Dörl, radicado em Brasília
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Construção de um sonho
>>> Quem é mesmo massa de manobra?
>>> A crise dos 28
>>> Snoop Dogg - Ups & Downs
>>> Leitura vertical e leitura horizontal
>>> Cameron Frye: o rapaz que se cansou de sentir medo
>>> O delfim, de José Cardoso Pires
>>> The best is yet to come
Mais Recentes
>>> Livro História do Brasil A Revolução Farroupilha Coleção Síntese Rio- Grandense Edição de Bolso de Moacyr Flores pela Ufrgs (2004)
>>> Gibi Mônica Especial de Natal de Érico Rodrigo Maioli Rosa pela Panini (2014)
>>> Mangá Video Girl Ai #3 de Masakazu Katsura pela Jbc (1989)
>>> Mangá Love #27 de Ken Akamatsu pela Jbc (1999)
>>> Highschool Of The Dead #4 de Daisuke Sato pela Panini (2008)
>>> Teatro de Maria Clara Machado pela Agir (1997)
>>> Os Mistérios de Órion de Yuri Mendes pela Abdr (2007)
>>> O Homem mais Rico da Babilônia de George S. Clason pela HarperCollins (2017)
>>> O Relacionamento com os Filhos de Jennie Hernandez Hanks pela Butterfly (2003)
>>> Proporcionalismo de Waldemar De Gregori / Silvio L.Sant'Anna pela Lorosae (2002)
>>> Planejamento E Organização Em Turismo de Margarita Barretto pela Papirus (2000)
>>> Maktub de Paulo Coelho pela Gold
>>> Tá Todo Mundo Mal - Livro das Crises de Jout Jout pela Companhia Das Letras (2016)
>>> A Vida Que Ninguém Vê de Eliane Brum pela Arquipélago (2006)
>>> Todas As Dores De Que Me Libertei. E Sobrevivi de Felipe Rocha pela Astral (2021)
>>> Sintomas e Tratamento de seu Filho de Jonh Garwood / Amanda Bennett pela Paulinas (2000)
>>> Sexualidade de Dr. Edison Glienke pela Ciranda Cultural
>>> Sob Fogo Cerrado de Oliver North / William Novak pela Círculo do Livro
>>> Diario De Uma Garota Nada Popular de Rachel Renée Russel pela Verus (2011)
>>> Fogo Pálido de Vladimir Nabokov pela Círculo do Livro
>>> As Memórias de Roger Vadim de Bardot, Deneuve e Fonda pela Círculo do Livro (1991)
>>> Livro Crianças francesas dia a dia: Um guia prático com 100 dicas para educar os filhos de Pamela Druckerman pela Fontanar (2014)
>>> Histórias que Inspiram o Mundo de Lorene Patigra pela Escrita Empreendedora (2020)
>>> Fazenda Modelo de Chico Buarque pela Círculo do Livro (1976)
>>> Livro O Dom Do Dialogo: Saber escutar de Louis Sahuc pela Paulinas (2002)
COMENTÁRIOS

Sábado, 26/1/2002
Comentários
Leitores

vão-se os buracos
...ficam os livros também, claro. Faz um tempão, li em algum lugar (não lembro autor, referência, nada) uma passagem sobre o "valor", ou a razão, da arte. O autor deixava a pergunta "para que serve arte" sem resposta, e começava a falar das coisas vitais da sobrevivência. Para que a gente trabalha? Para ganhar dinheiro. Para que a gente ganha dinheiro? Para comer. Para que a gente come, faz higiene, vai ao médico, constrói casa etc. etc.? Para sobreviver. E para que a gente sobrevive??? Para que o trabalho todo de manter a carcaça viva? Só por instinto? E o que nos faz humanos, então? A resposta do autor, claro, era esta: a arte. Vivemos para poder produzir e participar da cultura. Também ouço muita teoria do buraco de rua, na forma daquele sorriso amarelo quando tento explicar meu doutorado em "Estudos Culturais e Visuais". Que bom que nem todo mundo caiu na armadilha do buraco de rua - senão, a gente ia mesmo pro buraco!!!

[Sobre "Teoria do Buraco de Rua"]

por dani sandler
26/1/2002 às
21h40 64.12.107.44
(+) dani sandler no Digestivo...
 
uma coisa é uma coisa
Antônio, é sempre arriscado comparar duas coisas que tenham finalidades tão diferentes. Certamente as pessoas a que você se refere são mais úteis para a sociedade do que um sujeito que só se dedica ao estudo de Bach e Mozart. Mas não se pode medir tudo com base apenas na sua utilidade. Um abraço cordial, Fabio.

[Sobre "ô ô"]

por Fabio
26/1/2002 às
11h37 200.183.94.214
(+) Fabio no Digestivo...
 
obrigado
Obrigado pelos comentários, Cris. Por um momento você me deixou com vontade de ter 70 anos... :) Um forte abraço, Fabio.

[Sobre "todas as festas felizes demais"]

por Fabio Danesi Rossi
26/1/2002 às
11h33 200.183.94.214
(+) Fabio Danesi Rossi no Digestivo...
 
Afinal de contas...
Fábio Há pessoas que não saberiam opinar sobre Mozart e que nunca ouviram falar de Proust, mas dedicam uma parte do seu tempo livre ensinando gratuitamente o pouco da educação que eles têm para quem tem menos ainda. Pessoas que fazem isso (e eu até poderia citar quase duas dezenas de nomes que eu conheço) são mais úteis aqui do que aquelas que entendam de Mozart e de Proust, mas não produzem algo útil para o país. Afinal de contas, "don´t ask what your country can do for you, but what you can do for your country" (John Kennedy). Antônio Lacerda São Paulo - SP

[Sobre "ô ô"]

por Antônio Lacerda
25/1/2002 às
21h51 200.211.118.48
(+) Antônio Lacerda no Digestivo...
 
joão mellão
Rafael e leitores: leiam a coluna que o João Mellão publicou hoje (25/01) no Estado de São Paulo. Ele conta que aqui em São Paulo se chegou ao cúmulo de criar comissões de detentos para co-gerir os presídios! É mole? No Brasil a justiça tarda, mas não chega, como já disse alguém.

[Sobre "Absurdos jurídicos"]

por Fabio
25/1/2002 às
21h49 200.183.94.214
(+) Fabio no Digestivo...
 
Tanta benevolência!
Rafael Não sou advogado e meu conhecimento de Direito é muito pouco. Mas, deste pouco que eu sei, fico com a impressão que quem escreveu o código penal brasileiro escreveu pensando em si e não nos criminosos, ou seja, pensando em quais direitos eles gostariam de ter se fossem presos. Ou melhor, talvez tenham pedido contribuições a alguma Associação de Mães de Presidiários. É como eu consigo explicar tanta benevolência com os criminosos. Saudações. Antônio Lacerda São Paulo - SP

[Sobre "Absurdos jurídicos"]

por Antônio Lacerda
25/1/2002 às
21h27 200.211.118.48
(+) Antônio Lacerda no Digestivo...
 
Pergunte a eles
Pergunta, pois aos animais e eles te ensinarão; às aves do céu e elas te instruirão; Fala aos répteis da terra, e eles te responderão; e aos peixes do mar, e eles te darão lições. Entre todos esses seres quem não sabe que a mão de Deus fez tudo isso, Ele que tem em mãos a alma de tudo o que vive, e o sopro de vida de todos os humanos? Jó, 12, 7-10.

[Sobre "Variações"]

por José Roberto Barreto
25/1/2002 às
19h45 200.173.176.185
(+) José Roberto Barreto no Digestivo...
 
Coerência
Quem conhece o Lisandro pessoalmente, sabe que ele realmente segue a risca suas sugestoes... :) Ta maneirissimo, Lisandro! :) Um abraco, Edgar

[Sobre "Como não ser publicado"]

por Edgar
25/1/2002 às
16h12 209.136.240.38
(+) Edgar no Digestivo...
 
Sugestões de respostas
Queria colaborar com respostas para as questões existenciais (com o perdão da expressão) de que o colunista se queixa. Talvez ele possa responder assim aos interlocutores, como eu responderia: 1) Deus existe? Não, nem Ele nem você. 2) Qual o sentido da vida? Anti-horário, mas se você plantar bananeira parece que é horário. 3) Qual o nosso lugar no Universo? Eu tenho um apartamento na Romualdo de Barros, Carvoeira, Florianópolis; você pode sentar ali naquele cantinho e ficar de bico fechado até o tio mandar sair. Pronto. Vejo-o na sexta-feira que vem, na próxima coluna.

[Sobre "Variações"]

por Guilherme Quandt
25/1/2002 às
12h42 200.180.8.78
(+) Guilherme Quandt no Digestivo...
 
O Caso do Cocô de Lesma
Salles, meu caro. Acabei de ler seu texto e daí pensei: "Pô, escrevi sobre isso essa semana". Quero dizer, na verae foi apenas uma notinha que dei, que talvez case com o final do seu texto. Leia aí (a nota se intitulava Ö Caso do Cocô de Lesma"): "O leitor pode estar pensando que o título acima é uma brincadeira e mau-gosto. Não é. Trata-se do material de que é feita uma “obra de arte”, da artista plástica mineira Rivane Neunschwander, e que faz parte do acervo do maior colecionador de arte do Brasil, Gilberto Chateaubriand. A questão, neste caso, não é só a qualidade da “obra de arte”. Afinal, qualquer pessoa com um mínimo de bom-senso sabe que não se trata em absoluto de algo que mereça esta qualificação. O questão é a manutenção destas besteiras, em museus e galerias, que teria ultrapassado, e muito, o valor de tais coisas. Em alguns casos, por exigirem temperatura, luminosidade e umidade controladas por computador, em salas especiais, o custo de se manter estes “cocôs de lesma” já teriam consumido dez vezes o custo da “obra”. O “caso do cocô de lesma” está longe de ser resolvido tanto por colecionadores quanto por museólogos (muito menos pelos acadêmicos, mas isso acho que é desnecessário dizer) porque passa pela arte conceitual, que há pelo menos duas décadas entulha Bienais e galerias especializadas com um tipo de arte (o termo não é exato) que não está nem aí para a efemeridade dos materiais. É uma arte que não diz nada de imediato para o espectador. Na verdade, quem aprecia este tipo de coisa tem que andar com umas enciclopédias embaixo do braço, para compreender a “genialidade” alheia (peço deculpas ao leitor pelo excesso de aspas nesta nota, mas como falar desta “arte” sem usá-las?). A “arte conceitual” é a responsável por obras como a de Neunschwander, descrita como “abstrações quase líricas”, feita com muito cocô de lesma sobre uma mesa de madeira." Abraço,

[Sobre "Variações"]

por Paulo
25/1/2002 às
12h46 200.195.206.4
(+) Paulo no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Demônio do Esquecimento
Michel Del Castillo
Francisco Alves
(1989)



Livro Literatura Estrangeira The Strange Crime of John Boulnois
G. K. Chesterton
Penguin Books



Livro Capa Dura Ladies and Gentlemen of the Jury Greatest Closing Arguments in Modern Law
Michael S Lief e Outros
A Lisa Drew Book
(1998)



A Imundação
Pedro Bandeira; Osnei Rocha
Moderna
(1992)



Classics in Spectroscopy: Isolation and Structure Elucidation of Natural Products
Stefan Berger, Dieter Sicker
Wiley-vch
(2009)



Pão de Mel
Rachel Cohn
Galera
(2008)



Doces E Sobremesas - Colecao Grandes Receitas De Ofelia
Ofelia
Gold
(2006)



A Viúva Clicquot
Tilar J. Mazzeo
Rocco
(2009)



Schnauzer
Márcio Infante Vieira
Sem
(2007)



O Caçador de Pipas
Khaled Hosseini
Nova Fronteira
(2005)





busca | avançada
50856 visitas/dia
2,3 milhões/mês