Como não ser publicado | Lisandro Gaertner | Digestivo Cultural

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (I)
>>> A primeira ofensa recebida sobre algo que escrevi
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Procissão
>>> Mais espetáculo que arte
>>> teu filho, teu brilho
>>> O Medium e o retorno do conteúdo
>>> A Poli... - 10 anos (e algumas reflexões) depois
>>> Web-based Finance Application
>>> Pensando sozinho
Mais Recentes
>>> Local, Global de Heloisa Buarque de Almeida pela Berlendis & Vertecch (2013)
>>> A Ordem Negra de James Rollins pela Ediouro (2007)
>>> Geometria Analítica Plana de Steinbruch Basso pela Makron Books (1991)
>>> Plano de Negócios de Egoy Walter Wildauer pela Intersaberes (2012)
>>> A Rendeira Borralheira de Socorro Acioli; Alexandre Camanho pela Positivo Livros (2009)
>>> How to Launch a Brazilian Depositary Receipts (bdrs) Program de Vários Autores pela Pwc
>>> Amanhã é outro dia de J.m. Simmel pela Nova Fronteira (1978)
>>> Tempo Bom, Tempo Ruim de Jean Wyllys pela Paralela (2014)
>>> O Fantasma de Canterville de Oscar Wide pela Scpione (2006)
>>> não vi enão gastei - O fenômeno do Prenconceito de Renato da Siva Queiroz pela Moderna (1997)
>>> O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec pela Ide (2016)
>>> Giocondo Dias - a Vida de Revolucionario de João Falçãqo pela Agir (1993)
>>> Passenger to Frankfurt de Agatha Christie pela Harpercollins Uk (2017)
>>> Por Que Sonhei Com Isso? de Evelyn Kay Massaro; Lauri Quinn Lowenberg pela Best Seller (2017)
>>> Born Montoneros - 9 Meses En las Entranãs de Montoneros de María Odonnell pela Sudamericana (2015)
>>> Mesa para Dois de Nora Roberts pela Harlequin Books Br (2007)
>>> Controle o Estresse de Augusto Cury pela Gold
>>> Schwert, Das de Daniel Easterman pela Aufbau Tb (2009)
>>> English in Formation 3rd Edition 8 Teacher Book de Wilson Liberato pela Standfor (2016)
>>> Metade de uma Rosa de Jonas Ribeiro pela Do Brasil (2007)
>>> Alarde Poético de Vários pela Não consta (2006)
>>> Perfume Derramado de Denise Seixas pela Bolabooks (2016)
>>> Evangelho Eterno e Orações Prodigiosas de Osvaldo Polidoro pela Do Autor (2009)
>>> Nao Pergunte Se Ele Estudou de Renato Alves pela Humano (2011)
>>> Habermas e a Dialética de David Igram pela Edunb (1993)
COLUNAS

Quinta-feira, 24/1/2002
Como não ser publicado
Lisandro Gaertner

+ de 6000 Acessos
+ 6 Comentário(s)

Foi para mim uma grande surpresa, ainda não recuperado dos efeitos nefastos das comemorações de fim de ano, receber por e-mail críticas a respeito de um artigo meu. Um artigo escrito há mais de 5 anos, do qual nem cópia eu mantinha. Seguida a surpresa, minha primeira pergunta foi : como isso foi acontecer?

Ligando os fatos, cheguei à conclusão que o mesmo havia surgido no Digestivo Cultural por obra e graça de Rafael Lima, amigo meu e um dos colunistas daqui, com o qual, no meio dos anos 90, eu trabalhara num fanzine chamado Mancha Gráfica. Dos textos que escrevi para o fanzine, finalmente, me lembrei, apenas esse não havia sido publicado. Parecia, segundo ele, que o texto funcionava melhor na Internet; na época uma recém chegada.

Os anos passaram, o Mancha também, e por fim o texto sumiu... ou melhor, reapareceu, e o Rafael provou que tinha razão: o texto funciona melhor na Internet.

Assim, não sei se posso reclamar. Fico feliz de ser incluído nesse rol de colunistas, mesmo que de maneira ocasional, e o reaparecimento do texto me trouxe memórias boas, mesmo que não me lembre direito do que. Em todo caso, mais uma vez fui levado à conclusão de que um dos nossos maiores medos é ser publicado sem o nosso estrito controle. Sem saber o que vão falar de nós e de nossas idéias. Veja só o problema que o nosso presidente enfrenta para manter a coerência.... Por isso, como um grande especialista em evitar ser publicado, passo a todos tudo o que aprendi e que, com certeza, lhes ajudará a sofrer pelos cantos, sem precisar passar a vergonha de se expor, permitindo que você continue se achando o maior gênio do mundo, sem nunca Ter publicado nada:

Os 6 degraus para a não publicação:

1. Menospreze a opinião de todos...excetuando-se apenas a sua

Um verdadeiro gênio sabe que será incompreendido. Por isso, por que se importar com o que os outros pensam? É melhor deixá-los no escuro ou desprezar suas opiniões. Afinal de contas, quem são ELES para entender o que você escreve?

2. Não se preocupe em manter cópias... ou mesmo em criar um original

Uma das obras mais interessantes do mundo, a comédia de Aristóteles, dizem, não chegou às mãos do público atual pela falta de uma grande quantidade de cópias. Na verdade, o que importa se existiu ou não ao menos um original da obra supracitada? Mesmo sem Ter sido lida, ela já se constitui numa obra prima! Para você seguir o caminho de Aristóteles, basta utilizar as desculpas usuais referentes a perda de arquivos ou papel : e-mails perdidos, cartas não registradas, assaltantes eruditos, Microsoft, Intel , etc. Assim, você poderá lamentar para os seus amigos a perda de uma obra prima que nem chegou a ser escrita. Agora, no caso de algum espírito de porco duvidar de você, use a dica 1.

3. Esconda de todos o que você escreve... de maneira escandalosa

Quando receber visitas, espere o momento da sua chegada para recolher atabalhoadamente restos de papéis e outras coisas que possam indicar que você está trabalhando em algo. Se alguém perguntar do que se trata, responda furioso:
- Será que ninguém sabe respeitar a privacidade de um projeto em construção?
O mesmo funciona para textos que já tenham sido alardeados como terminados (um perigo, ver dica 6), mas , nesse caso, as desculpas devem passar pelo conteúdo da obra. Exemplos: memórias traumáticas de infância, acusações à figuras públicas e/ou perigosas, verdades para as quais o mundo ainda não está preparado, e tudo mais que só pode ser revelado após a sua morte.
E não havendo o que se publicar depois da sua morte, a sua genialidade póstuma está garantida, como vimos na dica 2.

4. Almeje publicar sempre nas maiores revistas e sites... eles não aceitarão seus textos mesmo

Uma boa maneira de manter o seu status de gênio é enviar textos apenas para os sites e revistas que contam com colunistas respeitados e bem conhecidos. Seus textos com certeza irão parar na lixeira e você poderá, graças á "injustiça" dos meios de comunicação de massa, reforçar a sua imagem (vide dica 1).

5. Mantenha sempre a sua integridade artística... sem ao menos precisar ter uma

Essa dica serve mais para os que constantemente recebem convites para publicar em algum lugar. A fim de se preservar e não escrever, sem perder a sua panache, apele sempre para a integridade artística. Assim, quase tudo pode virar um cavalo de batalha em defesa da sua obra, como:
"Eu não publico em revistas com papel couchê"
"Não aceito ser pago pelo que escrevo"
"Meus contos não se encaixam nessa publicação"
"O público que lê essa revista não vai me entender" (vide dica 1)
e a clássica: " Esse editor é um imbecil"

6. Escreva sempre...mas nunca termine

Mas o melhor mesmo é nunca Ter coisa alguma a apresentar aos seus amigos, familiares e afins. A saída para isso é declarar estar "quase terminando" a sua obra prima. Com o passar do tempo, os revezes pelos quais a sua produção irá passar se constituirão numa história bem mais interessante do que você mesmo poderia escrever, entretendo a todos e distraindo a atenção do texto em si. Em todo caso, se alguém quiser ver o que você já produziu até agora sempre recorra as dicas 2 e 1. Por isso, lembre-se, deixar o texto incompleto é a melhor desculpa que você pode Ter para

Nota do Editor
Recebi esse texto assim mesmo, sem final aparente. Contatei o autor para notificá-lo, mas ele fez um escândalo, e disse que era assim mesmo que o texto devia ficar. Decidi publicá-lo então, literalmente, apesar de ainda não ter entendido direito nem os protestos do escritor nem o texto em si.


Lisandro Gaertner
Belo Horizonte, 24/1/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Existe na cidade alguém, assim como você... de Elisa Andrade Buzzo
02. Ah!... A Neve de Marilia Mota Silva
03. Em 2016, pare de dizer que você tem problemas de Fabio Gomes
04. Quando amor e terra quase se confundem de Elisa Andrade Buzzo
05. Armando Freitas Filho, dossiê na Palavra de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Lisandro Gaertner
Mais Acessadas de Lisandro Gaertner
01. E Viva a Abolição – a peça - 1/6/2006
02. A História das Notas de Rodapé - 3/1/2002
03. Cuidado: Texto de Humor - 28/7/2006
04. Blogueiros vs. Jornalistas? ROTFLOL (-:> - 23/4/2008
05. Orkut: fim de caso - 10/2/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
24/1/2002
23h28min
[Leia outros Comentários de Gian Danton]
25/1/2002
09h03min
Ótimo, um texto incompleto na sua íntegra e autenticidade!
[Leia outros Comentários de Rodrigo Melo]
25/1/2002
16h12min
Quem conhece o Lisandro pessoalmente, sabe que ele realmente segue a risca suas sugestoes... :) Ta maneirissimo, Lisandro! :) Um abraco, Edgar
[Leia outros Comentários de Edgar]
13/4/2002
01h56min
Parabens, vc. continua com a lingua afiada, perdao, com a mao afiada.Um texto bem interessante e bem a sua cara.
[Leia outros Comentários de Beatriz]
21/12/2003
20h35min
Lisandro. Só agora tive o prazer de ler o seu texto. Pode apostar que há muitos gênios por aí seguindo, ao menos, algumas das suas sugestões. E o mais curioso é que uma parte está sendo publicada e sendo reconhecida. Abraços do LEM
[Leia outros Comentários de Luis Eduardo Matta]
14/7/2006
11h55min
Genial!
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Esboços de Sermões
Luis Roberto Silvado
A. D Santos
(2012)



Outras do Analista de Bagé
Luis Fernando Veríssimo
L pm
(2022)



Boas Maneiras e Sucesso nos Negócios
Celia Ribeiro
L&pm
(1993)



O Perito
Robert Finn
Publicações Europa-américa
(2009)



Au Arquitetura & Urbanismo Nº 155
Pini
Pini



O Estudante
Adelaide Carraro
Global
(2001)



Comunicacao Modernizacao e Difusao de Inovacoes no Brasil
Jose Marques de Melo
Vozes
(1978)



Inteligência - Perspectivas Teóricas
Leandro S. Almeida, Aristides Ferreira
Almedina
(2009)



Wireless Java With J2me - Sams Teach Yourself - in 21 Days.
Michael Morrison
Sams



Historias da Vo Cotinha Vivencias e Virtudes
Lucia Nobrega
Rideel
(2010)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês