Comentários do IP 200.196.7.17 | Digestivo Cultural

busca | avançada
49395 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Bossa Nova Mall homenageia músicos brasileiros com a programação especial Cantos e Encantos do Brasi
>>> SESC CARMO REALIZA CICLO DE OFICINAS VIRTUAIS SOBRE DIREITOS SOCIAIS E PRIMEIRA INFÂNCIA
>>> Tiras da Niara viram livro
>>> “Relatos da Era Digital”: novo álbum celebra a cultura sound system
>>> Abertas as Inscrições para a Oficina Conteúdo Audiovisual Infantil e Infantojuvenil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Olavo de Carvalho (1947-2022)
>>> Maradona, a série
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Cegueira
>>> Blog da Petrobras como Napster
>>> Menos fé e mais razão
>>> Aluga-se um escritório
>>> Para gostar de ler
>>> A resistência é vermelha
>>> Wear Sunscreen
>>> Millôr no IMS Paulista
>>> Uma história da Chilli Beans
Mais Recentes
>>> Rumo ao Sucesso de Jorge Consedey pela Rumo (1999)
>>> Mad Nº 79 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Razão e sensibilidade / Orgulho e preconceito / Persuasão de Jane Austen pela Martin Claret (2019)
>>> Mad Nº 78 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Mad Nº 77 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Mad Nº 76 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Três Faces do Ontem de Três Faces do Ontem pela Dulce Leal de Souza (1967)
>>> Mad Nº 72 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Mad Nº 71 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Descentralización y Planificación de La Educación de Carlos N. Malpica Faustor pela Unesco (1994)
>>> Grande sertão: Veredas de João Guimarães Rosa pela Companhia das letras (2019)
>>> Mad Nº 70 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Mansfield Park, Emma, A Abadia de Northanger de Jane Austen pela Martin Claret (2015)
>>> Mad Nº 69 de Vários Autores pela Record (1990)
>>> Histórias e prática do Hebeas-Corpus de Pontes de Miranda pela José Konfino (1951)
>>> Mad Nº 67 de Vários Autores pela Record (1990)
>>> Roosevelt e Hopkins de Robert E. Sherwood pela Nova Fronteira (1998)
>>> A Porta de Magda Szabó pela Intrínseca (2021)
>>> Mad Nº 65 de Vários Autores pela Record (1990)
>>> Preconceito linguístico: O que é, como se faz de Marcos Bagno pela Loyola (1999)
>>> Preconceito linguístico: O que é, como se faz de Marcos Bagno pela Loyola (1999)
>>> Mad Nº 64 de Vários Autores pela Record (1990)
>>> Gestão de Contratos Em Regime de Consórcio de Paulo Matos pela Mazz (2011)
>>> Amar ou depender? de Walter Riso pela L&PM pocket (2018)
>>> L'Architettura in oltre 200 catalochi- CD de Vários autores pela Eletronica
COMENTÁRIOS >>> Comentadores

Sexta-feira, 8/4/2005
Comentários
200.196.7.17


Correção
Marky Ramone entrou no lugar de Tommy, que não tinha a verve necessária para acompanhar o estilo da banda. Marky faz parte da formação mais conhecida do Ramones.

[Sobre "Rock'n'roll school com Dee Dee e os Ramones"]

por Adriana
8/4/2005 às
15h13 200.196.7.17
(+) Adriana no Digestivo...
 
Ampliando a discussão
Cara Marilia, em primeiro lugar, obrigada por enriquecer o debate. Em segundo lugar, se você observar bem, não falo, em nenhum momento, que a arte serve APENAS para fruição e prazer. Não penso isso. Penso que, além de um conceito que nos faça repensar e abrir novas perspectivas, como você menciona, ela também deve ter algum parâmetro estético, algo que a diferencie de um objeto qualquer. Senão, posso largar uma bola de futebol no meio da Bienal, desenvolver um conceito e chamar aquilo de arte. O meu texto cita ainda uma outra definição (ignorada por você e por outras pessoas que também discordaram da primeira definição exposta), e que poderia, então, incluir as manifestações da Bienal. Na verdade, cito as duas definições para lançar uma discussão. O texto, portanto, deve ser percebido no seu todo. Ao fazer sua crítica, você faz um recorte do meu texto. Nesse caso, ele já não é o que eu escrevi, e sim o que você preferiu entender.

[Sobre "Bienal: obras ou arte?"]

por Adriana
19/11/2004 às
14h39 200.196.7.17
(+) Adriana no Digestivo...
 
Marcas femininas
Cara Ana, há pouco tempo, li um texto que criticava justamente o fato de a literatura feminina ter muito das mulheres. Era a palavra de um homem. Na época, me questionei como alguém conseguiria escrever sem deixar marcas do seu gênero (e porque deixar marcas deveria ser ruim). Até porque esse texto não deixava muito espaço para as mulheres fazerem literatura de valor. Era ruim se deixassem o seu sexo aparecer. Também seria ruim escrever com um estilo mais "pop", colocado como típico masculino pelo autor. Por outro lado, deixar aparecer marcas do sexo masculino não estava sendo considerado ruim. Por isso, quando li seu texto, fiquei super feliz em ver que você acredita que a literatura feminina pode e deve deixar suas marcas. Por mais que digam que a gente não deve basear nossos conceitos pelos dos outros, confesso que senti alívio ao ver minha opinião, tão insegura, refletida na sua coluna. Sucesso na sua participação no evento do Itaú Cultural!

[Sobre "Escrever ou ser mulher"]

por Adriana Baggio
17/11/2004 às
17h39 200.196.7.17
(+) Adriana Baggio no Digestivo...
 
Parar ou correr?
Caro Elvis, obrigada pelo comentário. Sinto que parar para fazer crochê é quase como ficar estático enquanto as pessoas correm para fugir de um incêndio. Parece que é morte certa, mas na verdade é a possibilidade de salvação. A única maneira de dominar o tempo é a gente fazer o que quiser dele, e não correr porque todo mundo está correndo. Por falar nisso, deixa eu terminar esse texto logo e voltar a trabalhar! :)

[Sobre "Por que corremos e não chegamos a lugar algum"]

por Adriana Baggio
29/10/2004 às
11h52 200.196.7.17
(+) Adriana Baggio no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Ivanhoé (Literatura Escocesa/Britânica)
Walter Scott
Nova Cultural
(2003)



Quase Noite
Alice Sebold
Agir
(2008)



Hotel Glória um Tributo à era Tapajós
Maria Clara Pereira dos Santos Tapajós
3r Studio
(2009)



Suando em Bicas
Regina Lunkes Diehl
Nobel
(2004)



Teoria Geral da Administração - Aplicação e Resultados... -
Luis César G. de Araujo
Atlas
(2014)



Fire in the Forest
Eduardo Amos e Elisabeth Prescher e Ernesto Pasqua
Moderna
(2000)



Diários do vampiro: Reunião sombria (Vol. 4)
L J Smith
Record Galera
(2010)



Sugestões para Natal de Artesana- Seu Lar Em Festa
Sara Tamayo de Gibelli
Aggs



A Arte de fazer Artes - Como escrever histórias para crianças e adolescentes
Glória Pondé
Nórdica
(1985)



Calunga um Dedinho de Prosa
Luiz Antonio Gasparetto
Vida & Consciência
(1997)





busca | avançada
49395 visitas/dia
1,9 milhão/mês