Fim do no.com.br | Mauricio Santoro

busca | avançada
64869 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A primeira hq de aventura
>>> Como Passar Um Ano Sem Facebook
>>> Mulheres de cérebro leve
>>> O curioso caso de Alberto Mussa
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> Digestivo Cultural: 10 anos de autenticidade
>>> Lugar Nenhum
>>> Um conselho: não leia Germinal
>>> Nos escuros dos caminhos noturnos
>>> A obra-prima de Raymond Chandler
Mais Recentes
>>> Memorias De Um Sargento De Milicias de Manuel Antônio de Almeida pela Ática (2010)
>>> Turma da Mônica Jovem: Escolha Profissional de Maurício de souza pela Melhoramentos (2012)
>>> Xógum Volume 1 e 2 de James Clavell pela Círculo do Livro
>>> Viva à Sua Própria Maneira de Osho pela Academia
>>> Virtudes - Excelência Em Qualidade na Vida de Paulo Gilberto P. Costa pela Aliança
>>> Violetas na Janela de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho pela Petit
>>> Vida sem Meu Filho Querido de Vitor Henrique pela Vitor Henrique
>>> Vida Nossa Vida de Francisco Cândido Xavier pela Geem
>>> Vida Depois da Vida de Dr. Raymond e Moody Jr pela Circulo do Livro
>>> Vícios do Produto e do Serviço por Qualidade, Quantidade e Insegurança de Paulo Jorge Scartezzini Guimarães pela Revista dos Tribunais
>>> Viagem na Irrealidade Cotidiana de Umberto Eco pela Nova Fronteira
>>> Uma Só Vez na Vida de Danielle Steel pela Record (1982)
>>> Uma Família Feliz de Durval Ciamponi pela Feesp
>>> Um Roqueiro no Além de Nelson Moraes pela Speedart
>>> Um Relato para a História - Brasil: Nunca Mais de Prefácio de D. Paulo Evaristo pela Vozes
>>> Um Longo Amor de Pearl S Buck pela Circulo do Livro
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Circulo do Livro
>>> Tudo Tem um Porquê de Marcelo Cezar pela Vida e Consciência
>>> Tragédias 1 de Shakespeare pela Abril Cultural (1981)
>>> Tragédia Em Três Atos de Agatha Christie pela Nova Fronteira
>>> Themen Aktuell 1 de Maria Helena Voorsluys Battaglia pela E. P. U./ Hueber
>>> Testemunha da Acusação de Agatha Christie pela Record
>>> Terra Nua de Morris West pela Círculo do Livro
>>> Terceiro Milênio - Decida-se ! de Valéria Cazeloto pela Valéria Cazeloto
>>> Técnica de Viver de Waldo Vieira pela Cec (1987)
COMENTÁRIOS

Quarta-feira, 29/5/2002
Comentários
Leitores


Fim do no.com.br
Li com interesse o texto do Julio Borges. É certo que ele identificou bem o problema dos sites de jornalismo - muita despesa e pouca receita - mas faltou perguntar o porquê dessa pouca receita. E a resposta passa, necessariamente, pelas condições sociais e econômicas do nosso país. Tomemos o exemplo da TV a cabo. No início de suas operações no Brasil, as operadoras faturavam milhões e o número de assinantes crescia de forma exponencial. Hoje, elas parecem ter atingido seu limite de crescimento: cerca de 8% da população. A Globocabo, para sobreviver, precisou de um suborno eleitoral do governo federal, via injeção de capital do BNDES. E a Internet? Gostamos de buscar inspiração no mercado norte-americano, onde metade da população está conectada. No Brasil, a maioria das pessoas sequer tem acesso a telefones fixos, quanto mais computadores. Esse é o problema inicial: o público da Internet é escasso. Há uma segunda questão, igualmente séria, que é a qualificação desse público. Os níveis de escolaridade do Brasil são aterradores: apenas 5% da população chega à universidade, pelos dados do último censo. O que essa massa de pessoas com pouca instrução irá querer ler na Rede? Discussões sobre problemas complexos, como globalização e desenvolvimento? Ou o horóscopo e as fotos sensuais com a celebridade televisiva do momento? Não creio, no entanto, que seja impossível vida inteligente na Internet brasileira. Mesmo 1% da população brasileira já são quase dois milhões de pessoas: é mais do que a Veja, a revista de maior circulação nacional, vende por semana. Mas esse hipotético site de alta qualidade terá que saber que fala a um público muito específico, e terá que adaptar seu orçamento a isso. Não é um sonho impossível, mas exige cautela. No mais, repito as palavras de Manuel Bonfim, há quase 100 anos: "Sejamos utopistas, contanto que trabalhemos". Abraços, Maurício

[Sobre "A internet e o fim do no."]

por Mauricio Santoro
29/5/2002 às
22h14 200.255.168.131
(+) Mauricio Santoro no Digestivo...
 
Nazistas & analfas
Você tem razão. Martin Heidegger é a vergonha de todos os letrados. Mas ainda acho que ele não é representativo dos nazistas; quantos Heideggers havia entre os nazistas? Um só, é claro- a grande maioria seguindo mais ou menos o perfil de Hitler, que era só um pintor semi-analfabeto e filisteu. Digo isso porque não consigo deixar de ser otimista- ainda acredito que os relatos de nazistas cultos tocando Bach enquanto matam judeus foram um pouco exagerados em número, mesmo que tenham acontecido uma vez ou outra (e, mesmo assim, acho que deviam ser pianistas de segunda- se fossem realmente grandes pianistas, teriam mais o que fazer); e que, depois de ler Laforgue, por exemplo ("Lune, ô dilettante lune..."), se torna um pouquinho mais difícil para um ser humano metralhar outro ser humano. Quanto a Céline, só lia jornais, e era um idiota. Resumindo, só digo isso- se , num passe de mágica, todos os que apoiaram o nazismo recebessem a cultura de Heidegger, quantos seriam tão estúpidos quanto Heidegger? É mais fácil acreditar que o exército nazista diminuiria um bocado - e que na verdade Hitler nunca chegaria ao poder. Um abraço- Alexandre.

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Alexandre
29/5/2002 às
21h26 200.205.157.155
(+) Alexandre no Digestivo...
 
Tsc, tsc, tsc....
Tsc, tsc, tsc... pelo visto mam~~ae além de ñ ter ensinado a respeitar a mulher ñ ensinou interpretação de texto!! Como que alguém que ñ se considera machista acha que programas que realmente possuem "apresentadoras" de valor são aqueles que vespertinos que ensinam mulher a cozinhar, cuidar da casa e dão as últimas notícias de "artistas"? Eu nunca falei que era para proibirem seus textos... Só acho que um site, aparentemente de qualidade, não deveria se sujeitar a publicar um texto que ofende gnds mulheres!! Como alguém pode considerar Rita Lee uma pessoa burra????? Como alguém pode considerar burra uma mulher com tamanha cultura??? Só alguém que ñ aprendeu que antes de escrevermos um texto, temos que tomar conhecimento do seu assunto para poder publicá-lo!!!! Vc nunca deve ter lido, escutado ou visto as entrevistas dessa mulher! Ela tem muito o que ensinar, não só a vc, como muita gente!!! Agora eu me nego, a ficar discutindo que pede para "irmãs" e "amigas" escreverem comentários em seu próprio computador... Continue desse jeito, enquanto elas terão seus trabalhos, merecidamente, reconhecidos, vc vai continuar aí, no esquecimento... Ou ñ, se os programas feminos que passam a tarde são reconhecidos, quem sabe um dia vc ñ faz crítica do lado do Nelsdon Rubens, né?! Abraços para vc também, querido!!!

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por Vanessa
29/5/2002 às
21h20 200.228.23.130
(+) Vanessa no Digestivo...
 
Re: Nem amiga, nem irmã
Oie, Sue Primerio, obrigado pelo mocinha. :-) Tenho 28 anos, sou Engenheira, tbm particpo de um grupo de estudos de cultura celta e germânica, mas com certeza não deve ser o mesmo tipo (estilo) que o seu. ainda bem que você tem acha que titulos e carreira bem sucedida não sejam prova de inteligencia e nem de cultura. Na faculdade tive muitos Prof. Doutores que não conseguiam falar de outro assunto além das pesquisas deles. Admira-me você, com 37 anos, achar que Rita Lee é persona tão grata só por ter escrito o citado verso e pintar o cabelo de acajú. O grande problema do povo brasileiro é uma amnésia gigantesca. Os Mutantes, grupo ao qual Rita Lee pertenceu durante o final dos anos 60 e inicio dos 70, foram os responsáveis pelas maiores inovações no cenário musical brasileiro. Juntamente com os Novos Baianos, Secos e Molhados, Gil e Caetano. Rita Lee é simplesmente a compositora com maior numero de letras censuradas durante o regime militar no Brasil. Rita Lee é uma defensora da natureza e dos animais há muito tempo, quando ninguém falava em preservar o meio-ambiente. Que você não goste da Mônica Waldvogel, Rita Lee, Marisa Orth e Fernanda Young, que discorde da opinião delas, perfeito. Afinal o mundo é feito de pessoas que pensam diferente. Mas não é por discordar do ponto de vista de uma pessoa ou do que ela aparenta ser na tela de uma TV que você pode dizer que estamos nivelando as mulheres por baixo. Estariamos nivelando por baixo se em vez delas, as apresentadoras fossem Carla Perez, Tiazinha, Feiticeira e as duas Sheilas. Elas sim, com suas bundas e peitos de silicone, vendem a idéia de mulheres objeto com a sua dança (sexo quase-explicito difarçado). Elas sim, rebaixam o sexo feminino.

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por Yara Romero
29/5/2002 às
21h01 200.181.172.128
(+) Yara Romero no Digestivo...
 
Nem amiga, nem irmã
A todas as mocinhas histéricas que infelizmente abalaram ainda mais a péssima imagem que a machaiada tem do sexo feminino: não sou irmã do Eduardo, não sou amiga dele, não o conheço, sequer moramos na mesma cidade. Não tenho vinte e dois anos, tenho 37, sou professora em duas universidades cariocas, membro de um grupo de estudos de cultura celta e germânica - antiga e medieval - e acho que posso me considerar uma mulher inteligente, apesar de não achar que títulos ou uma carreira bem-sucedida sejam prova de intelectualidade. A Rita Lee é persona tão grata porquê?? Porque algum dia escreveu uma música que dizia "Baila comigo/como se baila na tribo"? Francamente, chamar isso de grande realização, ou mesmo de rima rica é um pouco demais. Pintar o cabelo de acajú, talvez? Ah, peraí vocês estão mesmo a fim de nivelar o sexo feminino por baixo, não é não? Eduardo, se você tem mesmo só 22 anos, então está de parabéns, não só pelo português bom e claro, que as mocinhas que o agrediram tão profunda e gratuitamente mal sabem usar, mas também pelo conteúdo. Infelizmente tenho de concordar com você. Hoje não há programa de qualidade feito por mulher alguma na TV, salvo, com ressalvas, o de entrevistas da Marília Gabriela. Nosso 'sindicato' é por deveras desorganizado e pueril. Um abraço, Sue

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por Assunção Medeiros
29/5/2002 às
20h16 200.218.156.42
(+) Assunção Medeiros no Digestivo...
 
Letrados & nazistas
Concordo quanto ao Hitler, Alexandre. Mas e os cultíssimos nazistas/fascistas Martin Heidegger, Ezra Pound, Louis-Ferdinand Céline? Não me parece que, nesses casos, "mais e melhores leituras" tenham adiantado muito. Um abraço.

[Sobre "Quem Não Lê Não É Humano"]

por Júlio
29/5/2002 às
20h08 200.221.28.204
(+) Júlio no Digestivo...
 
Ah, Globo, Globo...
Ah, Augusto, a questão da Globo é que eles às vezes, sem querer, compram uma série que presta, como COSMOS (achando, talvez, que é uma espécie de Globo Rural do espaço), e depois não passam, ou passam em horários irregulares. Sem contar a vulgaridade das chamadas. Lembro de uma, de Angel, que era mais ou menos assim: "Esse Anjo muito maluco veio pra deixar a galera arrepiada!". Não é de estranhar que você não tenha querido ver. Se o Novo Testamento fosse um filme e fosse passar na Globo, a tradução do título seria: "Um Carpinteiro Muito Louco". E a chamada seria assim: "Esse cara muito doido estava a fim de armar uma com os romanos!"

[Sobre "Joss Whedon"]

por Alexandre
29/5/2002 às
18h14 200.205.157.155
(+) Alexandre no Digestivo...
 
Resposta
Não seja tão relativista assim, Toni. Não me confunda com um atorzinho da Globo ou algum figurante do BBB. Se alguma fama tenho, ela se deve a 41 anos de atividade jornalística, em veículos como Tribuna da Imprensa, Correio da Manhã, Jornal do Brasil, revista Senhor (a original), Veja, Pasquim, Opinião, Isto É, Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo etc, e não a aparições em programas de TV ou em festas badaladas pela revista Caras. Outra coisa: não disponho de uma coluna no Digestivo. Este site apenas transcreveu dois textos de minha autoria, por acaso publicados na Bravo!, onde, aliás, também despertaram enorme interesse, embora lá eu não possa ser apontado nem como o mais “chique” nem como o mais “famoso” dos colaboradores, o que, portanto, invalida a sua tese de que aqui só me dão guarida e atenção por eu ser quem sou (ou você pensa que sou). No mais, pegou mal insinuar que o editor deste site é um oportunista ou coisa parecida.

[Sobre "Assim rasteja a humanidade"]

por Sérgio Augusto
28/5/2002 às
20h06 200.219.182.36
(+) Sérgio Augusto no Digestivo...
 
Abobrinhas.
Você está com a cesta cheia de abobrinhas? Que coisa, né? Vai ver pq os unicos elogios que vc recebeu foram das suas irmãs e do Oswaldo que no minimo deve ser seu amigo. Você simplesmente se acha "O Intelectual", ser intelectualizado não é apenas ler livros de autores estrangeiros, dar valor apenas ao artistas e pensadores externos. Mas parece que pra você só tem valor se algo for indicado pelo melhor canal, o Arts & Letters. Concordo que ele é excelente, mas não é o único. O Saia Justa tenta mostrar algo diferente, mulheres conhecidas e inteligentes sim dando a sua opinião sobre diversos assuntos. Mas para você só existe o Paulo Francis e o Nelson Motta. Eu assisto aos dois programas. Na verdade é uma perda de tempo discutir com alguem que estudou na FGV. Ah! Só mais uma coisa: o que você considera uma pessoa culta e inteligente?

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por Yara Romero
29/5/2002 às
15h29 200.181.172.128
(+) Yara Romero no Digestivo...
 
Responsabilidade x seriedade
Ahhhhhhhh, agora eu entendi tudo!!!! São suas irmãs? Claro, só tendo o mesmo DNA pra concordar com você, afinal tem que dar uma forçinha pro irmãozinho adolescente que tá querendo se enfiar em alguma aréa que dê o que falar. Tá vendo que nem todo mundo que lê estas tais críticas são tão imbecis a ponto de não perceber estes 'recursos complicados da internet'? Aliás é complicado só pra você! Mas, como falou a Yara, quando vamos analisar qualquer coisa que seja, temos que ter cuidado pra tentar analisar com um mínimo de responsabilidade e seriedade porque quando não fazemos isto corremos o risco de sair por ai fazendo discursos alienados e que não condizem com a verdade, pelo simples fato de "agitar". Mônica Waldvoguel, além de ser uma excelente jornalista, é altamente culta e inteligente; Rita Lee é uma pessoa à parte, dispensa qualquer tipo de comentário, pois, até quando não fala nada, é inteligente, interessante, moderna, culta, sábia... Marisa Orth mostra que Magda e ela são pessoas dissociadas, embora poucos consiguam ter esta percepção. Tem se mostrado com boa desenvoltura e suas colocações etão a cada dia melhores. E a Fernada Young, com aquele discurso pós-moderno, também mostra que mesmo sendo escritora, tatuada, agitada, é o estereotipo da mulher brasileira atual. E desde quando o programa teve a intenção de mostrar uma conversa informal e informativa? Eles estão ali pra falar o que quiserem e muito bem. E olha que quem escreve isto aqui não é nenhuma mulherzinha medíocre que não tem o qu fazer nas quartas a noite e depois de Jade vai assistir ao Saia Justa. Ao contrário, posso dizer que faço parte da elite brasileira intelectualizada. Então, aconselho você a assistir mais uns programas e só depois disto se atrever a escrever qualquer tipo de comentário...

[Sobre "Com a calcinha aparecendo"]

por Karla Albuquerque
29/5/2002 às
15h09 200.249.107.7
(+) Karla Albuquerque no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Tratamentos Naturais de a a Z
Antônio Thomé
Vida Plena
(2003)



A Hierarquia das Racas: Negros e Brancos Em Salvador
Jeferson Afonso Bacelar
Pallas
(2001)



Araponga Meu Amor
Ivana Versiani
Ftd
(1993)



O Holograma Humano: o Paradigma Holográfico e Suas Aplicações ...
Dr. Robin Kelly
Cultrix
(2015)



Em Segredo
Georges Chevrot
Quadrante
(1991)



Legislação Ambiental Comentada
Vicente Gomes da Silva
Fórum
(2002)



Eles, os Juizes, Vistos por um Advogado - 2ª Edição
Piero Calamandrei
Wmf Martins Fontes
(2015)



Segurança Alimentar-um Desafio para Acabar Com a Fome no Brasil
Marlene da Rocha (org.)
Perseu Abramo
(2004)



Cae Result Students Book + Workbook Resource Pack With Key
Kathy Gude
Oxford
(2008)



Encontro Com o Milagroso - 1ª Edição
Girard Haven
Pensamento
(2001)





busca | avançada
64869 visitas/dia
2,2 milhões/mês