No Museu da Língua falta o livro | Affonso Romano de Sant'Anna

busca | avançada
79919 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Renato Morcatti transita entre o público e o íntimo na nova exposição “Ilê da Mona”
>>> Site WebTV publica conto de Maurício Limeira
>>> Nó na Garganta narra histórias das rodas de choro brasileiras
>>> TODAS AS CRIANÇAS NA RODA: CONVERSAS SOBRE O BRINCAR
>>> Receitas com carne suína para o Dia dos Pais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Ao pai do meu amigo
>>> Paulo Mendes da Rocha (1929-2021)
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
Colunistas
Últimos Posts
>>> Deep Purple em Nova York (1973)
>>> Blue Origin's First Human Flight
>>> As últimas do impeachment
>>> Uma Prévia de Get Back
>>> A São Paulo do 'Não Pode'
>>> Humberto Werneck por Pedro Herz
>>> Raquel Cozer por Pedro Herz
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
Últimos Posts
>>> O cheiro da terra
>>> Vivendo o meu viver
>>> Secundário, derradeiro
>>> Caminhemos
>>> GIRASSÓIS
>>> Biombos
>>> Renda Extra - Invenção de Vigaristas ou Resultado
>>> Triste, cruel e real
>>> Urgências
>>> Ao meu neto 1 ano: Samuel "Seu Nome é Deus"
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Eles – os artistas medíocres
>>> Sultão & Bonifácio, parte IV
>>> Em 2016, pare de dizer que você tem problemas
>>> O Direito mediocrizado
>>> Carma & darma
>>> Carlos H Lopes de chapéu novo
>>> Três paredes e meia
>>> All That Jazz
>>> A proposta libertária
>>> It’s only rock’n’roll but I like it
Mais Recentes
>>> O Exu do Fogo de Marcílio Borges pela Madras (2013)
>>> Panorama da Literatura de Flávio Aguiar pela Nova Cultural (1988)
>>> Drácula: O vampiro da noite de Bram Stoker pela Martin Claret (2008)
>>> Arquiteto a Máscara e a Face de Paulo Bicca pela Projeto (1984)
>>> Jonas Assombro de Carlos Nejar pela Novo Século (2008)
>>> A Construção da Cidade Brasileira de Manuel C. Teixeira (Coord.) pela Livros Horizonte (2004)
>>> Ayurveda: A Ciência da Longa Vida de Dr. Edson Antônio D'angelo & Janner Rangel Côrtes pela Madras (2015)
>>> Macunaíma (o heróis sem nenhur caráter) de Mário de Andrade pela Círculo do Livro
>>> Cyrano de Bergerac de Edmond Rostand pela Nova Cultural (1993)
>>> Relações Sociais E Serviço Social No Brasil: Esboço de Uma Interpretação Histórico-metodológica - 41ª Edição (7ª Reimpressão) de Marilda Villela Iamamoto & Raul de Carvalho pela Cortez (2018)
>>> Lima Barreto: o rebelde imprescindível de Luiz Ricardo Leitão pela Expressão Popular (2006)
>>> A Batalha das Rainhas de Jean Plaidy pela Record (1978)
>>> Um Certo Capitão Rodrigo de Erico Verissimo pela Círculo do Livro
>>> O Livro de San Michele de Axel Munthe pela Círculo do Livro
>>> O Espião Que Morreu de Tédio de George Mikes pela Círculo do Livro
>>> O Santo Inquérito - Coleção Prestígio de Dias Gomes pela Ediouro (2004)
>>> Confissões Eróticas de Iris e Steven Finz pela Record (2001)
>>> Diários do Vampiro Vol 1 Origens Ddiários de Stepan de L. J. Smith - Kevin Williamson - Julie Plec pela Galera Record (2011)
>>> Peão da Rainha de Victor Canning pela Record (1969)
>>> Paris - uma Agenda de Bons Endereços de Elisabeth Vanzolini pela Ediouro (1998)
>>> Obras Incompletas - Coleção Os Pensadores - 2 Volumes de Friedrich Nietzsche pela Nova Cultural (1991)
>>> Ensaios Escolhidos - Coleção Os Pensadores de Bertrand Russell pela Nova Cultural (1992)
>>> Diálogos - Coleção Os Pensadores de Platão pela Nova Cultural (1991)
>>> Ensaio Acerca do Entendimento Humano de John Locke pela Nova Cultural (1991)
>>> Do Contrato Social e outros textos - Coleção Os Pensadores de Rousseau pela Nova Cultural (1991)
ENSAIOS

Segunda-feira, 11/12/2006
No Museu da Língua falta o livro
Affonso Romano de Sant'Anna

+ de 5100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Esse espetacular Museu da Língua Portuguesa, esse magnífico show de visualidade lá na Estação da Luz, em São Paulo, provoca deslumbramentos e várias ponderações. Como disse, é espetacular. E essa palavra é mais do que apropriada, sobretudo depois que, há uns 40 anos, a sociologia cunhou a expressão “cultura do espetáculo”. O projeto é fazer um museu vivo de nossa língua, o que pressupõe movimentação, interação e modernidade. “Ao invés de paredes, vozes. No lugar de obras, espaços interativos”. E o resultado é bem um glamoroso produto semiótico da sociedade siderada em imagens.

Mas senti falta do livro.

Você entra no segundo andar e, numa atmosfera semi-escura, vê alongar-se uma extensa galeria ou parede na qual são projetadas sucessivamente imagens de nossa cultura. Entre essas primeiras imagens, como num clipe, sobressaem famosos músicos brasileiros cantando, como a demonstrar que eles (e não necessariamente os escritores) são os grandes atores da língua.

Centenas de crianças vindas de inúmeros colégios passam, ruidosamente, procurando o que acionar e ver nesse parque de diversões formado por imagens lingüísticas. Assentam-se nos computadores e, ludicamente, procuram e descobrem a origem de palavras africanas, inglesas, francesas, enfim, de muitas línguas de imigrantes que vieram para o Brasil. Noutros espaços, há um balé de sufixos e prefixos e as palavras se aglutinam vivamente.

Tudo é de muito bom gosto. Vitrinas com peças de diferentes culturas que entraram na nossa formação. Do lado oposto, há uma exposição mais convencional com mapas, textos e posters que narram a evolução das línguas e da língua portuguesa. E ao longo dessas vitrinas, uma faixa estreitinha (pouco visível) enfileira os nomes de escritores selecionados como emblemáticos no trato com nossa língua.

No andar superior exibem um filme sobre a origem da língua. Na Praça da Língua você pode ouvir textos literários ditos por atores. Já no primeiro andar, uma exposição sobre Guimarães Rosa e sua obra dá seqüência a essa sensação de jogo, brinquedo e descoberta. Crianças e adultos podem puxar cordões e fazer baixar do teto reproduções, no tamanho de um poster, dos rascunhos à máquina de Grande Sertão: Veredas. Podem constatar como o romancista cortava e emendava seus textos e tomar nas mãos essas páginas surpreendentes. Podem também ver na parede um gigantesco mapa do sertão roseano e seguir o trajeto de seus personagens, ou colocar o olho em vários binóculos para ver as muitas definições líricas e metafísicas de “sertão”. Também textos são projetados sobre superfícies líquidas em tonéis de água. De todo lado, o visitante recebe fragmentos que estimulam, primeiramente, o olhar. Há ainda circuitos temáticos para serem feitos seguindo pistas no chão, enfim, um parque de diversões onde a garotada se encanta.

Enfim, como se diz, é uma exposição “pró ativa”.

Mas senti falta de livro.

Não se trata de querer que o livro seja ali adorado num distante altar. Mas do livro enquanto objeto catalizador da língua. Livro como suporte essencial da letra. Livro como fixador, como nos perfumes. Ali mesmo tive a experiência sobre como a leitura é mais eficiente que a fragmentária visão. As imagens lançadas aqui e ali seduzem, mas se esvaem rápido. Quando saí, o que levava comigo era sobretudo o que tinha lido ao longo da parede ou nos textos. É que a leitura não é algo “apenas” ou “sobretudo” espacial. Leitura é um ato temporal. É o exercício da subjetividade. Ler um texto, como quem toma um bom vinho, é decantar seus vários significados. Ler exige introspecção, é sair do espaço externo para o tempo interior. E a prova do efeito transformador do livro e da leitura é o fato de que a introspecção e a leitura estão na raiz da ciência, da arte e da religião. Ou seja, de toda cultura.

Enfim, senti falta do livro.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no jornal Estado de Minas.


Affonso Romano de Sant'Anna
Rio de Janeiro, 11/12/2006

Mais Affonso Romano de Sant'Anna
Mais Acessados de Affonso Romano de Sant'Anna
01. A mulher madura - 14/12/2009
02. Duchamp e o Dadá - 20/2/2006
03. Morreu Vinicius de Moraes - 3/8/2009
04. Obras-primas recusadas - 19/3/2007
05. Situação da poesia hoje - 8/9/2008


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/12/2006
19h24min
Sinto necessidade de conhecer o Museu da Língua Portuguesa após ler o poético texto. É um convite e também a curiosidade de sentir a falta do livro. Ninguém consegue adquirir cultura sem ler constantemente livros e mais livros. Deve ser encantadora a visão do museu como diz Affonso Romano. Parabéns.
[Leia outros Comentários de Cleusa Azambuja]
28/12/2006
18h49min
Viva a diversidade cultural e a liberdade de expressão! E sobretudo a liberdade de pensar e manifestar esse pensamento que é mais do que expressão, é ocupar um espaço único. Percorrer os diversos andares do Museu da Língua Portuguesa provocou-me reação totalmente diversa da manifestada pelo autor do ensaio. Toda a interatividade e os apelos visuais são para mim nada mais do que a indução à vontade de ler. De buscar na introspecção, nas páginas dos livros, principalmente da obra de Guimarães, a verdadeira refeição literária tão apetitosamente sugerida através dos quitutes, os textos e frases destacadados e comunicados de forma criativa e inteligente. A prazerosa estação de trens do segundo andar, cuja projeção de sucessivas cenas desmerece, para o autor, os escritores, fazendo a apologia dos cantores, vi como celebração da nossa língua tão lindamente expressa por escritores, na voz de cantores que imortalizam seus textos. Ao sair do Museu, escrevi em meu blog: "Vontade de Ler Guimarães".
[Leia outros Comentários de Sílvia Mello]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Lições de Direito Processual Civil 3 Volumes
Alexandre Freitas Camara
Atlas
(2014)



Guia de Walt Disney World & Orlando - Frommers
Frommers Em Portugues
Julio Louzada
(1998)



Casal e Família: Transmissão, Conflito e Violência - 1ª Edição
Terezinha Féres-carneiro ( Organizadora )
Casa do Psicólogo
(2013)



O Pastor
Frederick Forsyth
Record
(1975)



Meu Tio Lobisomem Historia Veridica
Manu Maltez
Peiropolis
(2011)



Ministério Público: Democracia e Ensino Jurídico - Autografado
Antônio Alberto Machado
Del Rey
(2000)



Gabi e o Tesouro do Oriente
Tiago de Melo Andrade
Melhoramentos
(2009)



A Cidade de Sao Paulo Volume I a Regiao de Sao Paulo
Aroldo de Azevedo
Cia Naconal
(1958)



O Fazendeiro Fred na Fazenda
Holland Publishing
Ciranda Cultural
(2011)



Música Em Surdina
Francis King
Record
(1987)





busca | avançada
79919 visitas/dia
2,6 milhões/mês