Uma baby boomer no Twitter | Eugenia Zerbini

busca | avançada
63075 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
ENSAIOS

Segunda-feira, 7/7/2008
Uma baby boomer no Twitter
Eugenia Zerbini

+ de 3800 Acessos
+ 1 Comentário(s)


A Berthe de Édouard Manet

Se praticássemos diariamente os exercícios indicados pelos manuais de RPG (Reeducação Postural Global), se durante as refeições seguíssemos à risca o conselho dos médicos e mastigássemos sem pressa 20 vezes antes de engolir e se escovássemos os dentes seguindo as prescrições dos dentistas, pouco mais faríamos na vida. Se juntássemos a esse tríduo as horas gastas no trânsito, não teríamos mais tempo para trabalhar. Quem dirá manter-se operante no Twitter. Este, com sua proposta de tornar público o que você está fazendo, apresentou-se para mim como mais uma obrigação, engrossando a lista de tarefas diárias, extensa como as tranças de Rapunzel.

Pelos mares em que navego, meio jurídico, ninguém conhece. No restaurante japonês que freqüento, cheguei a arriscar uma pergunta a um vizinho de balcão, escravo do BlackBerry que havia recebido da rede de hotéis em que trabalha. A resposta foi negativa. Fiz tentativas de identificar utilizações no meio dos negócios para essa nova ferramenta, mas acabei desistindo porque, nas hipóteses que imaginei, o Twitter poderia ser substituído por celular, por MSN ou mesmo por blog, seu parente mais próximo. Eventualmente, para fins didáticos, o uso de Twitter pode acrescentar certo charme ao professor que o adotar no acompanhamento das atividades extraclasse dos alunos. Entretanto, noves fora, com seus posts limitados a 140 caracteres, no propósito de contar o que o assinante está fazendo, à primeira vista o Twitter pareceu-me uma redundância. Bis in idem, colocando o latim em dia.

Ao mesmo tempo, veio à memória minha impressão quando tive a primeira notícia de um blog. Foi no início de 2003, quando essa espécie de diário virtual já grassava por todos os cantos na internet. Mas, o primeiro a gente nunca esquece e foi esse daqui: Aqui tem coisa, do artista plástico Fernando Stickel. Não podia imaginar que, cinco anos mais tarde, os jornais estariam noticiando que os blogs alteraram estratégias de montadoras, como ocorreu no Valor Econômico do dia 17 de junho passado (caderno "Empresas", página B2, acesso restrito a assinantes). Blogueiros de destaque passaram a ser convidados para lançamentos de carros, junto com jornalistas. Por serem considerados formadores de opinião, no início deste ano, quando da apresentação do Punto, a Fiat convidou cinco blogueiros de atividades diferentes para fazer o "test drive". As montadoras, segundo aquele jornal, ainda estão mapeando o que circula na internet, não só na blogosfera, mas também em comunidades, como o Orkut. O entendimento, porém, é que essa nova mídia irá alterar desde os orçamentos com publicidade até os serviços de atendimento ao cliente. O diretor de marketing da General Motors do Brasil ficou surpreso ao passar por um espaço mantido por um chef de cozinha e acompanhar o debate suscitado sobre marcas e modelos de automóveis quando o mestre cuca deixou escapar seus planos de troca de carro: " É o tipo de pessoa que tem credibilidade; porque se eu confio nele para alimentar minha família, também devo ouvir suas opiniões sobre outros produtos", afirmou o executivo.

Lançados por volta de 1998 como diários virtuais, os blogs transformaram-se em ferramentas diferenciadas de mídia social. Durante esse trajeto, revelaram-se não apenas o meio privilegiado para a publicação de novos autores (Daniel Galera, por exemplo), como se transformaram em meio de divulgação de livros (De cabeça baixa, de Flávio Izhaki) e de filme baseados nesses livros (Nome próprio, de Murilo Salles, baseado na obra de Clarah Averbuck). Depois da discussão infindável se blog é literatura, outro degrau foi galgado com o debate se blogueiro é jornalista (e vice-versa). O estado da arte atual é fazer com que esses espaços rendam dinheiro. Nem todos teriam previsto esses desdobramentos em tão curto espaço de tempo.

Além da rapidez, a tônica no ambiente dos blogs ― onde o Twitter dá sinal de uma segunda geração, mais compacta e sintética ― é a imprevisibilidade. Como imprevisível parece ser a própria internet. Quando Bill Gates, na primeira metade dos anos 90, insistia em levá-la à África, lembro de ter lido que lhe perguntaram sobre o objetivo: dar acesso ao mundo à voz da mãe africana que quisesse comunicar que seu filho morria de inanição, naquele instante, em seus braços? O cenário mudou. Quase dez anos depois, por um lado, Bill Gates acabou de formalizar sua aposentadoria da Microsoft; por outro, a Organização das Nações Unidas reconheceu a importância de disseminar o acesso à internet naquele continente, hoje restrito a 2% da população.

Minha experiência com o Twitter foi manca, nada exemplar. Já sem tempo para postar em meu blog, acumulei outro senão: perdi meu celular e não tive tempo de escolher o novo (sim, porque a operadora quando desligou meu número ofereceu-me um outro aparelho, sem custo, bastando que eu escolha o modelo, mistério de consumo). E o atrativo no jogo do Twitter é postar por meio do celular. Por um ato falho, adotei meu nom de plume de meus primeiros tempos de blog ― Berthe, homenagem à filha da Emma Bovary ― e não soube adicionar amigos. Entretanto, no pouco espaço de tempo em que tentei manter meu Twitter no ar, apesar de me sentir como um daqueles forçados de outrora, condenados a trabalhar com os pés atados às bolas de ferro, tive uma constatação elucidativa: nascida no século XX, daqueles tempos em que Plutão era um planeta, minha vida se projeta no século XXI, ainda que eu siga alguns protocolos herdados do século XIX.

Em uma de minhas postagens no Twitter, na véspera de uma festa junina, contei que me preparava para fazer um doce de batata-roxa. A beleza da cor natural dessa batata, roxa como ametista e a flor do ipê, somada com o cheiro do açúcar, do cravo e da canela, me fez perceber o contraste do uso de uma ferramenta nova com um gesto antigo, resumido no ato de apurar um doce. Ao final de um dia típico na agenda de uma mulher contemporânea, eu estava repetindo um ritual ensinado por minha avó, que, quando nasceu, no interior do Estado de São Paulo, desconhecia luz elétrica.

Como aged boomer (destino inglório dos baby boomers), sou da época da televisão em branco e preto, das ligações interurbanas e internacionais completadas através de telefonista. Assisti à introdução da TV colorida e, quando comecei a estagiar, tirar xérox na empresa era um luxo que precisava de autorização do chefe. Minha tese de mestrado foi datilografada em uma máquina de escrever elétrica. Vi meu primeiro PC na Europa, quando cumpri estágio na Comunidade Européia. Quando voltei para o Brasil, deparei-me com a primeira máquina de fax: ficava no andar da presidência do banco em que comecei a trabalhar. A partir daí, tudo se acelerou. Dando um salto, no meu círculo, fui a primeira a ter um blog. Não era fácil explicar para a turma o que era. E, voilá, tive por um curto espaço de tempo um Twitter. Não confesso isso com o mesmo orgulho que Isak Dinesen escreveu "Tive uma fazenda na África, aos pés das montanhas Ngongo" (Fazenda Africana, 1979). Minha aventura, nem tão grandiosa, nem tão digna, também não foi parecida. Mas o espaço ― atualmente, por ação da internet, alterado, diluído e reconfigurado ― fez de mim uma aventureira desajeitada e foi propício a muitas reflexões. Além, bastante além, dos 140 caracteres que me foram postos a disposição a cada uma das vezes.

Nota do Editor
Eugenia Zerbini, é autora do romance As netas da Ema (Record, 2005), vencedor do Prêmio SESC Literatura 2004.


Eugenia Zerbini
São Paulo, 7/7/2008

Quem leu este, também leu esse(s):
01. História do Ganesha de Wagner Veneziani Costa
02. Anti-Jô Soares de Mário Bortolotto


Mais Eugenia Zerbini
Mais Acessados de Eugenia Zerbini
01. O diabo veste Prada - 2/10/2006
02. Para o Daniel Piza. De uma leitora - 16/1/2012
03. O romance sobre o nada - 28/5/2007
04. De vinhos e oficinas literárias - 2/7/2007
05. Retrato edulcorado de uma rainha - 9/4/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/7/2008
16h17min
Eugenia, adorei! Agora preciso me atualizar e descobrir o raio do Twitter...
[Leia outros Comentários de Fernando Stickel]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




EMAGRECER... É SOPA - 8531
DR. MÁRCIO BONTEMPO
BEST SELLER
(1997)
R$ 10,00



A ESCRITA INSCRITA NA FORMAÇÃO DOCENTE
MITSI PINHEIRO DE LACERDA
ROVELLE
(2009)
R$ 26,00



AS VANTAGENS DA GLOBALIZAÇÃO
ALAIN MINC
BERTRAND
(2009)
R$ 7,82



MISTÉRIOS DOS JARROS CHINESES
GORDON M. WILLIAMS
RECORD
(2008)
R$ 45,00
+ frete grátis



DIÁLOGOS SOBRE A MÚSICA
WILHELM FURTWAENGLER
MINOTAURO
R$ 18,00



A COMPETÊNCIA E O NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL 18
JOSÉ DE MOURA ROCHA
JOSÉ BUSHATSKY
(1976)
R$ 12,00



IL FAUT TUER CHATEAUBRIAND!
DOMINIQUE BAUDIS
GRASSET
(2003)
R$ 39,82



TÉCNICA DE LABORATÓRIO
DIONISIO M. GONZALEZ TORRES
SCIENTIFICA
(1959)
R$ 39,20



COMO DESFRUTAR SUA VIDA E SEU TRABALHO - 8ª EDIÇÃO
DALE CARNEGIE
COMPANHIA ED NACIONAL
(2012)
R$ 37,95



MEMÓRIAS DA ILHA
LUCIANA SANDRONI
AGIR
(1991)
R$ 12,00





busca | avançada
63075 visitas/dia
1,8 milhão/mês