Populares e eruditos | João Marcos Coelho

busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pousada e Recanto dos Pássaros – Sítio Vô Elias Maffei
>>> Coreógrafa carioca Esther Weitzman ministra oficina gratuita de dança no Sesc Santana
>>> Caleidos apresenta “Entrevista” para gestores e professores da rede pública de São Paulo
>>> É HOJE (30/9): Mostra Imaginários no Cine Bijou
>>> Etapa apresenta concerto gratuito da Camerata Fukuda com o violinista Ricardo Herz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> 50 anos de Bossa Nova
>>> O humor da Belle Époque
>>> 24 de Março #digestivo10anos
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Kindle DX salvando os jornais?
>>> A Casa de Ramos
>>> Reconhecimento
>>> A hora exata em que me faltaram as palavras
Mais Recentes
>>> Santo Antonio das Grimpas de Marietta Telles Machado pela Atual (1987)
>>> Allan Kardec: o Grande Codificador de Martin Claret pela Martin Claret (1995)
>>> Letras 2 Lingüistica Aplicada de Ufsm pela Ufsm (1991)
>>> Dicionário do Inexplicado - Edições Planeta Nº 131 de Eduardo Araia Ed. pela Três
>>> Luz, Câmera, Gestão - a Arte do Cinema na Arte de Gerir Pessoas de Myrna Silveira Brandão pela Qualitymark (2006)
>>> Habeas Data de José Eduardo Nobre Matta pela Lumens Juris (2005)
>>> Fale Tudo Em Inglês nos Negócios - Com Cd de José Roberto A. Igreja pela Disal (2011)
>>> Como Llegar a Ser un Maestro de La Negociacion de Pierre Louis Criqui, Eric Matarasso pela Granica (1991)
>>> Biologia 6 - Ecologia, Origem da Vida e Evolução de Cqc - Sistema de Ensino pela Do Autor
>>> Curriculum Vitae e Memorial - Normas para Apresentação de Documentos de Universidade Federal do Paraná pela Ufpr (2001)
>>> Net Force Hidden Agendas de Tom Clancys pela Berkley Books (1999)
>>> Apostila de Direito Administrativo para Técnico do Mpu de Diversos Autores pela Do Autor
>>> Cândido Portinari a Vida dos Grandes Brasileiros de Marcos Moreira Afonso Arinos de Mello Franco pela Três (2003)
>>> A Fúria dos Reis - Livro 2 de George R. R. Martin pela Leya (2019)
>>> Memórias de Vida de D Tinoca Emerentina Amorim da Silva pela Lunardelli (2001)
>>> Mercador de Versos de Lêda Mirowinski pela Da Autora (1995)
>>> Enquanto Estamos Crescendo de Valéria Piassa Polizzi pela Ática (2006)
>>> Quando Tudo Falha de Rodolpho Belz pela Casa Publicadora Brasileira (1987)
>>> Topografia Usual de E Liger pela Gg Barcelona
>>> Stupid White Men uma Nação de Idiotas de Michael Moore pela Francis (2003)
>>> Minha Vida Daria um Filme de Simona Toma pela Fundamento (2014)
>>> Entre Parênteses de Tonho França pela Komedi (2002)
>>> Amor Conjugal de Seicho Taniguchi pela Seicho-no-ie (1991)
>>> Presença Nº 1 de Vários pela Caetés (1983)
>>> Como Vencer na Vida Sendo Professor de Hamilton Werneck pela Vozes (1998)
ENSAIOS

Segunda-feira, 2/5/2011
Populares e eruditos
João Marcos Coelho

+ de 7300 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Ciscar em terreiros alheios é empreitada perigosa. Em geral, os resultados não costumam ser animadores. Foi com esse argumento que Nadia Boulanger, a mestra francesa de dez entre dez compositores por mais de 50 anos em sua famosa escola particular parisiense, conseguiu convencer dois nomes estreladíssimos da música do século XX a desistirem de aventuras "eruditas". O norte-americano George Gershwin e o argentino Astor Piazzolla, ambos talentosíssimos na prática da música popular refinada, ouviram dela que é melhor ser um Gershwin ou um Piazzolla de primeira do que um compositor erudito de quinta classe.

Em todo caso, ambos são casos emblemáticos dessa mistura que quase sempre desanda. Gershwin, obcecado em fazer a "grande música", recorreu ao orquestrador Ferde Grofé para "compor" suas obras "eruditas": a Rhapsody in Blue e o Concerto em fá, entre outras. A primeira, sobretudo, é popularíssima, mas os especialistas eruditos torcem o nariz para composições que são frouxas mesmo do ponto de vista formal. Já Piazzolla foi mais inteligente: fez incursões de fôlego curto no mundo erudito. Os movimentos de suas "Cuatro estaciones porteñas" não ultrapassam a minutagem de encorpados temas populares. O suficiente para impactar, mas não se enrolar prolongando desnecessariamente a obra só para que ela tenha a aparência de "grande música". Confira a inteligência de Piazzolla no CD Fronteiras do Duo Graffiti (selo Clássicos).

Essa inteligência Francis Hime e Tom Jobim — desculpem-me seus fãs — não tiveram. Primeiro Tom: dono de um songbook que se ombreia com Cole Porter e George Gershwin, ele se meteu a compor sinfonias que soam fracas. O CD Jobim Sinfônico é prova provada dessas deficiências estruturais. Tom nasceu para encapsular obras-primas em poucos minutos — seu gênio é comparável ao de um Schubert ou Schumann no domínio do Lied. O mesmo acontece comFrancis Hime e seu Concerto para violão lançado pela Biscoito Fino (com Fábio Zanon e Osesp). Hime é quase tão bom quanto Tom na criação de belas canções. Tanto que a mezzo soprano Measha Brueggergosman, em seu CD Nights and Dreams (selo Deutsche Grammophon, importado, 2010), incluiu sua canção "Anoitecer" ao lado de Lieder e melodias de Richard Strauss e Henri Duparc. Já o seu Concerto para violão é dificílimo para o solista, mas pouco consistente na escrita sinfônica. A fraqueza, como em Jobim, localiza-se na ausência de um desenvolvimento temático consistente. Episódios empilham-se ao acaso. A mesma impressão fica com a outra obra do CD, o Concertino para percussão e orquestra, de Nelson Ayres.

Mas, então, é impossível fazer boa música sinfônica se você é um compositor popular? Não, claro que não. Basta entender as especificidades de cada domínio. Mais do que isso: transpor esses limites deve constituir uma evolução imperativa de um itinerário criativo.

Dois exemplos. O pianista de jazz Keith Jarrett foi o primeiro, nos anos 1970, a enfrentar um recital de música improvisada sem nenhum tema conhecido. Improvisou por uma hora (confira no célebre CD The Köln Concert, ECM, 1975). Trinta anos depois, Jarrett gravou música dita erudita (concertos de Mozart, a obra de Bach para teclado, os Prelúdios opus 87 de Shostakovich) e conquistou um nível altíssimo de execução nos recitais improvisados (veja o álbum triplo Paris/London: Testament, ECM, 2009).

Brad Mehldau, aos 40 anos, tem atrás de si a dupla formação clássica e jazzística. Fez a série de CDs intitulados The Art of the Trio, com contrabaixo e bateria, entre 1995 e 2001. De lá para cá, tem explorado o recital-solo e permanece com o trio. Entre suas parceiras "eruditas" estão as cantoras Renée Fleming (Nonesuch, 2006) e Anne Sofie Von Otter (álbum duplo Naïve, 2010). Em ambos, suas canções soam como Lieder para o século XXI. E no recital solo recente na Sala São Paulo, improvisou de modo erudito: isolava pequenas células motívicas (rítmicas, harmônicas ou melódicas), explorava-as, retornava ao tema e apanhava uma nova célula para mais uma viagem improvisatória.

Tudo isso quer dizer o seguinte: apesar de o crossover estar na moda, de se dizer que os muros dividindo popular e erudito caíram por terra, os músicos só deveriam ciscar em terreiro alheio se esse gesto significar mesmo, do ponto de vista criativo, uma evolução lógica e necessária de seu desenvolvimento. Ou seja, pulem os muros, mas só por necessidade interior genuína. Aí terá valido a pena ― como comprovam Piazzolla, Jarrett e Mehldau. Caso contrário, são meras operações caça-níqueis.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado na revista Concerto nº 168, em dezembro de 2010.


João Marcos Coelho
São Paulo, 2/5/2011

Quem leu este, também leu esse(s):
01. A Empulhação Esportiva de André Forastieri
02. Bill Gates e o Internet Explorer de Adam Penenberg
03. Jim Clark e a Netscape de Adam Penenberg
04. Duas cartas de Luís Henrique Pellanda


Mais João Marcos Coelho
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
10/6/2011
23h56min
Parabéns pela matéria. Este digestivo surpreende a cada edição.
[Leia outros Comentários de Cesar Augusto Vitell]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Mensagens para a Vida Diária
Norman Vincent Peale
cultrix
(1955)



Rainhas da Antiguidade
Dirce Lorimier Fernandes
Letraselvagem
(2014)



Livro - While My Eyes Were Closed - Dare You Close Your Eyes For Even a Few
Linda Green
Quercus
(2016)



Intercambio. Coisas Que Todo Jovem Precisa Saber
Joao Marcelo de Melo Teles
Melhoramentos
(2001)



O Rato da Sacristia
Cláudio Martins; Lêdo Ivo
Global
(2000)



Amor é Prosa Sexo é Poesia - Crônicas Afetivas
Arnaldo Jabor
objetiva
(2004)



O Livro dos Espíritos
Allan Kardec
Ide
(2009)



Don Quijote de La Mancha - Clasicos a Medida
Miguel de Cervantes Saavedra
Anaya
(2008)



Representação e Complexidade
Org Cândido Mendes
garamond
(2003)



Um Caldeirão Chamado 1964 - Depoimento de um Revolucionário
Aristóteles Drummond
Resistência Cultural
(2012)





busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês