Por um outro Da Vinci | Alberto Beuttenmüller

busca | avançada
44941 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
ENSAIOS

Segunda-feira, 7/4/2003
Por um outro Da Vinci
Alberto Beuttenmüller

+ de 3100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

A mostra do Metropolitan Museum de Nova Iorque, com cento e vinte desenhos, e a pintura inacabada - São Jerônimo Rezando no Deserto - do acervo do Vaticano - do mestre italiano refaz a morbidez e o grotesco de sua personalidade, e a obsessão pela incompletude em sua obra. Até gênios são amaldiçoados. Em Da Vinci, a maldição veio em dose tripla: a sua noção de estar sempre falhando nos projetos, a referida incompletude da sua obra, maldição que o acompanhou a vida toda, e o tempo perdido em recuperar, justamente, o tempo perdido.

- Diga-me, por favor, se algo foi terminado - era sua frase predileta.

A exposição Da Vinci - Mestre Desenhista foi montada a partir de coleções vindas da Europa e Estados Unidos. A curadoria é dividida entre Carmen Bambach e George Goldner, respectivamente, curadora e presidente do departamento de desenho e gravura do museu. O catálogo é enorme, pesa quatro quilos, impossível de ser levado durante a visita. (Quem quiser acessar o site, clique aqui.)

Raros projetos de Da Vinci foram findos; os escultóricos nunca foram completados. O molde gigantesco de argila a celebrar seu patrono - Ludovico Sforza - duque de Milão - restou uma montanha disforme; depois destruído pelos franceses, ao ocupar Milão. O mural comemorativo da vitória florentina - a batalha de Anghiari - se tornou uma ruína e acabou pintado por cima para esconder as falhas. Quase nada resta da sua A Última Ceia de Milão. A maldição perseguiu Leonardo pela vida toda.

Seus escritos tiveram destino igual ou semelhante: nada do que escreveu foi editado em vida; o que nos ficou é uma massa de tratados e ensaios totalmente incoerentes, válidos apenas por sua caligrafia, mas sem qualquer sistemática ou método coerente.

No campo da engenharia, os seus projetos, ou não deram em nada, ou sequer foram iniciados. Suas máquinas são belas no papel, mas não funcionariam na prática. Os engenhos aéreos - ornitópteros - assemelhados a helicópteros, jamais alçaram vôo. Pode-se dizer o mesmo do tanque de guerra, que deveria ser uma máquina mortífera e, ao que parece, não machucaria uma criança, já que mais parecia um brinquedo que arma de guerra.

A verdade é que cada um de nós se vê de um modo diverso dos demais. Da Vinci não se via como artista, mas como engenheiro militar, se tivermos em conta o que escreveu para Luciano Sforza, em 1481, ao apresentar seu currículo.

Na lista das suas próprias habilidades, Leonardo ressaltou que podia bombardear fortalezas, construir canhões, drenar fossos etc. No fim da carta, dizia que podia pintar tão bem quanto qualquer outra pessoa. É verdade que eram tempos de guerra, e um engenheiro militar era bem mais importante que um pintor. Mesmo assim, nos deixa perplexos a visão bélica de Da Vinci.

Graças a Deus, no Metropolitan não há um só exemplo dessa visão guerreira, mas aí entramos em outro campo minado: o da personalidade de Leonardo da Vinci. A primeira questão é: se é um homem da Renascença italiana. Historicamente, ele viveu o período tido como Renascença, mas sua personalidade destoa dos contemporâneos. Da Vinci tinha uma curiosidade insaciável em campos não-artísticos, mais perto do que hoje se denominaria o campo científico.

Os artistas renascentistas trabalhavam em técnicas diversas e diversificadas: entalhe, desenho, pintura, escultura, arquitetura, mas ainda assim no campo das artes. Nenhum deles se preocupou com leis físicas que regiam o mundo, ou com a dissecação de cadáveres, para melhor riscar a anatomia humana. Até no campo artístico, Da Vinci foi diferente dos seus pares renascentistas. Desenhou como ninguém e ninguém desenhou como ele. E havia bons desenhistas na época - entre os séculos 15 e 16 (Da Vinci nasceu em 1452 e morreu em 1519, na França). Nem mesmo Michelangelo foi capaz de ultrapassá-lo. O desenho de seus projetos escultóricos ou de anatomia provam este fato. Um desenho expressivo e ao mesmo tempo descritivo; seja um músculo, seja o retrato de um velho decrépito. Da Vinci via a beleza e feiúra como algo artístico.

Sua personalidade era conflituosa, contraditória, difícil de compreender. O mistério de Da Vinci, de escrever de trás para frente e ao contrário se prende ao fato de ser canhoto, mas também porque tinha um cérebro privilegiado, cujo hemisfério esquerdo conversava com o direito e vice-versa. Era canhoto, mas tornou-se ambidestro, com o passar dos anos. Suas visões eram apocalípticas e, ao que parece, tinha uma atração mórbida pelo final dos tempos, da catástrofe. Mas desenhou como um deus e é isso que se pode sopesar no Museu Metropolitano de Nova Iorque, infelizmente, por pouco tempo.

Nota do Editor
Texto inédito, especialmente redigido pelo autor, para o Digestivo Cultural. Alberto Beuttenmüller é poeta, jornalista e crítico de arte (membro da AICA).


Alberto Beuttenmüller
São Paulo, 7/4/2003

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Palavras diurnas e noturnas de Eugenia Zerbini
02. Hannah Arendt no Brasil de Eduardo Jardim
03. Hackeando o Sistema Democrático de Ronaldo Lemos
04. Cenas de um casamento de Marcelo Rubens Paiva
05. Não podia acontecer na América de Sérgio Augusto


Mais Alberto Beuttenmüller
Mais Acessados de Alberto Beuttenmüller
01. Modernismo e Modernidade - 9/9/2002
02. Sérgio Buarque de Holanda: o homem cordial - 29/7/2002
03. Picasso versus Duchamp e a crise da arte atual - 16/6/2003
04. Matisse e Picasso, lado a lado - 28/10/2002
05. A Bienal e a Linguagem Contemporânea - 10/6/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
5/7/2003
02h07min
Ao que parece, este texto mostra nada mais óbvio, que Leonardo Da Vinci era antes de tudo um homem normal mais do que muitos, e também um grande artista. Seus inventos, loucuras, desenhos, obras inacabadas e outras citações, refletem a banalidade despretenciosa de qualquer pessoa dotada de uma certa dose de sabedoria e que é despertado para pensar,analisar, escrever, mostrar ou não. Enfim: - Jamais saberemos o que este artista pretenderia com seus feitos. O que nos interessa e sabemos sem suposições é que Da Vinci usou também seus dons durante toda a sua existência realizando preciosas obras de arte de talento tão grandioso, que todos os homens atuais, artistas, críticos, leigos, deveriam ter o direito de parar por alguns instantes e somente "apreciar" a beleza imensurável de cada obra sua. Talvez seríamos menos problemáticos, mais felizes, menos pobres e menos juízes das mentes alheias.O resto, não nos interessa mais. Passou, nunca ninguém saberá dizer o que Da Vinci pretendia com suas "loucuras". A beleza grandiosa que ficou impressa em suas obras, esta é que nos interessa. É infinita
[Leia outros Comentários de Ana Ascencio]
3/12/2003
20h35min
Considero que Alberto tiene razón en cuanto que es un efecto de la causa principal del hombre. Da Vinci tenía la creencia que el hombre es un ser inconcluso, complejo rodeado solamente de circunstancias quienes determinaban su actuar, por eso nunca finalizaba nada, la perfección no existe ni existió es por eso el mérito de su obra. P.D. Quisiera que me enviaran el correo electrónico del Señor Alberto Beuttenmüller, acabo de ver un libro sobre los Mayas y quisiera hacerle algunas preguntas. Por favor enviármelo lo antes posible, gracias.
[Leia outros Comentários de rosapan]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VANGUARDA OPERÁRIA: ELITE DE CLASSE?
VANIA MALHEIROS BARBOSA ALVES
PAZ E TERRA POLÍTICA
(1984)
R$ 12,00



DICIONÁRIOS ELETRÔNICOS AURÉLIO E HOUAISS
LIDIA ALMEIDA BARROS
ANNABLUME
(2005)
R$ 4,24



MARKETING EDIÇÃO COMPACTA
KOTLER
ATLAS
(1980)
R$ 14,00



O SÓCIO
JOHN GRISHAM
ROCCO
(1997)
R$ 15,00



PROGRAMMING INTERVIEWS EXPOSED
ERIC GIGUERE; JOHN MONGAN; NOAH SUOJANEN
JOHN WILEY PROFESSIO
(2012)
R$ 110,00



THE GOLDEN DREAM: SUBURBIA IN THE SEVENTIES
STEPHEN BIRMINGHAM (CAPA DURA)
HARPER & ROW (NY)
(1978)
R$ 47,28



REINO INFANTIL (VOLUME 3) - LITERATURA INFANTIL/CONTOS DE FADAS
HANS CHRISTIAN ANDERSEN, CHARLES PERRAULT E OUTROS
LEP
(1958)
R$ 7,00



A CABEÇA DE STEVE JOBS
LEANDER KAHNEY
AGIR
(2009)
R$ 17,00



AS AVENTURAS DO CAPITÃO CUECA
DAV PILKEY
COSAC & NAIFY
(2001)
R$ 15,00



ANÁLISE TRANSACIONAL
JUT MEININGER
ARTENOVA
(1973)
R$ 7,11





busca | avançada
44941 visitas/dia
1,3 milhão/mês