A Trilogia de João Câmara | José Nêumanne

busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Frankenstein de Mary Shelley
>>> Christian Barbosa no MitA
>>> Obama e o oba-oba
>>> E se Amélia fosse feminista?
>>> O que é ser jornalista?
>>> Toda forma de amor
>>> O filósofo da contracultura
>>> Oderint Dum Metuant
>>> Beleza e barbárie, ou: Flores do Oriente
>>> A fragilidade dos laços humanos
Mais Recentes
>>> Quadros de guerra: Quando a vida é passível de luto? de Judith Butler pela Civilização Brasileira (2015)
>>> Trotski - O Profeta Banido de Isaac Deutscher pela Civilização Brasileira (1984)
>>> Nos Tempos de Getúlio: Da Revolução de 30 ao Fim do Estado Novo de Sonia de Deus Rodrigues Bercito pela Atual/ Sp. (1995)
>>> De Getulio a Getúlio: o Brasil de Dutra e Vargas (1945 a 1954) de Francisco Fernando Monteoliva Doratioto (e outro) pela Atual/ Sp. (1995)
>>> Indústria, Trabalho e Cotidiano: Brasil (1889-1930) de Maria Auxiliadora Guzzo de Decca pela Atual/ Sp. (1996)
>>> Indústria, Trabalho e Cotidiano: Brasil (1889-1930) de Maria Auxiliadora Guzzo de Decca pela Atual/ Sp. (1991)
>>> Império do Café: a Grande Lavoura do Brasil (1850 a 1890) de Ana Luiza Martins pela Atual/ Sp. (1995)
>>> Império do Café: a Grande Lavoura do Brasil (1850 a 1890) de Ana Luiza Martins pela Atual/ Sp. (1994)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Código da Vida - Fantástico Litígio Judicial de Uma Família de Saulo Ramos pela Planeta (2008)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Independência Ou Morte: a Emancipação Política do Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos /Lui Affonso Seigneur de Albuquerque pela Atual/ Sp. (1991)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1993)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1993)
>>> O Império da Boa Sociedade: a Consolidação do Estado Imperial Brasil de Ilmar Rohloff de Mattos / Marcia de A. Gonçalves pela Atual/ Sp. (1992)
>>> Contabilidade introdutória de Sergio Iudicibus, Stephen e outros pela Atlas (1977)
>>> Language Its Nature - Development and Origini de Otto Jespersen, (Prof. Univ. Coppenhagen)./ pela George Allen & UnwinnLtd/London (1949)
>>> El Espejo y La Lámpara: Teoría Romántica y Tradición Clásica de M. H. Abrams pela Eitorial Nova/ Argentina (1962)
>>> Clause Sauf Encaissement de Casimir Pajot pela Librairie Nouvelle de Droit Et de Jurisprudence (1891)
>>> Catolicismo para Leigos de John Trigilio e Kenneth Brighenti pela Altabooks (2008)
>>> Estudos Sobre Sucessões Testamentária de Orosimbo Nonato pela Forense (1957)
>>> Los Caminos Actuales de La Critica (Encadernado) de René Girard/ G. W. Ireland/ Jacques Leenhardt... pela Planeta/ Barcelona (1969)
>>> Instituições de Direito Civil Portuguez de M.A. Coelho da Rocha pela Garnier Livreiro (1907)
>>> Régimen Argentino de la Propiedad Horizontal de José A. Negri pela Arayú (1953)
>>> Enciclopédia de Cultura de Joaquim Pimenta pela Freitas Bastos (1963)
>>> Direitos de Família de Lafayette Rodrigues Pereira pela Freitas Bastos (1945)
>>> Demarcação Divisão Tapumes de Alfredo de Araujo Lopes da Costa pela Bernardo Alves S.A. (1963)
>>> Consultor Civil de Carlos Antonio Gordeiro pela Garnier (1913)
>>> El Derecho de Familia en La Legislacion Comparada de Luis Fernandez Clerico pela Hispano Americana (1947)
>>> Estudos de Direito Civil de Manoel Martins Pacheco Prates pela São Paulo (1926)
>>> Direitos Reaes de Garantia de J.L. Ribeiro de SouSa pela C. Teixeira
>>> Obrigações de Pagamento em Dinheiro (Três Estudos) de Paulo Barbosa de Campos Filho pela Jurídica e Universitária (1971)
>>> Teoria e Pratica dos Testamentos de Manoel Ubaldino de Azevedo pela Saraiva (1965)
>>> Les Groupements D' Obligataires de Albert Buisson pela Librairie Générale de Droit et de Jurisprudence (1930)
>>> Novo Código Civil Anotado Volume II ( Direito das Obrigações) de J.M.Leoni Lopes de Oliveira pela Lumen Juris (2002)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 6 ) Direito das Sucessões de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 5 ) (Direto das Obrigações 2ª parte) de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 4 ) Direito das Obrigações de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (2019)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 3 ) Direito das Coisas de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1991)
>>> Curso de Direito Civil ( Volume 2 ) Direito Família de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1992)
>>> Curso de Direito Civil ( Parte Geral) Volume 1 de Washington de Direito Monteiro pela Saraiva (1964)
>>> Usucapião de Imóveis de Lourenço Mario Prunes pela Sugestões Literárias S/A
>>> Instituições de processo Civil (Volume VI) de Caio Mário da Silva Pereira pela Forense (2007)
>>> Direito Civil Volume 6 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2004)
>>> O Pensamento Vivo de Einstein (Edição Ilustrada) de José Geraldo Simões Jr.: (Pesquisa e Tradução) pela Martin Claret (1986)
>>> Direito Civil Volume 2 de Silvio Rodrigues pela Saraiva (2002)
>>> Posse o Direito e o Processo de Guido Arzua pela Revista dos Tribunais (1957)
>>> Estudo da Posse e das Acções Possessorias de Leopoldino Amaral Meira pela Livraria Academica (1928)
>>> Acção Possessória de J.M. de Azevedo Marques pela São Paulo (1923)
>>> O Direito de Ação e o Modo de Execê-lo de Ataliba Vianna pela Forense (1969)
ENSAIOS

Segunda-feira, 12/1/2004
A Trilogia de João Câmara
José Nêumanne

+ de 10700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

De outros dois egressos da João Pessoa, Paraíba, onde nasceu, mas, como eles, ficou pouco, pois logo se tornaria olindense por moradia e vocação e recifense por necessidade, o artista plástico João Câmara herdou duas características. De Geraldo Vandré, um loirinho invocado, o desassombro. E de Leovigildo Gama Júnior, mulatinho isoneiro, o estilo hábil, simples e construtivo, de quem não joga para a arquibancada volúvel, mas para fazer seu time campeão.

Nem branquelo como o primeiro, mais velho, nem negróide como o segundo, mais moço, esse caboclo magro, espigado, simples no vestir, mas enxundioso e elegante no falar, usa tintas e pincéis para épater le bourgeois, qual o fez Vandré com letras e melodias. E, como Júnior, é um craque comprometido com o próprio engenho, que não vende, não troca nem dá. O resultado de sua arte singular, brasileira (pernambucana, em sua essência) e valorizada foi reunida numa caixa de três volumes sob o título de Trilogia, que a gráfica Takano, o Ministério da Cultura e a Fundação de Arte do Governo de Pernambuco vêm de lançar no mercado editorial brasileiro. Uma preciosidade, pois o autor cuidou de cada um dos três volumes com o mesmo esmero com que elabora suas telas.

A política em tela - Composta por 100 grandes painéis e 100 litografias, sua mais célebre série, Cenas da Vida Brasileira, desafiou o monopólio de objetos, ambientes e performances (de Hélio Oiticica e Lygia Clarke, entre outros), o predomínio do concreto e do geométrico (em Waldemar Cordeiro, Rubens Gerchman, Antonio Dias, etc.) e a obrigatoriedade de dar seqüência ao construtivismo (por Mira Schendel, Alfredo Volpi, Arcângelo Ianelli e mais um punhado) no cenário artístico nacional. E, de quebra, ainda produziu um impacto político registrado sem pudores por Tadeu Chiarelli no texto que abre o primeiro volume da Trilogia, dedicado aos quadros que João Câmara realizou em 1974 a 1976, ano em que a expôs no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro, templo máximo da seita conceitual: “Numa leitura mais rasa e apressada, Cenas poderia ser encarada como uma apologia ao autoritarismo militar que então reinava com mãos de ferro sobre o País.”

Na verdade, o que seus detratores políticos não perdoaram na série foi a evidência cabal por ela manifestada de que é possível fazer uma arte social e politicamente engajada com competência técnica e sensibilidade estética e, portanto, sem as grosseiras simplificações do realismo socialista stalinista, predominante na mentalidade da esquerda de então (e será que mudou alguma coisa sob a égide petista?). E, para desespero dos cultores dos happenings na moda à época, que desembocariam no modismo contemporâneo das instalações, João Câmara desenha e pinta com técnica irrepreensível e inspiração evidente.

Com realismo pictórico, ao qual se acrescentam, de um lado, referências ao imaginário iconográfico popular e, de outro, pitadas de humor irreverente, ele retratou personalidades públicas, tais como João Pessoa, Eurico Dutra, Juarez Távora, Filinto Müller e Carlos Lacerda, tirando-os das páginas dos periódicos para pô-los nas telas. A maior dessas figuras era, e só poderia ter sido, a de Getúlio Vargas. Frederico Morais, voz solitária da crítica a romper a muralha de silêncio que se tentou impor sobre a obra e o pintor desde então, viu em Getúlio a figura dicotômica e contraditória de “pai e padrasto”, por ele desempenhado na História real. Em 1937, quadro intitulado com o ano no qual o “pai dos pobres” deu um autogolpe para instaurar o Estado Novo, este aparece com duas caras, a do moço revolucionário de 1930 de frente e o perfil do velhinho de volta na eleição de 1950. Como uma aura, a concha da Shell reina no quatro em que foi retratado o maior símbolo do nacionalismo brasileiro. Quem poderia perdoar tamanha ousadia, tanto sarcasmo, numa tela só?

Embora seja praticamente impossível encontrar um quadro que seja capaz de resumir Cenas, cuja atualidade surpreende até hoje o ciitado (e respeitado) Frederico Morais, difícil será resistir a não chamar a atenção do leitor para 1954, III, óleo no qual, com o dorso nu, o pintor, questiona, à esquerda, o cadáver do presidente suicida. Ao despir a camisa, o reatrista se pôs no mesmo plano do retratado, cujo cadáver fotografado com o hirsuto peito à mostra, correu o País simbolizando o fim de uma era. No canto oposto da tela, a imagem-síntese dessa era - a efígie do suicida com um pano segurando o queixo - atrai para si a atenção concentrada de quem quer que se depare com ela.

O erótico e o lírico - Menos de um ano depois de haver concluído, em seu ateliê de Olinda, do qual costuma se deslocar sempre a pé para desempenhar qualquer atividade comezinha (ou não), desde ir a um botequim até apanhar algum filho na escola, seu particular inventário pictórico-político do Brasil oficial, João Câmara começou a devassar as alcovas do País real. A série - cujo título Dez Casos de Amor e Uma Pintura de Câmara remete indiretamente ao mítico livro Vinte Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada, do chileno Pablo Neruda - exigiu seis anos de trabalho, não ininterruptos: enquanto a fazia trabalhou em obras avulsas, tidas como “apêndices” de Cenas, tais como O Baile da Ilha Fiscal (1979), Carisma/Quaresma (1981) e Retrato de Família (1981).

A primeira matriz da série são as litografias intituladas Dez Casos de Amor, retratando a sedução de várias personagens femininas pelo mesmo personagem masculino. A segunda, o tríptico Uma Pintura de Câmara, funciona, segundo Frederico Morais, como “ bússola” e “câmara” (o quarto), palco do teatro do amor, do qual as litogravuras são a antecâmara. Para o crítico, dez pranchas de madeira registram as mudanças de curso ao longo da confecção da série - impostas pela própria obra e também no autor e na sociedade brasileira.

O ateliê e a biografia - O terceiro volume fecha a Trilogia com os quadros que compuseram a última exposição do pintor pernambucano da Paraíba nesta megalópole de Piratininga, na Pinacoteca do Estado, reformada por seu amigo Emanoel Araújo. A caixa foi lançada em Recife na exposição desta mesma série no novo espaço Cícero Dias, anexo do Museu do Estado de Pernambuco.

Em Duas Cidades - pinturas e objetos, de 1987 a 2001 - João Câmara oferece visões nostálgicas e oníricas destes locais (loci) de sua paixão: vizinhos que se contemplam e se desprezam, mas não sabem viver um sem o outro, como certos casais, Olinda e Recife, um português e outro, holandês. Melhor definirá o autor, que lida com as palavras com a intimidade com que empunha pincéis - e disto o leitor terá provas definitivas em textos do autor-pintor reproduzidos no volume: “Um, o lugar do trabalho e da imaginação - a ‘província-ateliê’ - outro, o lugar civil onde a vida e a biografia se nominam”.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no "Caderno2" do jornal O Estado de S.Paulo.


José Nêumanne
São Paulo, 12/1/2004

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sobre John Cage de Eduardo Barrox


Mais José Nêumanne
Mais Acessados de José Nêumanne
01. A Trilogia de João Câmara - 12/1/2004
02. O prazer, origem e perdição do ser humano - 29/4/2002
03. O CNJ e a Ancinav - 20/9/2004
04. O Desprezo de Alberto Moravia e Jean-Luc Godard - 12/5/2003
05. Retrato de corpo inteiro de um tirano comum - 17/6/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/12/2006
10h32min
Muito bem elaborado, simples, porém, direto.
[Leia outros Comentários de marcela]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MATEMÁTICA - CADERNOS DE APOIO E APRENDIZAGEM - 3º ANO
AUTORES DIVERSOS
SME - PREF. S. PAULO
(2010)
R$ 19,00



SERÁ HOJE O SEU DIA? - COM CIÊNCIA REVOLUCIONÁRIA DO BIORRITMO LHE ...
GEORGE S. THOMMEN
ARTENOVA
(1976)
R$ 7,06



SUMÁRIO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL
MIRIAM PETRI LIMA DE JESUS
RIDEEL
(2004)
R$ 20,00



PODER - SAGA ENCANTADAS - LIVRO 3
SARAH PINBOROUGH
UNICA
(2014)
R$ 4,25



VIAGEM ATRAVÉS DO BRASIL 2 VOLS VOL I AMAZONIA E VOL 2 NORDESTE
ARIOSTO ESPINHEIRA
MELHORAMENTOS
(1940)
R$ 65,15



DESENVOLVENDO UM WEBDOCUMENTÁRIO E UM DOCUMENTÁRIO LINEAR
LARDYANNE PIMENTEL GUIMARAES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



O SENHOR DEPUTADO
JÚLIO LOURENÇO PINTO
TRÊS
(1994)
R$ 4,04



MENINOS DE RUA E ANALFABETISMO
CARMEM MARIA CRAIDY
ARTMED
(1998)
R$ 30,00



O ENCANTADOR DE CÃES
CESAR MILLAN
VERUS
(2007)
R$ 17,00



O ESTADO MILITARISTA
FRED J. COOK
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1964)
R$ 16,00





busca | avançada
28584 visitas/dia
1,0 milhão/mês