A Trilogia de João Câmara | José Nêumanne

busca | avançada
46196 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
ENSAIOS

Segunda-feira, 12/1/2004
A Trilogia de João Câmara
José Nêumanne

+ de 10900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

De outros dois egressos da João Pessoa, Paraíba, onde nasceu, mas, como eles, ficou pouco, pois logo se tornaria olindense por moradia e vocação e recifense por necessidade, o artista plástico João Câmara herdou duas características. De Geraldo Vandré, um loirinho invocado, o desassombro. E de Leovigildo Gama Júnior, mulatinho isoneiro, o estilo hábil, simples e construtivo, de quem não joga para a arquibancada volúvel, mas para fazer seu time campeão.

Nem branquelo como o primeiro, mais velho, nem negróide como o segundo, mais moço, esse caboclo magro, espigado, simples no vestir, mas enxundioso e elegante no falar, usa tintas e pincéis para épater le bourgeois, qual o fez Vandré com letras e melodias. E, como Júnior, é um craque comprometido com o próprio engenho, que não vende, não troca nem dá. O resultado de sua arte singular, brasileira (pernambucana, em sua essência) e valorizada foi reunida numa caixa de três volumes sob o título de Trilogia, que a gráfica Takano, o Ministério da Cultura e a Fundação de Arte do Governo de Pernambuco vêm de lançar no mercado editorial brasileiro. Uma preciosidade, pois o autor cuidou de cada um dos três volumes com o mesmo esmero com que elabora suas telas.

A política em tela - Composta por 100 grandes painéis e 100 litografias, sua mais célebre série, Cenas da Vida Brasileira, desafiou o monopólio de objetos, ambientes e performances (de Hélio Oiticica e Lygia Clarke, entre outros), o predomínio do concreto e do geométrico (em Waldemar Cordeiro, Rubens Gerchman, Antonio Dias, etc.) e a obrigatoriedade de dar seqüência ao construtivismo (por Mira Schendel, Alfredo Volpi, Arcângelo Ianelli e mais um punhado) no cenário artístico nacional. E, de quebra, ainda produziu um impacto político registrado sem pudores por Tadeu Chiarelli no texto que abre o primeiro volume da Trilogia, dedicado aos quadros que João Câmara realizou em 1974 a 1976, ano em que a expôs no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro, templo máximo da seita conceitual: “Numa leitura mais rasa e apressada, Cenas poderia ser encarada como uma apologia ao autoritarismo militar que então reinava com mãos de ferro sobre o País.”

Na verdade, o que seus detratores políticos não perdoaram na série foi a evidência cabal por ela manifestada de que é possível fazer uma arte social e politicamente engajada com competência técnica e sensibilidade estética e, portanto, sem as grosseiras simplificações do realismo socialista stalinista, predominante na mentalidade da esquerda de então (e será que mudou alguma coisa sob a égide petista?). E, para desespero dos cultores dos happenings na moda à época, que desembocariam no modismo contemporâneo das instalações, João Câmara desenha e pinta com técnica irrepreensível e inspiração evidente.

Com realismo pictórico, ao qual se acrescentam, de um lado, referências ao imaginário iconográfico popular e, de outro, pitadas de humor irreverente, ele retratou personalidades públicas, tais como João Pessoa, Eurico Dutra, Juarez Távora, Filinto Müller e Carlos Lacerda, tirando-os das páginas dos periódicos para pô-los nas telas. A maior dessas figuras era, e só poderia ter sido, a de Getúlio Vargas. Frederico Morais, voz solitária da crítica a romper a muralha de silêncio que se tentou impor sobre a obra e o pintor desde então, viu em Getúlio a figura dicotômica e contraditória de “pai e padrasto”, por ele desempenhado na História real. Em 1937, quadro intitulado com o ano no qual o “pai dos pobres” deu um autogolpe para instaurar o Estado Novo, este aparece com duas caras, a do moço revolucionário de 1930 de frente e o perfil do velhinho de volta na eleição de 1950. Como uma aura, a concha da Shell reina no quatro em que foi retratado o maior símbolo do nacionalismo brasileiro. Quem poderia perdoar tamanha ousadia, tanto sarcasmo, numa tela só?

Embora seja praticamente impossível encontrar um quadro que seja capaz de resumir Cenas, cuja atualidade surpreende até hoje o ciitado (e respeitado) Frederico Morais, difícil será resistir a não chamar a atenção do leitor para 1954, III, óleo no qual, com o dorso nu, o pintor, questiona, à esquerda, o cadáver do presidente suicida. Ao despir a camisa, o reatrista se pôs no mesmo plano do retratado, cujo cadáver fotografado com o hirsuto peito à mostra, correu o País simbolizando o fim de uma era. No canto oposto da tela, a imagem-síntese dessa era - a efígie do suicida com um pano segurando o queixo - atrai para si a atenção concentrada de quem quer que se depare com ela.

O erótico e o lírico - Menos de um ano depois de haver concluído, em seu ateliê de Olinda, do qual costuma se deslocar sempre a pé para desempenhar qualquer atividade comezinha (ou não), desde ir a um botequim até apanhar algum filho na escola, seu particular inventário pictórico-político do Brasil oficial, João Câmara começou a devassar as alcovas do País real. A série - cujo título Dez Casos de Amor e Uma Pintura de Câmara remete indiretamente ao mítico livro Vinte Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada, do chileno Pablo Neruda - exigiu seis anos de trabalho, não ininterruptos: enquanto a fazia trabalhou em obras avulsas, tidas como “apêndices” de Cenas, tais como O Baile da Ilha Fiscal (1979), Carisma/Quaresma (1981) e Retrato de Família (1981).

A primeira matriz da série são as litografias intituladas Dez Casos de Amor, retratando a sedução de várias personagens femininas pelo mesmo personagem masculino. A segunda, o tríptico Uma Pintura de Câmara, funciona, segundo Frederico Morais, como “ bússola” e “câmara” (o quarto), palco do teatro do amor, do qual as litogravuras são a antecâmara. Para o crítico, dez pranchas de madeira registram as mudanças de curso ao longo da confecção da série - impostas pela própria obra e também no autor e na sociedade brasileira.

O ateliê e a biografia - O terceiro volume fecha a Trilogia com os quadros que compuseram a última exposição do pintor pernambucano da Paraíba nesta megalópole de Piratininga, na Pinacoteca do Estado, reformada por seu amigo Emanoel Araújo. A caixa foi lançada em Recife na exposição desta mesma série no novo espaço Cícero Dias, anexo do Museu do Estado de Pernambuco.

Em Duas Cidades - pinturas e objetos, de 1987 a 2001 - João Câmara oferece visões nostálgicas e oníricas destes locais (loci) de sua paixão: vizinhos que se contemplam e se desprezam, mas não sabem viver um sem o outro, como certos casais, Olinda e Recife, um português e outro, holandês. Melhor definirá o autor, que lida com as palavras com a intimidade com que empunha pincéis - e disto o leitor terá provas definitivas em textos do autor-pintor reproduzidos no volume: “Um, o lugar do trabalho e da imaginação - a ‘província-ateliê’ - outro, o lugar civil onde a vida e a biografia se nominam”.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no "Caderno2" do jornal O Estado de S.Paulo.


José Nêumanne
São Paulo, 12/1/2004

Mais José Nêumanne
Mais Acessados de José Nêumanne
01. A Trilogia de João Câmara - 12/1/2004
02. O prazer, origem e perdição do ser humano - 29/4/2002
03. O CNJ e a Ancinav - 20/9/2004
04. O Desprezo de Alberto Moravia e Jean-Luc Godard - 12/5/2003
05. Retrato de corpo inteiro de um tirano comum - 17/6/2002


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/12/2006
10h32min
Muito bem elaborado, simples, porém, direto.
[Leia outros Comentários de marcela]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PREFÁCIOS E ENTREVISTAS
MONTEIRO LOBATO
BRASILIENSE
(1950)
R$ 14,96



A MORENINHA
JOAQUIM MANUEL DE MACEDO
SOL 90
(2004)
R$ 6,90



CARA OU COROA
ALVARO PEREIRA
GLOBO
(1993)
R$ 9,00



GALINHA PINTADINHA - LIVRO DE NINAR
BROMELIA PRODUÇÕES
MELHORAMENTOS
(2012)
R$ 15,71



COLEÇÃO OBJETIVO 6 ELETRICIDADE
NICOLAU G FERRARO E OUTROS
CERED
R$ 5,00



OS MAIORES CRIMES DE TODOS OS TEMPOS - DOCUMENTÁRIO
IZABELLE VALLADARES & JANDUÍ MACEDO
LITERARTE
(2011)
R$ 14,00



TUDO É CIÊNCIAS 7
DANIEL CRUZ
ATICA
(2009)
R$ 11,00



O ASSASSINATO DE ROGER ACKROYD
AGATHA CHRISTIE
GLOBO
(2008)
R$ 31,00
+ frete grátis



O MILAGRE DA VIDA (DA FECUNDAÇÃO AO PARTO) EXCEPCIONAL
DRA. ROSWITHA THEILE SCHLUTER
NOVA ÉPOCA
R$ 5,00



EMBARQUE 4 - LIBRO DE AJERCICIOS
MONTSERRAT ALONSO
EDELSA
(2014)
R$ 9,90





busca | avançada
46196 visitas/dia
1,8 milhão/mês