Mônica e Cebolinha na Pinacoteca do Estado | Marina Marcondes Machado | Digestivo Cultural

busca | avançada
35732 visitas/dia
993 mil/mês
Mais Recentes
>>> Big Band Infanto-Juvenil do Guri traz o melhor do Jazz para Casa-Museu Ema Klabin
>>> Pátio Alcântara realiza a '6ª Mostra de Orquídeas'
>>> Espetáculo 'Ana Bastarda' dança o feminismo no Brasil
>>> Série Bravos! apresenta a trajetória da artista maranhense Thabata Lorena
>>> Caminhos da Reportagem discute preconceito, tabu e silêncio em torno do suicídio
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Sabemos pensar o diferente?
>>> Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso
>>> O jornalismo cultural na era das mídias sociais
>>> Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto
>>> O Wunderteam
>>> Fake news, passado e futuro
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
>>> Da varanda, este mundo
>>> Estevão Azevedo e os homens em seus limites
>>> Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jeff Bezos é o mais rico
>>> Stayin' Alive 2017
>>> Mehmari e os 75 anos de Gil
>>> Cornell e o Alice Mudgarden
>>> Leve um Livro e Sarau Leve
>>> Pulga na praça
>>> No Metrópolis, da TV Cultura
>>> Fórum de revisores de textos
>>> Temporada 3 Leve um Livro
>>> Suplemento Literário 50 anos
Últimos Posts
>>> No compasso de espera
>>> O que sei do tempo V
>>> É de fibra
>>> O indomável Don Giovanni
>>> Caracóis filosóficos
>>> O mito dos 42 km
>>> Setembro Paulista
>>> Apocalipse agora
>>> João, o Maestro (o filme)
>>> Metropolis e a cidade
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Meu Primeiro Livro
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> O Mistério dos Incas
>>> Black Sabbath 2013
>>> 20 anos do Dois
>>> Dentro da maré cósmica: Saint-John Perse
>>> Orquestra de Câmara F. Liszt
>>> perversão sexual
>>> Amy e a hipocrisia coletiva
Mais Recentes
>>> Revista de literatura
>>> Revista de literatura
>>> Vida acadêmica - Guia Prático do Universitário
>>> A Cidade de Mil Olhos
>>> A Saúde em Estado de Choque
>>> O Futuro do EU- um Estudo da Sociedade da Pós-Identidade
>>> Kathryn Kuhlman- uma Biografia autorizada
>>> Fundamentos de Engenharia de Petróleo
>>> Como Fazer Seu Filho Trocar O Não Pelo Sim
>>> Paratii: Entre Dois Polos
>>> Resposta Certa
>>> Lineamentos De Direito Eleitoral
>>> A Moda
>>> Comer Rezar Amar
>>> A Ponte
>>> Mais Coisas Que Toda Garota Deve Saber
>>> Agora estou sozinha... 3ª ed.
>>> A Invasão Cultural Norte Americana
>>> Manual De Ética, Redação E Estilo Zero Hora
>>> Feias, quase cabeludas
>>> Como Fazer As Pessoas Gostarem De Você À Primeira Vista
>>> Tópicos Em Bancos De Dados, Multimídia E Web
>>> O Papel Do Educador Na Era Da Interdependência
>>> Sexo Na Cabeça
>>> Comprometida - Uma história de amor
>>> O Livreiro De Cabul
>>> Disputas Antigas E Outras Citações
>>> O Levante de 44 - A Batalha Por Varsóvia
>>> BR 040 - Na Trilha Das Capitais Do Brasil
>>> Os Eleitos
>>> Cálculo Volume 2
>>> Tempo de travessia - O segredo das pedras II
>>> Contabilidade Geral Fácil
>>> Administração de Vendas - PLT
>>> Villa-Lobos e a Música Popular Brasileira: Uma Visão Sem Preconceito
>>> A Escola como Sistema Complexo- A ação, o poder e o sagrado
>>> Estudos afro-asiáticos 5 - O pensamento de Frantz Fanon...
>>> Os condenados da terra
>>> Mães Pais & Filhos
>>> Para Tarsila
>>> Corações Blues E Serpentinas
>>> Nunca Antes Na História Deste País
>>> Diário De Uma Encrenqueira - Pérolas Ou Pegas
>>> Terceirização E Multifuncionalidade
>>> Adequação Empresarial - Direção E Foco
>>> Anábase - História Da Gazeta Mercantil
>>> O Longo Inverno - A Batalha do Bulgre
>>> 30 Segundos de Televisão Valem Mais do que 2 Meses de Bienal de São Paulo - Isto é Bom ou é Ruim?
>>> Diário de Berlim Ocupada - 1945 - 1948
>>> As Leis Fundamentais Para O Crescimento Na Vida
COLUNAS

Terça-feira, 30/10/2001
Mônica e Cebolinha na Pinacoteca do Estado
Marina Marcondes Machado

+ de 5400 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Tendo como pretexto, ou quem sabe até estímulo, a chamada "Semana da criança" e o "Dia da criança" (12 de outubro), a Pinacoteca do Estado de São Paulo, que podemos afirmar ser hoje uma das mais respeitadas salas de exposições da cidade e do estado, abriu espaço para uma exposição do desenhista Maurício de Sousa, dono do império dos quadrinhos brasileiros voltados ao público infantil: a "Turma da Mônica".

Como se não bastasse o espaço dado para o evento pela instituição Pinacoteca, pudemos observar a fácil cessão de outros espaços midiáticos: jornais, revistas, telejornais, programas de televisão -- incluindo até mesmo entrevista gravada por Alberto Dines no "Observatório da Imprensa" (versão para a televisão/TVE do site que se diz alternativo e independente das mídias "oficiais")! Como e porquê um veículo como o "Observatório..." foi conivente com o Império Maurício de Sousa, eu não sei. O que sei é que Maurício de Sousa teve, nesses dias, tratamento de alguém tão importante como... o Pelé? Uma "Preferência Nacional", enfim.

Voltando à exposição na Pinacoteca, esse evento ocorre, certamente, baseado nos princípios e dentro da onda das "Re-leituras", procedimento muito em voga entre os arte-educadores que trabalham com crianças e adolescentes. Moda importada dos Estados Unidos para o Brasil nos anos 80, não houve uma escolinha dita "construtivista" que não colocou os seus pequerruchos para "re-ler" Van Gogh e Picasso, consumindo também, é claro, os devidos "produtos" culturais da re-leitura: exposições voltadas para o público infanto-juvenil, publicações sobre a infância dos artistas, livros de arte já bem mastigados de modo que ninguém dissesse mais que é "difícil" compreender arte e fazer arte.

A releitura como metodologia nas aulas de artes, para quem não sabe ou não tem familiaridade com a coisa, consiste, basicamente, em ter contato, principalmente pelo dizer do professor, com a obra de um artista renomado, por meio das imagens (livros, slides, reproduções ou visita a uma exposição) e fatos de sua vida, para, em seguida, "fazer do seu jeito" -- as pessoas passam a receber o material certo (se vão reler um aquarelista, recebem tintas aquarela; um pintor, telas e tintas; um escultor, argila, e assim por diante) e desenham, pintam ou esculpem à la Fulano ou Sicrano para, depois, afixar suas obras-de-releitura nos murais, para serem apreciadas. Algo que faz o deleite dos adultos: "Oh! Como Joãzinho está culto!"

Isso foi exatamente o que Maurício de Sousa e seus "studios" (pois, quem duvidaria de que ele é o Walt Disney brasileiro? Cada país tem o Walt Disney que merece...) fizeram com a Mônica pintada em tela, no papel de Mona Lisa, e Cebolinha esculpido em bronze (!) tal qual o Pensador de Rodin, dentre outras belezuras. Em entrevista concedida à televisão, Maurício de Souza fez questão de dizer que os grandes painéis foram feitos "por ele mesmo" (!?).

Ao menos se pode fantasiar um fato novo: no final da temporada desta exposição, de tanto o Cebolinha bancar o pensador à la Rodin, quem sabe ele se torna uma personagem mais "intelessante" e "pala" de falar "elado"? E a Mônica? Caso encarne verdadeiramente o enigma da Mona Lisa, poderá ter um "insight" sobre a sexualidade feminina, de modo a parar de utilizar seu coelhinho como objeto fálico.

Se isso realmente acontecesse, isto é, se os personagens de Maurício de Sousa se transformassem com o tempo, porque estiveram em contato com os grandes mestres da pintura e da escultura, ou simplesmente porque saíram da mesmice, penso que as crianças teriam muito a ganhar: aprenderiam que as coisas mudam, e que, mesmo os mais tolinhos podem, através da arte, chegar lá. Mas certamente não é o que vai acontecer. Primeiramente porque o mote psico-lógico da "Turma da Mônica" é de encarnar estereótipos de fácil assimilação por qualquer bebezinho, que são: "o que não toma banho"; "o que fala errado"; "a comilona"; "a briguenta"; "o caipira" e assim por diante. Em segundo lugar, não haverá transformação porque, de fato, o que moveu essa exposição, além do pressuposto de que as crianças não são capazes de fruir arte verdadeira (não bebem leite puro, é preciso fazê-lo achocolatado) é o reaquecimento da economia brasileira -- pois, quem agregou valor (isto é, fez de algo objeto do desejo do consumidor, tornando o objeto a ser consumido mais e mais "atraente") a quê? Os quadros, as obras clássicas e a Pinacoteca ganharam ao serem "relidos" por Maurício de Sousa?, ou Maurício de Sousa e sua turma engordarão suas contas bancárias, ao lado dos seus parceiros que venderão mais fraldas, iogurtes, fitas crepe, maçãs, lancheiras, borrachas, bolachas, refrigerantes, vídeos, videogames, cuecas, calcinhas e gibis porque os personagens emblemáticos de seus produtos estiveram expostos na mais cobiçada sala de exibição brasileira das Artes Plásticas do país?


Marina Marcondes Machado
São Paulo, 30/10/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Wunderteam de Celso A. Uequed Pitol
02. Notas confessionais de um angustiado (VI) de Cassionei Niches Petry
03. Oswald de Andrade e o homem cordial de Celso A. Uequed Pitol
04. 'Hysteria' Revisitada de Duanne Ribeiro
05. Simpatia pelo Demônio, de Bernardo Carvalho de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Marina Marcondes Machado
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/10/2001
21h53min
Cara Marina. Não consigo enxergar o que tanto lhe incomodou na exposição da Pinacoteca. Quando fala da importância da casa e representatividade, concordo plenamente. Não conhecia o lugar e fiquei encantada. Na verdade, vi a exposiçao "de carona", indo visistar as obras de Rodin e achei ótimo. Não vejo oportunismo nenhum na "releitura" feita por Mauricio de Souza. E o Cebolinha como Pensador é muito simpático. Acho todas estas discussões sobre Mônica, utilização do coelinho como símbolo fálico e outras bobeiras mais soam como teorias tediosas que deveriam ficar restritas às discussões acadêmicas. E quanto ao espaço dado na mídia comentando o trabalho em exposição na Pinacoteca, não vejo igualmente problemas maiores. Se você foi até lá, percebeu que a maioria dos visitantes era formada por adulos, se divertindo com as releituras. Acho que te faltou um pouco de bom humor ao analisar a exposição.
[Leia outros Comentários de Sâmar Razzak]
31/10/2001
20h26min
Sâmar, talvez não haja falta de humor, mas antes, tipos de humor que não batem. Bem como não batem as noções do que é uma criança. Espero esclarecer a noção de infância que possuo ao longo de outras colunas e contribuições para este "Digestivo...". Até lá!
[Leia outros Comentários de Marina M. Machado]
4/11/2001
02h11min
Acredito que se devia haver sempre exposições de cartun em lugares de arte "séria " A mistura destes generos esclarece a liberdade e o valor da arte como um todo . A turma da monica é lider de mercado na área que atua e isso incomoda muita gente .Viva o cartun !!!
[Leia outros Comentários de Marcio]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O CASO THOMAS QUICK
HANNES RASTAM
RECORD
(2014)
R$ 19,99



NIETZSCHE
MICHAEL TANNER
LOYOLA
(2004)
R$ 12,90



CORPO E ANCESTRALIDADE - UMA PROPOSTA PLURICULTURAL DE DANÇA-ARTE-EDUCAÇÃO
INAICYRA FALCÃO DOS SANTOS
TERCEIRA MARGEM
(2006)
R$ 85,00



GRÉCIA ANTIGA: ÉPICA, LÍRICA E DRAMÁTICA (TEATRO/POESIA/DRAMATURGIA) - EM ESPANHOL
MIRTA AGUIRRE (ORG.)
INSTITUTO DEL LIVRO - CUBA
(1970)
R$ 20,00



SOU DOWN E SOU FELIZ
CHARLOTTE F. LESSA
CASA PUBLICADORA DO LIVRO
(2009)
R$ 9,00



ANGRA QUE O TEMPO LEVOU
MIGUEL ASSAD ISALTINO
SERMOGRAF
(2007)
R$ 149,99



AZUL: ESTRANHOS CAMINHOS
JOSÉ AFRÂNIO M. DUARTE
ARMAZÉM DAS IDEIAS
(2003)
R$ 7,00



THE FOUR HUNDRED
STEPHEN SHEPPARD
SECKER & WARBURG
(1979)
R$ 45,00
+ frete grátis



HOWARD HUGHES EM HOLLYWOOD
TONY THOMAS
FRENTE
(2004)
R$ 24,90
+ frete grátis



CÂNCER DE MAMA - UM GUIA COMPLETO PARA A VIDA APÓS O TRATAMENTO
HESTER HILL SCHNIPPER
GAIA
(2009)
R$ 19,90





busca | avançada
35732 visitas/dia
993 mil/mês