O ódio on-line | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
44682 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Digestivo Cultural
O que é?
Quem faz?

Audiência e Anúncios
Quem acessa?
Como anunciar?

Colaboração e Divulgação
Como publicar?
Como divulgar?

Newsletter | Disparo
* Histórico & Feeds
TT, FB e Instagram
Últimas Notas
>>> Daily Rituals - How Artists Work, by Mason Currey
>>> Fernando Pessoa, o Livro das Citações, por José Paulo Cavalcanti Filho
>>> A Loja de Tudo - Jeff Bezos e a Era da Amazon, de Brad Stone
>>> Reflexões ou Sentenças e Máximas Morais, de La Rochefoucauld
>>> O Capital no Século XXI, de Thomas Piketty, o livro do ano
>>> Trágico e Cômico, o livro, de Diogo Salles
>>> Blue Jasmine, de Woody Allen, com Cate Blanchett
>>> The Devil Put Dinosaurs Here, do Alice in Chains
Temas
Mais Recentes
>>> A novilíngua petista
>>> O Trovador, romance de Rodrigo Garcia Lopes
>>> O começo do fim da hegemonia 'de esquerda'
>>> Portas se abrindo
>>> Um menino à solta na Odisseia
>>> O que aconteceu com a Folha de S. Paulo?
>>> Uma noite de julho
>>> A difícil arte de saber mais um pouco
>>> O anoitecer da flor-da-lua
>>> Hosana na Sarjeta, de Marcelo Mirisola
Colunistas
Mais Recentes
>>> O Digestivo nas Copas
>>> Idade
>>> Origens
>>> Protestos
>>> Millôr Fernandes
>>> Daniel Piza (1970-2011)
Últimos Posts
>>> Paulo Francis e a Petrobras
>>> A lei é para todos
>>> Jornal da Cultura - 18/11/2014
>>> 100% elite branca
>>> Jornal da Cultura - 17/11/2014
>>> Petrobras virou bodega
>>> O avanço do petrolão
>>> Deu na CNN
>>> Amantes de velhas pedras
>>> Um governo que nasceu morto
Mais Recentes
>>> Lembranças de Ariano Suassuna
>>> Harold Ramis (1944-2014)
>>> Sergio Britto & eu
>>> Para o Daniel Piza. De uma leitora
>>> Joey e Johnny Ramone
>>> A Cultura do Consenso
>>> De Kooning em retrospectiva
>>> Delírios da baixa gastronomia
Mais Recentes
>>> Jaime Pinsky
>>> Luis Salvatore
>>> Catarse
>>> Chico Pinheiro
>>> Sheila Leirner
>>> Guilherme Fiuza
Mais Recentes
>>> Momento cívico
>>> Digestivo Books
>>> Caixa Postal
>>> Nova Seção Livros
>>> Digestivo no Instagram
>>> 2 Milhões de Pageviews
Mais Recentes
>>> Psicanálise - O Que Ela Pode Fazer por Você
>>> O blogueiro: esse desconhecido
>>> Mamãe Natureza
>>> Bahia - Guia do Turista Brasileiro
>>> A Improvável Jornada de Harold Fry
>>> Feras Selvagens Correm por Entre as Estrelas
>>> André Bazin e a crítica como militância
>>> Oversharing: que negócio é esse?
>>> Projeto Itália ― Parte I
>>> Nobel de Literatura: apostas
LIVROS
Mais Recentes
>>> Um tal Lucas
>>> O Outono do Patriarca
>>> Um Corpo na Neve
>>> Cinquenta Anos Esta Noite
>>> Pedagogia dos Sonhos Possíveis
>>> Enquanto Deus não Está Olhando
>>> O Sopro dos Deuses
>>> A Viagem Iniciática ou Os 33 Graus de Sabedoria
>>> The Rolling Stones - A Biografia Definitiva
>>> O Legado
>>> O Trovador
>>> Prisioneiro da Sorte
>>> O Pergaminho Sagrado
>>> Pergunte a Deepak Chopra Sobre Amor e Relacionamentos
>>> Amor até debaixo d'água
>>> Viagem à Calábria
>>> English Is Not Easy
>>> Quase Casados
>>> Ter e não ter
>>> A Lei do Triunfo
>>> Panteão
>>> O Guerreiro do Oeste
>>> Katherine
>>> A Vingança da Amante
>>> Em Nome do Mal
>>> Por onde você anda?
>>> Os 13 Segredos
>>> Herança de Sangue
>>> O Mistério dos Deuses
>>> Quartos Fechados
>>> Ossos Perdidos
>>> Três Macacos
>>> Quebrando Regras
>>> Êxodo
>>> A Bíblia do Estilo
>>> A Espada de Medina
>>> Cidade das Almas Perdidas
>>> Um Passarinho me Contou
>>> A Árvore Do Halloween
>>> 826 Notas de Amor Para Emma
>>> 50 Ícones Que Inspiraram a Moda: 1990
>>> 50 Ícones Que Inspiraram a Moda: 1980
>>> 5 Seconds Of Summer
>>> 365 dias de inspirações filosóficas
>>> 360 Dias de Sucesso
>>> 200 Receitas de Quitutes Assados
>>> 200 Receitas de Geleias e Conservas
>>> 200 Receitas de Comidinhas Sem Glúten
>>> Maonomics
>>> Diablo III - Livro de Tyrael
COLUNAS >>> Especial Amor na Internet

Segunda-feira, 11/5/2009
O ódio on-line
Gian Danton

+ de 3800 Acessos
+ 2 Comentário(s)

A internet é uma invenção fantástica. Ela permitiu que pessoas em países diferentes se encontrassem e conversassem como se estivessem uma do lado da outra. Permitiu que o conhecimento fosse compartilhado. Permitiu que amantes se reencontrassem. Mas a internet também permitiu o surgimento de um novo tipo de crápula: o troll. O troll normalmente é o tipo covarde, incapaz de atacar quem quer que seja cara a cara, mas vira valentão no anonimato da rede. No jargão da internet, troll é um indivíduo que passa o dia deixando comentários ofensivos em comunidades do Orkut, listas de discussão e blogs. Seu prazer está na dor infligida ao outro, na polêmica causada e no fato de se sentir inatingível.

Segundo a Wikipédia, um troll geralmente tem o seguinte modus operandi:

1) Jogar a isca e sair correndo: consiste em jogar fogo na lenha, fazendo um comentário polêmico, ofensivo e abandonando a discussão quando percebe que conseguiu seu objetivo: criar inimizades no grupo atacado. Como em muitos casos, eles são expulsos das comunidades e listas; o complexo de vítima é uma forma de sair correndo e, ao mesmo tempo, sentir-se coitadinho.

2) Induzir a baixar o nível: é comum os trolls apelarem para a baixaria e xingamentos. Com isso, ele consegue fazer com que pessoas sensatas baixem o nível e se vejam desmoralizadas diante das outras. Os que não apelam para xingamentos são vistos pelos trolls como alguém que não está seguindo as regras do jogo. No caso, as regras do seu jogo.

3) Repetição de falácias: falácias são argumentos que parecem lógicos, mas não o são. Por terem um verniz de falsa lógica, são muito usados por trolls como forma de desestabilizar seus oponentes. Por exemplo: "vi numa entrevista que você elogiou um roteirista de novela. Se você o elogiou é porque assiste novelas. Como novelas são feitas para mulheres, você, evidentemente, é gay!".

4) Desfile intelectual: um troll tenta mostrar um bom nível intelectual fazendo citações de obras que não conhece ou se instalando em grupos com menor leitura de mundo. Por exemplo, um troll que se acha escritor pode entrar numa comunidade de crianças que escrevem para exibir sua superioridade intelectual. Tanto nesse caso, como em outros, não é um compartilhamento de conhecimentos. É uma exibição intelectual covarde, que tem por objetivo humilhar o oponente.

Até há pouco tempo, eu conhecia apenas o lado positivo da rede. O máximo que havia sofrido foram os ataques de um troll que deixava recados ofensivos em meu blog. Quando ele deixou um recado desejando a morte de minha filha, simplesmente desabilitei a opção comentários (na época, não era permitido bloquear comentários de determinados provedores nos blogs; ou você deixava todo mundo comentar, ou não deixava ninguém). Foi um fato que me assustou, mas ignorei.

Ano passado, fui vítima de um ataque sistemático de um troll muito conhecido (tempos depois, descobri que ele era o mesmo que havia me levado a retirar os comentários de meu blog). Eu estava divulgando uma série em quadrinhos de ficção científica quando ele lançou a isca com uma crítica. Como me pareceu uma crítica honesta, eu respondi. Hoje sei que muitos trolls iniciam com uma crítica que "parece honesta", apenas como uma isca. Como nunca me rebaixei ao seu nível de baixaria e sempre mostrei a falta de fundamentação de seus argumentos (como falar de marketing sem conhecer princípios básicos, como segmentação), ele me elegeu como inimigo.

A partir de então, começou a me perseguir em outras comunidades do Orkut e com comentários em meu blog. A situação se tornou realmente preocupante quando alguém me avisou que esse indivíduo poderia passar dos ataques virtuais para os ataques reais. Nessa época recebi o link de uma página do Orkut na qual o troll pedia a um amigo para tentar descobrir onde eu trabalhava.

Foi quando percebi que a coisa podia, sim, tornar-se perigosa. Tirei todas as fotos dos meus filhos do Orkut, deletei qualquer referência mais precisa à minha vida pessoal (endereço, telefone, local de trabalho) e abandonei por um tempo comunidades do Orkut e listas de discussão, além de bloquear comentários por pessoas que não fossem amigos. Continuei com meu blog, mas não liberava nada que parecesse minimamente ofensivo (eu logo descobri que o troll usava mais de um pseudônimo).

Por esse tempo, o site da história em quadrinhos que havia ocasionado tudo foi vítima de ataques de hackers duas vezes no espaço de duas semanas. Na segunda vez, o troll comemorou em seu blog: "Parabéns, rapazes! Vocês fizeram um bom trabalho!". A experiência me fez mergulhar na mente insana e sua lógica bizarra. Ele achava, por exemplo, que os ataques pessoais feitos contra mim e outras pessoas (inclusive pessoas mortas recentemente, cujos parentes eram devidamente avisados dos ataques por ele mesmo através de recados no Orkut) iriam ajudar a promover seu livro. Ele acreditava que conseguiria algum tipo de lucro com os ataques.

Os trolls, eu logo descobri, são pessoas fracassadas, que se vingam do mundo ofendendo e difamando. Lendo os recados de seu blog, era possível identificar a maneira totalmente aleatória com a qual ele escolhia suas vítimas. Alguém dizia: "Troll, fala mal de Sicrano". E ele: "Quem é Sicrano?". Como resposta, era abastecido de links, biografias, trabalhos, que o ajudariam a colher argumentos para ataques.

Rosana Hermann, do blog Querido Leitor, teve que sair do país por causa de um troll que descobriu onde estudavam suas filhas. Em outra ocasião, ela colocou seu advogado para descobrir quem era. Ao descobrir, ligou para ele. Era um administrador de empresas desempregado, de 42 anos, que vivia com os pais e passava o dia na internet. Um "clássico covarde na vida real, que se torna o bam-bam-bam atrevido sob o manto do anonimato", definiu ela numa matéria ao G1.

Já existem casos de trolls sendo processados e condenados, embora nenhum deles esteja na cadeia, provavelmente por falta de uma legislação específica. Há ONGs especializadas em crimes de internet, como racismo e homofobia, mas a difamação sistemática por enquanto não é objeto de atenção das autoridades, embora já existam casos de trolls processados e condenados.

Enquanto a legislação não muda, o ideal é tomar alguns cuidados. Para lidar com um troll, o melhor é ignorá-lo completamente. Não responder a suas ofensas, não publicar seus comentários... um troll quer palco. Como ele não consegue chamar atenção por si mesmo, tenta fazer isso usando outros. Outra lição: cuidado com o que publica na internet. Não coloque fotos dos filhos, não diga onde eles estudam, não publique seu endereço ou seu telefone... Embora a maior parte dos trolls seja inofensivo fora da net, a verdade é que o seguro morreu de velho...

Nota do Editor
Leia também "Cyberbullying".


Gian Danton
Macapá, 11/5/2009

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Duas distopias à brasileira de Carla Ceres
02. Uma norma para acabar com os quadrinhos nacionais? de Gian Danton
03. Política e Cidadania no Sertão do Brasil (parte 2) de Diogo Salles
04. Os 60 de Eugenia Zerbini
05. O que está por baixo do medo de usar saia? de Adriana Baggio


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton em 2009
01. Memória das pornochanchadas - 28/9/2009
02. O Gabinete do Dr. Caligari - 13/4/2009
03. 10 grandes - 22/6/2009
04. A polêmica dos quadrinhos - 25/5/2009
05. Autobiografia musical - 7/12/2009


Mais Especial Amor na Internet
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
11/5/2009
11h28min
Caro Gian, sim, a imbecilidade e a crueldade humanas são incomensuráveis. Bom texto, ótimos conselhos (isto é: sabedorias), e entendo que seria interessante nos unirmos progressivamente a fim de desestabilizar tais tipos de práticas na internet.
[Leia outros Comentários de Sílvio Medeiros]
20/5/2009
07h36min
Gian, uma das estratégias do educador para controlar a turma de alunos era localizar rapidamente o tipo conhecido como Eminência Parda. Com o líder visível, a coisa era simples, pois sua honestidade permitia o diálogo aberto com o professor. Uma das técnicas para achar o Eminência era elogiar o líder, e ficar de olho no grupo opositor, pois ele estaria lá, calado, mas manobrando os seguidores idiotas. As comunidades do Orkut são o paraíso desses covardes, que acabam por seguir o educador sem chance de receber qualquer punição. Sei que um erro não justifica outro, mas identidades secretas costumam ajudar nesses casos. Você cria uma mulher, elogia o cara, ganha a confiança dele, troca juras de amor em todas as comunidades possíveis e depois revela para todos a palhaçada. Costuma funcionar por um tempo, até o covarde fabricar um novo personagem, para agir em seu paraíso, mas, com você, ele não mexerá mais...
[Leia outros Comentários de Dalton]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




>>> Um campinho de futebol e outras ideias
>>> Paratodos celebra a Consciência Negra na TV Brasil
>>> Evento Cultural Arena das Artes - Mixx Cultural
>>> Moda e literatura em movimento na Ciranda Literária de Macaé
>>> Manual de filosofia mostra o poder libertador do pensamento crítico
>>> Revista Di Rolê publica texto inédito de Tamara Martins
* clique para encaminhar

Arquipélago Editorial
Hedra
Editora Perspectiva
Best Seller
Bertrand Brasil
Primavera Editorial
WMF Martins Fontes
Editora Conteúdo
Busca Sebos
Nova Fronteira
Intrínseca
Civilização Brasileira
Globo Livros
Companhia das Letras
Cortez Editora
Editora Record
José Olympio
LIVROS


O PERGAMINHO SAGRADO
De R$ 48,00
Por R$ 29,35
Economize R$ 18,65



O PAGADOR DE PROMESSAS
De R$ 35,00
Por R$ 23,79
Economize R$ 11,21



ARQUIVOS SERIAL KILLERS - MADE IN BRASIL
Por R$ 58,95
+ frete grátis



A ARTE DA APRESENTAÇÃO VENCEDORA
Por R$ 34,95
+ frete grátis



UM AMOR PARA ETERNIDADE
Por R$ 31,95
+ frete grátis



O POÇO E A MINA
Por R$ 38,95
+ frete grátis



A PECULIAR TRISTEZA GUARDADA NUM BOLO DE LIMÃO
De R$ 39,90
Por R$ 35,95
Economize R$ 3,95



O MENINO QUE PERGUNTAVA
Por R$ 33,95
+ frete grátis



O CONTO DA DEUSA
Por R$ 36,95
+ frete grátis



ÁLGEBRAS DE LIE
De R$ 60,00
Por R$ 50,99
Economize R$ 9,01



busca | avançada
44682 visitas/dia
1,3 milhão/mês