O que este país tão longe ao sul tem a oferecer | Duanne Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
40230 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 2/8/2011
O que este país tão longe ao sul tem a oferecer
Duanne Ribeiro

+ de 2700 Acessos

No início da peça Um Porto para Elizabeth Bishop, a poeta americana é retratada em sua chegada a Santos. Do navio, avista o horizonte, enxerga autocomiseração nos morros e insegurança nas palmeiras. São talvez os próprios sentimentos que se debatem nela própria o que vê. Ao mesmo tempo, é assim que compreende a nova terra, esta civilização cambaleante que seria o Brasil. Depois de longo percurso - da paixão por essa mesma terra e por uma mulher dessa terra, paixões feitas e desfeitas no tempo - a montagem a retrata mestre da arte de perder, de volta aos Estados Unidos, em um quarto de hotel, dançando ao som de um carnaval só rememorado.

De branco, quase no centro do palco, a personagem dança, delicadamente, só sentindo o ritmo, ombro e perna direita gingando, olhos fechados, enquanto a luz esmaece. Por alguns momentos, já sob aplausos, a atriz Regina Braga ainda acompanha a música - os lábios declinam sem som os versos, até que enfim se volta ao público. Há algo aqui que a mudou, por dentro; há algo de muito brasileiro que fez muito bem a ela. A peça delineia a personalidade de Bishop, descobre o país por seus olhos e, principalmente, parece por em destaque esse algo - parece responder a alguns versos da americana: é isso que este país tão longe ao sul tem oferecer? Mas esse algo é sequer real?

Um Porto para Elizabeth Bishop teve sua estreia há uma década. Por ocasião dos 500 anos do Descobrimento, Regina pediu à Marta Goés um texto para "falar do Brasil": o resultado foi esse monólogo pela ótica estrangeira. Neste ano, no qual se comemora o centenário de nascimento de Bishop, o espetáculo reestreou no Teatro Eva Herz, em São Paulo, com direção de José Possi Neto. O enredo é biográfico: a poeta, em 1951, viaja para cá, com o intuito de passar alguns dias. Permanece, no entanto, por 15 anos. Redescobre a alegria em relacionamento com a arquiteta Lota de Macedo Soares; lida com a sua vontade de criar, seu terror da falta de aprovação, seu vício em álcool.

Regina interpreta uma Bishop frágil, desejosa de atenção, que vê o mundo com ironia ou fascínio, recortada por momentos de autoconfiança e lucidez. Não sei o quanto isso se aproxima da poeta ou o quanto se harmoniza com sua obra, mas essa é a impressão que se pode ter: menos de alguém a um tempo forte e débil e mais de alguém que sabe ou pressente que a força comporta fraqueza e vice-versa. De algum modo, as coisas se desfazem e o que sobra é o indivíduo, menos e mais do que era. Como se lê em "Uma Arte":

Perdi duas cidades lindas. Um império
que era meu, dois rios, e mais um continente.
Tenho saudade deles. Mas não é nada sério.
Mesmo perder você ( a voz, o ar etéreo, que eu amo)
não muda nada. Pois é evidente
que a arte de perder não chega a ser um mistério
por muito que pareça (escreve) muito sério.
[leia completo]

É essa a mulher que se encanta pelo Brasil. Porém, por qual Brasil? O que ela vê é, na verdade, sem novidade, é a interpretação (não só) estrangeira típica. Que é o Brasil? A beleza natural, sensual. Que somos os brasileiros? Um povo de cordialidade única. Se, de um lado, desorganizados e indolentes, sem a eficiência propriamente americana, de outro possuímos um afeto livre, afeito mais à alegria do que a preocupações. Ela diz: "O Rio de Janeiro é um cenário para uma cidade maravilhosa, mas não é uma cidade maravilhosa". Bishop fala de um país anterior, de fato subdesenvolvido, mas a plateia ri com cumplicidade dos comentários da personagem, o que evidencia que esses conceitos estão em funcionamento hoje também.

A poeta aprecia a familiaridade imediata de gente que a trata por "minha senhora" e, em seguida, por "minha filha". Descreve nossa obsessão por futebol: "Eles devem ter campos até dentro dos escritórios!" (essa imagem tem um equivalente no episódio de Os Simpsons no Brasil). Fala de política e construção: "Com tanta roubalheira, aqui não se pode distinguir entre direita e esquerda"; "Quero ver quanto tempo vai demorar para fazer esse parque com técnicos brasileiros". Essa é, ou era, a visão não só dela, mas de todo os Estados Unidos, sobre nós - o que não é difícil de ver na produção hollywoodiana derivada da política da boa vizinhança. É curioso, entretanto, que haja aquela conivência da plateia, na medida em que a relação entre os dois países mudou, assim como a posição brasileira no mundo.

Por a Fantasia Abaixo
Essa nova relação inclui mesmo o gosto de revanche. Em "Um Leve Sabor" (da Folha impressa, disponível aqui), Janio de Freitas o expressa: "Foi com prepotência, com mal disfarçado gozo pela humilhação imposta, com a força do neocolonialismo em sua forma financeira, que os Estados Unidos e a Europa tripudiaram sobre nós, em nossos decênios de desarranjos econômicos e financeiros (...) Hoje, experimentam o sofrimento que impuseram em tão larga escala". Ainda: "E isso, ao menos para mim, tem um sabor algo refrescante". Enquanto os países desenvolvidos driblam a falência, o Brasil vira hype. Como afirmou Roger Cohen, no New York Times: "Oil discoveries, a commodities boom, sound economic management, political stability, the World Cup in 2014 and the Olympics in 2016 have combined to produce a Brazil fever".

Gilberto Dimenstein dá voz à Nitin Nohria, professor de Harvard segundo o qual somos "um dos cinco países mais importantes para quem está preocupado em estudar os negócios". Eliane Cantanhêde informa que, em um ano, pulamos "de 15º para 5º lugar no ranking de países que mais receberam investimentos diretos", e destaca as manobras portuguesas para nos ter como compradores das suas empresas estatais (se se pensa que fomos colônia de Portugal, que absorveu seguidamente nossos recursos, a situação não é irônica?). Do momento em que Bishop desembarca em terra nacional até o presente, tudo se transformou; da primeira exibição de Um Porto..., também - as Torres Gêmeas ainda estavam de pé e a China não aparecia tão influente. A crença do público no cárater nacional descrito acima, no entanto, é a mesma. Por que?

Tenho duas hipóteses. A primeira é que nos apegamos ao lado negativo desse caráter que seria nacional. Veríamos as deficiências educacionais (por exemplo, na leitura), as más administrações, a política tacanha - e creríamos em uma pré-determinação a nos manter subdesenvolvidos, o jeitinho brasileiro como transcendental.

A segunda é que gostamos de nos acreditar esse povo cordial, de alegria frequente e afeto expansivo, formado pela diversidade. Nós nos identificaríamos, pela simpatia da imagem. Essa crença é problematizada em um momento do espetáculo em pauta. Com o suicídio da brasileira Lota de Macedo Soares, Bishop se questiona algo como: todo esse sentimento, esse clima, essa beleza no país - isso me ajudou tanto! Mas por que não você, Lota? É a pergunta que pode por a fantasia abaixo. Para nós, que nascemos neste carnaval de cordialidade, o que esse país tão longe ao sul tem a oferecer?


Duanne Ribeiro
São Paulo, 2/8/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Arte é entropia de Gian Danton
02. Épocas de Juliano Maesano


Mais Duanne Ribeiro
Mais Acessadas de Duanne Ribeiro em 2011
01. Manual para o leitor de transporte público - 29/3/2011
02. Bailarina salta à morte, ou: Cisne Negro - 15/2/2011
03. Frases que soubessem tudo sobre mim - 5/7/2011
04. A Serbian Film: Indefensável? - 30/8/2011
05. Dexter Versus House - 4/10/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PACTO SINISTRO
ALFRED HITCHCOCK
FOLHA DE SÃO PAULO
(2009)
R$ 14,90



NERO - MONSTRO SANGUINÁRIO OU IMPERADOR VISIONÁRIO
JOËL SCHMIDT
TEXTO & GRAFIA
(2011)
R$ 10,00



DOSSIÊ
JERONYMO RIBEIRO
FESPE
(1993)
R$ 9,00



O ABADE NEGRO - COLEÇÃO CRIME & CASTIGO
EDGAR WALLACE
EDIOURO
(1983)
R$ 7,90



CHAMADO DA SELVA
ATTILIO GATTI
MELHORAMENTOS
R$ 6,90



ARTAUD E O TEATRO
ALAIN VIRMAUX
PERSPECTIVA
(1978)
R$ 35,00



A DAMA DAS CAMELIAS
ALEXANDRE DUMAS FILHO
MP
R$ 10,00



FORA DE ÓRBITA
WOODY ALLEN
AGIR
(2007)
R$ 12,00



DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO VOLUME 2
JOSÉ SALEM NETO
BRASILIENSE
R$ 10,00



INSTITUIÇÃO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL VOLUME 1
CÂNDIDO RANGEL DINAMARCO
MALHEIROS
(2005)
R$ 30,00





busca | avançada
40230 visitas/dia
1,3 milhão/mês