Obrigado Olavo e Cia. | Sidney Vida

busca | avançada
46744 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
>>> Jorge Caldeira no Supertônica
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Redes e protestos: paradoxos e incertezas
>>> 2005: Diário de bordo
>>> Alfa Romeo e os bloggers
>>> Defesa dos Rótulos
>>> O Jovem Bruxo
>>> Sua Excelência, o Ballet de Londrina
>>> O diabo veste Prada
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> Daniel Piza by Otavio Mesquita
>>> The Making of A Kind of Blue
Mais Recentes
>>> A História Da Indústria Têxtil Paulista de Francisco Teixeira pela Artemeios (2007)
>>> Ciência tecnologia e gênero abordagens Iberoamericanas de Marília Gomes de Carvalho (org.) pela utfPR (2011)
>>> A Jornada de Erin. E. Moulton pela Nova Conceito (2011)
>>> A Melodia Feroz de Victoria Schwab pela Seguinte (2016)
>>> Despertar ao Amanhecer de C.C. Hunter pela Jangada (2012)
>>> Sussurro - Coleção Hush Hush de Becca Fitzpatrick pela Intrínseca (2009)
>>> Holocausto Nunca mais de Augusto Cury pela Planeta
>>> Lusíada (Nº 1): Revista Ilustrada de Cultura.- Arte.- Literatura.- História.- Crítica de Martins Costa/ Portinari/ Texeira Pascoaes (obras de) pela Simão Guimarães & Filhos./ Porto (1952)
>>> Fábulas que Ajudam a Crescer de Vanderlei Danielski pela Ave Maria (1998)
>>> Ninguém é igual a ninguém de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (1994)
>>> Você Pode Escolher de Regina Rennó pela Do Brasil (1999)
>>> Apelido não tem cola de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (2019)
>>> Coração que bate, sente de Regina Otero e Regina Rennó pela Do Brasil (1994)
>>> A galinha que criava um ratinho de Ana Maria Machado pela Ática (1995)
>>> Pinote, o fracote e Janjão, o fortão de Fernanda Lopes de Almeida pela Ática (2000)
>>> A lenda da noite de Guido Heleno pela José Olympio (1997)
>>> A História de uma Folha de Leo Buscaglia pela Record (1999)
>>> Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque pela José Olympio (1999)
>>> O último judeu: uma história de terror na Inquisição de Noah Gordon pela Racco (2000)
>>> Confissões de um Torcedor: Quatro copas e uma Paixão de Nelson Motta pela Objetiva (1998)
>>> Controle de Infecções e a Prática Odontológica em Tempos de Aids de Vários pela Brasília (2000)
>>> A Roda do Mundo de Edimilson de Almeida Pereira e Ricardo Aleixo pela Mazza/ Belo Horizonte (1996)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> Roda Mundo de Fanny Abramovich/ Ilustrações: Paulo Bernardo Vaz pela Formato/ Belo Horizonte (1993)
>>> A Propagação do Amor: Sobre o Plantio e a Colheita do Bem de Betty J. Eadie pela Nova Era/ Record (2003)
>>> Auto- Estima: Amar a Si Mesmo para Conviver Melhor Com os Outros de Christophe André - Françoise Lelord pela Nova Era/ Record (2003)
>>> Os Lusíadas: Reprodução Paralela das duas Edições de 1572 / Ed. Ltd. de Luis de Camões pela Impr. Nac. Casa da Moeda/ Lis (1982)
>>> Administração de Marketing: Desvendando os segredos de: Vendas. Promoç de Stephen Morse pela McGraw Hill (1988)
>>> Obras Completas de Álvares de Azevedo - 02 Tomos ) de Álvares de Azevedo/ Org. Notas: Homero Pires pela Companhia Ed. Nacional (1942)
>>> Obras Completas (Poesia, Prosa e Gramática) de Laurindo José da Silva Rabelo/ Org: O. de M. Braga pela Companhia Ed. Nacional (1946)
>>> Sempre Em Desvantagem de Walter Mosley pela Record (2001)
>>> Sempre Em Desvantagem de Walter Mosley pela Record (2001)
>>> Os Anos 80: Contagem Regressiva para o Juízo Final de Hall Lindsey pela Record/ RJ.
>>> Na Linha de Frente de Lawrence Block pela Companhia das Letras/ SP. (2010)
>>> Na Linha de Frente de Lawrence Block pela Companhia das Letras/ SP. (2010)
>>> O Fator Psicológico na Evolução Sintática (Encadernado) de Cândido Jucá (filho)/ Autografado pela Organização Simões/ Rio (1958)
>>> Príncipe das Trevas, Ou Monsieur - o Quinteto de Avignon- I de Lawrence Durrell pela Estação da Liberdade (1989)
>>> Pare de Engordar- Obesidade: um Problema Psicológico de Dr. Nelson Senise pela Record/ RJ.
>>> Os Hospedeiros de Belém de Maria Pires pela Imprensa Oficial/ B. Horizonte (1984)
>>> Os Hospedeiros de Belém de Maria Pires (autografado) pela Imprensa Oficial/ B. Horizonte (1984)
>>> Catálogo dos Editores Brasileiros de Affonso Romano de Sant Anna: Presidente pela Biblioteca Nacional/INL (1994)
>>> Fontes do Latim Vulgar : o Appendix Probi de Serafim da Silva Neto/ Autografado pela Livr. Academica/ RJ. (1956)
>>> Camões e Fernão Lopes de Thiers Martins Moreira/ Autografado pela Rio de Janeiro (1944)
>>> Ver- o- Peso: Estudos Antropológicos no Mercado de belém (Vol. II de Wilma Marques Leitão (organização) pela Paka- Tatu Ed. (2016)
>>> O Pensamento Vivo de Montaigne de André Gide/ Tradução: Sérgio Milliet pela Livr. Martins Ed. (1953)
>>> Na Beleza dos Lírios de John Updike pela Companhia das Letras (1997)
>>> O Nariz Detetive de Stella Carr/ Ilustrações: Avelino Guedes pela Scipione (2019)
>>> Bouvard e Pécuchet: Dois Patetas Iluminados de Gustave Flaubert pela Scipione (1988)
>>> Bouvard e Pécuchet: Dois Patetas Iluminados de Gustave Flaubert pela Scipione (1988)
COMENTÁRIOS

Segunda-feira, 18/11/2002
Comentários
Leitores


Obrigado Olavo e Cia.
Reparo já faz um bom tempo - eu diria de 2 a 3 anos - que um a um, fui descobrindo através das leituras diárias todos os aqui citados por este excelente colunista. Agradeço sempre aquele bendito dia que tive o prazer de ler a entrevista com o grande Olavo de Carvalho. O resto vocês todos já podem imaginar... Descobri: Janer Cristaldo, J.O. de Meira Penna, o brilhante e espirituoso Martim Vasques da Cunha, Mario Ferreira dos Santos, Rene Girard, Dennis Rosenfield, Maria Victor Barbosa, o Cristão Nivaldo Cordeiro, Sandro Guidalli, Diogo Chiuso, Alexandre Soares Silva, julio Lemos, a inteligente e gentil Inês de Carvalho -não nos abandone com o seu blog - e tantos outros que dispensam comentários - desculpe não ter citado todos. Gosto da pluralidade de idéias e primo pelo desenvolvimento do espírito acima de tudo. Esbarramos inevitávelmente com os assuntos mais banais - como a política direita/esquerda - mas acima disto existe a trancendência do homem através da humildade e determinação. Acredito que mais do que debater a direita ou esquerda tais pessoas mostraram-me - obrigado amigos - que somos capazes de pensarmos HONESTAMENTE e que o espírito só se eleva através do conhecimento - muitas vezes árduo e solitário. Portanto, independente das escolhas partidárias/ideológicas creio que todos aqui citados são estudiosos e devoradores de bons livros, o que é fundamental. Faço das palavras de Martim Vasques da Cunha as minhas: Ele faz o possível, e nós temos que fazer o possível também para que a unidade do espírito possa se manifestar. SÁBIAS PALAVRAS, pois no fim todos os caminhos nos levam a experimentar Deus. Como? Qual o caminho? Através da elevação do nosso espírito.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Sidney Vida
18/11/2002 à
00h43 200.226.209.142
(+) Sidney Vida no Digestivo...
 
Pô (lêmica)! Rs...
Pelo amor dos meus filhinhos (que um dia hei de ter), realmente essa coluna é muito polêmica! Comentam o texto do Alexandre, então comentam os comentários dos outros, depois até comentam seus próprios comentários... Isso aqui é um paraíso! Começou com um conflito entre direita e esquerda, passou por uma comparação com A Revolta dos Dândis e chegou até ao caso Suzane Richthofen! Ufa... O que mais nos agüarda????

[Sobre "Filhos de Francis"]

por *Roberta*
17/11/2002 às
22h56 200.158.25.161
(+) *Roberta* no Digestivo...
 
Ufa!
Sabe, é graças ao Júlio que vou continuar leitor deste sítio. Ele não é intolerante! Além do mais, se eu deixar de ler, acho que o Alexandre terá me (con)vencido.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por André Lima
17/11/2002 às
16h31 200.151.156.118
(+) André Lima no Digestivo...
 
por ter sido tão rude
Queria me desculpar por ter sido tão rude. Agora, depois do comentário do Irã, percebi que não tratei nenhum de vocês com o devido respeito, senhores. Parece uma Revolta dos Dândis. Pena que sem a sensibilidade e a genialidade de um Oscar Wilde. Rafael, se você é de direita, é porque nasceu privilegiado e quer ter a liberdade de não ter nenhuma preocupação social, a liberdade de não se preocupar com os erros tremendos que sua elite cometeu, quer ter a liberdade de pagar salários baixíssimos, a liberdade de ser um explorador e coisas assim. Vocês são muito previsíveis em suas opiniões. Roberto Campos é um dos seus heróis? E como, então, não concluir que você apoiou a ditadura militar? Que acha Maluf uma boa pessoa? Que foi contra as eleições diretas? Que é um hipócrita já que xinga as estatais em seu blog, as mesmas que foram criadas durante o período em que Bob Fields foi Ministro? Criou o BNDE mas é contra a participação do governo? Ou seja, é liberal com forte intervenção do Estado? Bonito isso. Aliás, este é o mesmo tipo de liberalismo que existe nos EUA: nenhuma estatal mas uma forte presença do governo nas empresas. Ou vice-versa. Nunca existiu governo mais privatizado no mundo. São esses mesmos governos hipócritas que sustentam ditaduras fascínoras como a Pinochet, patrocinam golpes de elites senis que estão morrendo de medo de perder seus privilégios como na Venezuela (felizmente derrotados pelo povo - essa entidade horrível e fedida). Sim, foram os governos dos liberais EUA e da aristocrática Inglaterra que promoveram e sustentaram as ditaduras sangrentas da América do Sul. A tal ponto que na Guerra das Malvinas foram usadas quase que exclusivamente armas inglesas. E ainda por cima se esquece de toda a rede de proteção que existe em quase todos os países da Europa, algo que vai contra seu liberalismo fajuto. Mas, é claro, você não é dirigido por nenhuma ideologia. Nem seus ídolos. A única ideologia que os move é a do dinheiro, da exploração e do lucro. Mas, como já falei antes, seus ídolos eram inteligentes, vocês, nem tanto. Todos se venderam e mudaram de camisa de acordo com quem pagava mais. Bob Fields passou de criador de estatais para defensor das privatizações de acordo com o valor das consultorias que prestava. Privatizações, aliás, bancadas pelo dinheiro do BNDES, é claro. Francis passou da esquerda para a direita assim que viu as ofertas salariais dos periódicos. Já, para vocês, restam os blogs. Agora, bonito mesmo, é descobrir que o Rafael não só é capaz de fazer citações em inglês, mas até ser poético. "How low can you go?" é lindo. Um verdadeiro dândi.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por marcelo
17/11/2002 às
12h18 200.168.30.136
(+) marcelo no Digestivo...
 
AH!!! os Eternos Adolescentes.
Mestre Soares, este site é lido por gente de direita sim. Em alguns casos, uma direita pavorosa. Penso que o idealizador do site seja um "between", admirador do Sergio Augusto, logo alguem que analisa primeiro, depois afirma. Paulo Francis também foi importante quando tinha 14 anos. Todavia, o episódio Suzane tem nos mostrado que superar a adolescência é fundamental. Este direitismo juvenil é inútil. Da mesma forma que execro as pessoas de esquerda que só leem Hobsbawn (que tem um livro fraqinho sobre jazz), não tenho particular admiração por pessoas que odeiam Saramargo porque ele fala besteiras inomináveis sobre Israel. Vivemos um momento crítico. O Brasil produz música instrumental de qualidade que não é difundida. Ser artista é um exercício de teimosia enorme. Foco e maturidade. Deixemos os fantasmas do passado descansando. Francis como farsa, o chichê do dia.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por José M SIlveira
17/11/2002 às
12h33 143.106.37.196
(+) José M SIlveira no Digestivo...
 
Descontextualizando Francis
Durante o governo Ribamar Sarney, apareceu o Pérsio Arida na televisão, defendendo um daqueles planos econômicos. O Francis comentou que o Arida falava um inglês direitinho e que tinha idéias direitinhas, mas que naquela idade, ele, Francis, estava se encharcando de bebida e fazendo bobagem nas noitadas cariocas. É o caso dos blogueiros citados aí: meninos bem comportados, posando de aristocratas, deslumbradinhos com suas leituras (todas devidamente catalogadas, previsíveis e sem nenhum traço de ousadia). Um desses aí, tido como "inteligente", até faz questão de ser chamado de "senhor" e horrorizou-se quando foi apresentado à filha do "famoso" (quá-quá-quá) jornalista Mino Carta, chamou-a de senhora, e foi destratado. Diz-se preocupado com "respeito, gentileza, preocupação com o bem estar alheio" mas, livresco, e pedante como é, não se dá conta que pode ser imensamente incômodo ao insistir num tratamento pernóstico. Comentando o bacharelismo brasileiro, Gilberto Freyre lembrava um diplomata genovês que, no final do século XVI, escreveu um relatório onde comentava o estranho hábito português de todos se tratarem mutuamente por senhor e senhora, sem que fossem senhores ou senhoras de coisa alguma no mundo. É por aí. E nessa levada, o tal senhor blogueiro (ou seria senhor doutor blogueiro?) ainda se horroriza com a namoradinha de um amigo, que ficou constrangida quando ele foi abrir a porta do carro para ela. E daí? Fosse um sujeito inteirado do mundo ao redor, saberia que há n variedades de mulheres, que uma jamais é igual a outra, e que, portanto, o tratamento jamais poderá ser normatizado. Se ela não quer que abra, é fácil. Basta não abrir. Depois, o citado senhor doutor blogueiro ainda "deita elogios" (sic) à "fantástica" (sic) "iniciativa" (sic) de um certo Bruno, para encerrar com um "Parabéns!" (sic). Nada contra o Bruno, mas um amontoado de clichês como esse foi redigido por alguém "inteligente" e "que sabe escrever"? Qual é a idade mental dessa pessoa? No romance "Cabeça de Papel", havia um poeta bêbado e boêmio que, meio no embalo, celebrava "imitadores baratos que lhe copiam os manerismos, substituindo o que, no original, se autogerara nas entranhas, pelo arremedo de salão" (p. 117). Bingo. A produção dos senhores doutores blogueiros citados não passa disso, de um arremedo de salão, cínico e descontextualizado, da obra do Francis. Um esnobismo de desajustados e invertidos. Paulo Francis trataria esses jovens assépticos a facão.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Irã Dudeque
17/11/2002 às
09h36 200.213.80.5
(+) Irã Dudeque no Digestivo...
 
Esquerdices
Marcelo, se sou "de direita", o sou por acreditar num sistema de governo que preze acima de tudo a liberdade - política e econômica. Capitalismo, meu caro, pleno (não essa palhaçada que temos no Brasil, graças à intervenção das esquerdas), aliado à democracia - só assim algum país é capaz de prosperar, e qualquer pessoa de bom senso sabe disso. Somente uma mente muito alterada por drogas ou propaganda rasteira pode acreditar no intervencionismo babão pregado pelas esquerdas. Se sou de direita, o sou justamente graças a pessoas como Paulo Francis, Roberto Campos, Milton Friedman, e por acreditar em países como EUA (ditadura de partido único!!! Meu Deus, how low can you go?) e Inglaterra, Alemanha, onde se vê que o lucro e o dinheiro não fazem mal, como os ressentidos pregam. Ah, claro, mas pra vocês bom é Cuba. Ou Pyongyang.
Agora é engraçado como na tacanha mentalidade da esquerda brasileira quem desaprova Lênin e Stálin tem de necessariamente venerar Hitler e Pinochet. Quem disse que todas essas ditaduras militares são "de direita" e, ainda que o fossem, o que o faz pensar que eu as aprovo? Não sou dominado por ideologias, ao contrário de vocês, mas sim pela razão; obedeço somente à fria constatação dos fatos, e não sigo nenhuma cartilha ou livro vermelho. Submeto-me apenas a essa coisa, tão desagradável pra vocês, chamada realidade, e tenho este hábito tão estranho para alguns de não conseguir viver fora dela.
Por falar em tirar a máscara, vejo com certo pesar e temor que a carapuça lhe serve também. Você abre seu texto justificando o uso da força pelos regimes de esquerda com argumentos absurdos, que só revelam no fundo vocês não passarem de sonhadores invejosos e infantis com delírios de grandeza, ávidos por controlar a vida dos outros e colocar as garras em riquezas que não lhes pertencem. Que esperar de gente com os valores e a moral tão deturpados por anos de lavagem cerebral esquerdista que minimizam os regimes responsáveis pelos maiores genocídios da história da humanidade, dizendo que as revoluções russa e chinesa "tiveram seus acertos"?

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Rafael Azevedo
17/11/2002 às
07h53 192.146.136.130
(+) Rafael Azevedo no Digestivo...
 
qual é o problema??
Eu adoro Paulo Francis, tenho 31 anos e voto em Lula desde 1989, e daí?! qual é o problema?? precisa ser de direita para se gostar de alguém como Francis?

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Anderson
17/11/2002 às
03h26 200.221.144.19
(+) Anderson no Digestivo...
 
Como um mantra
Risível os argumentos que se repetem. Como um mantra. Apesar de cair em contradições, a Juliana, embotada neste discurso insosso, não percebe e segue em frente. O assassino do pai de Nabokov era de direita e participou do governo de Hitler que, segundo você, não era de direita. Bonito isso. Depois ela vai querer justificar isso, dizendo que foi uma ironia, são tão previsíveis. Quanto ao perigo dos bolcheviques, vários escreveram sobre isso e com muito mais autoridade, inclusive Bakunin, Makhno e Rosa Luxemburgo. Uma só folheada em qualquer livro deles já ajudaria muito a pensar direito. Era o perigo da realização de uma revolução socialista em um país atrasado como a Rússia. Aliás, existem vários textos do próprio Lenin e do Trotsky falando sobre a mesma coisa. Se você quisesse fazer análises honestas, poderia lê.los. Tudo bem que, para alguém que é incapaz de entender o que é socialismo, portanto afirma que o nazismo é um regime de esquerda (sem apontar sequer uma medida socializante de Hitler, comparando-a com a URSS de Lenin), será de pouca valia tentar explicar o que são e pensam os trotskistas ou os anarquistas, por exemplo. Como já falei, eu não fecho os olhos e nem tenho medo de discutir abertamente os erros e os acertos da esquerda. Não fujo ao debate. Sim, os regimes comandados por Stalin e seus clones no mundo inteiro cometeram erros e mataram muita gente. Não nego nada disso. Agora, causa riso, como vocês, dandis, ficam se escondendo dos seus próprios mortos e dos seus regimes assassinos. Seriam menos patéticos se tivessem a coragem de assumir seus erros e não inventar histórias da carochinha que só a sua "comunidade" acredita. Já que o ídolo de vocês leu e estudou Trotsky e não cometia tantos despautérios, vocês deveriam seguir o exemplo. Mas para quê, não é mesmo? O objetivo é a polêmica por si mesma. Pelo menos o Francis era inteligente. Vendeu sua alma mas ganhava em dólares, vocês ainda pagam o acesso à Internet. Realmente no meu último comentário, eu exagerei um pouco. Vocês não se tornarão Carmonas e Pinochets, é preciso mais capacidade. Para terminar, Juliana, para mim o Jabor é tão de direita quanto você.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por marcelo
17/11/2002 à
01h53 200.168.30.136
(+) marcelo no Digestivo...
 
deixa o volodya fora disso
Obrigada pela menção, Alexandre. Não sou de maneira alguma uma “escritora” – mas o título não cairia mal num país em que a Marilena Chauí é considerada uma .... filósofa!!! O outro porém: o Martim tem razão. Ser "de direita" é falar exatamente a língua da "esquerda". Talvez eu seja “de direita” - mas a "direita" de que talvez façamos parte – me recuso a pensar que somos uma “comunidade” - é incompreensível ao Marcelo Barbão, por exemplo, que insiste em nos martelar com "fatos" nos quais um dia já tivemos a inocência - disfarçada de argúcia - de acreditar, assim como próprio Francis. Como já ouvi dizer por aí, quem nunca foi "de esquerda" não tem coração. Quem continua na esquerda acaba por ficar sem cérebro. O Marcelo insiste em dizer que a "direita" (ardilosos vampiros do mal e seres das trevas) trabalha na calada da noite. Risível, risível. A esquerda,esta sim – ainda segundo o Marcelo - trabalha às claras, de martelo e foice na mão, revolucionando o mundo. Podemos deduzir dos argumentos do Marcelo que a esquerda não precisa usar desses artifícios subversivos para “mudar o mundo”. Não dá pra acreditar é em tamanha inocência, Marcelo. A esquerda, em sua tradição marxista, sempre foi a melhor nos truques do esconde-esconde, do newspeak, da sutil lavagem lingüística e ideológica. E, sim, o pai do Nabokov foi assassinado por um “direitista” insano - só que parece que mais uma vez você varre fatos para debaixo do tapete. O tiro que matou Vladimir Dmitrievich Nabokov não o fez senão por acaso. O alvo era o amigo que Nabokov tentara proteger, Pavel Nikolaevich Milyukov, também um antidéspota – título que para você, imagino, deve automaticamente ser equiparado a “ser de esquerda”, assim como deve ter sido automática sua conclusão de que os novos “escritores” de blog serão Pinochets e Pedro Carmonas no futuro. Milyukov era historiador e escreveu sobre o perigo que os Bolcheviques representavam. O sonho dos Kadets, ao instituir o “Pervaya Duma”, ou Primeiro Parlamento, era fazer da Rússia uma República ou uma monarquia constitucional como a Inglaterra. Sob o paradoxal regime tzarista, o pai de Nabokov foi proibido de participar nas eleições públicas, mas podia ainda trabalhar em publicações “esquerdistas”. Como disse o próprio escritor, àquela época “justice and public opinion could still prevail occasionally in old Rússia; they had only five years to go” ou, ainda, “The history of Russia could be considered from two points of view: first, as the evolution of the police (a curiously impersonal and detached force, sometimes working in a kind of void, sometimes helpless, and at other times outdoing the government in brutal persecution); and second, as the development of a marvelous culture. Under the Tsars, despite the fundamentally inept and ferocious character of their rule, a freedom-loving Russian had had incomparably more means of expressing himself, and used to run incomparably less risk in doing so, than under Lenin”. Mas claro que todo mundo prefere entender errado. Você parece ser outro que prefere acreditar no mundo cor-de-rosa dos esquerdistas bonzinhos e sonhadores contra direitistas malvados e inescrupulosos. O pai de Nabokov não era um “esquerdista” no fétido sentido – redolente aos que salivam de emoção romântica ao ver o “filho do povo” chegar à Presidência, tão semelhantes aos servos hipnotizados por um Lenin, um Hitler, um Mao, um Stalin – que a esquerda brasileira imprime à coisa. E veja que curioso: o assassino do pai de Nabokov era tão “de direita” que foi nomeado por Hitler como o administrador da “busca” alemã aos eventuais emigrés que deixassem a Rússia – gente, por exemplo, como Véra Nabokov, judia, e nada menos que a mulher do escritor cujo pai fora assassinado. Claro que você, como defensor da sacrossanta esquerda, acredita que o Nazismo era “um regime de direita”, não é mesmo? Ah, sim: meu caro Antonio Castellane, se conviveu mesmo com o Francis, dele não aprendeu nada. Aliás, para ter convivido com Francis, você tem de ter pelo menos uns 30 anos de idade – o que estranhamente não condiz com seu infantil hábito de mandar e-mails a pessoas que desconhece, chamando-as de “apple-polisher”. Vai lustrar o sapato do Jabor que você lucra mais, meu filho.

[Sobre "Filhos de Francis"]

por Juliana
17/11/2002 à
01h40 200.193.244.177
(+) Juliana no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




VIEIRA NA LITERATURA ANTI - JESUÍTICA SÉCULOS XVIII - XX
JOSÉ EDUARDO FRANCO BRUNO CARDOSO REIS
ROMA
(1997)
R$ 39,70



UMA VIDA PARA SEU FILHO
BRUNO BETTELHEIM
CÍRCULO DO LIVRO
(1989)
R$ 14,00



SEGREDO E FIM
ROBERTO SCHULTZ
NOVO SÉCULO
(2007)
R$ 5,00



UM EREMITA EM PARIS
ITALO CALVINO
TEOREMA
(1996)
R$ 33,81



A LÓGICA DOS EFEITOS PERVERSOS
ANDRÉ GOSSELIN
INSTITUTO PIAGET
(2000)
R$ 44,61
+ frete grátis



CONTOS FLUMINENSES
MACHADO DE ASSIS
ATICA
R$ 10,00



A VIDA DO CORPO ALIMENTO DIÁRIO
PEDRO DONG EZRA MA
ÁRVORE DA VIDA
(2019)
R$ 5,00



O DILEMA
JOHN GRISHAM
ROCCO
(2014)
R$ 30,00



CRESCIMENTO ECONÔMICO MODERNO
SIMON KUZNETS
ABRIL CULTURAL
(1983)
R$ 5,00



O SENHOR MARCH
GERALDINE BROOKS
EDIOURO
(2009)
R$ 11,90





busca | avançada
46744 visitas/dia
1,1 milhão/mês