Digestivo nº 231 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
58438 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Viva a revolução
>>> AC/DC 1977
>>> As maravilhas do mundo que não terminam
>>> Nem Aos Domingos
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
>>> A firma como ela é
>>> Grandes Pianistas do Século XX
>>> PublishNews entrevista Ana Elisa Ribeiro
>>> Manual prático do ódio
>>> Isn’t it a bliss, don’t you approve
Mais Recentes
>>> Notícia de un secuestro de Gabriel Gacía Máquez pela Plaza Janés (1999)
>>> Há Males Que Vêm Para Bem de Alec Guinness pela Francisco Alves (1990)
>>> Vivir para Contarla de Gabriel García Márquez pela Debolsillo (2017)
>>> Tango Solo de Anthony Quinn, Daniel Paisner pela Nova Fronteira (1995)
>>> El Coronel no Tiene Quien le Escriba de Gabriel Gacía Máquez pela Plaza Janés (1999)
>>> Laços Eternos de Zibia Gasparetto pela Edicel (1979)
>>> A garota que eu quero de Markus Zusak pela Intrínseca (2013)
>>> O inverno das fadas de Carolina Munhóz pela Casa da palavra (2012)
>>> Treinando a emoção para ser feliz de Augusto Cury pela Academia (2010)
>>> E se for você? de Rebecca Donovan pela Globo (2016)
>>> O guardião de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> O casamento de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> Inferno atlântico. Demonologia e colonização. Séculos XVI-XVIII de Laura de Mello e Souza pela Companhia das Letras (1993)
>>> Um porto seguro de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2012)
>>> Ouse ir Além - Coaching para Resultados Extraordinários de José Roberto Marques pela Ibc (2016)
>>> Segundo - Eu me chamo Antônio de Pedro Gabriel pela Intrínseca (2014)
>>> Doce Cuentos Peregrinos de Gabriel García Márques pela Plaza Janés (1999)
>>> A cadeira de prata - As crônicas de Nárnia de C. S. lewis pela Martins Fontes (2003)
>>> Ases nas alturas - Wild Cards de George R. R. Martin pela Leya (2013)
>>> Homens de grossa aventura. Acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro 1790-1830 de João Luís Fragoso pela Civilização Brasileira (1998)
>>> Anjos caídos de Asa Schwarz pela Planeta (2010)
>>> Um conto do destrino de Mark Helprin pela Novo Conceito (2014)
>>> O diabo e a Terra de Santa Cruz de Laura de Mello e Souza pela Companhia das Letras (1986)
>>> O Antigo Regime nos trópicos de João Fragoso & Maria Fernanda Bicalho & Maria de Fátima Gouvêa. Organizadores pela Civilização Brasileira (2010)
>>> Dominguinhos o Neném de Garanhuns de Antônio Vilela de Souza pela Garanhuns (2014)
>>> Viva a Vagina de Nina Brochman / Ellen Sorkken Dahl pela Pararela (2017)
>>> Grandes Pensadores em Psicologia - 10A de Rom Harré pela Roca (2009)
>>> A Amiga Genial de Elena Ferrante pela Biblioteca Azul/ Globo (2015)
>>> Steve Jobs : a biografia de Walter Isaacson pela Companhia Das Letras (2011)
>>> A Encantadora de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2006)
>>> Cien Años de Soledad de Gabriel Garcia Marques pela Plaza Janés (1999)
>>> O Taro Adivinhatório de Vários pela Pensamento
>>> Os Segredos de Uma Encantado de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2002)
>>> A Droga da Obediência de Pedro Bandeira pela Moderna (2009)
>>> O Paraíso na Outra Esquina de Mario Vargas Llosa pela Arx (2003)
>>> A Festa da Insignificância de Milan Kundera pela Companhia das Letras (2014)
>>> História da Menina Perdida de Elena Ferrante pela Biblioteca Azul/ Globo (2017)
>>> A Lenda do Graal (Do Ponto de Vista Psicológico) de Emma Jung e Marie Louise Von Franz pela Cultrix (1991)
>>> Capitães da Areia de Jorge Amado pela Record (1975)
>>> O Verão Sem Homens de Siri Hustvedt pela Companhia das Letras (2013)
>>> Hostória de Quem Foge e de Quem Fica de Elena Ferrante pela Biblioteca Azul/ Globo (2016)
>>> Pontos De Fuga - O Lugar Mais Sombrio - Vol. 2 de Milton Hatoum pela Companhia das Letras (2019)
>>> A Ilha do Dia Anterior de Umberto Eco pela Record (1995)
>>> A Invenção do Sonho de Moema de Castro e Silva Oliveira pela Âncora (2017)
>>> Manuelzão e Miguilim de João Guimarães Rosa pela Nova Fronteira (1984)
>>> Iluminando o retorno-Halachhot Teshuvá [Judaismo ] de Rabino Isaac Dichi pela Nascente (2014)
>>> Serial Killer - Louco ou Cruel? de Ilana Casoy pela Ediouro (2008)
>>> Compaixão de Toni Morrison pela Companhia das Letras (2009)
>>> A Fórmula para a felicidade-[judaismo] de Rabi Friedman pela Friedman Brooklin (2015)
>>> Ponto Ômega de Don DeLillo pela Companhia das Letras (2011)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 17/6/2005
Digestivo nº 231
Julio Daio Borges

+ de 4900 Acessos
+ 1 Comentário(s)




Cinema >>> Que a força esteja com você
Se a Veja dá 10 páginas, e os cadernos de cultura dos principais jornais dão capa, pode desconfiar. Se você vê outdoors espalhados pela cidade e inserções as mais variadas na TV e no rádio, não espere nada: é blockbuster na certa. E não deu outra: Cruzada é uma superprodução para arrebentar na estréia de fim de semana e, em seguida, se apagar na memória – até que o DVD nos alcance, como sempre invasivo, igual à fita nas salas. Queremos crer, na verdade, que as pessoas estão cansadas dessa engrenagem e nem reagem mais a um assunto tão desconectado da sua realidade como, sei lá,... as Cruzadas. Apesar de Bush. Ridley Scott, que até enganou bastante gente com o Gladiador (e dá-lhe reportagens extensivas, pagas, sobre o making-of), tentou requentar a conquista da Terra Prometida, pela Europa medieval e cristã, ao emular o recente Tróia (no que ele tem de pior). O desânimo, no elenco, é patente, e a história se arrasta, por causa de um roteiro que, além de previsível nos mínimos detalhes, não empolga nem o espectador mais desinformado. É um desperdício atrás do outro: de Liam Neeson, de Jeremy Irons e até da novata Eva Green – de quem Bertolucci havia tirado algum suco, mas que, sem a condução do mestre italiano, se revelou apenas mais uma beldade (ou nem tanto) sem expressão e com caras&bocas, decoradas, de modelo iniciante. Do protagonista, nem vamos falar (se era um mero coadjuvante no superpopuloso O Senhor dos Anéis, nunca poderia ter encarado um papel principal). A ambientação, o figurino e até os diálogos se situam naquela época indefinível que tanto pode ser o Egito dos faraós, a Grécia antiga, o Império Romano... quanto o reinado de Arthur, a França pré-Revolução e as monarquias falidas do século XIX – em cinema é tudo a mesma coisa. Sem contar as misturas com ficção científica pós-Spielberg & Lucas. Cruzada é, além de uma perda de tempo (e de dinheiro) evidente, um desfile repetitivo de clichês hollywoodianos. Tudo bem, a máquina nunca vai parar de funcionar – mas nós, pelo menos, não vamos mais nos deixar enganar. [Comente esta Nota]
>>> Kingdom of Heaven | Kingdom of Heaven (resenhas)
 



Imprensa >>> Papel principal
Talvez em resposta à crise de idéias do mercado editorial, diante da digitalização das publicações depois do advento da internet, a Companhia Suzano de Papel e Celulose lançou a revista Idéia. Idéia, editada desde 2001 com coordenação da X-Press Assessoria em Comunicação, é antes de tudo uma celebração desse suporte humano, demasiado humano, popular desde pelo menos a prensa de Gutenberg, o papel. Idéia é hoje provavelmente o veículo mais criativo para iniciativas gráficas, abordando desde o consagrado “pólen” até o conhecido “cartão”, passando pelas mais variadas superfícies e técnicas, até o limite da imaginação do Designbüro de Helga Miethke – que é inesgotável. Quem tem o privilégio de receber a Idéia bimestralmente, já a viu chegar envelopada, encaixotada, grande, pequena, encadernada, solta, fina, grossa, de todas as cores, em todas as fontes, brilhante, fosca, suave, áspera, leve, pesada... enfim – em concepções até então impensadas, mas que, de repente, se pode(m) tocar e desfrutar. Descontando a exuberância na apresentação (se é que se pode abstrai-la afinal), Idéia veicula, como não poderia deixar de ser, idéias em entrevistas longas e reveladoras com personalidades ligadas ao impresso como o bibliófilo José Mindlin, o romancista João Ubaldo Ribeiro, a autora infantil Ruth Rocha e o poeta Ferreira Gullar. Sem contar matérias culturais e de interesse geral, sob a edição cuidadosa de Marcos Augusto Ferreira e Guilhermo Benitez. Num momento em que as revistas partem para a popularização mais rasteira (com ambições voltadas para as classes D, E e F), numa pobreza de conteúdo e de formas preocupante, é um alívio encontrar um projeto que segue corajosamente na via oposta, privilegiando a criatividade, a inteligência e o bom gosto – até para provar que as melhores idéias não estavam assim tão escassas, como se falava ou como nos queriam fazer acreditar. [Comente esta Nota]
>>> Suzano Papel e Celulose | XPress | O sorriso do lagarto | Palavras, muitas palavras
 



Literatura >>> Xeque-mate
Não resta dúvida – vale repetir – que Ivana Arruda Leite é uma das mais importantes escritoras brasileiras da atualidade. Obrigatória para quem quer se familiarizar com as tendências da nossa literatura contemporânea e, principalmente, para quem não agüenta mais ouvir falar em Clarices, Lygias e Hildas. Junto com Livia Garcia-Roza e Cíntia Moscovich, Ivana promove um sopro de renovação que só não enxerga quem não quer. Tanto que, embora Ivana Arruda Leite tenha sido publicada quase na meia-idade, já é possível falar numa obra e analisar seu desenvolvimento estético. Ivana começou, como é quase comum hoje (graças a ela), dentro da tendência dos pequenos contos, minicontos e microcontos. Nesse sentido, foi emblemático o seu Falo de Mulher (2002), que inspirou uma porção de jovens escritoras, como Ana Elisa Ribeiro (coisa que até já se disse aqui). Ivana então, merecidamente, despontou: virou colunista da revista da Folha e alcançou a graça das editoras grandes. Publicou o, mais uma vez, excelente Eu te darei o céu (2004) e, agora, chega com um lançamento pela remodelada Agir: Ao homem que não me quis (para variar, um título bastante acertado). Nesse livro – e por isso podemos falar num avanço –, ela abre com os mesmos pequenos contos, mas inteligentemente caminha para os contos tradicionais, no tamanho que normalmente se conhece. Ao homem que não me quis é uma obra de transição e ela deixou registrar essa evolução num livro de fronteira, digamos assim. Ivana continua hábil com as frases curtas, com as rajadas de bom humor e até com os insights, mas a novidade – e os melhores momentos – são as investidas nas narrativas de muitas páginas, como a melhor de todas, que dá título ao volume. Também Mulher do povo, uma história originalíssima contada de dentro de um hospital (por uma mulher, evidentemente, internada sem recursos). Apesar da necessidade constante, no Brasil, de se reafirmar o óbvio, Ivana dispensa elogios e a única coisa que lhe faltaria agora é uma acolhida junto ao grande público – porque, para isso, ela também tem potencial. [Comente esta Nota]
>>> Ao homem que não me quis - Ivana Arruda Leite - 88 págs. - Agir | Da difícil vida das rêmoras
 
>>> E O CONSELHEIRO CONTINUA POLEMIZANDO NA INTERNET

Fiquei com medo quando vi a Viviane Barbosa reclamando daquele artigo (...) onde obtive idéias para escrever (...) Commodity virou commodity. Para refrescar a memória, o link era Jornalista virou commodity e o artigo da Viviane é Ano que vem serei jornalista. Cheguei tarde? (...) Concordo com a posição da Viviane apesar de achar a do Julio Daio Borges válida. Hoje em dia, muitas notícias escapam antes por blogs e, quando realmente chegam em uma fonte "oficial", é só para oficializar o boato.

Continua em "Salvem os Jornalistas", de Fellipe Cicconi.

>>> EVENTOS QUE O DIGESTIVO RECOMENDA



>>> Cafés Filosóficos
* O futuro do universo e o futuro da Cosmologia
George Matsas e J. Ademir S. Lima
(Ter., 21/6, 19hs., CN)
* O mal, o bem e mais além: egoístas, generosos e justos
Flávio Gikovate
(Qua., 22/6, 18h30, CN)

>>> Noites de Autógrafos
* Achados e Perdidos - Maria Vanda
(Qua., 22/6, 18h30, CN)
* Micróbios na Cruz - Márcia Camargos
(Qui., 23/6, 19hs., CN)
* É possível amar duas pessoas ao mesmo tempo?
Noely Montes Moraes (org.)
(Qui., 23/6, 19h30, VL)
* Identidade nacional e outros ensaios - Gilberto Kujawski
(Sáb., 25/6, 11hs., CN)

>>> Shows
* Marcas de Ayer - Adriana Mezzadri e convidados
(Sex., 24/6, 20hs., VL)
* Espaço Aberto - Peppermint Band
(Dom., 26/6, 18hs., VL)

* Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (VL): Av. Nações Unidas, nº 4777
** Livraria Cultura Conjunto Nacional (CN): Av. Paulista, nº 2073
*** a Livraria Cultura é parceira do Digestivo Cultural

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/6/2005
09h51min
Quem leu Joseph Campbell sabe como os temas mitológicos são importantes no desenvolvimento humano. Cada povo se sabe como tal enquanto mantém vivas suas crenças, suas histórias. E não há como escapar disso. Quem não procura dentro de si o que o liga aos outros e ao universo como manifestação grandiosa de uma unidade com forças acima (e abaixo) de nós, provavelmente já encontrou tudo isso e muito mais na mediocridade das novelas das 8. Mas, enfim, cada um tem o referecial mitológico que merece.
[Leia outros Comentários de Barbara Louise Polla]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MULHERES APAIXONADAS
D. H. LAURENCE
ABRIL
(1979)
R$ 10,00



NÚMEROS QUENTES
JEAN SIMPSON
BEST SELLER
(1987)
R$ 39,00



CIDADE DAS ALMAS PERDIDAS - OS INSTRUMENTOS MORTAIS 5
CASSANDRA CLARE
GALERA RECORD
(2014)
R$ 15,00



NOSSA AVENTURA NA TELA
CARLOS ROBERTO DE SOUZA
CULTURA
(2002)
R$ 12,00



PALAVRAS DO CORAÇÃO
FRANCISCO CANDIDO XAVIER
CULTURA ESPIRITA UNIAO
(1987)
R$ 12,20



SHAMAN KING 37
HIROYUKI TAKEI
JBC
(1998)
R$ 12,00



A BÍBLIA ILUSTRADA PARA CRIANÇAS
PAT ALEXANDER
EDIOURO
(1991)
R$ 14,85
+ frete grátis



NOVO TESTAMENTO PORTUGUÊS E INGLÊS
VÁRIOS AUTORES
OS GIDEÕES INTERNACIONAIS
(1979)
R$ 5,00



O CABO DAS MIL VISÕES
LUIS SEXTO
CASA AMARELA
(2002)
R$ 5,00



CONCERTO PARA QUATRO CÉREBROS EM PSICOTERAPIA (PORTUGUÊS)
TERESA ROBLES
EDITORIAL DIAMANTE
(2003)
R$ 30,00





busca | avançada
58438 visitas/dia
2,1 milhões/mês