A morte do jornal, pela New Yorker | Digestivo Cultural

busca | avançada
41871 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Bate-papo com Odir Cunha
>>> Entrevista com Sérgio Rodrigues
>>> Leblon
>>> Uma entrevista literária
>>> A ilusão da alma, de Eduardo Giannetti
>>> Salinger, de David Shields e Shane Salerno
>>> O Coronel, o Lobisomem e o Vestibular
>>> O delfim, de José Cardoso Pires
>>> Apresentação autobiográfica muito solene
>>> #ImpeachemnetPapaFrancisco
Mais Recentes
>>> Chico Xavier Nº 1 Vida e Obra de Vários Autores pela Escala
>>> Terra meus primeiros 4,54 Bilhões de Anos 379 de Stacy McAnulty pela Melhoramentos (2022)
>>> O Ressurgimento de Fátima de Trigueirinho pela Pensamento (1992)
>>> O Patinho Matemático 379 de Jean-Claude Alphen pela Melhoramentos (2017)
>>> Te Quero Verde (ótimo estado) de Ieda Martins De Oliveira pela Cpb (1999)
>>> Roteiro - Pocket de Francisco Cândido Xavier pela Federação Espírita Brasileira (1994)
>>> Com Vacina tudo em Cima 379 de Carme Dolz pela Melhoramentos (2022)
>>> A História do Lobo Solitário 379 de Lúcia Brandão pela Melhoramentos (2022)
>>> A Política do Precariado do Populismo à Hegemonia Lulista de Ruy Braga pela Boitempo (2012)
>>> Nosso corpo é Demais 379 de Tyler Feder pela Melhoramentos (2022)
>>> A Menina e o Vestido de Sonhos 379 de Alexandre Rampazo pela Melhoramentos (2022)
>>> Cosmogênese de Dr. Jorge Adoum pela Feeu (1977)
>>> Araxá - Põe a Mesa - Vol. 2 de Fernando Braga de Araújo pela O Lutador
>>> Os Fundamentos Da Fisica 1- Mecanica - 7ª Ed (muito bom) de Toledo Ramalho, Nicolau pela Moderna (2000)
>>> O Trabalho no Mundo Contemporâneo: fundamentos e desafios para a saúde de Ialê Falleiros Braga, Muza Clara Chaves Velasques e outros (Orgs.) pela Fiocruz (2016)
>>> A Garota que não se Calou de Daré pela Tag (2021)
>>> "Eu Sou" o "Eu Sou" de Ponte Para a Liberdade pela Feeu (1979)
>>> Escravidão Volume 1 de Laurentino Gomes pela Globo Livros (2019)
>>> O Novo Livro de Massagem de Lucy Lidell / Sara Thomas pela Manole (2000)
>>> Ultimate Guide to Link Building de Eric Ward pela Entrepreneur (2013)
>>> Herdeiras do Mar de Mary Lynn Bracht pela Paralele (2020)
>>> A serra do rola-moça de Martinho da Vila pela Zfm (2009)
>>> Sexo, Amor e Sedução (como novo) de Fatima Moura pela Harbra (2006)
>>> Dom Quixote vol. 1 de Miguel de Cervantes pela Abril Cultural (1981)
>>> Potestade de Gleides Giorgio Affonso (Org) pela Átomo (1999)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Imprensa

Sexta-feira, 11/4/2008
A morte do jornal, pela New Yorker
Julio Daio Borges
+ de 6800 Acessos
+ 8 Comentário(s)




Digestivo nº 362 >>> Primeiro, foi a melhor revista do mundo, The Economist, proclamando, em setembro de 2006, que os jornais estavam tecnicamente mortos. Agora, no último 31 de março, foi a vez da New Yorker, a "segunda" melhor revista do mundo, proclamar: os jornais estão morrendo. Segundo Eric Alterman, que assina o texto "Out of Print": na era da internet, ninguém descobriu ainda como salvar o formato jornal — nos Estados Unidos e no resto do mundo. De acordo com Alan Mutter, empreendedor do setor de mídia (entrevistado para a matéria), nos últimos três anos, os jornais norte-americanos, ou melhor, as empresas que os produzem, perderam 42% de seu valor de mercado na bolsa. The New York Times, por exemplo, viu suas ações caírem 54%, em Wall Street, desde 2004. E não é apenas especulação financeira: desde 1990, um quarto dos empregos em jornais norte-americanos foram simplesmente extinguidos. Sem contar que apenas 19% dos americanos entre dezoito e 34 anos afirma "ter dado uma olhada" num jornal de papel no último mês (a idade média do leitor de jornal, nos Estados Unidos, está em 55 anos, e subindo). Não à toa, as famílias que foram, por décadas, proprietárias de marcas estabelecidas nos EUA, como The Wall Street Journal e Los Angeles Times, venderam a maior parte de sua participação. A empresa que dirigia The Washington Post deixou de ser só de "mídia" para acrescentar um braço de "educação". Mas analistas de mercado, como os do Deutsche Bank, aconselham seus clientes a se desfazerem logo das ações de jornais, mesmo que sejam do "melhor do mundo", The New York Times. Um pouco atrasados, os jornais vêm migrando para a internet — contudo, como reforça a New Yorker, suas receitas on-line ainda não cobrem as perdas em anúncios e circulação. Lembrando a previsão de Philip Meyer — de que os jornais vão desaparecer antes de 2050 —, a segunda melhor revista do mundo pede que se abra, logo, o Newsmuseum, o museu do jornal.
>>> Out of Print: The death and life of the American newspaper
 
Julio Daio Borges
Editor
Quem leu esta, também leu essa(s):
01. A morte do Jornal do Brasil (Imprensa)
02. Como os jornais vão sobreviver na era da internet?, por Hal Varian (Imprensa)
03. Surf Hype, o maior blogueiro de São Paulo (Internet)
04. A Democracia Traída, de Raymundo Faoro (Imprensa)
05. Here Comes Everybody, de Clay Shirky (Internet)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/4/2008
08h05min
Viva o futuro agora. Os jornais impressos são um mal ao meio ambiente, quantas toneladas de papel jornal são jogadas por todos os cantos do mundo, diariamente? Nada como o "tempo real" da notícia via internet, mais a interatividade. O jornal impresso parece mais uma múmia que tenta arriscar alguns passos nesta época de incrível velocidade tecnológica. Depois creio que as revistas e livros em papel também deveriam desaparecer, dando lugar, em definitivo, a meios eletrônicos mais atrativos e limpos. Que tal ler um bom livro num brinquedinho eletrônico, enquanto este toca uma boa música de fundo?
[Leia outros Comentários de Julio Winck]
7/4/2008
09h46min
A sensação incômoda que dá é que só resta lamentar...
[Leia outros Comentários de Guto Maia]
7/4/2008
11h48min
Nada pode deter o rumo de preferências ditadas pela modernidade. A Internet impôs ao mundo mudanças inevitáveis, que se refletem cada vez mais, nos mais variados campos de atuação. Com relação à imprensa mundial, acertou quem investiu na mídia digital, que está substituindo o papel do papel... É certo que saudosistas ainda sentem a saudade do seu cheiro e o da tinta de impressão dos tradicionais periódicos. Também se aceita como inevitável que novos tempos exijam novas condutas adaptativas que, na sociedade atual, têm o peso do imediatismo. Lucra quem está conseguindo vislumbrar vantagens com as mudanças e age nesse sentido! Viva o Digestivo Cultural, que é um exemplo brasileiro desses novos tempos!
[Leia outros Comentários de Elizabeth Castro]
7/4/2008
11h52min
Nada pode deter o rumo de preferências ditadas pela modernidade. A Internet impôs ao mundo mudanças inevitáveis, que se refletem cada vez mais nos mais variados campos de atuação. Com relação à imprensa mundial, acertou quem investiu na mídia digital, que está substituindo o papel do papel... É certo que saudosistas ainda sentem a saudade do seu cheiro e o da tinta de impressão dos tradicionais periódicos. Também se aceita como inevitável que novos tempos exigem novas condutas adaptativas que, na sociedade atual, têm o peso do imediatismo. Lucra quem está conseguindo vislumbrar vantagens com as mudanças e age nesse sentido! Viva o Digestivo Cultural, que é um exemplo brasileiro desses novos tempos!
[Leia outros Comentários de Elizabeth Castro]
7/4/2008
12h30min
Eu concordo totalmente com o Julio Winck. Não podemos continuar a destruir o planeta pra fazer papel. É ineficiente, a informação eletrônica é mais barata, rápida e limpa. Um dia nossos netos vão achar que nossos avós eram loucos em destruir o planeta pra fazer papel. O papel é mídia morta, longa vida à mídia eletrônica.
[Leia outros Comentários de Daniela Castilho]
7/4/2008
20h22min
Pois é! Infelizmente, alguns meios não podem ser salvos: o jornal está em derrocada, mesmo que não seja apressada, assim como o DVD e o CD. Pra nossa sorte - imagino, nós, leitores deste espaço, nós que amamos o ato de ler - o livro impresso ainda não pode ser substituído. E nem será tão cedo!
[Leia outros Comentários de Fernando Miranda]
17/5/2008
22h26min
Isso é uma tendência, mas acredito que ainda demore muito - principalmente no Brasil onde o acesso a internet ainda é restrito a cerca de 20% da população. Alguns já condenaram os livros ao mesmo fim - eu acredito que seja mais difícil, pois nada substitui ter um livro em mãos para poder ler quando quiser... ou folhear algumas páginas antes de dormir...
[Leia outros Comentários de Luciano Midlej]
3/6/2011
02h40min
Grande infelicidade comentários como o de Julio Winck e Daniela Castilho, acima. Pra não alongar - como talvez fosse melhor - levanto ao menos um tópico: os aparelinhos eletrônicos por acaso nãp poluem? A energia que os alimenta vem de onde mesmo? Até onde sei, energias limpas estão longe de se tornarem tão comuns como os jornais e, atualmente, tablets e afins. Ainda persiste a ilusão da boa ação ambiental por parte da mídia eletrônica. Além disso, a questão é mais profunda, não se trata somente de onde ler/acessar o que se chama de "tempo real" por aí...
[Leia outros Comentários de Pedro Monteiro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Elefante Xadrez - Série Arca de Noé
Alvaro Cardoso Gomes
Ftd
(2000)



Mulheres Pintadas
Dóris Fleury
Celebris
(2003)



De Volta ao Ventre
Eduardo Rodrigues
Ftd
(1992)



Construtivismo e Mudança 29/ 10ªed / Confira!!
Sanny S da Rosa
Cortez
(1994)



Livro - O Aniversário do Dinossauro// Coleção de Aniversários (volume 1)
Índigo
Dedo de Prosa
(2012)



Louco por Viver
Roberto Shinyashiki
Gente
(2013)



O Manual da Garota Geek
Sam Maggs
Única
(2015)



O Espião Que Saiu do Frio
John Le Carre
Abril Cultural
(1980)



No Tempo da Abolição (1994)
Julieta de Godoy Ladeira
Moderna
(1994)



Rough Guide South Africa 7ªed (2012) (ingês)
Rough Guide
Rough Guides
(2012)





busca | avançada
41871 visitas/dia
1,4 milhão/mês