A morte do jornal, pela New Yorker | Digestivo Cultural

busca | avançada
79202 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> 7ª edição do Fest Rio Judaico acontece no domingo (16 de junho)
>>> Instituto SYN realiza 4ª edição da campanha de arrecadação de agasalhos no RJ
>>> O futuro da inteligência artificial: romance do escritor paranaense Roger Dörl, radicado em Brasília
>>> Cursos de férias: São Paulo Escola De Dança abre inscrições para extensão cultural
>>> Doc 'Sin Embargo, uma Utopia' maestro Kleber Mazziero em Cuba
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vestibular, Dois Irmãos e Milton Hatoum
>>> Circo Roda Brasil
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> O corpo-reconstrução de Fernanda Magalhães
>>> Contra os intelectuais
>>> Sem música, a existência seria um erro
>>> Orkut, um sonho impossível?
>>> Charges e bastidores do Roda Viva
>>> Pensamento do dia
>>> Por que votei nulo
Mais Recentes
>>> Ser Terapeuta - Depoimentos de Ieda Borchat - Paulo Barros pela Summus (1985)
>>> Coleção Tim Maia - 1970 - Livreto + CD de Abril - Tim Maia pela Abril (2014)
>>> Coleção Tim Maia V.3 - 1973 - sem o CD de Abril - Tim Maia pela Abril (2013)
>>> Aurélio - O Dicionário Da Língua Portuguesa - C/ Cd-rom de Aurélio Buarque De Holanda Ferreira pela Positivo (2004)
>>> C ++ Como Programar - sem Cd-rom de H.M Deitel - P J Deitel pela Bookman (2004)
>>> Fradim do Velho Nº 30 de Henfil pela Vozes (1980)
>>> Lobo de Ray-Ban - Revista da Peça - Raul Cortez - Christiane Torloni de Renato Borgui - José Possi Neto pela Tarot Pruduões - Ray-Ban (1991)
>>> O Heroi dos Tabuleiros - Col. Espelhos de Ricardo Criez pela FTD (2024)
>>> O Livro das Letras - um Alef Beit Místico de Lawrence Kushner pela Madras (2002)
>>> Box - Jornalismo Sitiado - [ 2dvds + Livro ] de Eugenio Bucci - Sidnei Basile pela Log on Cultura Marcas (2004)
>>> Ressignificando Sua Vida de Dr Mohamad Barakat pela Vital (2018)
>>> O Brincar E A Criança Do Nascimento Aos Seis Anos de Vera Barros De Oliveira pela Vozes (2010)
>>> Tua cor é o que eles olham (C/ autografo) de Sonia Euler Mororo pela H. P. Comunicação (2017)
>>> Lonely Planet Italy de Paula Hardy, Alison Bing, Abigail Blasi, Cristian Bonetto, Kerry Christiani, Gregor Clark, Joe Fullman, Duncan Garwood, Robert Landon, Vesna Maric pela Lonely Planet (2012)
>>> O Martelo Das Feiticeiras de Heinrich Kramer E James Sprenger pela Rosa Dos Tempos (2020)
>>> O Último Dia De Dava Shastri de Kirthana Ramisetti pela Astral Cultural (2023)
>>> A Economia Feminista: Por Que A Ciência Econômica Precisa Do Feminismo E Vice-versa de Hélène Périvier pela Bazar Do Tempo (2023)
>>> Abolicionismo. Feminismo. Já. de Angela Y. Davis; Gina Dent; Erica R. Meiners; Beth E. Richie pela Companhia das letras (2023)
>>> Imagens Do Além de Heigorina Cunha; Espírito Lucius pela Instituto De Difusão Espírita (2007)
>>> O livro mágico de aniversário com música e luzes de N/a pela Todolivro (2015)
>>> Wicca - Por Trás Da Bruxaria Branca de William Schnoebelen pela Proposito Eterno (2007)
>>> Quem se esconde na fazenda? de Debbie Tarbett pela Nobel (2018)
>>> From Immigrant to Ethnic Culture de Rakhmiel Peltz pela Stanford (1998)
>>> Revista Cinemin nº63 (5ª série) de Ebal pela Ebal (1990)
>>> Um Dono Para Buscapé de Giselda Laporta Nicolelis; Elisabeth Teixeira pela Moderna (2017)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Imprensa

Sexta-feira, 11/4/2008
A morte do jornal, pela New Yorker
Julio Daio Borges
+ de 7400 Acessos
+ 8 Comentário(s)




Digestivo nº 362 >>> Primeiro, foi a melhor revista do mundo, The Economist, proclamando, em setembro de 2006, que os jornais estavam tecnicamente mortos. Agora, no último 31 de março, foi a vez da New Yorker, a "segunda" melhor revista do mundo, proclamar: os jornais estão morrendo. Segundo Eric Alterman, que assina o texto "Out of Print": na era da internet, ninguém descobriu ainda como salvar o formato jornal — nos Estados Unidos e no resto do mundo. De acordo com Alan Mutter, empreendedor do setor de mídia (entrevistado para a matéria), nos últimos três anos, os jornais norte-americanos, ou melhor, as empresas que os produzem, perderam 42% de seu valor de mercado na bolsa. The New York Times, por exemplo, viu suas ações caírem 54%, em Wall Street, desde 2004. E não é apenas especulação financeira: desde 1990, um quarto dos empregos em jornais norte-americanos foram simplesmente extinguidos. Sem contar que apenas 19% dos americanos entre dezoito e 34 anos afirma "ter dado uma olhada" num jornal de papel no último mês (a idade média do leitor de jornal, nos Estados Unidos, está em 55 anos, e subindo). Não à toa, as famílias que foram, por décadas, proprietárias de marcas estabelecidas nos EUA, como The Wall Street Journal e Los Angeles Times, venderam a maior parte de sua participação. A empresa que dirigia The Washington Post deixou de ser só de "mídia" para acrescentar um braço de "educação". Mas analistas de mercado, como os do Deutsche Bank, aconselham seus clientes a se desfazerem logo das ações de jornais, mesmo que sejam do "melhor do mundo", The New York Times. Um pouco atrasados, os jornais vêm migrando para a internet — contudo, como reforça a New Yorker, suas receitas on-line ainda não cobrem as perdas em anúncios e circulação. Lembrando a previsão de Philip Meyer — de que os jornais vão desaparecer antes de 2050 —, a segunda melhor revista do mundo pede que se abra, logo, o Newsmuseum, o museu do jornal.
>>> Out of Print: The death and life of the American newspaper
 
Julio Daio Borges
Editor
Quem leu esta, também leu essa(s):
01. A Pantera Cor de Rosa, com Steve Martin (Cinema)
02. Quatros Anos Esta Noite (Televisão)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/4/2008
08h05min
Viva o futuro agora. Os jornais impressos são um mal ao meio ambiente, quantas toneladas de papel jornal são jogadas por todos os cantos do mundo, diariamente? Nada como o "tempo real" da notícia via internet, mais a interatividade. O jornal impresso parece mais uma múmia que tenta arriscar alguns passos nesta época de incrível velocidade tecnológica. Depois creio que as revistas e livros em papel também deveriam desaparecer, dando lugar, em definitivo, a meios eletrônicos mais atrativos e limpos. Que tal ler um bom livro num brinquedinho eletrônico, enquanto este toca uma boa música de fundo?
[Leia outros Comentários de Julio Winck]
7/4/2008
09h46min
A sensação incômoda que dá é que só resta lamentar...
[Leia outros Comentários de Guto Maia]
7/4/2008
11h48min
Nada pode deter o rumo de preferências ditadas pela modernidade. A Internet impôs ao mundo mudanças inevitáveis, que se refletem cada vez mais, nos mais variados campos de atuação. Com relação à imprensa mundial, acertou quem investiu na mídia digital, que está substituindo o papel do papel... É certo que saudosistas ainda sentem a saudade do seu cheiro e o da tinta de impressão dos tradicionais periódicos. Também se aceita como inevitável que novos tempos exijam novas condutas adaptativas que, na sociedade atual, têm o peso do imediatismo. Lucra quem está conseguindo vislumbrar vantagens com as mudanças e age nesse sentido! Viva o Digestivo Cultural, que é um exemplo brasileiro desses novos tempos!
[Leia outros Comentários de Elizabeth Castro]
7/4/2008
11h52min
Nada pode deter o rumo de preferências ditadas pela modernidade. A Internet impôs ao mundo mudanças inevitáveis, que se refletem cada vez mais nos mais variados campos de atuação. Com relação à imprensa mundial, acertou quem investiu na mídia digital, que está substituindo o papel do papel... É certo que saudosistas ainda sentem a saudade do seu cheiro e o da tinta de impressão dos tradicionais periódicos. Também se aceita como inevitável que novos tempos exigem novas condutas adaptativas que, na sociedade atual, têm o peso do imediatismo. Lucra quem está conseguindo vislumbrar vantagens com as mudanças e age nesse sentido! Viva o Digestivo Cultural, que é um exemplo brasileiro desses novos tempos!
[Leia outros Comentários de Elizabeth Castro]
7/4/2008
12h30min
Eu concordo totalmente com o Julio Winck. Não podemos continuar a destruir o planeta pra fazer papel. É ineficiente, a informação eletrônica é mais barata, rápida e limpa. Um dia nossos netos vão achar que nossos avós eram loucos em destruir o planeta pra fazer papel. O papel é mídia morta, longa vida à mídia eletrônica.
[Leia outros Comentários de Daniela Castilho]
7/4/2008
20h22min
Pois é! Infelizmente, alguns meios não podem ser salvos: o jornal está em derrocada, mesmo que não seja apressada, assim como o DVD e o CD. Pra nossa sorte - imagino, nós, leitores deste espaço, nós que amamos o ato de ler - o livro impresso ainda não pode ser substituído. E nem será tão cedo!
[Leia outros Comentários de Fernando Miranda]
17/5/2008
22h26min
Isso é uma tendência, mas acredito que ainda demore muito - principalmente no Brasil onde o acesso a internet ainda é restrito a cerca de 20% da população. Alguns já condenaram os livros ao mesmo fim - eu acredito que seja mais difícil, pois nada substitui ter um livro em mãos para poder ler quando quiser... ou folhear algumas páginas antes de dormir...
[Leia outros Comentários de Luciano Midlej]
3/6/2011
02h40min
Grande infelicidade comentários como o de Julio Winck e Daniela Castilho, acima. Pra não alongar - como talvez fosse melhor - levanto ao menos um tópico: os aparelinhos eletrônicos por acaso nãp poluem? A energia que os alimenta vem de onde mesmo? Até onde sei, energias limpas estão longe de se tornarem tão comuns como os jornais e, atualmente, tablets e afins. Ainda persiste a ilusão da boa ação ambiental por parte da mídia eletrônica. Além disso, a questão é mais profunda, não se trata somente de onde ler/acessar o que se chama de "tempo real" por aí...
[Leia outros Comentários de Pedro Monteiro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Vexame - os Bastidores do Fmi na Crise Que Abalou
Paul Blustein
Record
(2002)



Livro Filosofia Fundar a Moral
François Julien
Discurso
(2001)



Nostradamus o Milenio
John Hougue
Nova Fronteira
(1988)



Demolidor: o homem sem medo
Paul Crilley
Novo Século
(2017)



Arte e Tecnologia na Cultura Contemporânea
Maria Beatriz de Meeiros
Unb
(2002)



Os Bichos
Manoel Herzog
Realejo
(2012)



A Dignidade da Pessoa Humana
Vander Ferreira de Andrade
Cautela
(2007)



Sob Custódia
Anita Desai
Rocco
(1988)



O Mundo Ou Tratado Da Luz
René Descartes
Hedra
(2008)



A Practical English Grammar Exercises 1 e 2
A. J. Thomson / A. V. Martinet
Oxford
(1984)





busca | avançada
79202 visitas/dia
2,3 milhões/mês