A morte do jornal, pela New Yorker | Digestivo Cultural

busca | avançada
82505 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Dias 06,13, 20 e 27 de março terão apresentações circenses virtuais da Arca de Vandé
>>> Obra clássica sobre a economia política de Marx é lançada no Brasil
>>> Estreia de Pantanal A Boa Inocência de Nossas Origens
>>> Sesc 24 de Maio apresenta o quarto episódio do Desafinados Entrevista
>>> Unil oferece curso sobre preparação e revisão de texto
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
>>> (...!)
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O fim dos livros físicos?
>>> Sigmund Freud, neuroses e ciúme em destaque
>>> Em Busca da Terra do Nunca... e Johnny Depp
>>> O Conselheiro também come (e bebe)
>>> Tom Zé por Giron
>>> Solte o Timóteo
>>> As cores de Pamuk
>>> O que mata o prazer de ler?
>>> Ex-míope ou ficção científica?
>>> Cidades do Algarve
Mais Recentes
>>> Aventura da Escrita Historia do Desenho Que Virou Letra de Moderna Interesse Geral pela Moderna Interesse Geral (2002)
>>> Avaliação: uma prática em busca de novos sentidos de Maria Teresa Esteban ( Org. ) pela Dp&a (1999)
>>> I Love NY de Teca Machado pela Novo Século (2013)
>>> Moby Dick - Coleção O Prazer da Leitura de Herman Melville pela Abril (2012)
>>> Os Miseráveis - Volume Único de Victor Hugo pela Hemus (1979)
>>> Direitos humanos fundamentais PLT 745 - Dom Casmurro - Machado de Assis de Manoel Gonçalves Ferreira Filho pela Saraiva
>>> Moby Dick - Coleção O Prazer da Leitura de Herman Melville pela Abril (2012)
>>> La Konversacia Klubo - Perfektiga Kurso de Esperanto de J Salles pela do Autor (2004)
>>> As Aventuras de Uma Criança DOWNADINHA de Alessandra Almeida Maltarollo pela Zit (2016)
>>> Dom Casmurro - Machado de Assis de Machado de Assis pela Paulus
>>> O Mosaico de Parsifal de Robert Ludlum pela Nova Fronteira (1982)
>>> Moby Dick - Coleção O Prazer da Leitura de Herman Melville pela Abril (2012)
>>> Cristianismo - Série Conhecendo as Religiões de Todolivro pela Todolivros / Brasilleitura (2012)
>>> Aventura da Escrita Historia do Desenho Que Virou Letra de Moderna Interesse Geral pela Moderna Interesse Geral (2002)
>>> Budismo - Série Conhecendo as Religiões de Todolivro pela Todolivros / Brasilleitura (2012)
>>> A Linguagem e o Pensamento da Criança - Coleção a Professôra Moderna de Jean Piaget pela Fundo de Cultura (1958)
>>> A Faina, a Festa e o Rito: Uma Etnografia Histórica Sobre as Gentes do Mar ( Séculos. XVII e XIX) de Luiz Geraldo Silva pela Papirus (2001)
>>> Dom Casmurro - Machado de Assis de Machado de Assis pela Objetivo
>>> Paraguaçu a flor selvagem - Luiz Carlos Carneiro de Luiz Carlos Carneiro pela Lake
>>> Segredos Secretos de Fanny Abramovich pela Atual Didáticos (2009)
>>> Esperanto Conversacional - Curso Básico de J Salles pela do Autor (2007)
>>> América Américas - Revista Brasileira de Historia Nº 21 de Anpuh - Cnpq pela Marco Zero (1990)
>>> Orelha, Nariz, Barriga e Bumbum Quer Mudar Algum? de Célia Cris Silva pela Aymará (2009)
>>> Arquivos Permanentes - Tratamento Documental de Heloísa Liberalli Bellotto pela Fgv (2005)
>>> Pegadas Amigas de Therezinha Leony Wolff pela Kaygangue (2006)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Imprensa

Sexta-feira, 11/4/2008
A morte do jornal, pela New Yorker
Julio Daio Borges

+ de 5900 Acessos
+ 8 Comentário(s)




Digestivo nº 362 >>> Primeiro, foi a melhor revista do mundo, The Economist, proclamando, em setembro de 2006, que os jornais estavam tecnicamente mortos. Agora, no último 31 de março, foi a vez da New Yorker, a "segunda" melhor revista do mundo, proclamar: os jornais estão morrendo. Segundo Eric Alterman, que assina o texto "Out of Print": na era da internet, ninguém descobriu ainda como salvar o formato jornal — nos Estados Unidos e no resto do mundo. De acordo com Alan Mutter, empreendedor do setor de mídia (entrevistado para a matéria), nos últimos três anos, os jornais norte-americanos, ou melhor, as empresas que os produzem, perderam 42% de seu valor de mercado na bolsa. The New York Times, por exemplo, viu suas ações caírem 54%, em Wall Street, desde 2004. E não é apenas especulação financeira: desde 1990, um quarto dos empregos em jornais norte-americanos foram simplesmente extinguidos. Sem contar que apenas 19% dos americanos entre dezoito e 34 anos afirma "ter dado uma olhada" num jornal de papel no último mês (a idade média do leitor de jornal, nos Estados Unidos, está em 55 anos, e subindo). Não à toa, as famílias que foram, por décadas, proprietárias de marcas estabelecidas nos EUA, como The Wall Street Journal e Los Angeles Times, venderam a maior parte de sua participação. A empresa que dirigia The Washington Post deixou de ser só de "mídia" para acrescentar um braço de "educação". Mas analistas de mercado, como os do Deutsche Bank, aconselham seus clientes a se desfazerem logo das ações de jornais, mesmo que sejam do "melhor do mundo", The New York Times. Um pouco atrasados, os jornais vêm migrando para a internet — contudo, como reforça a New Yorker, suas receitas on-line ainda não cobrem as perdas em anúncios e circulação. Lembrando a previsão de Philip Meyer — de que os jornais vão desaparecer antes de 2050 —, a segunda melhor revista do mundo pede que se abra, logo, o Newsmuseum, o museu do jornal.
>>> Out of Print: The death and life of the American newspaper
 
Julio Daio Borges
Editor

Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/4/2008
08h05min
Viva o futuro agora. Os jornais impressos são um mal ao meio ambiente, quantas toneladas de papel jornal são jogadas por todos os cantos do mundo, diariamente? Nada como o "tempo real" da notícia via internet, mais a interatividade. O jornal impresso parece mais uma múmia que tenta arriscar alguns passos nesta época de incrível velocidade tecnológica. Depois creio que as revistas e livros em papel também deveriam desaparecer, dando lugar, em definitivo, a meios eletrônicos mais atrativos e limpos. Que tal ler um bom livro num brinquedinho eletrônico, enquanto este toca uma boa música de fundo?
[Leia outros Comentários de Julio Winck]
7/4/2008
09h46min
A sensação incômoda que dá é que só resta lamentar...
[Leia outros Comentários de Guto Maia]
7/4/2008
11h48min
Nada pode deter o rumo de preferências ditadas pela modernidade. A Internet impôs ao mundo mudanças inevitáveis, que se refletem cada vez mais, nos mais variados campos de atuação. Com relação à imprensa mundial, acertou quem investiu na mídia digital, que está substituindo o papel do papel... É certo que saudosistas ainda sentem a saudade do seu cheiro e o da tinta de impressão dos tradicionais periódicos. Também se aceita como inevitável que novos tempos exijam novas condutas adaptativas que, na sociedade atual, têm o peso do imediatismo. Lucra quem está conseguindo vislumbrar vantagens com as mudanças e age nesse sentido! Viva o Digestivo Cultural, que é um exemplo brasileiro desses novos tempos!
[Leia outros Comentários de Elizabeth Castro]
7/4/2008
11h52min
Nada pode deter o rumo de preferências ditadas pela modernidade. A Internet impôs ao mundo mudanças inevitáveis, que se refletem cada vez mais nos mais variados campos de atuação. Com relação à imprensa mundial, acertou quem investiu na mídia digital, que está substituindo o papel do papel... É certo que saudosistas ainda sentem a saudade do seu cheiro e o da tinta de impressão dos tradicionais periódicos. Também se aceita como inevitável que novos tempos exigem novas condutas adaptativas que, na sociedade atual, têm o peso do imediatismo. Lucra quem está conseguindo vislumbrar vantagens com as mudanças e age nesse sentido! Viva o Digestivo Cultural, que é um exemplo brasileiro desses novos tempos!
[Leia outros Comentários de Elizabeth Castro]
7/4/2008
12h30min
Eu concordo totalmente com o Julio Winck. Não podemos continuar a destruir o planeta pra fazer papel. É ineficiente, a informação eletrônica é mais barata, rápida e limpa. Um dia nossos netos vão achar que nossos avós eram loucos em destruir o planeta pra fazer papel. O papel é mídia morta, longa vida à mídia eletrônica.
[Leia outros Comentários de Daniela Castilho]
7/4/2008
20h22min
Pois é! Infelizmente, alguns meios não podem ser salvos: o jornal está em derrocada, mesmo que não seja apressada, assim como o DVD e o CD. Pra nossa sorte - imagino, nós, leitores deste espaço, nós que amamos o ato de ler - o livro impresso ainda não pode ser substituído. E nem será tão cedo!
[Leia outros Comentários de Fernando Miranda]
17/5/2008
22h26min
Isso é uma tendência, mas acredito que ainda demore muito - principalmente no Brasil onde o acesso a internet ainda é restrito a cerca de 20% da população. Alguns já condenaram os livros ao mesmo fim - eu acredito que seja mais difícil, pois nada substitui ter um livro em mãos para poder ler quando quiser... ou folhear algumas páginas antes de dormir...
[Leia outros Comentários de Luciano Midlej]
3/6/2011
02h40min
Grande infelicidade comentários como o de Julio Winck e Daniela Castilho, acima. Pra não alongar - como talvez fosse melhor - levanto ao menos um tópico: os aparelinhos eletrônicos por acaso nãp poluem? A energia que os alimenta vem de onde mesmo? Até onde sei, energias limpas estão longe de se tornarem tão comuns como os jornais e, atualmente, tablets e afins. Ainda persiste a ilusão da boa ação ambiental por parte da mídia eletrônica. Além disso, a questão é mais profunda, não se trata somente de onde ler/acessar o que se chama de "tempo real" por aí...
[Leia outros Comentários de Pedro Monteiro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Judiciário e a Comunidade
Luci Gati Pietrocolla e Outros
Ibccrim
(2000)
R$ 5,98



Filha de Seus Filhos a História e as Histórias da Emancipação
Sérgio Elias Costa
Do Autor
(2007)
R$ 8,00



Dotnet teens
Microcamp
Microcamp Internacional
(2010)
R$ 8,00



Os Homens Que Constroem o Futuro
Bruce Bliven
Globo
(1944)
R$ 5,00



A Sombra do Vento
Carlos Ruiz Zafon
Suma de Letras
(2007)
R$ 20,00



O Mistério de Xangri- Lá
Teresa Noronha
Brasiliense
(1980)
R$ 5,00



O Livro de Jack - uma Biografia Oral de Jack Kerouac
Barry Gifford
Biblioteca Azul
(2013)
R$ 30,00



Memórias Vivas
Ir. Paula Guimarães Nunes - Organizadora
Não Consta
(1998)
R$ 10,00



Esquin de Floyrac o Fim do Templo Trilogia do Templo Vol 3
Z Rodrix
Record
(2007)
R$ 75,00



Ciclo da Lua
César Magalhães Borges
Plêiade
(2011)
R$ 5,00





busca | avançada
82505 visitas/dia
2,1 milhões/mês