A morte anunciada da Web, na revista Wired | Digestivo Cultural

busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> PAULUS Editora promove a 6º edição do Simpósio de Catequese
>>> Victor Arruda, Marcus Lontra, Daniela Bousso e Francisco Hurtz em conversa na BELIZARIO Galeria
>>> Ana Cañas e Raíces de América abrem a programação musical de junho, no Sesc Santo André
>>> Sesc Santo André recebe Cia. Vagalum Tum Tum, em junho
>>> 3º K-Pop Joinville Festival já está com inscrições abertas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
>>> G.A.L.A. no coquetel molotov de Gerald Thomas
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> La Cena
>>> YouTube, lá vou eu
>>> Uma história da Sambatech
>>> The Shallows chegou
>>> Ceifadores
>>> É hoje (de novo)!
>>> Trump e adjacências
>>> Entrevista com Pollyana Ferrari
>>> O novo sempre vem
>>> O estilo de Freddie Hubbard
Mais Recentes
>>> Zé Carioca Nº 1821 de Walt Disney pela Abril (1988)
>>> The Theory of Economic Development de Lord Robbins pela Macmillan (1968)
>>> Matemática - Magistério 1 de Ruy Madsen Barbosa pela Atual (1985)
>>> Do alto da tribuna de Ademar rigueira neto pela Lumen juris (2017)
>>> A Vida de D. Pedro I - Tomo I de Octávio Tarquínio de Sousa pela José Olympio (1972)
>>> Novos Canticos de Dolares Bacelar Espíritos Diversos pela Não Informada (1983)
>>> O Clube do Filme de David Gilmour; Luciano Trigo pela Intrinseca (2009)
>>> Zé Carioca Nº 1820 de Walt Disney pela Abril (1988)
>>> Cozinha do Mundo: Itália Vol. 1 de Abril Coleções pela Abril Coleçoes (2010)
>>> Who's Best? de Varios Autores pela Foundations Reading Library (2006)
>>> The Elements of Typographic Style de Robert Bringhurst pela Hartley & Marks (1997)
>>> Doctor Who: Adventures in time and space de Vários autores pela Bbc (2009)
>>> Cálculos Trabalhistas de Adalberto José do Amaral Filho pela Ltr (2002)
>>> A Fenda do Tempo de Dionísio Jacob pela Infanto Juvenis (2005)
>>> Lobo Solitário 8 de Kazuo Koike e Goseki Kojima pela Cedibra (1989)
>>> Macunaíma, o Herói sem Nenhum Caráter de Mário de Andrade pela Penguin Companhia (2016)
>>> Oficina de História - Volume único de Flávio Campos pela Leya (2012)
>>> Zé Carioca Nº 1818 de Walt Disney pela Abril (1987)
>>> Romance Senzala de Salvador Gentile pela Instituto Difusão Espirita (1993)
>>> Cartas Chilenas de Tomás Antônio Gonzaga pela Martin Claret (2007)
>>> Skate - Guia Passo a Passo Ilustrado de Clive Gifford pela Zastras (2008)
>>> Mensagens de Matthew Mckay; Martha Davis; Patrick Fanning pela Summus (1999)
>>> Zé Carioca Nº 1798 de Walt Disney pela Abril (1987)
>>> Ente Osso agora de Maitê Proença pela Record (2015)
>>> Aprendi com meu pai - 54 pessoas bem-sucedidas contam a maior lição que receberam do seu pai de Luís Colombini pela Virsar (2006)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Internet

Quinta-feira, 9/9/2010
A morte anunciada da Web, na revista Wired
Julio Daio Borges

+ de 7300 Acessos
+ 1 Comentário(s)




Digestivo nº 470 >>> Não se sabe se para vender mais revistas (revistas ainda são vendidas?) ou se para satisfazer o ímpeto revolucionário de seu editor-chefe, a Wired veio estampando, na capa, nada mais nada menos que a "morte" da Web. Depois de tantas mortes anunciadas — algumas verdadeiras "mortes morridas" —, como a do CD, dos jornais, dos DVDs, até dos livros, matar o que, há quase 20 anos, tem sido praticamente sinônimo da internet parece um exagero, a princípio. Vale esclarecer que a internet é a rede ("física") e que a Web é a interface gráfica — inventada por Tim Berners-Lee em 1992 — pela qual navegam browsers. A tese da Wired se baseia no fato de que, nos Estados Unidos, todos estão supostamente migrando do desktop para os chamados "dispositivos móveis". Assim, o navegador ou browser (no PC) iria perdendo espaço para "aplicativos" em celulares como o iPhone e em tablets como o iPad. Segundo a Wired, deixaríamos progressivamente de navegar pela Web — uma plataforma, historicamente, mais aberta à inovação — para se deixar seduzir por "aplicações fechadas" como o iTunes, da Apple, e a Kindle Store, da Amazon. As consequências, até ideológicas, disso é que a internet terminaria dominada por gente como Steve Jobs, Jeff Bezos, até Eric Schmidt e Mark Zuckerberg. Enquanto outras iniciativas menos "vendáveis" — digamos assim —, como Wikipedia e WikiLeaks, deixariam de fazer sentido. Mais dia menos dia, a internet cairia na vala comum do velho mainstream, onde uma infinidade de players cederia lugar a uma meia dúzia de três ou quatro. Como acontece, justamente, na televisão, no rádio, na imprensa impressa... e em qualquer outra categoria da velha mídia que você conseguir elencar. Parece também que existe um certo "cansaço", por parte do velho mainstream media, de haver lutado, há quase duas décadas, para conquistar a Web e, ao contrário do Google, não ter encontrado (ainda) uma fórmula (leia-se: um modelo de negócio). Assim, enterrar os browsers (onde ninguém paga por nada) e introduzir os "aplicativos" em iPhones e iPads (onde nos obrigariam a pagar) soaria como música aos ouvidos dos decadentes barões da mídia. Entoando o canto da sereia, ninguém menos que Steve Jobs — o homem que fez as pessoas pagarem, novamente, por música (e que poderia, em tese, convencê-las a pagar por outros tipos de mídia digital). Todo esse discurso não parece combinar com a Wired e, sobretudo, com seu editor-chefe, Chris "Free" Anderson. A revista do futuro evocando o passado e o editor do "almoço grátis" nos incitando a pagar. A justificativa talvez resida no fato de a Wired pertencer a um (velho) grupo de mídia (que tenta sobreviver), e ter, recentemente, contratado um novo editor, Michael Wolff (coincidência ou não, o biógrafo de Rupert Murdoch). A revista de papel — antes de tudo — e o aliado do maior comprador de jornais impressos dos últimos anos. Chris "Long Tail" Anderson parece meio deslocado nestes "novos tempos" da Wired e, para compensar, chama, para um debate, Tim "Web 2.0" O'Reilly e John "The Search" Battelle. A conversa do trio, no fim das contas, termina mais interessante que o discurso retrô de Wolff. Ainda assim, a capa da Wired indica que o velho mainstream não vai capitular tão facilmente e que a velha mídia deve morrer lutando...
>>> The Web Is Dead. Long Live the Internet | The Web Is Dead? A Debate
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. O Capital no Século XXI, de Thomas Piketty, o livro do ano (Além do Mais)
02. Uma breve história da curadoria, por Hans Ulrich Obrist (Artes)
03. Milk, por Sean Penn e Gus Van Sant (Cinema)
04. Para entender a internet, por Juliano Spyer (Internet)
05. As Últimas, de Pedro Doria e Carla Rodrigues (Internet)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/9/2010
14h34min
Parabéns pela lucidez da análise e do texto. Espero que outros repliquem o teor dele.
[Leia outros Comentários de Cláudio Toldo]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




De fora da arca
Ana Maria Machado e Ziraldo
Salamandra
(1996)



Eurico, o Presbítero - Clássicos de Ouro
Alexandre Herculano - Apresentação Antônio Soares
Ouro
(1969)



Lucréce Borgia
Cecil Saint-laurent
Stock
(1988)



O Aprendiz da Madrugada
Luiz Carlos Lisboa
Gente
(1994)



Psicologia Moderna
Antônio Xavier Teles
ática
(1983)



Dirigindo Com Sabedoria sem o Cd
Tony Gandra
Abrather
(2002)



Direito do Comercio Internacional
Antonio Carlos Rodrigues do Amaral
Edicoes Aduaneiras
(2005)



O vento nas vidraças
Roberto Bittencourt Martins
Lpm
(1983)



História: Sociedade & Cidadania - 7º Ano
Alfredo Boulos Júnior
Ftd
(2015)



Fundamentos da Reforma Íntima
Abel Glaser pelo Espírito Cairbar Schutel
O Clarim
(2011)





busca | avançada
51627 visitas/dia
1,8 milhão/mês