Salinger, de David Shields e Shane Salerno | Digestivo Cultural

busca | avançada
71995 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Relacionamentos amorosos com homens em cárcere é tema do espetáculo teatral ‘Cartas da Prisão’, monó
>>> Curso da Unil examina aspectos da produção editorial
>>> “MEU QUINTAL É MAIOR DO QUE O MUNDO - ON LINE” TERÁ TEMPORADA ONLINE DE 10 A 25 DE ABRIL
>>> Sesc 24 de Maio apresenta Música Fora da Curva: bate-papos sobre música experimental
>>> Música instrumental e natureza selvagem conectadas em single de estreia de Doug Felício
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
>>> Exposição curiosa aborda sobrevivência na Amazônia
>>> Coral de Piracicaba apresenta produção virtual
>>> Autocombustão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vida de aspirante a escritor
>>> Cesar Huesca
>>> 24 de Maio #digestivo10anos
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> 22 de Maio #digestivo10anos
>>> Intravenosa
>>> A primeira batalha do resto da guerra
>>> Metal for babies, o disco
>>> Luz sob ossos e sucata: a poesia de Tarso de Melo
>>> Sidney Lumet, invisível
Mais Recentes
>>> Três autos da alma da barca do inferno de Gil Vicente pela Folha
>>> Clara dos Anjos e outras histórias de Lima Barreto pela Folha
>>> O cortiço de Alusío Azevedo pela O globo
>>> Sonetos de Bocage pela Folha
>>> As pupilas do senhor reitor de Julio Dinis pela Folha
>>> Amor e Perdição de Camilo Castelo Branco pela O globo
>>> O noviço de Martins Pena pela Folha
>>> A relíquia de Eça de Queirós pela Folha
>>> O Leopardo de Giuseppe Tomasi Di Lampedusa pela Companhia Das Letras (2017)
>>> The Host de Stephenie Meyer pela Litle (2009)
>>> Uns e Outros de Helena Terra e Luiz Ruffalo pela Dublinense (2017)
>>> A mulher que escreveu a Bíblia de Moacyer Scilar pela Folha (2012)
>>> Pegasus e o fogo do olimpo de Kate Ohearn pela Leya (2011)
>>> Tempo de Geografia de Axé Silva e Jurandyr Ross pela Brasil (2019)
>>> Pegasus e a batalha pelo olimpo de Kate Ohearn pela Leya (2011)
>>> Pegasus e as origens do olimpo de Kate Ohearn pela Leya (2014)
>>> Pégasus e os novos olímpicos de Kate Ohearn pela Leya (2013)
>>> Harry Potter e a Criança Amaldiçoada de J.K. Rowling pela Rocco (2016)
>>> Elite da tropa de Luiz Eduardo Soares, Andre Batista, Rodrigo Pimentel pela Objetiva (2006)
>>> Missão Silverfin de Charlie Higson pela Galera (2006)
>>> O Retrato de Charlie Lovett pela Novo Conceito (2013)
>>> História Telares 7º de Cláudio Vicentino e José Bruno Vicentino pela Atica (2019)
>>> Eu de Ricky Martin pela Planeta (2010)
>>> Geografia Telares 7º ano de J.W.Vesentini e Vânia Vlach pela Atica (2019)
>>> Vida e Proeza de Aléxis Zorbas de Nikos Kazantzákis pela Tag (2021)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Literatura

Segunda-feira, 19/5/2014
Salinger, de David Shields e Shane Salerno
Julio Daio Borges

+ de 4000 Acessos




Digestivo nº 500 >>> Por que ler uma biografia de J.D. Salinger? Porque ele escreveu O Apanhador no Campo de Centeio, provavelmente o romance mais influente dos anos 50, em língua inglesa, que levou a rebeldia juvenil ao mainstream, antecipando os beatniks, os hippies e, obviamente, o rock'n'roll, e o pop. O "poder jovem", como se dizia nos anos 60, seria impensável sem Holden Caulfield. Do mesmo jeito, o protagonismo dos jovens brasileiros na época que se convencionou chamar de A Era dos Festivais, até a explosão da "cultura jovem", nos anos 80 (tão bem documentada por Ricardo Alexandre). Até a internet. Salinger cristalizou uma postura anti-establishment que consequentemente inspirou hackers, desde um Jobs, que foi para a Índia e combatia a IBM, o Grande Irmão, até um Zuckerberg, o antisocial fundador da maior rede social do mundo (não sem brigar antes com a namorada e "dar um chapéu" em colegas de Harvard). Holden Caulfield está entre nós; dentro de cada um de nós. E você nem precisa ter lido o livro... Salinger, contudo, pagou um preço alto por isso. O sucesso e a popularidade da obra o assombraram até a morte. Passou décadas tentando se isolar em Cornish, no estado de New Hampshire, ambicionando "levar uma vida normal", mas o máximo que conseguiu foi se converter num dos reclusos mais famosos do mundo, avesso a aparições públicas, levando o controle da sua imagem, e da sua obra, ao limite da paranoia. Shields e Salerno, os autores da biografia, acreditam que a chave para o comportamento de Salinger esteja no transtorno de estresse pós-traumático, em consequência de sua participação na Segunda Guerra Mundial. Salinger tomou parte do famoso desembarque no Dia D, afastou corpos que flutuavam, desviou de muitos outros na praia... Combateu na floresta de Hürtgen, na Alemanha, uma das batalhas mais sangrentas de toda a História. E foi um dos primeiros a ter contato com o horror dos campos de concentração. Esteve em Dachau. Shields e Salerno acreditam que Holden Caufield foi a razão de viver de Salinger nessa época, pois o romance foi escrito no front. Salinger exorcizou seus demônios criando um mostro adolescente, que enfeitiçou multidões de leitores ao longo do século XX. Manteve a serenidade até publicar O Apanhador, mais uma coletânea de histórias da New Yorker, Fanny & Zoey, a "Culmeeira" com o "Diário de Seymour", mais um último conto mal compreendido na mesma New Yorker, "Hapworth 16, 1924", e, enfim, "despirocou". A consagração e as vendas, avassaladoras, tiveram sequência. E Salinger, milionário e hermeticamente fechado, perdeu o senso de realidade. Casou três vezes, teve casos e mais casos com jovens garotas entre a adolescência e a idade adulta ― e escreveu obsessivamente. Mais de 12 horas por dia ― relatos afirmam ―, durante décadas. Shields e Salerno revelam um cronograma de publicação, deixado em seu testamento, que começa em 2015 e que vai até 2020. O que vem por aí? Mais Holden Caulfield? É possível. Mas é possível, também, que toda a espera seja em vão. Gênio ou louco? O que o futuro reserva para J.D. Salinger?
>>> Salinger
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. Os Arquivos Snowden, de Luke Harding (Internet)
02. Paco de Lucía (1947-2014) (Música)
03. Coders at Work, de Peter Seibel (Internet)
04. A Arte de Meditar, de Matthieu Ricard (Além do Mais)
05. Colin Powell sobre liderança (Além do Mais)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Stalin - Biblioteca de Historia Grandes Personagens de Todos os Tempos
Frederico Branco e Outros
Tres
(1973)



Le Guide Vert Suisse
Michelin
Michelin
(2000)



Veronika Decide Morrer
Paulo Coelho
Objetiva
(1998)



Música Caipira
José Hamilton Ribeiro
Realejo
(2015)



Neve Sobre os Cedros
David Guterson
Record
(1997)



Slam Dunk - Volume 5
Takehiko Inoque
Conrad
(1990)



Folia dos Tempos
Paulo Rangel
Gernasa



Rembrandt Autorretratos
Robert Genaille
Gustavo Gili



Os Lusíadas - Reencontro Infantil
Luís de Camões
Scipione
(2002)



Os Mais Belos Poemas, Poesias e Contos Modernos Vol1, 2e 3
Varios Autores
Novo Brasil
(1984)





busca | avançada
71995 visitas/dia
2,6 milhões/mês