O rival | Digestivo Cultural

busca | avançada
81347 visitas/dia
2,7 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exposição virtual 'Linha de voo', de Antônio Augusto Bueno e Bebeto Alves
>>> MAB FAAP seleciona artista para exposição de 2022
>>> MIRADAS AGROECOLÓGICAS - COMIDA MANIFESTO
>>> Editora PAULUS apresenta 2ª ed. de 'Psicologia Profunda e Nova Ética', de Erich Neumann
>>> 1ª Mostra e Seminário A Arte da Coreografia de 17 a 20 de junho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
>>> Fernando Cirne sobre o e-commerce no pós-pandemia
>>> André Barcinski por Gastão Moreira
>>> Massari no Music Thunder Vision
>>> 1984 por Fabio Massari
>>> André Jakurski sobre o pós-pandemia
>>> Carteiros do Condado
>>> Max, Iggor e Gastão
Últimos Posts
>>> A lei natural da vida
>>> Sem voz, sem vez
>>> Entre viver e morrer
>>> Desnudo
>>> Perfume
>>> Maio Cultural recebe “Uma História para Elise”
>>> Ninguém merece estar num Grupo de WhatsApp
>>> Izilda e Zoroastro enfrentam o postinho de saúde
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Verklärte Nacht
>>> Ser intelectual dói
>>> Vivísimo vs. Google
>>> A conversa
>>> Ciclistas na Paulista ontem
>>> Entre as cordas, os contos são contundentes
>>> Um bom começo
>>> Das construções todas do sentir
>>> Gullar no Ofício
>>> Qualidade de vida
Mais Recentes
>>> Direitos Humanos e Mulheres Encarceradas de Caroline Howard pela Pastoral Carcerária (2006)
>>> 101 Maneiras de Ser Bom para Você Mesmo de Donna S. Watson pela Mandarim (2000)
>>> A Menina Que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca (2007)
>>> A Inteligência dos Cães Tudo Sobre o Qi e as Habilidades dos Cachorros de Stanley Coren pela Ediouro (1996)
>>> Filosofando - Introdução à Filosofia de Maria Lúcia de A. Aranha-maria Helena P. Martins pela Moderna (2000)
>>> Histórias do Mar da Póvoa de José de Azevedo pela Póvoa de Varzim (2008)
>>> A Hospedeira de Stephenie Meyer pela Intríseca (2009)
>>> O amor é um cão dos diabos - Livro de Bolso de Charles Bukowski pela L&PM Pocket (2021)
>>> Diário de um Banana - Livro 1 de Jeff Kinney pela V&R (2007)
>>> As Vantagens de ser Invisível de Stephen Chbosky pela Rocco Jovens Leitores (2007)
>>> A Primeira Vista - Edição Simples de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2012)
>>> Amy & Matthew de Cammie McGovern pela Galera (2015)
>>> A proposta de Katie Ashley - Livro 1 pela Pandorga (2012)
>>> O Dom de Sabedoria na Mente Vida e Obra Volume V de João Scognamiglio Clá Dias pela Não Encontrada (2016)
>>> Como Viver Eternamente de Sally Nicholls pela Geração Editorial (2008)
>>> Metrô 2033 de Dmitry Glukhovsky pela Planeta (2010)
>>> Olhe por Onde Você Anda - Calçadas de Porto Alegre de Airton Cattani, Armindo Trevisan e Sandra Pesavento pela Ufrgs (2007)
>>> O Imperador Vol. 2 - A Morte dos Reis de Conn Iggulden pela Record (2006)
>>> Desejo, Mercado E Religião (LIV00745) de Jung Mo Sung pela Vozes (1998)
>>> Tradução e Comunicação Revista Brasileira de Tradutores de Unibero/centro Universitário pela Unibero/centro Universitário (2001)
>>> Resumo de topografia tomo. 1 e tomo. 2 (vol. 1) de Departamento de publicidade do c. a. horacio lane pela Mackenzie (1951)
>>> Teoria Geral Setenta Anos Depois Ensaios Sobre Keynes de Fernando Ferrari Filho pela Ufrgs (2006)
>>> Resumo de topografia tomo. 1 e tomo. 2 (vol. 2) de Departamento de publicidade do c. a. horacio lane pela Mackenzie (1951)
>>> Revolução Constitucionalista de Marcos Aurélio Pereira pela Do Brasil (1989)
>>> Noturno de Guillermo del Toro e Chuck Hogan pela Rocco (2009)
BLOG >>> Posts

Quarta-feira, 6/6/2007
O rival

+ de 3100 Acessos
+ 8 Comentário(s)

O telefone que toca, ela que atende, ele que está a três mil quatrocentos e vinte e dois quilômetros de distância, do outro lado da linha e que fala, despreocupado, confiando que são assim próximos, chegados, mesmo em extremos geográficos irreconciliáveis.

Ela me olha, muda, escutando o fone mas com olhos fixos em mim, abana a cabeça como se a pessoa do outro lado da linha - ele, o amigo gay - a pudesse ver, mas olha para mim e seus olhos encerram uma pergunta e eu me pergunto qual seria e ela aponta o dedo na direção das prateleiras da sua sala e faz, com a mão, o gesto de escrever. Quer uma caneta, provavelmente quer papel também; ela faz gestos imperativos agora e eu não acho a porcaria das coisas na primeira tentativa, mas meto a mão por detrás dos livros, no vão que eles formam - livros de psicologia - e consigo capturar a Bic azul e volto, procurando o bloco de anotações que, para meu alívio, ela já achou e tem nas mãos.

Eu estava na casa dela, tinha passado ali para dizer que havia um filme na cidade, que estava passando nos cinemas e queria que ela fosse comigo, mas percebi que eu nunca teria a décima parte da atenção que ela demonstrava ter, conversando, atenta, com o amigo gay e distante - uma atenção de mulher faminta. As palavras dele enchiam, visivelmente, sua alma.

Eu não ouvia, claro, o que ele dizia, mas via no rosto dela o sorriso de criança feliz que, tantas vezes, em vão, eu tentara provocar. Fiz a ela sinais com as mãos, me despedindo. Fui em direção à porta, andando quase que de costas e me despedindo. Seu gesto de adeus, ainda que inconformado, me lançou porta afora, de novo para as ruas, de onde eu não deveria ter saído para ir até sua casa e fui, mãos nos bolsos da jaqueta, procurando os trocados para o ônibus, rumo ao centro da cidade, para ver o último super-herói americano e seu amor impossível, como o meu.


Postado por Guga Schultze
Em 6/6/2007 às 14h33


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Sontag sobre envelhecer de Julio Daio Borges
02. Raízes do Brasil de Celso A. Uequed Pitol
03. A Dança da Solidão (1972) de Julio Daio Borges
04. André Schiffrin no Roda Viva de Julio Daio Borges
05. You Can't Bring Me Down de Julio Daio Borges


Mais Guga Schultze no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
8/6/2007
20h37min
Guga, talvez os homens não entendam por que as mulheres têm um certo fascínio por amigos gays. Mas, não é difícil, para nós, entendê-los e admirá-los. Por eles terem um corpo de homem e uma alma de mulher a proximidade é fatal. No fundo, todas as mulheres gostariam que os homens as entendessem como os gays. Embora, o lado oposto, especificamente, macho, do homem, nos atraia e muito. Com os gays, podemos falar tudo, as mais escondidas intimidades, compartilharmos os desejos, como também discutirmos como os homens são, em seus diversos aspectos, e perguntarmos a eles se o cabelo está bom, se o vestido não te deixa mais gorda, se o sapato está combinando, se a casa está bem decorada e eles responderem COM ATENÇÃO, pois realmente entendem daquilo e sabem dar a opinião que as mulheres esperam. O perigoso é quando a mulher e o amigo gay se apaixonam pelo mesmo cara ou ela se apaixona perdidamente por esse amigo gay. Aí, a baiana roda, o bicho pega e salve-se quem puder. Bj. Dri
[Leia outros Comentários de Adriana]
12/6/2007
14h20min
Lindo conto, Guga, super delicado. A Adriana disse exatamente o que eu penso.
[Leia outros Comentários de Viva]
12/6/2007
16h51min
Adorei seu texto também Guga!
[Leia outros Comentários de Adriana Carvalho]
13/6/2007
00h42min
Faço coro com as meninas dos comentários, não há nada melhor nesse mundo do que um amigo gay. Talvez por eles serem inofensivos para nós mulheres, não precisamos seduzi-los, não precisamos ficar preocupadas se estão querendo algo mais, podemos simplesmente ser verdadeiras, assim como eles também o são e podemos nos esbaldar com mil neuras de relacionamentos e risadas espalhafatosas. Assim como as Adrianas, amo meus amigos gays, são os que abraço por mais tempo quando encontro, pois nunca quero largá-los.
[Leia outros Comentários de Bia Cardoso]
14/6/2007
08h28min
Ótimo conto. Simples e direto. Quanto à reação das meninas, bastante óbvia. É claro que elas precisam e adoram seus amigos gays. Mulheres são naturalmente competitivas, e raramente podem se abrir totalmente ou serem completamente amigas de outras mulheres. A relação competitiva é muito mais forte. E com os homens o problema todo está no que a Bia disse: seduções, preocupações, etc... Restam os gays, uma espécie de campo neutro nas relações femininas, uma espécie de mulher "café com leite", do ponto de vista das mulheres "de verdade". See Ya
[Leia outros Comentários de Fabricio Leotti]
14/6/2007
10h13min
O segredo dos gays esta na sinceridade usada com os amigos em geral. Depois de ter sofrido discriminacao por todos os lados, os gays aprenderam a ser mais gente, e assim acabam atraindo todo mundo. Nao digo somente as mulheres, mas os familiares em geral. O problema esta' em ser aceito uma vez. Depois disso, tudo fica mais facil. Nao queria que o mundo experimentasse a sinceridade somente depois de ser discriminado e nao aceito, mas esta e' a realidade da vida. Nem mesmo a cinematografia tem aceitado os gays como gente, pois esconderam os gays dos filmes a vida toda. Este tipo de discriminacao criou uma camada da populacao mais sensivel, mais honesta e mais pura em relacao a muitas coisas, e com isso as amizades sao mais cultivadas em torno da verdade, e nao em torno da rivalidade. Digo isso porque sou gay, e apesar de nao ser decorador nem cabelereiro, sei dar meus honestos palpites em tudo. Nao sou flamboyant, apenas sexualmente sou diferente do resto, e isso me fez mudar num todo.
[Leia outros Comentários de Milton Laene Araujo]
10/6/2008
21h01min
É... O problema é quando a gente se apaixona por esse amigo gay, e ama-ama-ama ele, mais do que a própria vida, e sabe que não pode viver sem ele, muito menos COM ele... É uma filial do Inferno.
[Leia outros Comentários de ana lima]
11/6/2008
12h57min
Não sei não se sou adepta dos amigos gays... Às vezes, eles podem ser tão cruéis. Reparam demais nos nossos defeitos físicos e falam deles sem tato nenhum. Mas estou generalizando total. Que coisa feia! Aliás, até esse negócio de "ah como é bom ter um amigo gay" já é uma baita generalização! Como se fosse, "ai, é tão bom ter um bichinho de estimação". Ué... se o cara for gay, mas não tivermos interesses em comum, não vai ter por que sermos amigos, não é?
[Leia outros Comentários de Juliana Dacoregio]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Questionário Básico de Trabalho de Campo Linguístico
Mônica Rector (org)
Fund Casa de Rui Barbosa
(1983)



Tecnologia e Politica na Sociedade Engenheiros, Revindicação E
Lili Kawamura
Brasiliense (sp)
(1986)



O Curral das Bestas
Magnus Mills
Asa (porto Portugal)
(1999)



Como Progredir na Vida
Hans Holzer
Record
(1980)



O Segredo da Flor
F. Anselmo Fracasso
Vozes
(1971)



Poemas do Tempo - Autografado
Ninfa Parreiras
Paulinas
(2009)



O Analista de Bagé - 100ª Edição
Luis Fernando Veríssimo
L&pm (porto Alegre)
(1995)



Hepatology a Clinical Textbook
Stefan Mauss
Flying
(2010)



Instituições de Direito Civil II - Teoria Geral das Obrigações
Caio Mário da Silva Pereira
Forense
(2009)



Não seja vazio
Ronaldo Pazini, Douglas de Matteu
Literare Books International
(2019)





busca | avançada
81347 visitas/dia
2,7 milhões/mês