Generalização dos amigos gays | Juliana Dacoregio

busca | avançada
49395 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Bossa Nova Mall homenageia músicos brasileiros com a programação especial Cantos e Encantos do Brasi
>>> SESC CARMO REALIZA CICLO DE OFICINAS VIRTUAIS SOBRE DIREITOS SOCIAIS E PRIMEIRA INFÂNCIA
>>> Tiras da Niara viram livro
>>> “Relatos da Era Digital”: novo álbum celebra a cultura sound system
>>> Abertas as Inscrições para a Oficina Conteúdo Audiovisual Infantil e Infantojuvenil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Olavo de Carvalho (1947-2022)
>>> Maradona, a série
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Suplemento Literário 50 anos
>>> Cegueira
>>> Blog da Petrobras como Napster
>>> Menos fé e mais razão
>>> Aluga-se um escritório
>>> Para gostar de ler
>>> A resistência é vermelha
>>> Wear Sunscreen
>>> Millôr no IMS Paulista
>>> Uma história da Chilli Beans
Mais Recentes
>>> Rumo ao Sucesso de Jorge Consedey pela Rumo (1999)
>>> Mad Nº 79 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Razão e sensibilidade / Orgulho e preconceito / Persuasão de Jane Austen pela Martin Claret (2019)
>>> Mad Nº 78 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Mad Nº 77 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Mad Nº 76 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Três Faces do Ontem de Três Faces do Ontem pela Dulce Leal de Souza (1967)
>>> Mad Nº 72 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Mad Nº 71 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Descentralización y Planificación de La Educación de Carlos N. Malpica Faustor pela Unesco (1994)
>>> Grande sertão: Veredas de João Guimarães Rosa pela Companhia das letras (2019)
>>> Mad Nº 70 de Vários Autores pela Record (1991)
>>> Mansfield Park, Emma, A Abadia de Northanger de Jane Austen pela Martin Claret (2015)
>>> Mad Nº 69 de Vários Autores pela Record (1990)
>>> Histórias e prática do Hebeas-Corpus de Pontes de Miranda pela José Konfino (1951)
>>> Mad Nº 67 de Vários Autores pela Record (1990)
>>> Roosevelt e Hopkins de Robert E. Sherwood pela Nova Fronteira (1998)
>>> A Porta de Magda Szabó pela Intrínseca (2021)
>>> Mad Nº 65 de Vários Autores pela Record (1990)
>>> Preconceito linguístico: O que é, como se faz de Marcos Bagno pela Loyola (1999)
>>> Preconceito linguístico: O que é, como se faz de Marcos Bagno pela Loyola (1999)
>>> Mad Nº 64 de Vários Autores pela Record (1990)
>>> Gestão de Contratos Em Regime de Consórcio de Paulo Matos pela Mazz (2011)
>>> Amar ou depender? de Walter Riso pela L&PM pocket (2018)
>>> L'Architettura in oltre 200 catalochi- CD de Vários autores pela Eletronica
COMENTÁRIOS

Quarta-feira, 11/6/2008
Comentários
Leitores


Generalização dos amigos gays
Não sei não se sou adepta dos amigos gays... Às vezes, eles podem ser tão cruéis. Reparam demais nos nossos defeitos físicos e falam deles sem tato nenhum. Mas estou generalizando total. Que coisa feia! Aliás, até esse negócio de "ah como é bom ter um amigo gay" já é uma baita generalização! Como se fosse, "ai, é tão bom ter um bichinho de estimação". Ué... se o cara for gay, mas não tivermos interesses em comum, não vai ter por que sermos amigos, não é?

[Sobre "O rival"]

por Juliana Dacoregio
http://www.somanypiecesofme.blogspot.com
11/6/2008 às
12h57 201.41.230.88
(+) Juliana Dacoregio no Digestivo...
 
Morreu o Wander Taffo?
Rafael, muito justa a sua homenagem! Acho que não foram tantas quanto o Taffo merecia, excelente guitarrista que era. Acredito que ele ainda merecerá muitos textos relevantes como o seu. Senti-me estimulado a este comentário por uma triste coincidência: eu chegara no dia 14/05, às 18h30, na EM&T, para um Workshop com o Conrado Paulino, e a secretária deu-me a notícia: "O workshop foi cancelado, assim como todas as aulas, por motivo de luto! O Wander morreu hoje de manhã, ligamos pra você mas não tinha ninguém em casa". Fiquei confuso: o Wander Taffo? Sim. Morreu do coração... Foi um choque, pois faria 54 anos no sábado seguinte! É uma pena quando alguém de tanto talento, referência como músico no seu instrumento (como era o Wander), nos deixa prematuramente. Não o conhecia pessoalmente, e esse workshop na EM&T, a escola de ponta que ele ajudou a criar, seria uma possibilidade para isso. Uma infeliz coincidência, justamente naquele dia! Um grande músico a menos no Brasil e no mundo.

[Sobre "Obrigado, Wander Taffo"]

por Guto Maia
http://doisdobrasil.blogspot.com/
11/6/2008 às
03h04 189.78.96.197
(+) Guto Maia no Digestivo...
 
Três vivas ao Cronópios
Enquanto entes históricos, somos todos dotados de história. Mas há diferença entre os que, tão mergulhados nela, deixam-se atravessar e os que, por algum comichão de inconformismo, se lançam na tentativa de potencializá-la. Não há vantagem de um em relação ao outro, mas o segundo caso, possui uma responsabilidade da qual o primeiro se esquiva. A Cronópios é um dos exemplos do segundo caso, isso porque Edson e Pipol arriscam-se na alegria séria de fundar um canal da contemporaneidade, com ferramentas da contemporaneidade, para a contemporaneidade, que antes de beneficiá-los, beneficia a centenas de internautas assíduos e a milhares de errantes. E isso, na raça, no dente e na pedra. Ainda que a Cronópios acabasse hoje (e espero que ela dure muito), já teria deixado seu legado: uma geração de escritores que a tem em seu horizonte de eventos. A gênese já foi criada pela ação de ambos - a entrevista é apenas verbalização do que eles já têm na alma: verdade! Ah, e a foto tb está bacana!

[Sobre "Cronópios"]

por M-A
http://www.marcioandre.com
11/6/2008 às
02h26 201.51.211.111
(+) M-A no Digestivo...
 
Retrato sem retoque
Sem comentário. Retrato do Brasil. Retrato sem retoque, impossível de melhorar.

[Sobre "A semente da impunidade"]

por Franklin Netto
http://www.conscienciadamata.com.br
10/6/2008 às
23h24 201.38.208.66
(+) Franklin Netto no Digestivo...
 
Filial do Inferno
É... O problema é quando a gente se apaixona por esse amigo gay, e ama-ama-ama ele, mais do que a própria vida, e sabe que não pode viver sem ele, muito menos COM ele... É uma filial do Inferno.

[Sobre "O rival"]

por ana lima
10/6/2008 às
21h01 201.36.214.227
(+) ana lima no Digestivo...
 
Parabéns!
Bela entrevista. Parabéns!

[Sobre "Cronópios"]

por Cláudio B. Carlos
http://www.balaiodeletras.blogspot.com
10/6/2008 às
20h03 200.102.109.138
(+) Cláudio B. Carlos no Digestivo...
 
Sr. Zé, falta uma assinatura!
Fantástica entrevista! Quanto à questão sobre pra que serve um bom leitor, arrisco um palpite: no mínimo, ajuda a formar jornalistas melhores. Explico-me. Hoje, durante uma palestra sobre critica teatral na ECO-UFRJ, um dos convidados, o professor de teatro da Escola, José Henrique, que dirige a peça O Processo (em cartaz no Rio), baseada na obra de Kafka, contou um "causo" de arrancar os cabelos. Numa entrevista, um jornalista, com a cara mais lavada possível, fez a seguinte solicitação: "Diz aí, Zé, conta um pouco sobre o autor do livro." Mas nada que se compare à história da inscrição da peça na Lei Rouanet, para conseguir incentivo fiscal, essas coisas... Segundo o diretor, uma pessoa da Funarte (veja bem, da Instituição de apoio e fomento à arte, vinculada ao MinC!) observou agudamente: "Sr. Zé Henrique, para o projeto ser beneficiado pela Rouanet, falta uma assinatura". Qual? - ele perguntou, sem imaginar o bufão de realidade à brasileira da resposta: "A do Franz". Abs!

[Sobre "Cronópios"]

por Vanessa Barbosa
http://www.antenuptias.blogspot.com/
10/6/2008 às
16h54 200.196.241.66
(+) Vanessa Barbosa no Digestivo...
 
É preciso ir além
E também pode haver o caso de uma obra não querer dizer nada - apenas descontextualizar algo, ou montar um lugar irracional - e aí a questão é extra-obra. Pq o artista faz isso na nossa sociedade, hoje? Qual o sentido de uma obra assim no contexto geral? Não digo que não haja obras boas e ruins. Mas é preciso verificar o mérito! O pensamento, a priori, de que é tudo apenas um "erro"... é a mesma idéia que tinham os contemporâneos de Picasso. Lembre do famoso texto de Lobato criticando Malfatti. Não podemos pensar: "se eu não entendo nada, não há pra entender". É preciso ir além.

[Sobre "A arte contemporânea refém da insensatez"]

por Duanne O. Ribeiro
http://obacamarte.blogspot.com
10/6/2008 à
00h02 189.34.219.28
(+) Duanne O. Ribeiro no Digestivo...
 
arte não é esporte
Uma diferença vital entre "a arte que você defende" e a arte contemporânea é que a primeira produz uma mensagem evidente (que a pessoa consegue de qualquer forma). Vendo o quadro de uma muçulmana seminua, me é óbvio o que o artista fez, o que ele transgrediu etc. Agora, em uma instalação, em uma obra mais conceitual, a exigência de envolvimento é maior. É preciso que o espectador realmente PENSE sobre a obra, pare de esperar que ela lhe sirva de algo; não há razão real para que a arte me entregue "uma mensagem pronta", ou um malabarismo de técnicas, como se fosse um esporte. Se o espectador realmente se envolve com a obra, pode interpretá-la apropriadamente - eu mesmo fiquei perdido em frente à dança contemporânea, mas prestando atenção nas propostas dela e não no que EU exigia, passei a entender muito...

[Sobre "A arte contemporânea refém da insensatez"]

por Duanne O. Ribeiro
http://obacamarte.blogspot.com
9/6/2008 às
23h35 189.34.219.28
(+) Duanne O. Ribeiro no Digestivo...
 
O sacrifício do jovem leitor
É verdade que a leitura de um clássico brasileiro, na idade escolar, deve ser o terror dos estudantes. Ler Machado de Assis, aos 16 anos, e tentar entender, e gostar, certamente é um sacrifício para o estudante. Mas acredito que, sem este sacrifício (pelo qual todo estudante deve passar), jamais faremos bons leitores ou muito menos escritores. É preciso aprender a ler e a gostar de ler com prazer, assim como se aprende a falar e a andar. Não é fácil, exige disciplina, dedicação voluntária, interesse, hábito, costume até "familiar". Desde cedo meu pai me apresentou aos livros. O começo foi difícil mas depois eu lia tudo, inclusive algo superior à minha idade e ao meu entendimento. Quando veio o entendimento (e a idade certa), eu já sabia do que se tratava, pois já havia lido... E olha que estudei em escolas públicas, que, naquela época, funcionavam...

[Sobre "Formando Não-Leitores"]

por Delton Luiz Martins
9/6/2008 às
23h29 200.165.198.103
(+) Delton Luiz Martins no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Ivanhoé (Literatura Escocesa/Britânica)
Walter Scott
Nova Cultural
(2003)



Quase Noite
Alice Sebold
Agir
(2008)



Hotel Glória um Tributo à era Tapajós
Maria Clara Pereira dos Santos Tapajós
3r Studio
(2009)



Suando em Bicas
Regina Lunkes Diehl
Nobel
(2004)



Teoria Geral da Administração - Aplicação e Resultados... -
Luis César G. de Araujo
Atlas
(2014)



Fire in the Forest
Eduardo Amos e Elisabeth Prescher e Ernesto Pasqua
Moderna
(2000)



Diários do vampiro: Reunião sombria (Vol. 4)
L J Smith
Record Galera
(2010)



Sugestões para Natal de Artesana- Seu Lar Em Festa
Sara Tamayo de Gibelli
Aggs



A Arte de fazer Artes - Como escrever histórias para crianças e adolescentes
Glória Pondé
Nórdica
(1985)



Calunga um Dedinho de Prosa
Luiz Antonio Gasparetto
Vida & Consciência
(1997)





busca | avançada
49395 visitas/dia
1,9 milhão/mês