Sobre a Abertura das Olimpíadas do Rio em 2016 | Julio Daio Bløg

busca | avançada
58950 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Como se prevenir dos golpes dos falsos agentes no mundo da música?
>>> Cia. Sansacroma estreia “Vala: Corpos Negros e Sobrevidas“ no Sesc Belenzinho
>>> ARNS | De ESPERANÇA em ESPERANÇA || MAS/SP
>>> IAE convida Geovanni Lima para conversar sobre bullying, performance e processos de criação
>>> UP CONTEMPORANEA e SP INSPIRA ARTE || Art Lab Gallery
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> O melhor da Deutsche Grammophon em 2021
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
Últimos Posts
>>> Brega Night Dance Club e o afrofuturismo amazônico
>>> Fazer o que?
>>> Olhar para longe
>>> Talvez assim
>>> Subversão da alma
>>> Bons e Maus
>>> Sempre há uma próxima vez
>>> Iguais sempre
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vagas Llosa no YouTube
>>> A Esfinge do Rock
>>> Publicidade e formação política
>>> A visão certa
>>> Questão de gosto ou de educação?
>>> Matar e morrer pra viver
>>> Sine Papa
>>> Palestra: Marco Antônio Villa
>>> Deus não é Grande, de Christopher Hitchens
>>> Menina de Ouro: fantasmas e perdas
Mais Recentes
>>> Estudos de Psicologia - Volume 31 - nº 2 de Vários autores pela Puc (2014)
>>> 1000 Receitas de Cozinha Portuguesa de Vários autores pela Girassol (1989)
>>> Enciclopédia do Estudante - Ecologia - Ecossistemas e Desenvolvimento Sustentável de Vários autores pela Moderna (2008)
>>> Crianças com Distúrbios de Aprendizagem - Diagnóstico, Medicação, Educação de Lester Tarnopol pela Edart (1980)
>>> A Revolução dos Bichos 9ª edição. série paradidática globo de George Orwell pela Globo (1980)
>>> O Moderno Conto Brasileiro: Antologia Escolar de João Antônio (organização) pela Civilização Brasileira (1980)
>>> Casa de Pensão Série Bom Livro edição. didática de Aluísio Azevedo pela Ática
>>> O Guarani - Série Bom Livro de José de Alencar pela Ática (1971)
>>> Como Atua o Carma de Rudolf Steiner pela Antroposófica (1998)
>>> Louvores e Preces a Maria, Nossa Mãe de Moisés Viana pela Paulus (2005)
>>> O Outro Lado da Memória de Beatriz Cortes pela Novo Seculo (2014)
>>> Não Sou Este Tipo de Garota de Siobhan Vivian pela Novas Páginas (2011)
>>> Fonoaudiologia e Educação - Um encontro Histórico de Ana Paula Berberian pela Plexus (1995)
>>> Quando a Lua Surgir - Bianca Romances de Lori Handeland pela Nova Cultural (2006)
>>> Ansiedade - Como enfrentar o mal do século de Augusto Cury pela Saraiva (2013)
>>> Superdicas para um Trabalho de Conclusão de Curso Nota 10 de Rachel Polito pela Saraiva (2017)
>>> A Crise de 1929 ( Pocket ) de Bernard Gazier pela L&Pm Editores (2009)
>>> Tudo Depende de Como Você vê as Coisas de Norton Juster pela Companhia Das Letras (2007)
>>> Tudo Depende de Como Você vê as Coisas de Norton Juster pela Companhia Das Letras (2007)
>>> São Bernardo 25ª edição. de Graciliano Ramos pela Record (1975)
>>> Princípios da Filosofia do Direito de Hegel pela Martins Fontes (1976)
>>> O Tronco do Ipê - Clássicos Brasileiros categoria estrela 1227 de José de Alencar (notas de M Cavalcanti Proença) pela Ouro
>>> Violência Contra a Mulher - Aspectos Gerais e Questões Práticas da Lei 11.340/2006 de Dominique de Paula Ribeiro pela Gazeta Jurídica (2013)
>>> A Sabedoria de Gandhi de Richard Attenborough pela Sextante (2008)
>>> Vida de Jesus - Origens do Cristianismo de Ernest Renan pela Martin Claret (2006)
BLOGS >>> Posts

Sábado, 6/8/2016
Sobre a Abertura das Olimpíadas do Rio em 2016
Julio Daio Borges

+ de 1200 Acessos

Acho que nunca vamos nos esquecer da "Copa das Copas". E daquela abertura nonsense, feita por um belga, que surgiu do além ― e que misturou Claudia Leitte com Jennifer Lopez e "Pitbull" (alguém se lembra desse sujeito?). Depois, no encerramento: Alexandre Pires, o pagodeiro, mais Carlinhos Brown e Santana ― num verdadeiro samba do crioulo doido. Total "vergonha alheia". Pensando bem, estava à altura do "7 a 1" ― a maior vergonha esportiva do Brasil em todos os tempos.

Fernando Meirelles, felizmente, seguiu uma linha ― e se apoiou na música brasileira. Acredito que fugir do verso "O Rio de Janeiro continua lindo" fosse, para ele, impossível ― e Meirelles decidiu, então, começar pelo mesmo. Mas escolheu uma versão não-óbvia de "Aquele Abraço", cantada por Luiz Melodia.

O Hino Nacional por Paulinho da Viola foi outro acerto. Fugiu daquelas execuções protocolares ― mas sem perder a solenidade do momento, com muita beleza e elegância. E Paulinho da Viola foi vingado, depois daquele Réveillon no Rio ― em que recebeu menos cachê do que os baianos...

Zeca Pagodinho e Marcelo D2 foram OK. Regina Casé foi uma forçação de barra e ela não deveria ter tentado passar nenhuma "mensagem" (ainda mais em inglês). Jorge Benjor: muito rouco, mas bem. O primeiro grande ausente foi Wilson Simonal, o verdadeiro responsável pelo sucesso de "País Tropical".

Agora, o grande momento, na imprensa internacional, até onde eu vi, foi o desfile de Gisele Bündchen. Daniel Jobim não fez feio, ao piano, mas não é páreo para Gisele. Ela ficou melhor se contrapondo a Tom Jobim, enquanto tocava "Garota de Ipanema". (Helô Pinheiro, a original ― que está muito bem na capa da "Caras" ― poderia ter feito uma aparição surpresa...)

Foi bonita a homenagem a Santos Dumont, um dos heróis da nossa mitologia, e combinou com o "Samba do Avião" (de novo, do Tom).

E por falar em mitologia, Fernando Meirelles não conseguiu fugir dos nossos "mitos fundadores": índios, portugueses, africanos, imigrantes etc. Mas foi, relativamente, breve, em sua abordagem. (Confesso que não tenho muita paciência para "alegorias" que precisam de muita explicação. Quando é preciso de semiótica e sociologia para entender uma cerimônia de abertura, significa que ela não funcionou...)

A "mensagem" sobre o aquecimento global me pareceu desatualizada. Mais apropriada à Eco-92. Fora que "Um Verdade Inconveniente", o documentário de Al Gore de 2006, já havia esgotado o assunto...

Original foi citar o poema de Drummond, um mineiro que adotou o Rio. Tirando Vinicius de Moraes, é raro que um poeta seja citado assim. E um poema não-óbvio: Meirelles resistiu ao apelo fácil da "pedra no caminho" e do "José". Fernanda Montenegro e Judi Dench foram mais dois acertos ― pena que pirotecnia tenha ofuscado suas palavras (e tenha ficado difícil de captar o sentido do que elas estavam declamando)...

Misturar Chico Buarque, de "Construção", mais Deborah Colker e o maestro Rogério Duprat foi outra boa ideia. (Eu não recomendaria, mas funcionou.)

Os desfiles das delegações dos países com os "ritmistas", como todos os locutores apontaram, foi um acerto grande. Deu um ar de "festa" à coisa toda. Afinal, o Brasil não é um país "sério" (no bom e no mau sentido)...

A entrada da delegação do Brasil, tocando "Aquarela do Brasil", de Ary Barroso, de fato, emocionou.

Wilson das Neves protagonizou sua própria versão do "Samba da Benção", de Vinicius de Moraes.

E o trio "Caetano, Gil e Annita" não soou estranho, ainda que o grande ausente, que consagrou "Isso aqui, ô, ô", tenha sido João Gilberto. É provável que, como Pelé, ele não tivesse "condições" de comparecer. Mas poderiam ter convidado Bebel Gilberto...

A parte do funk carioca, eu pulo ― porque dispenso. E quando pensamos no quanto eles poderiam ter errado nessa cerimônia de abertura ― e no quanto eles erraram *pouco* ―, foi um feito e tanto.

Fernando Meirelles pegou um Rio de Janeiro, literalmente, em estado de calamidade pública, com baixo orçamento, e fez uma cerimônia de abertura que uniu os brasileiros, de novo ― apesar de toda a desilusão da política... (Mais uma vez: não foi pouco.)

E se pudemos medir o fracasso da Copa de 2014 por aquela abertura, e se pudermos medir alguma coisa por essa do Fernando Meirelles, as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, serão um sucesso estrondoso ;-)

Para ir além
Compartilhar


Postado por Julio Daio Borges
Em 6/8/2016 às 13h05


Mais Julio Daio Bløg
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Catirina e a Piscina
Gláucia de Souza
Ftd
(2007)



O Ateneu - Serie Bom Livro (1991)
Raul Pompeia
Atica
(1991)



Cometas - os Vagabundos do Espaço
David A. Seargent
Francisco Alves
(1982)



Virando a Própria Mesa
Ricardo Semler
Best Seller
(1988)



Manual de Observação Psicomotora
Vítor da Fonseca
Artes Médicas
(1995)



Os mistérios de Santa Sara
Sibyla Rudana
Portais
(1998)



Metamorfoses da Liberdade
Ubiratan de Macedo
Ibrasa
(1978)



Mariah Mundi, A Nau dos Insensatos
G.P. Taylor
Planeta Jovem
(2012)



Fuja Logo e Demore para Voltar
Fred Vargas; Dorothee de Bruchard
Companhia das Letras
(2004)



Quarenta. A idade da Loba.
Regina Lemos
Globo
(1997)





busca | avançada
58950 visitas/dia
1,9 milhão/mês