Eu & Ferrugem | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
68231 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Workbook de Carl Honoré é transformado em lives
>>> Experiência Quase Morte é o tema do Canal Angelini
>>> 20 anos de Bicho de Sete Cabeças: Laís Bodanzky, Rodrigo Santoro e Gullane se reúnem em bate-papo
>>> Arquivivências: literatura e pandemia
>>> Festival Mia Cara promove concurso culinário “Receitas da Nonna”
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
>>> Curtíssimas: mostra virtual estreia sexta, 16.
>>> Estreia: Geração# terá sessões virtuais gratuitas
>>> Gota d'agua
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Influências da década de 1980
>>> 20 de Dezembro #digestivo10anos
>>> Poesia e Guerra: mundo sitiado (parte II)
>>> Notas Obsoletas sobre os Protestos
>>> Uma norma para acabar com os quadrinhos nacionais?
>>> Pode guerrear no meu território
>>> Aconselhamentos aos casais ― módulo II
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Na CDHU, o coração das trevas
>>> A Vida e o Veneno de Wilson Simonal, por Ricardo Alexandre
Mais Recentes
>>> Homem Aranha Nº 63 Marvel Millennium de Marvell pela Panini (2007)
>>> Homem Aranha Nº 74 Marvel Millennium de Marvell pela Panini (2008)
>>> La Razon de Mi Vida de Eva Peron pela Peuser (1953)
>>> mem Aranha Nº 67 Marvel Millennium de Marvell pela Panini (2007)
>>> Homem Aranha Nº 44 Marvel Millennium - 5G de Marvell pela Panini (2005)
>>> Nw de Zadie Smith pela Penguin Books (2013)
>>> Homem Aranha Nº 59 Marvel Millennium de Marvell pela Panini (2006)
>>> Oi, Gente: Histórias para Você Ler de Evanildo Bechara pela Edicoes Consultor (2008)
>>> Homem Aranha Nº 58 Marvel Millennium de Marvell pela Panini (2006)
>>> Homem Aranha Nº 69 Marvel Millennium de Marvell pela Panini (2007)
>>> Box - A Segunda Guerra Mundial - 3 Volumes de Martin Gilbert pela Leya (2019)
>>> Pato Donald - Perdidos nos Andes de Carl Barks - Walt Disney pela Abril (2016)
>>> A Língua de fora de Carlos Eduardo Novaes pela Nordica (1979)
>>> Psicologia aplicada à administração de empresas de Cecília Whitaker Bergamini pela Atlas (1988)
>>> Vacas, Porcos, Guerras e Bruxas: Os enigmas da Cultura de Marvin Harris pela Civilização Brasileira (1978)
>>> Nordeste Alternativas da Agricultura de Manuel C. de Andrade pela Papirus (1988)
>>> O Distante Eufrates de Aryeh Lev Stollman pela Bertrand Brasil (2000)
>>> Homem Aranha Nº 25 Marvel Millennium de Marvell pela Panini (2021)
>>> Maravilhas do Conto Francês de Diaulas Riedel (org.) pela Cultrix
>>> O Erotismo: Fantasias e Realidades do Amor e da Sedução de Francesco Alberoni pela Círculo do Livro (1992)
>>> Administração de Marketing: Análise, Planejamento, Implementação e Controle de Philip Kotler pela Atlas (1994)
>>> Ensino Fundamental - 3º Ano, 2ª Série - 1ª Volume de Patrícia Waltiach pela Positivo (2009)
>>> Estudo Geral dos Metais de Bernardo Samu e Chinya Assahina pela Grêmio Politécnico (1953)
>>> Maigret et les Braves Gens de Georges Simenon pela Uge Poche (1996)
>>> Walt Disney World de Walt Disney Company pela Walt Disney Company (1986)
COLUNAS

Quinta-feira, 5/7/2001
Eu & Ferrugem
Adriana Baggio

+ de 4100 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Ter um animalzinho de estimação é uma das melhores coisas para a gente se sentir de bem com a vida. Melhor ainda se for um cachorro. Os cães são amigos, companheiros, e têm o poder de alegrar nossos dias. Quem não se derrete com um cachorrinho abanando o rabo quando a gente chega em casa? Às vezes você teve um dia péssimo. Seu chefe é um babaca, seu amor brigou com você, o trânsito estava uma porcaria, e quando você chega, aquela coisinha fofa está te esperando, sem críticas nem condições, apenas com vontade de dar e receber afeto.

Ok, pode ser um dog alemão, e a maneira dele de dar afeto é pular na sua roupa com as patas sujas de lama ou coisa pior. Mas lembre-se: as intenções dele são boas! Tenha paciência, livre-se das mesquinharias como roupas limpas e vá brincar com seu amigo! Nada como ficar encharcado de baba e com alguns arranhões carinhosos para relaxar.

E quando ele come seu jornal ou destroça seus livros e revistas? Junto com a raiva vem uma sensação de orgulho por ele ter escolhido um Dostoievsky para detonar. "Esse cachorro sabe das coisas! Nem ligou para o Sidney Sheldon que estava ali jogado! Foi direto nos clássicos!". Quando meu boxer comia a Folha dos domingos (que ficava mais tempo na calçada já que levantávamos mais tarde), ficava p... da vida com ele, mas diante das minhas imprecações ele limitava-se a levantar um pouco a cabeça, olhar com aquele seu jeitinho meigo e voltava a se concentrar na sua soneca. Ele parecia dizer: "Culpa sua. Quem mandou não cuidar do jornal? Ele estava aí, eu estava sozinho e resolvemos brincar juntos." Lá ia eu tentar salvar algum pedaço do Mais! ou de qualquer outro caderno, menos o primeiro, que já estava todo mascado e babado.

Sempre gostei mais dos cachorros grandes. Parecem mais brincalhões, menos frescos, e impõem respeito. Aqui em João Pessoa moro em apartamento, por isso tive que apelar para um poodle toy. Pelo menos ele é cor de abricó (marrom clarinho) e não tem aqueles penteados ridículos. Mas impor respeito, nem pensar. Em casa ele late que nem um desesperado quando está contrariado, quase somos despejados do prédio, mas na rua, quando troçam dele, não faz nada! Aliás, faz: vai atrás de qualquer um e abana o rabinho, mesmo daqueles que passam e falam coisas como "nossa, que fera". Como ainda não aprendi a latir por ele, limito-me a fazer cara feia e seguimos nosso passeio.

Ferrugem é uma figura. Carente, voluntarioso, desobediente. Está tentando destruir minhas cadeiras de vime e já atacou vários livros. Já percebi que seu próximo alvo é minha gloxínia importada de Curitiba, que a muito custo sobreviveu à viagem até o Nordeste. Ele anda muito estressado, segundo disse o veterinário: "você precisa levá-lo para andar. Vai fazer bem pra você e pra ele". Quase voei no pescoço dele, por sugerir uma eventual necessidade que eu tenha de fazer exercício, mas decidi deixar pra lá.

Domingo levei Ferrugem à praia. Andamos bastante, brincamos, e quando voltamos para casa, ele dormiu o dia inteiro. Que alívio! Até parece que a gente está falando de uma criança. Algumas pessoas se ofendem com a comparação, por isso procuro evitar. Uma conhecida minha tem um filho de 1 ano e pouco, e o comportamento dele é igual ao do Ferrugem! Ainda acho mais vantagem ter um cachorro, mas isso é outra história.

Apesar de ser um poodle, Ferrugem é uma gracinha. Tento fazer o máximo para não deixá-lo muito afrescalhado. Precisei levá-lo para a tosa, e nessas ocasiões me recuso a ficar arrulhando para o animal na frente da pet shop. Mas quando fui pegá-lo, não pude resistir. Ele estava lindo! Os pelos estavam compridos, sem penteado, mas aparados. Além disso, fizeram a tosa higiênica e deram um banho caprichado. Ele estava fofo e cheiroso! Quando chegou em casa, ficava andando de um lado para o outro todo garboso, como se soubesse que a dona estava babando.

Mas Ferrugem também tem hábitos irritantes. Quando é contrariado, como represália ele faz xixi no meio da sala, no sofá, no tapete. Toda manhã, às 5h30 em ponto, ele acorda e começa a chorar. Precisamos soltá-lo por causa dos vizinhos. Mais tarde, quando levanto, ele está deitado do lado de fora da porta do quarto, esperando por mim. É uma maneira gostosa de começar o dia, com um bichinho todo de bom humor logo cedo, querendo brincar. Com esse despertar, tenho mais disposição para encarar o stress diário, e quando volto cansada para casa, sei que ele vai estar lá me esperando, todo feliz e carinhoso.


Adriana Baggio
Curitiba, 5/7/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A situação atual da poesia e seu possível futuro de Luis Dolhnikoff
02. Championship Vinyl - a pequena loja de discos de Renato Alessandro dos Santos
03. K 466 de Renato Alessandro dos Santos
04. Memorial de Berlim de Marilia Mota Silva
05. Man in the Arena 100 (e uma história do Gemp) de Julio Daio Borges


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2001
01. À luz de um casamento - 18/10/2001
02. O Segredo do Vovô Coelhão - 15/11/2001
03. Náufrago: nem tanto ao mar, nem tanto à terra - 25/3/2001
04. Marmitex - 1/11/2001
05. Aqui o sol nasce primeiro - 8/11/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
31/5/2002
15h06min
olá adriana, poxa quer dizer que voce adora passear comigo, me leva pra todos os lados. rs... legal que voce tenha um animalzinho como amigo. ainda mais se parecendo comigo. só que eu nao faço xixi na sala, e nem estrago coisas; se quizer me levar tambem estou disponivel. bom sem brincadeiras, o nome dele é pela cor ou por minha causa? um beijo e parabens pelo amigo. ferrugem
[Leia outros Comentários de ferrugem]
31/5/2002
18h42min
O nome dele é pela cor. Quando filhotinho, Ferrugem era quase ruivo. Hoje ele já desbotou um pouco, mas ainda chama atenção na rua. E o seu nome, também é pela cor ? :)
[Leia outros Comentários de Adriana]
18/6/2002
23h34min
Adriana, te achei uma gracinha, eu tinha um poodle também, mas ele morreu atropelado. Eu que cuidava dele, trocava os jornais sujos, passeava, dava comida e levava pra tomar banho. Foi difícil depois de cinco anos não ver mais meu cãozinho. Mas eu gostei do seu texto, se quiser me escreva pra gente conversar mais. Repito, te achei uma graça de menina
[Leia outros Comentários de Humberto Alexandre]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Twentieth Century Sculpture
E H Ramsden
Pleiades Books (londres)
(1949)



Introdução aos Recursos Cíveis e á Ação Rescisória
Bernardo Pimentel Souza
Saraiva
(2007)



Noções de Literatura Portuguêsa
Y. Fujyama
Ática
(1969)



Macromedia Flashmx 2004
Anielle Damasceno
Visual Books
(2004)



Emancipação, Emancipações: a Libertação dos Judeus no Ocidente
Edgard Leite
Walprint
(2012)



Como Falar Corretamente e sem Inibições - Contém um Cd
Reinaldo Polito
Saraiva
(1999)



Era uma Vez no Instituto de Educação
Zilá Simas Enéas
Autora (rj)
(1998)



Ira Implacável: Indícios de uma Conspiração.
Luis Eduardo Matta
Razão Cultural
(2002)



O Século Dourado
S. Squirra
Summus
(1995)



Planejamento do Controle Administrativo
Ian Holden Peter K. Mcilroy
Ao Livro Técnico
(1972)





busca | avançada
68231 visitas/dia
2,5 milhões/mês