Gênios do pau-de-arara e saudosistas da violência | Paulo Polzonoff Jr | Digestivo Cultural

busca | avançada
35004 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fernanda Young (1970-2019)
>>> Estratégia das Privatizações
>>> Estratégia Econômica Governo
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A polêmica da leitura labial
>>> A ousadia de mudar de profissão
>>> O assassinato e outras histórias, de Anton Tchekhov
>>> O Livro dos Insultos, de H.L. Mencken
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Sobre o Ronaldo gordo
>>> Do inferno ao céu
>>> Para entender Paulo Coelho
>>> O amor que choveu
Mais Recentes
>>> Como Trabalhar Para Um Idiota de John Hoover pela Saraiva (2010)
>>> Não Tenha Medo De Ser Chefe de Bruce Tulgan pela Sextante (2009)
>>> Fui Promovido! E Agora? de Roberto Ruban pela M. Books (2010)
>>> Faça O Que Tem De Ser Feito de Bob Nelson pela Sextante (2003)
>>> Deixar de Fumar O que Você Precisa Saber de Jorge Schemes pela Dpl (2004)
>>> Casamento Blindado de Renato & Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson Brasil (2012)
>>> Pai Rico Pai Pobre de Robert T. Kiyosaki pela Campus (2000)
>>> De Volta Ao Mosteiro de James C. Hunter pela Sextante (2014)
>>> Ufo Os Códigos Proibidos de Alfredo Lissoni pela Madras (2007)
>>> 12 Meses Para Enriquecer. O Plano da Virada de Marcos Silvestre pela Lua de Papel (2010)
>>> O Flagelo de Hitler de Albert Paul Dahoui pela Lachâtre (2012)
>>> Comunicação Global:A Mágica da Influência de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> Comunicação Global:A Mágica da Influência de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> Comunicação Global: Aumentando Sua Inteligência Interpessoal de Dr. Lair Ribeiro pela Rosa dos tempos/ RJ. (1992)
>>> Temperamento forte e bipolaridade de Diogo Lara pela Do autor (2004)
>>> O Sucesso Não Ocorre por Acaso/ Incluindo as 18 Leis Universais ... de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> O Sucesso Não Ocorre por Acaso/ Incluindo as 18 Leis Universais ... de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> O Sucesso Não Ocorre por Acaso/ Incluindo as 18 Leis Universais ... de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ.
>>> As Chaves da Autoconfiança: um Guia Avançado para Vencer na Vida de Robert Anthony pela Best Seller/ SP. (1989)
>>> Estruturas Clínicas de Freud a Lacan Travessia Nº 3 Jan/94 de Vários pela Gráfica da Ufes (1994)
>>> Viabilizando Talentos:Como Semear o Crescimento Pessoal e Profissional de J. R. Gretz pela Florianópolis (1997)
>>> O inumano: considerações sobre o tempo de Jean-François Lyotard pela Estampa (1997)
>>> Toque de Midas: Dinheiro, Poder e Riqueza, do Oriente ao Ocidente de Anthony Sampson pela Best Seller/ SP. (1989)
>>> Prepare-se para Enriquecer... de R. Stanganelli pela Eparma (1983)
>>> Viajando no Tempo: Recriando Seu Passado- Criando Seu Futuro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1994)
>>> Viajando no Tempo: Recriando Seu Passado- Criando Seu Futuro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1994)
>>> Apometria...E Por que Não? de Marcel Benedeti pela Mundo Maior (2008)
>>> Prosperidade: Fazendo Amizade com o Dinheiro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1992)
>>> Prosperidade: Fazendo Amizade com o Dinheiro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1992)
>>> Prosperidade: Fazendo Amizade Com o Dinheiro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1992)
>>> Prosperidade: Fazendo Amizade Com o Dinheiro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1992)
>>> Concubinos: União Estável no Novo Código Civil/ Encad. de João Roberto Parizatto/ Autografado pela Edipa: Ed. Parizatto (2002)
>>> Principios Para Uma Clinica Antimanicomial e outros escritos 1 edição de Ana Marta Lobosque pela Hucitec (1997)
>>> Direito Administrativo de Diógenes Gasparini pela Saraiva/ SP. (1995)
>>> Recursos Humanos: Crise e Mudanças de Flávio de Toledo pela Atlas/ SP. (1989)
>>> Análise Sintática: a Oração na Frase Portuguesa de Antonio de Abreu Rocha/autografado pela São Vicente/ Belo Horizonte (1957)
>>> Filologia e Gramatica: Referente À Língua Portuguesa de J. Mattoso Câmara Jr pela J. Ozon Editor/ RJ. (1968)
>>> A Análise Matemática do Estilo: Aplicação do Processo de Fucks... de Tulo Hostílio Montenegro pela Ibge: / RJ. (1956)
>>> Atlas Previo dos Falares Baianos de N. Rossi pela Imprensa Nacional: Inl: Rio (1965)
>>> Sintomas Mórbidos - A Encruzilhada da Esquerda Brasileira de Sabrina Fernandes pela Autonomia Literária (2019)
>>> Trechos Selectos (trechos Seletos): Com uma Introdução ... de Sousa da Silveira pela Typogr. Bernard Frères/ RJ. (1919)
>>> Revolução Africana - Uma antologia do pensamento marxista de Jones Manoel e Gabriel Landi (orgs.) pela Autonomia Literária (2019)
>>> Antifa - O Manual Antifascista de Mark Bray pela Autonomia Literária (2019)
>>> A Narrative of Travels on the Amazon and Rio Negro de Alfred Russel Wallace (ll. D) pela Ward, Lock/ B. and Co. London (1892)
>>> O Ponto Zero da Revolução - Trabalho Doméstico, Reprodução e Luta Feminista de Silvia Federici pela Elefante (2019)
>>> Calibã e a Bruxa - Mulheres, Corpo e a Acumulação Primitiva de Silvia Federici pela Elefante (2017)
>>> Ah! Eu Não Acredito! de Sérgio Almeida pela Casa da Qualidade (2001)
>>> As Aventuras de Pedro Malasarte de Sérgio Augusto Teixeira pela Ediouro
>>> O'Hurley's Return de Nora Roberts pela Visit Silhouette Books (2010)
>>> Glory in Death de Nora Roberts (Writing as J. D. Robb) pela Berkley (2000)
COLUNAS >>> Especial 1964-2004

Quarta-feira, 28/4/2004
Gênios do pau-de-arara e saudosistas da violência
Paulo Polzonoff Jr

+ de 5400 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Outro dia li alguém dizendo que o golpe de 1964 foi nosso Holocausto. Um exagero que me envergonha profundamente pela burrice nele contida. Não que não seja uma ferida, mas daí a comparar este evento com o que gerou seis milhões de mortos é um longo e estéril caminho. A História do Brasil tem muitos outros eventos importantes (Canudos, Guerra do Paraguai, séculos de escravidão), mais sangrentos, mais violentos e, sobretudo, muito mais determinantes para uma análise da situação atual do País.

Ora, mas por que, então, nos detemos tanto no golpe de 1964? Primeiro porque foi um evento que teve ampla cobertura da imprensa numa época em que a informação começou a chegar em grande quantidade ao maior número de pessoas possível. E também porque o golpe demarcou territórios ideológicos em plena Guerra Fria. O que vemos, lemos e ouvimos sobre 1964 é menos pela importância do evento em si (afinal, o golpe não derramou uma gota de sangue sequer) e mais pela repercussão.

Curioso é perceber que a dicotomia ainda permanece. Esquerda e direita, no Brasil, continuam se digladiando numa guerra caduca. No caso, a herança de 1964 criou dois grupos: o dos gênios-do-pau-de-arara e o dos saudosistas da violência (ou marias-sentinelas, se preferirem).

Há muito tempo venho dizendo que há pessoas que têm de creditar a carreira e a fama aos militares que derrubaram João Goulart. São os chamados gênios-do-pau-de-arara - com todo o respeito. A maioria, aliás, sequer foi torturada. Como em todas as faces da história, o suplício de verdade coube aos peixes menores. Os outros apenas levaram a fama de resistentes. Os gênios-do-pau-de-arara são o cancro da cultura nacional. E eu não acredito na cura.

Não que não tenham sofrido. Uma vez conversei com um amigo meu, jornalista, que nunca usou o fato de ser de esquerda como muleta para o sucesso que, aliás, não surgiu para ele ainda. E o relato que ele fez do medo me impressionou bastante. O jornalista em questão nunca foi preso, jamais foi torturado e tampouco se envolveu em guerrilha urbana. Mesmo assim sentia medo.

Trata-se de violência psicológica e a violência psicológica é, claro, um tipo cruel de violência. Mas penso que também é violência usar da lembrança e, pior, da suposição desta violência para legitimar a manutenção de um discurso artístico conservador.

A cada vez que escuto alguém dizer que o livro ou a música ou a peça é boa porque, afinal, eu lutei contra os militares, eu fui da resistência, eu lutei pela democracia, etc., sinto calafrios. Porque prevejo, com um índice de acerto que beira os 100%, que ali há mediocridade em estado puro.

Os gênios-do-pau-de-arara infestam nossa literatura, nossos cinema, nossa dramaturgia e nossa música. E o pior é que há sempre alguém para dizer que o golpe de 1964 foi nosso Holocausto e, assim, conferir uma dimensão trágica que o evento simplesmente não teve. Foi, no máximo, um arranhão, dos tantos que a história da América Latina já viu. Mas não tem nada a ver com fratura exposta, não, senhor. Ademais, é sempre uma boa desculpa para vender livros, músicas e bilhetes para filmes capengas.

O golpe não é, nem de longe, nosso Holocausto. Mas, por outro lado, denuncia nossa necessidade de ter algo semelhante. É mais um sintoma de nosso complexo de inferioridade - como se isso fosse possível.

Por outro lado, o que se vê surgir nos 40 anos do golpe de 1964 são os saudosistas da violência. Trata-se de gente nova, que nasceu já durante a abertura, entre 1976 e 1986. Cresceram, portanto, num país em recessão permanente, conviveram com um sem-número de trocas de moedas e viram o país mergulhar, nos últimos anos, num verdadeiro caos instalado em nome da democracia. É gente órfã de autoridade, sebastianistas em último grau, que sentem uma saudade danada da farda que mandava e desmandava sem ter de dar satisfação.

Eu tinha tudo para ser um destes saudosistas. Porque cresci num ambiente que exaltava as conquistas dos militares: a baixa inflação, o pleno emprego, o crescimento milagrosos e até as conquistas do futebol. Tudo isso em contraposição à baderna de agora, quando os subversivos de antanho alcançaram o poder. Mas não sou. Até porque odeio dicotomias.

O que mais me assusta é notar que os gênios-do-pau-de-arara estão envelhecendo e morrendo junto com seus exageros de falso heroísmo, enquanto os saudosistas da violência estão aumentando e rejuvenescendo, sob as ordens de um homem que em tudo é semelhante ao camarada Mao ou ao camarada Stálin - ainda que negue isso terminantemente, sob a batina de um padre qualquer. O nome do diabo eu não o transcrevo, até porque a ausência é uma de suas principais características.

Interessante é notar que ambos são lados de uma mesma moeda, porque ambos são canibais de um evento histórico supervalorizado. Os gênios-do-pau-de-arara estão até hoje à procura de um herói que jamais existiu; mais do que isso, vasculham a tal da alma nacional em busca de algo que legitime a resistência daquela época, pela qual pereceram (ou dizer ter perecido). Já os saudosistas são menininhos mimados à procura de algo que dê sentido às suas vidas cheias de luxo e conforto. E que explique para eles o caos que não compreendem e têm preguiça de consertar.

Ambos os grupos apontam para os militares, só que em direções opostas. Ambos sugam o golpe de 1964, os primeiros como expiação para seus pecados, os demais como esperança para seus anseios. E é no meio desta batalha que surgem besteiras de todos os tipos. Como a do senhor doutor Qualquer Coisa que disse que 1964 era nosso Holocausto.

Entre a caça aos heróis inexistentes ou aos salvadores de quepe, prefiro a simplicidade do queijo coalho na praia e, sobretudo, a sabedoria de compreender que tudo isso não passará de uma nota de rodapé num futuro livro de história. Superdimensionar os acontecimentos e conferir a uma geração status de mártir ou messias é próprio de ególatras.

E, sinceramente, a existência dos ególatras (gente banal com potencial para genocidas) é a única semelhança que consigo ver entre a maluquice de 1964, os gênios-do-pau-de-arara e os saudosistas da violência.

Nota do Editor
Paulo Polzonoff Jr. assina hoje o blog O Polzonoff.


Paulo Polzonoff Jr
Rio de Janeiro, 28/4/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas confessionais de um angustiado (IV) de Cassionei Niches Petry
02. Tectônicas por Georgia Kyriakakis de Humberto Pereira da Silva
03. Terra, chão de primavera de Elisa Andrade Buzzo
04. A Casa de Ramos de Elisa Andrade Buzzo
05. As maravilhas do mundo que não terminam de Marilia Mota Silva


Mais Paulo Polzonoff Jr
Mais Acessadas de Paulo Polzonoff Jr
01. Transei com minha mãe, matei meu pai - 17/10/2001
02. Olavo de Carvalho: o roqueiro improvável - 15/8/2003
03. Quem sou eu? - 8/12/1977
04. Grande Sertão: Veredas (uma aventura) - 13/4/2006
05. Está Consumado - 14/4/2001


Mais Especial 1964-2004
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
3/5/2004
16h10min
Enfim, o grito que estava preso na minha gargata! Eu já não aguento mais tanta gente em nome desse golpe, exaltar salvadores, profetas metaforizantes e falsos heróis. Parabéns pelo discernimento e coragem de falar o que muita gente precisa ouvir e saber. Quem sabe, assim atingiremos o civilizado estado de maturidade.
[Leia outros Comentários de Mirthes]
3/5/2004
20h54min
Somos um país engessado. Engessados pelo passado, pelos 30 anos de ditadura que não acabam nunca, dada a insistência da também ditatorial esquerda em lembrar sempre. Lembrar pra quê? Engessados pelo futuro, nesse porvir que nunca vem por que nada fazemos no tempo que mais importa: O PRESENTE. Basta de 1964! Basta de o País do Futuro!
[Leia outros Comentários de Getúlio Maia]
3/8/2004
10h27min
Suas ideias sao a expressao viva de um povo que esta saturado de tanta historia magoada, que nao traz melhorias para ninguem, a nao ser a propria elite que as cria em beneficio proprio. Precisamos é de atitude, inteligência e valorizaçao do ser humano. Temos liberdade escolher nossos governantes, mas que infortunio, quando chegam no poder, tornam-se incapazes de colocar a maquina publica em favor do povo e para disfarçar sujeitam a sociedade a andar mascarada. Assim transformam-nos em palhaços num espetaculo de horrores, fome, desemprego, descaso, violencia, ausencia de educaçao, cultura, saude, enfim, falta tudo, só nao falta os visionarios que se ocupam de desviar nossa atencao, levando-nos a acreditar que ja foi pior. Superamos a ditadura militar. A quem ela atingiu? Basta de falacias. Parabens pelo artigo e pela coragem.
[Leia outros Comentários de Helena de Ávila]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O FALSO OBSERVADOR DE PASSAROS
LUIZ MARIA VEIGA
ATUAL
R$ 8,00



HISTÓRIAS REAIS E FANTÁSTICAS: CRÔNICAS E ENSAIOS SOBRE A POLÍTICA CON
MARIA CLEIDE BERNAL
TABA CULTURAL
(2010)
R$ 25,28



HOJE MEU DESAFIO É...
BARBARA LAMP
UNITED PRESS
(2014)
R$ 9,50



JUVENTUDE RURAL! CAMINHOS A ESCOLHER!
LAÉRCIO DE SOUZA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



UM SECULO DE LUZ
LOURENÇO DIAFERIA NADIA SOMEKH CANDIDO MALT...
SCIPIONE
(2001)
R$ 14,60



A SUSTENTABILIDADE ECOLÓGICA DO CONSUMO DA POPULAÇÃO DE MINAS GERAIS
MARCOS HENRIQUE GODOI
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



O MARQUES DE QUELUZ E SUA ÉPOCA
MIGUEL AUGUSTO GONÇALVES DE SOUZA
EDIÇÃO DO AUTOR
(1988)
R$ 12,00



TÍTULOS DE CRÉDITO
GERALDO VIEIRA
SÍNTESE / CAMPOS
R$ 6,00



A PERCEPÇÃO DE FAMILIARES DE PACIENTES DE UTI SOBRE A COMUNICAÇÃO
JOSIVANI MAIA FERREIRA FERREIRA UND SINTIA SOARES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



UM ESTUDO SOBRE FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO INTERIOR DE GOIÁS
MAURO FELÍCIO BARBOSA MULATI
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00





busca | avançada
35004 visitas/dia
1,0 milhão/mês