O marketing da mendicância | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
104 mil/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Camila Venturelli e Dani Lima falam sobre os nossos gestos na pandemia
>>> 36Linhas lança Metropolis segunda graphic novel da Coleção Graphic Films
>>> Acervo digital documenta a história da Cantina da Lua - símbolo de resistência cultural
>>> Maíra Lour apresenta leitura dramática audiovisual “Insensatez'
>>> Exposição do MAB FAAP conta com novas obras
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mandic, por Pedro e Cora
>>> A Separação de Bill e Melinda Gates
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> FLIP 2006 IV
>>> Como você vê a internet?
>>> Inimigos da política
>>> God save the newspapers!
>>> O homem visto do alto
>>> O homem visto do alto
>>> A quinta temporada de Lost
>>> Os primeiros volumes da Penguin Companhia
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Princípio ativo
Mais Recentes
>>> Quatro-olhos e um Sorriso Metálico de Thomas Brezina pela Ática (2006)
>>> O Destino de Perseu - Série Aventuras Mitológicas de Luiz Galdino pela Ftd (1999)
>>> A Perseguição de Sidney Sheldon pela Record (1994)
>>> Muito Barulho por Nada - Série Reencontro de William Shakespeare Adap Leonardo Chianca pela Scipione (2006)
>>> The Picture of Dorian Gray - Level 4 de Oscar Wilde pela Penguin (2008)
>>> The Diary of a Young Girl - Level 4 de Anne Frank pela Penguin (2008)
>>> O Mundo de Crestomanci Vida Encantada de Diana Wynnejones pela Geração (2001)
>>> Três Mistérios: Série Clássicos Juvenis Três por Três de Lelis; Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual Didáticos (2009)
>>> Crepúsculo de Stephenie Meyer; Ryta Vinagre pela Intrinseca (2008)
>>> Cinquenta Tons de Cinza de E L James; Adalgisa Campos da Silva pela Intrinseca (2012)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas - Texto Integral de Machado de Assis pela Ftd (2010)
>>> Healing Grief de James Van Praagh pela New American Library (2000)
>>> Enquanto o Papa Silenciava de Alexander Ramati pela Clube do Livro (1985)
>>> Onde Andara Dulce Veiga? de Caio Fernando Abreu pela Cia das Letras (1990)
>>> Arte e Manhas da Seducão de Marion V Penteado pela Saraiva (1993)
>>> Vastas Emoções e Pensamentos Imperfeitos de Rubem Fonseca pela Cia das Letras (1988)
>>> A Revolução do Silêncio de Mario Benevides pela Design (2007)
>>> Persian Painting de Sheila R. Canby pela British Museum Press (2008)
>>> Edmund Dulac de Colin White pela Cassel & Collier Macmillian Publishers (1976)
>>> Dominando a Técnica do Esboço - Curso completo em 40 lições de Judy Martin pela Martin Fontes (2014)
>>> The Mysterious Affair At Styles (Poirot's First Case) c/CD de Agatha Christie pela Collins (2012)
>>> Marvellous to Behold: Miracles in Illuminated Manuscripts de Deirdre Jackson pela The British Library (2007)
>>> Muder in Mesopotamia (em inglês) de Agatha Christie pela Harper Collins (2016)
>>> The Fine Art of Chinese Brush Painting de Walter Chen pela Sterling Publishing (2006)
>>> Comunicação em Prosa Moderna de Othon Moacyr Garcia pela fundação Getúlio Vargas (1988)
COLUNAS

Quinta-feira, 22/7/2004
O marketing da mendicância
Adriana Baggio

+ de 4000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Para se dar bem em um cenário competitivo, o importante é ter diferencial e agregar valor ao seu produto ou serviço. Fazer com que ele se destaque entre a quantidade imensa de produtos e serviços semelhantes. E para incrementar a rentabilidade, o segredo é aumentar o ticket médio de cada consumidor, já que ampliar a quantidade de consumidores é quase impossível em um mercado saturado como o nosso.

A terminologia mercadológica já está tão incutida no repertório do público comum, que até os leigos nessa área conseguem entender o que o parágrafo acima quer dizer. Muitos deles, mesmo não tendo exatamente um produto ou um serviço para oferecer ao mercado, adotam essa terminologia e essa filosofia para outras áreas de suas vidas, com o objetivo de obter melhores resultados. Com essa popularização dos conceitos e das estratégias de marketing, até mesmo os pedintes de rua já procuram usar esses ensinamentos para melhorar seu desempenho nos sinaleiros das grandes cidades.

Não sei se acontece em todo país. Vi em João Pessoa, ano passado, e tenho visto aqui em Curitiba. Nos cruzamentos mais movimentados, os motoristas podem aguardar a luz verde assistindo espetáculos circenses. São malabaristas, engolidores de fogo e contorcionistas que se revezam, tentando atrair a atenção e o dinheiro de quem está parado no trânsito.

Coitados dos simples pedintes, que não têm nada a oferecer. Esses estrangeiros (a maioria dos artistas que eu vejo são argentinos) chegaram com seu serviço diferenciado, tirando mercado dos necessitados que não têm nenhuma habilidade para mostrar, só mãos sujas e abertas para pedir.

Um dos argumentos que as pessoas usam para aplacar o sentimento de culpa e não dar dinheiro aos pedintes é que eles não fazem nada, não trabalham, ficam vagabundeando. Com os malabaristas é diferente, já que eles não estão apenas pedindo. Eles prestam um “serviço” aos motoristas parados no sinal, mesmo que este “serviço” não tenha sido solicitado. Além disso, eles realizam coisas inacessíveis para a maioria das pessoas, como engolir fogo ou equilibrar malabares. Já o que os pedintes fazem não requer habilidade nenhuma. Afinal, qual a dificuldade em ser um maltrapilho e ficar perambulando pela cidade pedindo dinheiro?

Fico imaginando a amargura dessas pessoas que foram escanteadas do mercado de mendicância. Que situação cruel: até para isso começam a valer as duras leis da concorrência. Sem poder competir com os prestadores de serviços mais sofisticados, a saída é fazer o mesmo que as empresas fazem no mercado de verdade. Quando não conseguem mais competir com o seu produto ou serviço original, passam a copiar o que a concorrência está fazendo. Normalmente, sem o mesmo know how e tecnologia, mas com a esperança de abocanhar uma fatia, mesmo que seja pequena, desse novo mercado.

Percebi essa lógica entre os pedintes ao observar uma menina em um dos sinaleiros da cidade. Ela não devia ter mais do que seis ou sete anos. Com a perspicácia que é peculiar às crianças, mesmo àquelas que têm um desenvolvimento físico e intelectual prá lá de comprometido, ela percebeu que deveria se adaptar às novas demandas do mercado. Para não ficar obsoleta logo no início da carreira, fez um benchmarking com seus colegas argentinos. Deve ter notado que as janelas dos carros abriam com mais facilidade para aqueles que se contorciam na faixa de pedestres.

A menina, ao invés de simplesmente ir até os carros com as mãozinhas abertas, se posicionou embaixo do farol vermelho e começou a fazer movimentos com o corpo. Levantava uma perninha, virava uma cambalhota e dava saltos no asfalto, meio sem jeito. Um pouco antes do sinal abrir, ela passava para recolher o pagamento pela sua apresentação.

Fiquei muito comovida com a cena. Meus sentimentos se alternavam entre a pena por aquela menina ter que se sujeitar a esse tipo de vida e a admiração pela sua inteligência, pela sua percepção clara e madura do mundo que a cerca. Fiquei com raiva dos pais dela, de todos os pedintes e também dos argentinos. Fiquei com raiva de mim mesma por não saber que atitude tomar. Dar dinheiro pela inteligência dela? Dar dinheiro porque ela estava prestando um “serviço”, mesmo que não solicitado? Dar dinheiro por pena? Acabei não dando nada, que é a minha atitude padrão, tanto para pedintes quanto para malabaristas de sinaleiro.

Mas se tivesse que escolher entre dar minhas moedinhas aos pedintes ou aos malabaristas, ficaria com os primeiros. Os pedintes só pedem, não oferecem nada. É claro que eles jogam com o nosso sentimento de culpa. São maltrapilhos, carregam bebês no colo, apresentam parentes deficientes e crianças remelentas. Mas pelo menos, argumento apenas com minha consciência e não estou sujeita às leis do mercado. Já os argentinos malabaristas se aproveitam do péssimo comportamento do brasileiro enquanto consumidor. Como consumir é status, não consumir é não representar um bom papel social. Por isso, ficamos envergonhados de recusar os antepastos, cartões de crédito e malabaristas que nos são impostos. Como sou o terror das balconistas, dos garçons e das operadoras de telemarketing, não tenho vergonha de dizer não aos acrobatas estrangeiros dos sinais, assim como digo aos pedintes.

Apesar de todas essas convicções, me sinto um pouco omissa e gostaria de contribuir mais com a sociedade. Talvez assim minha consciência de classe média não se sentisse culpada por negar moedas a pessoas que vivem tentando conseguir dinheiro durante os breves momentos que separam o sinal vermelho do verde.


Adriana Baggio
Curitiba, 22/7/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Èpa Bàbá Oxalá! na Nota de Real de Duanne Ribeiro


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2004
01. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
02. Do que as mulheres não gostam - 14/10/2004
03. O pagode das cervejas - 18/3/2004
04. ¡Qué mala es la gente! - 27/5/2004
05. Detefon, almofada e trato - 29/4/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/7/2004
15h20min
Belo texto. Fez-me parar e pensar um pouco sobre estas pessoas, que muitas vezes nem percebemos por causa da correria da vida, porque o sinal vai abrir logo. Queremos apenas que o sinal fique verde, para que possamos nos dirigir aos nossos lugares, às nossas atividades. Acho que essa "consciência de classe média" faz falta para muita gente. Pode parecer um tanto utópico, mas se todos pensassem nos "sinais vermelhos", o mundo poderia ser diferente.
[Leia outros Comentários de Andréia]
17/8/2004
18h39min
Cara Adriana, como minhas visitas ao Digestivo são meio erráticas, somente hoje vi seu texto. Mesmo sem nada a comentar, não poderia cometer o erro da omissão, deixando de registrando nem que fosse um singelo aceno de consentimento com suas idéias.
[Leia outros Comentários de Bernardo B Carvalho]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Valeu a Pena! - Carta ao Pequeno Empresário de Alma Grande
Marco Aurélio Ferreira Vianna
M. Vianna
(1995)



Sun and Earth
Herbert Friedman (capa Dura)
Scientific American Library
(1986)



Alemanha - 100 Dias de Amaury Jr
Amaury Jr e Celina Ferreira
Gente
(2006)



Goosebumps. Sorria e Morra - Volume 1
R. L. Stine
Fundamento
(2007)



Para Minha Filha Que Cresceu
Lídia Maria Riba
Vergara & Riba
(2005)



The Great American Bathroom Book Volume 1
Stevens W. Anderson (editor)
Compact Classic
(1992)



La Vengeance Dephraïm
George Jonas
Robert Laffont (paris)
(1984)



Os Astros e Você - Libra
Editora Eko
Eko
(2009)



O último Desejo
Betty Rollin
Melhoramentos
(1988)



Cruzando Caminhos
Fanny Abramovich
Ática
(2008)





busca | avançada
104 mil/dia
2,5 milhões/mês