A melhor revista do mundo | Eduardo Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
>>> Seminário Trajetórias do Ambientalismo Brasileiro, parceria entre Sesc e Unifesp, no Sesc Belenzinho
>>> Laura Dalmás lança Show 'Minha Essência' no YouTube
>>> A Mãe Morta
>>> BATA ANTES DE ENTRAR
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O humor é como as marés, ora sobe ora desce
>>> Guimarães Rosa em Buenos Aires
>>> Festival de Curitiba 2010
>>> O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
>>> O INVISÍVEL
>>> Meu reino por uma webcam
>>> De louco todos temos um pouco
>>> Doces Cariocas
>>> A imaginação educada, de Northrop Frye
>>> Weezer & Tears for Fears
Mais Recentes
>>> O Profissional Competitivo de Carlos Roberto Faccina pela Elsevier (2006)
>>> Gerenciamento de Riscos Em Projetos de Carlos Alberto Corrêa Salles Jr. e Outros pela Fgv (2009)
>>> A Barcarola de Pablo Neruda pela L&pm (1983)
>>> A História da Educação Através dos Textos de Maria da Glória de Rosa pela Cultrix (1980)
>>> Maria de Cada Porto de Moacir C. Lopes pela Quartet (2002)
>>> Despertar de Amanda Hocking pela Planeta (2012)
>>> Minidicionário Italiano de Michaelis pela Melhoramento (2004)
>>> O Cosmos das Cores de Gunter Kollert pela Goethe
>>> Diário de um Cucaracha o Edição Especial para Mulheres de Henfil pela Record
>>> Os Tempos do Coração de Willy Pasini pela Rocco (2003)
>>> Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente pela Atelie (1996)
>>> O Brasil Que da Certo: o Novo Ciclo de Crescimento, 1994-2005 de Stephen C Kanitz pela Makron Books (1994)
>>> As Minhas Ilhas de Felipe Daiello pela Age (2006)
>>> O Cidadão De Papel de Gilberto Dimenstein pela Ática (1997)
>>> Casamento Aberto as Novas Relações Conjugais de O Neill Nena e George pela Artenova
>>> Home Remedies What Works de Gale Maleskey; Brian Kaufman pela Rodale
>>> Dragon En El Tazon, Un de Roser Rius; Maria Isabel San Martin pela Bruno Arg (2006)
>>> Manual de Direito Penal V. 3 de Julio Fabbrini Mirabete; Renato N. Fabbrini pela Atlas (2007)
>>> Acupuntura de Terapia Alternativa a Especialidade Médica de Dr. Hongg Jin Pai pela Ceimec (2005)
>>> Os Pensadores - Maquiavel de Nova Cultural pela Nova Cultural (1999)
>>> Como Falar Corretamente e sem Inibições de Reinaldo Polito pela Saraiva
>>> Les Songes Superbes de Théodore Sturgeon pela Presses Pocket (1978)
>>> A História dos Bancos no Brasil de Alexis Cavicchini pela Cop (2007)
>>> A Alma de uma Cidade de Renato Sérgio pela Ediouro (2000)
>>> The Theory of Incentives: the Principal Agent Model de Jean Jacques Laffont; David Martimort pela Princeton University (2002)
COLUNAS

Sexta-feira, 8/10/2004
A melhor revista do mundo
Eduardo Carvalho

+ de 11600 Acessos

É uma discussão longa, mas deliciosa, na qual me peguei dia desses: qual é, afinal, a "melhor revista do mundo". Em inglês, digo. The Economist, The New Yorker, The New Republic, The Observer, The Guardian, The Atlantic Monthly? A lista das candidatas não acaba, mas vamos lá: são todas muito diferentes, e é difícil - impossível mesmo - escolher apenas uma.

Das supracitadas, por exemplo - e na minha opinião, lógico -, a Economist é a mais completa; é a que inclui mais assuntos e lugares, de artes visuais a finanças corporativas, da Nova Zelândia ao Panamá. Tentei me afastar, por seis meses, de sua leitura, mas me senti desorientado no mundo - e retomei minha assinatura, imediatamente. A The New Yorker, à qual já dediquei uma coluna, tem artigos longos e incisivos, sobre assuntos culturais e políticos, e ao mesmo tempo é a mais engraçada, divertida - e talvez também seja a revista, digamos assim, mais sofisticada do mundo, pelo seu senso de humor e pelo gabarito de seus colaboradores.

A The New Republic é impossível de encontrar no Brasil, e praticamente não sai dos Estados Unidos, porque orbita em torno de Washington. Uma pena: é o que há de melhor para política interna - e externa também, portanto - americana. Seus editores escrevem encantadoramente bem, e são muitíssimo bem informados. O Guardian e a Observer, ingleses, li menos, mas são periódicos acessórios, mais opinativos - num estilo bonito e contundente, que não existe no Brasil. Já a The Atlantic Monthly reúne em seus quadros jornalistas e colaboradores do mais alto nível, e mensalmente publica reportagens profundas, esclarecedoras, de assuntos complexos, como relações internacionais.

Onde encontrá-las? A The New Republic, como disse, você não vai encontrar nunca, no Brasil. A Economist está presente em boas bancas, e as outras em meia dúzia de grades jornaleiros e livrarias. Porque, afinal, vivemos em outro mundo - onde a nova técnica para cirurgia plástica é o assunto mais relevante da semana.

Roda morta

Eu chamei atenção, em De outra viagem pelo Brasil, para o crescimento do agronegócio brasileiro, que está acontecendo numa velocidade alucinante. Sugeri que esse movimento seja documentado e, em seguida, veiculado nos grandes centros urbanos do Brasil, como São Paulo - que está, em geral, alheia a essa onda. A revista Veja bem que tentou, há duas semanas, mas ainda não foi desta vez: a foto da capa, de uma lavoura de plantio direto, é emblemática, mas o texto é ralo, com poucas novidades.

Quem vai trazer informações novas para São Paulo, daqui a um mês, é a equipe do Rally da Pecuária, que está visitando os pontos mais importantes de criação de gado no Brasil, de Barretos a Gurupi. É esse tipo de iniciativa, que combina a pesquisa acadêmica com a observação em campo, buscando resultados práticos, que falta no Brasil. Estamos aguardando o resultado.

E, enquanto isso, no Roda Viva do dia 23 de setembro, Bolívar Lamounier, cientista político, comentava sobre o preconceito brasileiro contra a riqueza produzida no campo. É que convencionou-se aceitar, por aqui, que o enriquecimento do industrial é legítimo - e normalmente é mesmo -, enquanto o fazendeiro enriquece explorando trabalho e terra dos outros. Foi um alívio ver Lamounier lembrando os primos do meu avô, que importaram sozinhos as primeiras cabeças de gado Nelore da Índia. O esforço monumental, que exigiu viagens longas e negociações internacionais complexas, em pouco anos transformou a qualidade do rebanho brasileiro. Empreendedores assim não podem ser confundidos com seus inimigos, os sinhozinhos de lugares abandonados - que já são uma espécie em extinção.

Já o Roda Viva do dia 4 de outubro, onde se pretendeu reunir vereadores, deputados e senadores para uma conversa sobre política, foi arrepiante. Despreparados e desarticulados, ninguém demonstrou nem um pingo de educação: todos se interrompiam, gritavam. Nenhum assunto se desenvolveu logicamente. A todo momento, alguém anunciava que o outro estava mentindo. Ora, um dos dois, o mentiroso ou o acusador, estava - e pode? É permitido que se façam acusações assim, tão facilmente, chamando indiretamente os telespectadores de imbecis? No Brasil, pelo jeito, é.

Curiosidades: os políticos de médio-escalão do PSDB têm todos a mesma cara, os petistas ainda não aprenderam a usar ternos e as mulheres, de todos os partidos, precisam escolher um cabeleireiro menos cafona. Por trás de cada um deles - das barbas, das perucas e dos laquês -, porém, parece que há sempre o traço e a disposição de uma jabuti anêmica - mesmo que, de vez em quando, a tartaruga esteja irritada.


Eduardo Carvalho
São Paulo, 8/10/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Trate-me, teatro! de Adriana Baggio


Mais Eduardo Carvalho
Mais Acessadas de Eduardo Carvalho em 2004
01. A melhor revista do mundo - 8/10/2004
02. De uma volta ao Brasil - 23/7/2004
03. Como mudar a sua vida - 21/5/2004
04. O chinês do yakissoba - 5/3/2004
05. Por que não estudo Literatura - 24/9/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Os Fidalgos da Casa Mourisca
Júlio Dinis
Europa América
(1972)



O Toró: Col. Bum - Bum - Que - Te - Bum - Bum - Bum / 2ª Ed
Ivan Zigg; Regina Siguemoto
Do Brasil
(2008)



Isso ninguém me tira
Ana Maria Machado
Ática
(1996)



O Maior Segredo do Mundo
Og Mandino
Record
(1979)



Box Teologia do Corpo + Livreto: o Papa das Multidões e a Loja do Ouri
São João Paulo II
Minha Biblioteca Católica
(2021)



Nova Guiné - As Regiões Selvagens do Mundo
Time Life
Time Life
(1975)



TOC: transtorno obsessivo-compulsivo
Dan J. Stein / Maomi A. Fineberg
Med
(2009)



Coleção de Olho no Mundo Meios de Transporte (2000)
Abril
Abril
(2000)



Marketing no Setor Público
Philip Kotler - Nancy Lee
Bookman
(2008)



A Mulher Muçulmana Segundo o Alcorão
Paulo Eduardo Oliveira
Palavras & Imagem
(2001)





busca | avançada
64351 visitas/dia
1,8 milhão/mês