O chinês do yakissoba | Eduardo Carvalho | Digestivo Cultural

busca | avançada
27956 visitas/dia
890 mil/mês
Mais Recentes
>>> Palavraria Conversa e Versa
>>> Supercombo no Templo Music: Tour “Adeus, Aurora'
>>> Barracão Cultural estreia montagem de rua a partir de livro de Eva Furnari
>>> Marina Peralta lança novo EP, 'Leve'
>>> Dan Stulbach faz ensaio aberto de Morte Acidental de um Anarquista para alunos da Escola Wolf Maya
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
>>> Paris branca de neve
>>> A cidade e o que se espera dela
>>> De pé no chão (1978): sambando com Beth Carvalho
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Como medir a pretensão de um livro
>>> Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Oficina do diabo
>>> Rosa dos ventos
>>> Pelagem de flor II: NEGRO
>>> Efervescências
>>> Justoresoluto
>>> Em segundo plano
>>> A ver navios
>>> As esquinas dos amores
>>> Pelagem de flor I: VERMELHO
>>> Idade Mídia
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Guinga e sua Casa de Villa
>>> Pascal e a condição humana
>>> Aventuras pelo discurso de Foucault
>>> O Jovem e o Mar
>>> Luz em agosto
>>> Palestra de Guilherme Wisnik
>>> Jobs e o Macintosh
>>> Boa Tarde Às Coisas Aqui Em Baixo, de A L Antunes
>>> Um Furto
>>> A revista Bizz
Mais Recentes
>>> Parcelamento Tributário & Moratória de Fábio Junqueira - Maria Inês Murgel pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2019)
>>> Tratado de Infectologia de Ricardo Veronesi & Roberto Focaccia pela Atheneu (2009)
>>> Otimismo sem Limites: Levante Hoje para Lutar e Vencer! de Ômar Souki pela Landscape (2007)
>>> Otimismo sem Limites: Levante Hoje para Lutar e Vencer! de Ômar Souki pela Landscape (2007)
>>> Estrela da Manhã de Manuel Bandeira pela Global (2012)
>>> El Mito de Faeton en La Literatura Española (ilustrações Fcs. Fora do de A. Gallego Morell pela Madrid (1961)
>>> Vida Otimista de Ômar Souki pela Souki House (2004)
>>> Vida Otimista de Ômar Souki pela Souki House (2004)
>>> Vida Otimista de Ômar Souki pela Souki House (2004)
>>> Pregão Nas Licitações Municipais de Marcelo Palavéri pela Del Rey/ Belo Horizonte (2005)
>>> La Cancion Petrarquista en La Lirica Española del Siglode Oro:... de E. Segura Covarsi pela Madrid (1949)
>>> Evolução Política do Brasil e Outros Estudos de Caio Prado JR. pela Cia. das Letras (2012)
>>> La Transcripcion Castellana de los Nombres Proprios Griecos de Manuel F. Galiano pela Soc. de Estudios Clasicos/ Madrid (1961)
>>> A Condição Espacial de Ana Fani Alessandri Carlos pela Contexto (2015)
>>> Estudo Progressivo da Morfo- Sintaxi Latina de Prof. Oscarino da Silva Ivo pela Edit. da UFMG (1974)
>>> Estudo Progressivo da Morfo- Sintaxi Latina de Prof. Oscarino da Silva Ivo pela Edit. da UFMG (1974)
>>> Manual de Gramática Histórica Española de R. Menéndez Pidal (Ramón) pela Espasa- Calpe/ Madrid (1944)
>>> Um ano para enriquecer - 52 mensagens de otimismo e motivação de Napoleon Hill pela Record (2019)
>>> Controles Internos nas Organizações de Paulo N. Migliavacca pela Edicta (2004)
>>> Dante Vivo de Giovanni Papini pela Editorial Tor/ Buenos Aires (1942)
>>> A nova dependência (dívida externa e monetarismo) de Celso Furtado pela Paz e Terra (1983)
>>> Sans Frontieres 1 - méthode de français de Michele Verdelhan, Michel Verdelhan, Philippe Dominique pela Clé international (1982)
>>> Tom Jones (encadernado.- Completo Em 01 Volume) de Henri Fielding pela Circulo do Livro/ SP. (1985)
>>> Cozinha Prática - Massas de Cristian Muniz pela Pae (2015)
>>> Chico Buarque do Brasil de Rinaldo de Fernandes. Organizador pela Garamond (2004)
>>> A Religiosa/ Capa Dura de Diderot (denis) pela Circulo do Livro (2019)
>>> Sursis/ Classicos Modernos/ Encadernado de Jean- Paul Sartre / Tradução: Sergio Milliet pela Abril (1974)
>>> MacWEEK Guide to desktop video - cd rom included de Erik Holsinger pela ZIff-Davis Press (1993)
>>> Ação Cominatória e Outras Peculiares - Doutrina, Jurisprudência ... de Ulderico Pires dos Santos pela Paumape (1989)
>>> O líder em você. Como fazer amigos, influenciar pessoas e ter sucesso em um mundo em mutação de Stuart R. Levine e Michael A. Crom pela Record (1997)
>>> El Genio Latino de Anatole France pela Ed. Grandes Autores/ B. Aires (1943)
>>> Nacha Regules (novela) de Manuel Galvez pela Editorial Tor/ B. Aires (1933)
>>> O Direito Como Fato Social de José Florentino Duarte pela Sergio Antonio Fabris (1982)
>>> A Tributação Sobre Consumo de Bens e Serviços de Alessandra Machado Brandão Teixeira pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2002)
>>> Lições preliminares de direito de Miguel Reale pela Saraiva (1995)
>>> Seguro: Teoria e Prática - Doutrina - Jurisprudência - Prática Forens de João Roberto Parizatto/ Autografado pela Edipa: Ed. Parizatto (2004)
>>> Manual Prático do Horóscopo Chinês de Minami Keizi pela Traço (1988)
>>> Reiki - Amor, Saúde e Transformação de Johnny de Carli pela Alfabeto (2017)
>>> As Novelas de Torquemada de Benito Pérez Galdós pela Paz e Terra (1989)
>>> A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen de Eugen Herrigel pela Pensamento (1990)
>>> Umanesimo Positivo e Emacipazione Marxista de Galvano Della Volpe pela Sugar Editore (1964)
>>> Ciência e Tecnologia Hoje de Nicolas Witkowski pela Ensaio (1995)
>>> Luvas Brancas de John Kotre pela Mandarim (1997)
>>> I-Ching - A Alquimia dos Números de Wu Jyu Cheng pela Objetiva (1993)
>>> Computer Crimes de Maria Helena Junqueira Reis pela Del Rey/ Belo Horizonte (1997)
>>> O Budismo vivo e o mundo contemporâneo de Lama Anagarika Govinda pela Siciliano (1994)
>>> Luxúria. Coleção Sete Pecados Capitais de Simon Blackburn pela Arx (2005)
>>> Mundo, Vida e Esperança de Angela Coutinho ditado por Emmanuel pela Elevação (1999)
>>> O Budismo e o Caminho da Vida de Christmas Humphreys pela Cultrix (1995)
>>> Avareza. Coleção Sete Pecados Capitais de Phillis A. Tickle pela Arx (2005)
COLUNAS

Sexta-feira, 5/3/2004
O chinês do yakissoba
Eduardo Carvalho

+ de 10100 Acessos

Um chinês de sucesso

Apareceu recentemente, na calçada da Avenida Paulista, em frente à sede do Banco Safra, dois casais de chineses, com dois fogões improvisados, servindo yakissoba aos pedestres apressados. É provável que sejam parentes; um se instalou ali antes, e o outro, ciente da prosperidade do negócio, aderiu à idéia do primeiro. Já há poucos meses, quase todo dia eu acompanho o movimento do mercado: tem crescido animadoramente. É uma tortura aos esfomeados, depois de um cansativo dia de trabalho, resistir ao cheiro do molho e dos vegetais fritos, que acompanham o macarrão. Quem caminha pela calçada, quem aguarda o ônibus atrasado, quem entra na estação do Metrô - todos os transeuntes olham, curiosos, o que é que aquele chinês franzino prepara numa panela gigante. Seu cuidado com a limpeza da calçada e a elegância da sua boina branca inspiram confiança; nada contra os ambulantes normais: mas esses chineses, em silêncio, se destacam do resto. Eu precisava conferir; não é possível que esse macarrão fosse assim tão ruim.

E não é. A qualidade da carne e do frango, do shoyo e da cebola, da massa e dos vegetais é, por assim dizer, razoável. Perfeitamente adequada para se comer de pé e encher a barriga. É muita ingenuidade achar, como pretendem descolados ou desinformados, que estão na rua os melhores alimentos. Quem quiser comer bem que sente e pague por isso, numa das várias opções que São Paulo oferece. O método dos chineses talvez seja reprovado por sanitaristas sistemáticos ou gastrônomos sofisticados. Mas é improvável que alguém se contamine gravemente comendo aquele macarrão; e, por 2 reais, a qualidade da comida é impecável. Pode ser que, durante os dois dias seguintes, seja levemente incômodo carregar aquela inextirpável mistura oleosa na barriga; na hora, no entanto, isso é desimportante e imprevisível: o único objetivo é aliviar temporariamente a fome. E, para isso, a combinação da qualidade do yakissoba com o preço e local em que ele é oferecido é, mesmo que de forma quase involuntária, muito eficiente.

O absoluto sucesso da empreitada chinesa ensina uma coisa que a maioria dos brasileiros ainda não aprendeu, nem a executar nem a admirar: como abrir e tocar um negócio num mercado livre. É muito mais fácil reclamar dessa interminável crise e exigir desmerecidos benefícios estatais. Trabalhar, que é bom, com honestidade e competência, muito pouco. Seria muito mais fácil, veja só, que, carregando uma placa no pescoço, esses chineses fingissem analfabetismo, e esmolassem pelas ruas paulistanas. Como, por sinal, preferem fazer vários imigrantes, ou pior: brasileiros mesmo, com total capacidade produtiva, resmungam da ineficiência do governo e se arrastam pela indigência, como se fossem incapazes de solucionar seus mais simples problemas pessoais. Sem a mínima vergonha.

É verdade que nem sempre a pobreza é resultado exclusivo de preguiça e descaso - dos pobres, digo. Eu não acho isso, de forma alguma. Esse é um problema complexo, com diferentes e escondidas origens, e não é nem disso - da pobreza - que estou tratando. É que já sabemos compreendê-la e reconhecê-la, até certo ponto, mas ainda temos dificuldade para admirar um fenômeno mercadológico, administrado por gente que - apenas com esforço pessoal - conseguiu progredir financeiramente. É importante, claro, mantermos a sensibilidade alerta, e cooperarmos com quem realmente precisa de ajuda. Só que é preciso também acabar com a mentalidade que admira a pobreza e condena a riqueza, muito comum em ambientes intelectualizados brasileiros. E começarmos a destacar e animar o empreendedorismo de sucesso, que ainda permite, no Brasil, uma sólida e ampla ascensão social e econômica. Ou serão os pobres as próprias vítimas de sua glorificação.

Parabéns, USP

A Universidade de São Paulo completou 70 anos, em fevereiro, o que deveria suscitar um certo debate sobre a sua função e o seu futuro. O que vi nos jornais, no entanto, foi mais a celebração de sua história - que é curtíssima - e a promoção de suas estatísticas - que, isoladas, não valem muito.

A USP é sempre elogiada como a "melhor universidade do Brasil", como se isso significasse muita coisa. Não significa. Uma universidade é - ou deve ser - um centro de altos estudos, acessível a uma elite preparada para enfrentá-los. E nem esses altos estudos precisam ser sobre o Brasil nem essa elite precisa ser brasileira. Na USP, eles não são. O que significa que ambientes assim devem ser comparados com outros, estrangeiros. E mais ainda: significa que a própria USP deveria se abrir mais a novidades acadêmicas internacionais, e não se encobrir de elogios por ser "padrão de excelência universitária" em um país de terceiro mundo.

É, com freqüência, lembrado e louvado, por exemplo, o grupo francês - do qual Levi Strauss fazia parte - que, quando fundada a Universidade, veio a São Paulo para montar cursos e liderar pesquisas. Mas essa herança já deveria ter sido superada por gerações posteriores. O que se vê, porém - na área de humanas, especialmente -, é que as referências são poucas e atrasadas. Enquanto o "aluno USP" deleita-se com Lacan, como se fosse grande novidade, em Oxford estuda-se com Theodore Zeldin, que abre novas perspectivas para se interpretar a história.

O maior problema da USP acho que é justamente este: é que a Universidade está contente com classificações bobas - como o fato ser "a melhor do Brasil" -, e ao mesmo tempo isolada do pensamento de ponta internacional. Depois, como conseqüência, acaba achando, por exemplo, que o sistema de cotas é uma novidade eficiente, enquanto o resto do mundo abandona essa idéia, e desperdiçando associações úteis com o setor privado, por motivos puramente ideológicos. Cultivando idéias velhas, a USP corre o risco de já morrer nova.

Inculta e feia

Diga "vou no banheiro", em vez de "vou ao banheiro". Não se incomode também em dizer que vai "chamar ele", e vez de "chamá-lo". Certos deslizes gramaticais já se incorporaram ao português falado, e não comprometem a precisão da conversa nem a beleza da língua. Mas nunca jamais fale ou escreva algo como "vou estar dando aula", ou "vou estar publicando um livro". Eu achava, para ser honesto, que, de tão óbvio e feio, o abuso do gerúndio fosse exclusividade de secretárias desavisadas, mas não: está cada vez mais disseminado, e é usado inclusive por professores dispostos a ensinar os outros a falar bonito e a escrever direito.

A insistência no gerúndio tem duas origens e um objetivo. As origens são as seguintes: a primeira é que dizer "vou estar entregando o material" perde em precisão para "vou entregar o material", e deixa levemente em aberto o prazo e a possibilidade de conclusão da tarefa. Usam esse artifício os lentos e os confusos, que depois não querem ser cobrados pela ineficiência. E a segunda origem: é que nossa comunicação anda cada vez mais infectada por eufemismos, e o gerúndio confere uma certa leveza a afirmações e a exigências - "vou estar cobrando o material", por exemplo, parece mais suave do que "vou cobrar o material".

E o objetivo de quem aplica o gerúndio em ocasiões desnecessárias é que é pior: que é o de querer falar ou escrever com elegância. Só que sem conseguir. O que acaba numa situação que entrega sua ignorância e sua frustração, na tentativa de ser o que não é. Vou avisando: fale e escreva errado, despreocupadamente, mas não faça isso quando pretende se mostrar correto. É patético.


Eduardo Carvalho
São Paulo, 5/3/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin de Jardel Dias Cavalcanti
02. A Fera na Selva, filme de Paulo Betti de Jardel Dias Cavalcanti
03. O Vendedor de Passados de Marilia Mota Silva
04. Saudade de ser 'professor' de Filosofia de Cassionei Niches Petry
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. 12. Rumo ao Planalto de Heloisa Pait


Mais Eduardo Carvalho
Mais Acessadas de Eduardo Carvalho em 2004
01. A melhor revista do mundo - 8/10/2004
02. O chinês do yakissoba - 5/3/2004
03. Como mudar a sua vida - 21/5/2004
04. De uma volta ao Brasil - 23/7/2004
05. Por que não estudo Literatura - 24/9/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




14 LIÇÕES DE FILOSOFIA YOGUE
YOGUE RAMACHÁRACA
PENSAMENTO
(1999)
R$ 25,00



VAI COMEÇAR A BRINCADEIRA - MANUAL PEDAGÓGICO-EDUC INFANTIL PRÉ ESCOLA
MARÍLIA CENTURION - ARNALDO RODRIGUES E OUTROS
FTD
R$ 30,00



COACHING - A SOLUÇÃO
ANDRÉ PERCIA E MAURICIO SITA
SER MAIS
R$ 29,45
+ frete grátis



LADRÕES DE PLANETA
DAN KROKOS
V & R
(2013)
R$ 25,00
+ frete grátis



UMA HISTÓRIA DA VERDADE EM MICHEL FOUCAULT
AFRÂNIO TENÓRIO DA SILVA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00



COMPORTAMENTO SOCIAL E ANTI-SOCIAL HUMANO (337)
SANDRO CÉSAR SELL
DIGITAL JURIS
(2006)
R$ 29,00



JURISPRUDÊNCIA, FONTE FORMAL DO DIREITO BRASILEIRO
FERNANDO PINTO
FREITAS BASTOS (RJ)
(1977)
R$ 9,28



VOCAÇÃO CRISTÃ DO HOMEM
JEAN MOURNOUX
FLAMBOYANT
(1961)
R$ 15,00



POR SUA CONTA E RISCO
JOSH BAZELL
ROCCO
(2013)
R$ 24,09
+ frete grátis



CREPÚSCULO O DESPERTAR DOS VAMPIROS
WLADYR NADER
ESCALA
(2010)
R$ 13,39





busca | avançada
27956 visitas/dia
890 mil/mês