Dino Buzzati e as Noites Difíceis | Fabio Silvestre Cardoso | Digestivo Cultural

busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 23/11/2004
Dino Buzzati e as Noites Difíceis
Fabio Silvestre Cardoso

+ de 4500 Acessos

Numa livraria no centro de São Paulo, este colunista e mais dois amigos conversavam sobre livros e autores. "Qual foi o livro que mais marcou sua juventude?". Eu ainda ensaiva uma resposta quando um senhor que não participava do bate-papo disse, categórico: "O meu foi O Deserto dos Tártaros, de Dino Buzzati. Algo naquele livro, que eu ainda não descobri o que é, mexeu muito comigo, me incomodava. Nunca mais esqueci o autor."

O ocorrido foi há mais de dois meses. Na verdade, só fui me lembrar deste comentário quando comecei a ler a coletânea de contos As Noites Difíceis, do mesmo autor, que foi lançada em edição caprichada pela editora Nova Fronteira. Trata-se do último livro lançado em vida pelo autor, morto em 1973. Nele, o leitor há de encontrar, de fato, um certo incômodo com as histórias um tanto irônicas, mas, sobretudo, amargas, de acordo com a visão de mundo proposta por Buzzati. Com efeito, é correto afirmar que no livro estão presentes as temáticas mais representativas do escritor italiano, a saber: uma observação arguta da realidade, discussão moral e um ceticismo infalível em relação à condição humana.

Tais elementos aparecem ora em conjunto, ora em singular nos contos de Buzzati. E o mais curioso é que o escritor não faz de seus textos panfletos autoritários, com objetivo de ditar o que é certo e o que é errado. Antes, o leitor é conduzido, por meio de uma narrativa sedutora, às inúmeras constatações de uma cruel e corrosiva realidade cotidiana. Um exemplo claro disso está no conto "Solidões", em que o personagem principal é surpreendido ao ver um homem levar de sua suntuosa mansão uma caixa nos ombros. Sua surpresa se transforma em consternação quando ele descobre que aquela caixa é um de seus dias. "Os seus dias perdidos. Os dias que você perdeu. Você esperava por eles, não esperava? Eles vieram. E o que você fez com eles? Olhe, estão intactos, ainda cheios. E agora..." Por se tratar de uma constatação, e não de uma lição, Buzzati não traz alívio e conforto ao final de seus contos. Desse modo, ao homem que perdeu seus dias só resta o lamento e a inquietante sensação de que não há mais volta no tempo perdido.

Em "Contestação Global", o autor prossegue com esse ceticismo, mas, desta vez, aproveita para fazer uma alusão, não menos irônica, aos jovens, como bem sugere o título. Aqui, um velho funcionário de uma companhia de seguros discursa na reunião de aposentados. "E o que querem esses moços? [...] O que representam? Sua bandeira é até clara demais: contestação global. Mas são jovens. Com todas suas boas intenções não podem conhecer a vida. E nós [os velhos], ao contrário, infelizmente, a conhecemos." A seguir, o personagem acerta em cheio em sua observação: "Eles lutam por um ideal, talvez até louco e confuso, porém pergunto: é realmente total a contestação deles?" Para o velho funcionário, a verdadeira causa que deveria mobilizar toda a sociedade era o pior de todos os males, a morte. Cabe aqui reconhecer que Buzzati expõe seu drama pessoal de maneira indireta nesse conto, uma vez que, conforme analisa seu biógrafo, à época da publicação deste livro, em 1971, o autor já sabia que sua morte não apenas era inevitável como estava próxima.

Tal condição, aliás, é tema de outro conto, "Equivalências". Nele, Buzzati narra a tristeza de uma esposa ao descobrir que o estado de saúde de seu marido é grave e que a morte, conseqüentemente, é certa. Todo o conto é construído com diálogos em suspensão, isto é, o médico quase nunca consegue completar a sentença temerária. Só no final, ela recebe a inesperada resposta: o marido morrerá em exatos 50 anos. Após ouvir atenta, a mulher reage, com certa animação: "O senhor me deu uma notícia horrível. Mas, veja, dentro de cinqüenta anos eu também [...] No fundo, então, é uma condenação para todos." Ao que o professor replica: "Em cinqüenta anos, nós todos estaremos embaixo da terra, pelo menos é provável. Mas há uma diferença, a diferença que nos salva a nós dois e condena seu marido... Para nós dois, ao menos pelo que sabemos, ainda não está estabelecido. [...] A morte, em si mesma, talvez não seja uma coisa tão terrível. Todos a teremos. Porém, ai de nós se soubermos, seja daqui um século, dois séculos, o momento exato em que virá." No momento em que se espera um alento na ficção, a realidade a subverte e torna sua face mais áspera.

Em alguns contos de Dino Buzzati, nota-se um apelo mais próximo ao fantástico, como ocorre em "A influência dos Astros". Neste texto, um homem que não acredita nos boletins esotéricos de uma cidade na Itália se vê envolvido numa história sem lógica, a não ser pelas coincidências que lhe causam prejuízos e distúrbios. Quando, ao final, tudo se ajeita ele então nota como tudo poderia ter sido evitado se sua sensibilidade fosse um pouco mais aguçada. Já no conto que dá título ao livro, "Uma Noite Difícil", o autor traz o que seria, a princípio, uma história familiar. O próprio Buzzati é personagem coadjuvante deste conto, que narra a aflição de dois pais à espera da morte pelas mãos de seus filhos. O fantástico, nesse caso, é a forma pela qual todos tomaram conhecimento do que estava por acontecer: a velha tia Gorgona teve um sonho e ali tudo lhe fora dito. O ceticismo de Buzzati permanece até o fim, quando, ao sair da casa de seus amigos, ele ouve a tia Gorgona saudar os sobrinhos.

Grosso modo, os contos de As Noites Difíceis reiteram os principais elementos da obra de Dino Buzzati, seja no que se refere ao estilo, que remonta à descrição jornalística e também escorre pelo fantástico, seja no que se refere aos temas, que não raro são os mesmos que lhe acossam e o incomodam. A partir desses contos, é possível compreender o motivo da inquietação de alguns leitores da obra de Dino Buzzati.

Brasília é uma festa

Quando eu disse que passaria o feriado da Proclamação da República em Brasília, minha amiga Eliana Guedes, a Lili, falou, em tom irônico, que a Capital Federal não tinha tantas coisas interessantes assim para se fazer. No momento em que ela disse isso, fiquei sem resposta e, resignado, concordei. Realmente, à primeira vista, a cidade, comparada com a agitada São Paulo, talvez não seja tão atraente. Entretanto, Brasília é uma cidade além dos clichês de agito-balada, que servem de salvo-conduto à caótica São Paulo. A cidade que abriga o poder político nacional tem prazeres escondidos. Falar a respeito da Arquitetura e Urbanismo do lugar pode parecer mais do mesmo, mas é um detalhe que ainda representa, para mim, um exemplo de organização e planejamento. Assim como é diferente trafegar (lá só se anda de carro) pelas "tesouras", como são conhecidos os enlaces viários que "amarram" a cidade. Afora isso, há a beleza dos Palácios do Planalto, da Alvorada e do Itamaraty.

No Palácio do Itamaraty, aliás, está a recém inaugurada exposição O Olhar Modernista de JK. A mostra faz uma homenagem à exposição de arte moderna ocorrida em Belo Horizonte há exatos 40 anos. Naquela época, a capital mineira era o principal projeto arquitetônico e urbanístico existente por aqui, posto que foi uma das poucas cidades planejadas do Brasil. Esse é apenas um dos pontos levantados. Quem for à mostra, que ainda passará pelo Rio de Janeiro e por São Paulo, terá a chance de ver obras de Pancetti, Alfredo Volpi, Guignard, entre outros. Merece destaque o segmento que homenageia Martha Loutsch, artista plástica alemã radicada no Brasil.

Sob a curadoria de Denise Mattar, a exposição possui uma coerência que não faz com que ela não se torne cansativa. Em geral, as mostras sobre o modernismo geralmente fazem menção aos mesmos nomes e às mesmas obras. Já O olhar modernista de JK traz muito mais, como as diferentes linhagens ou escolas que se desenvolveram a partir do marcos iniciais de Tarsila do Amaral e Anita Malfatti. Ao fim e ao cabo, trata-se de um bom motivo para conhecer Brasília e seus interiores.

Para ir além






Fabio Silvestre Cardoso
São Paulo, 23/11/2004


Mais Fabio Silvestre Cardoso
Mais Acessadas de Fabio Silvestre Cardoso em 2004
01. Desonra, por J.M. Coetzee - 21/12/2004
02. Teoria da Conspiração - 10/2/2004
03. Cem anos de música do cinema - 8/6/2004
04. Eleições Americanas – fatos e versões - 9/11/2004
05. Música instrumental brasileira - 12/10/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O CASTOR E A MOTOSSERRA
SAMUEL MURGEL BRANCO
MILLENNIUM
(2004)
R$ 12,00



COBAIA DE MIM
JEFFERSON MAGALHÃES
AUREA
(2001)
R$ 10,00



O OBSERVADOR PARA ELE NÃO EXISTEM SEGREDOS
CARLOS EDUARDO MARTINELLI
CONEX
(2009)
R$ 14,00



ENCONTROS COM O INSÓLITO
RAYMOND BERNARD
RENES
(1970)
R$ 19,00



LA CIVILISATION AMÉRINDIENNE
CLAUDI R. CRÓS
PRESSES UNIVERSITAIRES
(1995)
R$ 50,00



LECRITURE MÊME: À PROPOS DE BARTHES
SUSAN SONTAG
CHRISTIAN BOURGOIS
(1982)
R$ 45,00



PIADAS DE SACANEAR ADVOGADO
RECONTADAS POR LUÍS PIMENTAL
MYRRHA
R$ 19,00



FUNDAÇÃO AGÊNCIA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO...
JULIO CERQUEIRA CESAR NETO
AGÊNCIA DA BACIA DO ALTO TIET
(2004)
R$ 15,00



SIM EU POSSO - A HISTÓRIA DE SAMMY DAVIS JR.
SAMMY DAVIS JR & JANE E BURT BOYAR
BLOCH
(1968)
R$ 24,00



BATISTÃO POR INTEIRO
ALEXANDRE GAZÉ
UCAM
(2003)
R$ 29,90
+ frete grátis





busca | avançada
38611 visitas/dia
1,4 milhão/mês