Ruy Castro e seus orgasmos amestrados | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Cia Triptal celebra a obra de Jorge Andrade no centenário do autor
>>> Sesc Santana apresenta SCinestesia com a Companhia de Danças de Diadema
>>> “É Hora de Arte” realiza oficinas gratuitas de circo, grafite, teatro e dança
>>> MOSTRA DO MAB FAAP GANHA NOVAS OBRAS A PARTIR DE JUNHO
>>> Ibevar e Fia-Labfin.Provar realizam uma live sobre Oportunidades de Carreira no Mercado de Capitais
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
>>> Efeitos periféricos da tempestade de areia do Sara
>>> Mamãe falhei
>>> Sobre a literatura de Evando Nascimento
>>> Velha amiga, ainda tão menina em minha cabeça...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
>>> Trader, investidor ou buy and hold?
>>> Slayer no Monsters of Rock (1998)
>>> Por que investir no Twitter (TWTR34)
Últimos Posts
>>> Parei de fumar
>>> Asas de Ícaro
>>> Auto estima
>>> Jazz: 10 músicas para começar
>>> THE END
>>> Somos todos venturosos
>>> Por que eu?
>>> Dizer, não é ser
>>> A Caixa de Brinquedos
>>> Nosferatu 100 anos e o infamiliar em nós*
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (I)
>>> A primeira ofensa recebida sobre algo que escrevi
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Procissão
>>> Mais espetáculo que arte
>>> teu filho, teu brilho
>>> O Medium e o retorno do conteúdo
>>> A Poli... - 10 anos (e algumas reflexões) depois
>>> Web-based Finance Application
>>> Pensando sozinho
Mais Recentes
>>> A Imitação de Cristo - e a Centralização da Cruz na Luta ... de Thomas à Kempis pela Vida Nova (2001)
>>> Viciado no Perigo de Jim Wickwire pela Manole (2000)
>>> Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei de Paulo Coelho pela Rocco (1994)
>>> Direito Societario - Desafio Atuais de Leandro Santos de Aragao pela Quartier Latin (2008)
>>> Administração Financeira de Antonio Zoratto Sanvicente pela Atlas (2007)
>>> Sem Filtro de Marcela Tavares pela Novas Paginas (2016)
>>> Manual de Obstetrícia Diagnóstico e Tratamento de Kenneth R. Niswander pela Medsi (1985)
>>> De Asas, Espelhos e Princesas de Maria Glória Barbosa pela Do Autor
>>> Centros de Mesa de Josep M. Minguet pela Decorando Con Flores (2003)
>>> Mobilização para Qualidade de Roberto Flávio de Carvalho e Silva pela Qualymark (1992)
>>> Um Coração Que Seja Puro de José Fernandes de Oliveira pela Paulus (1982)
>>> O Menino Narigudo - Sebo Tradição de Walcyr Carrasco pela Moderna (2007)
>>> Inculta & Bela de Pasquale Cipro pela Publifolha
>>> Teoria da Comunicaçao Muito Ou Poucas de Luiz C. Martino pela Atelie Editorial (2007)
>>> Os Miseráveis de Victor Hugo Adap Walcyr Carrasco pela Moderna (2012)
>>> Atherton a Casa do Poder de Patrick Carman pela Galera (2009)
>>> Telaris Biologia Caderno de Atividades 9° Ano de Sergio Linhares Fernando Gewandsznajder pela Atica
>>> Remarkably Uncommon de The Leading Hotels pela The Leading Hotels
>>> Declarnado - Se Culpado de Scott Turow pela Record (1993)
>>> Sookie Stackhouse, V. 7 - All Together Dead de Charlaine Harris pela Berkley Publishing (2008)
>>> Grammar Games de Mario Rinvolucri pela Cambridge do Brasil (1985)
>>> Alienação: Lidando Com o Problema Básico do Homem de Carrol Thompson pela Graça (1998)
>>> Papos de Anjo - 6ª de Sylvia Orthof pela Galera Junior (2014)
>>> Vento Sobre Terra Vermelha de Caio Ritter pela 8 Inverso (2012)
>>> Outros Quinhentos de Bizerril Marcelo pela Saraiva (2009)
COLUNAS

Quinta-feira, 9/12/2004
Ruy Castro e seus orgasmos amestrados
Adriana Baggio

+ de 7100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Considerando as coisas que tenho lido por aí e percebendo o sucesso que elas fazem, acho que consegui descobrir dois dentre os muitos segredos que tornam um escritor ou cronista famoso: falar de coisas que fazem parte do universo das pessoas; falar de sexo.

(Foi o título que chamou sua atenção para esta coluna, não é verdade?)

Eu mesma, com toda a inexperiência e cara-de-pau de uma reles e iniciante cronista, já percebi que os textos que mais fizeram sucesso dentre a minha humilde produção foram aqueles que, de alguma forma, falaram de sexo.

Longe de ter a audácia de me comparar com Ruy Castro, mas acredito que ele sabe disso e usa essa estratégia muito bem. Ele é, ao mesmo tempo, um escritor excelente na forma e no conteúdo. Não, eu não o conheço nem em carne, nem em osso, somente em letras. Quero dizer que o que ele escreve é interessante e também parece interessante. Afinal, quem não sentiria curiosidade em dar uma espiada num livro com o título de Amestrando orgasmos - bípedes, quadrúpedes e outras fixações animais e que tem na capa o que os gays chamariam de uma "racha" vermelha? Pois bem, a obra é uma seleção de contos e crônicas publicados na imprensa entre 1997 e 2003 e mais alguns inéditos, reunidos no livro lançado este ano pela Editora Objetiva.

Como título sugere, a maior parte dos textos fala de sexo - fixação assumida do autor. Outros têm como assunto os animais. Quase todos usam um gancho bem comum: parte-se de uma notícia ou acontecimento real, do tipo que as pessoas comentam no trabalho ou na mesa do bar, e imagina-se um outro caminho para a situação. No caso de Castro, ele constrói diferentes rumos e desfechos para episódios intrigantes como um tipo de epilepsia que se assemelha a um orgasmo, a criação de embriões híbridos de coelho e homem ou a descoberta da substância que seria responsável pelo prazer feminino. Todos esses ganchos são notícias publicadas pela imprensa e das quais o autor fez sua limonada.

São textos irreverentes, bem-humorados, com uma pegada leve. Que a aparente amenidade não seja confundida com idéias superficiais: cada texto leva a uma crítica, às vezes sutil, às vezes explícita.

Outro ponto forte do livro é a acidez e a ironia de algumas de suas tiradas. A meu ver, são os melhores momentos dos textos. Veja só:

* sobre os ingleses: "exceto pelo café da manhã, comem muito mal. E são também muito malcomidos";

* sobre os surfistas: "as pulgas são espertas. Diz-se delas que têm um Q.I. superior ao de alguns surfistas";

* sobre espermatozóides defeituosos: "eles escapam [da seleção natural], fecundam óvulos inocentes e daí nascem certos políticos, duplas caipiras, autores de livros de auto-ajuda, apresentadores de televisão, especuladores imobiliários, advogados de traficantes e dirigentes de futebol";

* sobre dinossauros soltando puns: "bem, pode-se imaginar a trilha sonora da Terra naquele tempo - algo parecido com um show do também extinto Guns N' Roses, só que acústico".

Agora, podem me chamar de implicante, mas tem uma coisa que se repete nesses textos e que incomoda demais: o uso generoso de palavras e estruturas "difíceis". Pode até ser engraçadinho, mas não folha após folha... O que me deixa preocupada, já que a orelha do livro afirma que os texto foram "impiedosamente reescritos" para esta publicação. Tenha piedade dos leitores!

Não fiquei catando essas expressões, mas como elas se repetem bastante, é fácil identificar. Uma delas é o advérbio "donde", usado para concluir alguma coisa. Praticamente todos os textos trazem um exemplar dele, donde sua utilização deixa de fazer parte da categoria do estilo e passa a entrar para o time dos vícios.

Acho que quando os textos são lidos um de cada vez, isso passa batido. Na verdade, essas expressões difíceis em meio a textos amenos podem até conferir um certo charme. O recurso reflete um pouco a personalidade paradoxal que o autor parece querer passar: um cara experiente mas atualizado; culto porém engraçado; amante à moda antiga e, ao mesmo tempo, conquistador barato.

Quando lemos o livro todo de uma vez só, percebemos o lugar-comum que faz parte de muitas dessas publicações. Antologia de crônicas virou uma forma fácil de ganhar dinheiro se você já tem algum nome. É só juntar a produção de alguns anos, envolver em uma bela embalagem, colocar um título bem apetitoso e lançar no mercado com uma boa divulgação. Não acrescenta muito para a literatura brasileira, mas pode ser uma opção para a diversão dos leitores de verão (e para alavancar o faturamento das editoras).

Para ir além






Adriana Baggio
Curitiba, 9/12/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Radiohead e sua piscina em forma de lua de Luís Fernando Amâncio
02. Have a nice day de Adriane Pasa
03. Uma lição de solfejo de Carina Destempero
04. Querido site de compras coletivas de Carla Ceres
05. Emagrecer sem sofrer? Isso é papo de revista de Adriana Baggio


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2004
01. Maria Antonieta, a última rainha da França - 16/9/2004
02. Do que as mulheres não gostam - 14/10/2004
03. O pagode das cervejas - 18/3/2004
04. ¡Qué mala es la gente! - 27/5/2004
05. Detefon, almofada e trato - 29/4/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
11/12/2004
10h44min
Gostei de seus comentários sobre uma certa antologia do cronista Ruy Castro, e sobre o próprio jornalista/autor. Gostaria de acrescentar algo. Difícil sacralizar alguém que parece pensar que o Brasil começa nas praias cariocas e termina na serra das Araras e que, não poucas vezes, comentou que nos anos 60 e 70, 99% da vida inteligente no Brasil se localizava numa pequena área de quatro quarteirões em Ipanema. Quase todo mundo sabe que, de maneira geral, a intelectualidade do RJ tem a tendência de considerar o resto do Brasil uma "Caipilândia". Isso não é nada novo. Mas o pior de tudo é que sou obrigado a confessar que gosto de boa parte do que ele escreve. Acho que gostaria ainda mais, se não o conhecesse, há muitos anos, de entrevistas e outras participações televisivas.
[Leia outros Comentários de Roberto Morrone]
15/11/2007
20h45min
A writer writes best about what he/she knows personally. Mr. Castro should be forgiven for writing so well about Rio. I imagine he is not expecting his book "Amestrando orgasmos – bípedes, quadrúpedes e outras fixações animais" to be key to his admittance to the Academia Brasileira de Letras.
[Leia outros Comentários de Tenney Naumer]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Friuli Venezia Giulia - Città, Borghi, Paesi
Gianni Daffara e Licio Damiani
Magnus
(1998)



Defensores Indefensáveis 23
Keith Giffen e Outros
Panini Comics
(2015)



Essential Idioms in English
Robert James Dixson
Disal
(2007)



Teoria e Realidade - 1ª Edição - 2ª Reimpressão
Mario Bunge
Perspectiva
(2013)



Manual de Direito Processual Civil
Renato Montans de As
Saraiva
(2016)



David Coperfield
Charles Dickens
Longmans
(1961)



Machado de Assis: crônicas
Eugênio Gomes
Agir
(1963)



Humor em Pílulas
Aziz Lasmar e José Seligman
Revinter
(2001)



Dom Quixote - Livro Primeiro - Edição de Bolso
Miguel de Cervantes
L&pm Pocket
(2005)



O Último dos Moicanos
James F. Cooper
Gênios
(2005)





busca | avançada
51839 visitas/dia
1,8 milhão/mês