Desejos e argumentos para 2005 | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
58257 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Sessão Única com Jogo de Escape Game e debate do filme 'Os Bravos Nunca se Calam' em SP
>>> OBRAS INSPIRADAS DURANTE A PANDEMIA GANHAM DESTAQUE NO INSTITUTO CERVANTES, EM SÃO PAULO
>>> Sempre Um Papo com Silvio Almeida
>>> FESTIVAL DE ORQUESTRAS JUVENIS
>>> XIII Festival de Cinema da Fronteira divulga Programação
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> iPad
>>> iPad
>>> iPad
>>> Sátiro e ninfa, óleo s/ tela em 7 fotos e 4 movies
>>> poeta del vacío existencial
>>> Croft & Kidman
>>> Histórias de gatos
>>> Whitesnake, 1987
>>> Por que Dilma tem de sair agora
>>> A árvore da vida
Mais Recentes
>>> D. Pedro I (Perfis Brasileiros) de Isabel Lustosa pela Companhia das Letras (2006)
>>> Quatro Estações de Stephen King pela Objetiva (2001)
>>> Wicca Gardneriana de Mario Martinez pela Gaia (2005)
>>> O Feitiço do Cinema Ensaios de Griffe Sobre a Sétima Arte de Juan Guillermo D. Droguett e Flavio F. A. Andrade pela Saraiva (2009)
>>> Os Últimos Anos da Escravatura no Brasil de Robert Conrad pela Civilização Brasileira (1975)
>>> Recursos Hidricos - Direito Brasileiro e Internacional de Paulo Affonso Leme Machado pela Malheiros (2002)
>>> Responsabilidade Fiscal - Autografado de Kiyoshi Harada - Autografado pela Juarez de Oliveira (2002)
>>> Lugar de Medico e na Cozinha - Cura e Saúde pela Alimentação Viva de Dr. Alberto Peribanez Gonzalez pela Alaúde (2008)
>>> Jung o Mapa da Alma de Murray Stein pela Cultrix (2006)
>>> Candido Mendes : a Aventura da Consciência de Maria Isabel Mendes de Almeida pela Educam (2008)
>>> Freakonomics - o Lado Oculto e Inesperado de Tudo Que nos Afeta de Elsevier pela Campus (2005)
>>> Transmissores Para Iniciantes - 30 projetos de Newton C Braga pela Saber (1994)
>>> A Astrologia e a Psique Moderna: Um astrólogo analisa a psicologia profunda de Dane Rudhyar pela Pensamento (1986)
>>> Sistemagia de Adriano Camargo Monteiro pela Madras (2006)
>>> O Legado da Deusa de Mirella Faur pela Rosa dos tempos (2003)
>>> Pensando a Física de Mário Schenberg pela Brasiliense (1984)
>>> Les Secrets de Florence Nightingale - bibliothèque blanche de Alice Wilburstone-Payne pela Blanche (2005)
>>> A Bíblia na Linguagem de Hoje - O Novo Testamento 3ª edição. de Sociedade Bíblica do Brasil pela Sociedade Bíblica do Brasil (1975)
>>> Histologia Básica - texto/Atlas de Luiz C. Junqueira; José Carneiro pela Guanabara Koogan (2022)
>>> Quando eu Voltei, Tive uma Surpresa de Joel Rufino dos Santos pela Rocco (2000)
>>> O Atraso Econômico em Perspectiva Histórica de Alexander Gerschenkron pela Contraponto (2015)
>>> Pintando Sua Alma - método de desenvolvimento da personalidade criativa de Susan Bello pela Wak (2007)
>>> O Século XX - o tempo das crises - revoluções, fascismos e guerras volume 2 de Daniel Aarão Reis Filho; Jorge Ferreira; Celeste Zenha pela Civilização Brasileira (2000)
>>> O Massacre de Manguinhos de Herman Lent pela Edições Livres (2019)
>>> O Massacre de Manguinhos de Herman Lent pela Edições Livres (2019)
COLUNAS

Quarta-feira, 12/1/2005
Desejos e argumentos para 2005
Ana Elisa Ribeiro

+ de 3000 Acessos
+ 1 Comentário(s)


Mestre Eduardo entre os aprendizes Jorge e Ana

Aos seis meses de idade, todos os seres humanos sem necessidades especiais ou específicas estão às voltas com um conflito interessantíssimo: a diferença entre querer e realizar; a distância entre desejar algo e poder tê-lo (ou fazê-lo). E esse conflito vai sendo amenizado aos poucos, com o passar não dos dias ou dos anos, mas dos minutos.

Há cinco minutos, o garotinho queria apertar um botão para ouvir um barulho de sirene. O brinquedo era um carrinho cheio de teclas, cada qual disparadora de uma buzina diferente. O bebê já sabe disso e inicia a empreitada de brincar com o carrinho dando-lhe safanões. Não ouve barulhos e ainda joga o brinquedo longe. Em alguns minutos, ele passará a "bater" no brinquedo de maneira mais calculada e sutil. No dia seguinte, estará batendo com um dos dedos, o eleito para quase tudo. No decorrer de uma semana, se o bebê estiver maduro (seu cérebro, suas sinapses), poderá tocar cada botão com um dedo e os barulhos serão mais intencionalmente conseguidos. Aquela jogada de sorte que era dar safanões no carrinho e acertar uns botões aleatoriamente terá dado lugar à relação mais estreita entre querer e poder.

Também algo assim acontece com a vontade de falar. Aos seis meses, o bebê demonstra a intenção de chamar os pais quando os vê passar ou quando quer a atenção deles. Também já emite sons desconexos no lugar da fala articulada e tem intenção quando faz isso. Os pais conseguem entender a intenção do bebê, embora ainda não ouçam palavras ou interjeições (no mínimo).

A vontade de chamar a atenção, de pedir para ir ao colo dos pais, de pedir para ficar de pé, assim como o desejo de pegar a mamadeira que está longe já existem. Falta ao menino coordenação motora e articulação para executar essas tarefas.

Todos ao seu redor fazem todas essas coisas o dia inteiro. O garotinho sabe que pode aprender tudo aquilo e deseja aprender. Quando não consegue, fica irritado, chora, geme. A mãe ajuda a realizar algumas coisas, o pai traz a mamadeira, a avó põe de pé. Mas ainda não é possível fazer com autonomia. No entanto, não obstante a falta de coordenação motora, o mais importante já está lá: a vontade de fazer.

E essa vontade vem antes da coordenação. O desejo de falar, de se manifestar, de reagir chega antes de poder articular palavras, andar, correr, pegar o que parece ao alcance. Também essa distinção (o que está e o que não está ao alcance no momento) é algo aprendido com a experiência.

O garoto quer. Isso garante uma série de coisas, uma das quais, muito importante: o aprendizado. Se ele não desejasse antes de fazer, não faria. Se ele não admitisse os desafios do minuto seguinte, não sentiria o impulso de dar safanões no brinquedo até conseguir dele uma sirene de polícia, um miado, uma risada de palhaço.

Os desejos de aprendizado, de mudança, de execução; as reações, ações e sensações pró-ativas devem chegar antes e devem mover e retroalimentar.

O garoto de seis meses tem muitas tarefas por dia pela frente, assim que acorda, às 7 da manhã. À noite, terá aprendido a chupar o dedo com mais precisão e terá segurado a mamadeira mais pesada. Aos seis meses, a vontade de chamar a atenção dos pais faz com que ele ensaie ruídos que querem dizer: venham cá. E os pais entendem que a intenção seja essa porque todos ali dispõem de linguagem: coisa que entre os humanos é algo facilitador (ou deveria ser!) e ordinário.

Aos seis meses, o menino sabe o que quer e atua no meio em que vive para conseguir seus intentos e mais interessante: para aprender. E se tudo der certo, conforme as experiências que ele terá ao longo dos anos, aprenderá muitas coisas da natureza e da cultura e se formará sujeito (e não um assujeitado); educado e social (e não um sem educação que não conhece seus limites e os dos outros).

Essas pequenas lições que aprendi com meu filho me fazem ficar atenta às coisas que eu desejo, quero e para minhas ações, ao longo do tempo, em meu meio, na interação com os outros e com o ambiente, para executar tarefas da minha natureza e da minha cultura, ambições e a consecução das vontades.

Uns têm vontades e não agem; outros agem sem querer; alguns agem sem pensar (fato grave). Muitos parecem morrer em vida e não têm os progressos de um bebê de seis meses. Eu ando repensando isso e reavaliando os progressos que posso conseguir para não ficar para trás (em relação ao garotinho que tenho em casa).

O início de um novo ano pode ser um momento interessante para ter desejos. Melhor ainda: para começar a agir, tenha o sujeito seis meses ou sessenta anos.

* * *


E não ousem dizer que a foto é montada. Não é. O guri não nega a raça. Aprendeu a gostar de livro. Agora não tem mais volta. Anda pedindo para ir à estante ver aquelas lombadas coloridas e pede para parar na frente da ala de poetas. Entre os preferidos, Ricardo "Ximite" Carvalho, com seu Lascas.

Sade ou Sades?
Foi realizada, no mês passado (ano passado!), a Bienal dos Piores Poemas, em Belo Horizonte. Não sabemos ao certo, mas deve ter sido sua terceira ou quarta edição. O tema deste ano era "os clássicos". A "tarefa" dos concorrentes era "transcriar" um poema conhecido e torná-lo muito pior do que o original. Não fomos informados sobre os "ganhadores", mas um dos poemas que recebeu menção honrosa foi de Eugênio Alves Pereira Macêdo (Boca de Ouro), que "transcriou" um poema do livro Perversa, da patifa Ana Elisa Ribeiro. O texto original era "Sade" e o piorado chamou-se "Sades", sendo que é difícil saber qual dos dois é mais ferrado. Curioso que o poema de Ana Elisa tenha sido aceito pelo concurso dentro do tema "clássicos". Vai entender... Veja abaixo as duas peças:

"Sade"
por Ana Elisa Ribeiro

Basta
Quando eu pedir
Me bata

* * *

"Sades"
por Boca de Ouro

Comprarei para nós
Nova aliança
Um chicote


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 12/1/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Saia curta, liberdade longa. de Adriane Pasa
02. O medo como tática em disputa eleitoral de Humberto Pereira da Silva
03. Rejeição de Daniel Bushatsky
04. As Aventuras de Pi de Duanne Ribeiro
05. Coisas que eu queria saber fazer de Ana Elisa Ribeiro


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2005
01. Mapa da sala de aula - 6/4/2005
02. Para gostar de ler? - 24/8/2005
03. Publicar um livro pode ser uma encrenca - 28/12/2005
04. Escrever bem e os 10 Mandamentos - 20/7/2005
05. Sexo pra quê? Texto onde? - 26/1/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
15/1/2005
17h04min
Amei esse texto, tenho realizado oficinas de didática do desejo e acho que isso tem tudo a ver, vou citar nos próximos encontros. beijins
[Leia outros Comentários de Sandra Regina]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Horizontes da Vida
João Nunes Maia
fonte viva
(1989)



Como Aprendi a Pensar - os Filósofos Que Me Formaram
Luiz Felipe Pondé
Planeta
(2019)



Dia a Dia Com o Evangelho 2019: Ano C - São Lucas
Paulus Editora
Paulus
(2018)



Planejamento Estratégico Empresarial
Maurício Castelo Branco Valadares
Qualitymark
(2003)



Livro - O Primo Basílio
Eça de Queirós
Nova Cultural



Relatos de Uma Alma
Dorita Moraes Barros
lacerda
(1999)



Big Bang
Heather Couper e Nigel Henbest
Moderna
(1997)



Avalon e o Graal
H. Gerenstadt
madras
(2002)



Auto da Barca do Inferno
Gil Vivente
Ftd
(1997)



Psicossomática Hoje
Julio de Mello Filho / Miriam Burd
Artmed
(2010)





busca | avançada
58257 visitas/dia
1,6 milhão/mês