Perdemos público em 2004? E daí? | Lucas Rodrigues Pires | Digestivo Cultural

busca | avançada
53064 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Música: Fabiana Cozza se apresenta no Sesc Santo André com repertório que homenageia Dona Ivone Lara
>>> Nos 30 anos, Taanteatro faz reflexão com solos teatro-coreográficos
>>> ‘Salão Paulista de Arte Naïf’ será aberto neste sábado, dia 27, no Museu de Socorro
>>> Festival +DH: Debates, cinema e música para abordar os Direitos Humanos
>>> Iecine abre inscrições para a oficina Coprodução Internacional para Cinema
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
>>> A Lei de Murici
>>> Três apitos
>>> World Drag Show estará em Bragança Paulista
>>> Na dúvida com as palavras
>>> Fly Maria: espaço multicultural em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Affirmative action
>>> Cozinhando com mamãe
>>> Conheça Carácolis (parte 1)
>>> A falta que Tom Wolfe fará
>>> Mob Flash
>>> A Geração Paissandu
>>> História de um papagaio de papel
>>> Saleté S.A.
>>> YouTube: a história (trailer)
>>> Gran Torino, de Clint Eastwood
Mais Recentes
>>> The Last Apprentice - Night of the Soul Stealer de Joseph Delaney pela Greenwillow Books (2008)
>>> Flame of White Light de T. V. Kapali Sastry pela Dipti Publications
>>> Poesia Completa de Lucídio Freitas pela Universidade Federal do Piauí
>>> As Melhores Receitas de Claudia de N/d pela Círculo do Livro (1983)
>>> Problemas Com os Pais: Como Viver Bem Com Eles de Tim Stafford pela Assoc. Fluminense de Educação (1980)
>>> A Forma dos Evangelhos e a Problemática dos Sinóticos de B. P. Bittencourt pela Imprensa Metodista (1969)
>>> Harmonia : Formas Mágicas de Equilibrar o Lar de Anne Adelaide Lennormand pela Ediouro (2008)
>>> O Livro da Loucura e das Curas de Regina Omelveny pela Novo Conceito (2013)
>>> Grande Hotel - Grandes Sucessos de Vicki Baum pela Abril Cultural (1980)
>>> Orquídeas da Natureza 05 de Europa pela Europa
>>> Fisiologia de Robert M. Berne e Matthew N. Levy pela Guanabara Koogan (1996)
>>> Biblioteca Vida e Missão - Carta Pastoral Sobre Jejum de N/d pela Imprensa Metodista
>>> Jardim de Inverno de Zélia Gattai pela Record (1988)
>>> A Segunda Morte de Marcia Kupstas pela Moderna (1993)
>>> Biblioteca Vida e Missão - Carta Pastoral Testemunhar o Ardor de N/d pela Imprensa Metodista
>>> Questões Pastorais Contemporâneas de N/d pela Instituto Metodista de Ensino
>>> Classes Sociais e Pastoral da Juventude de Luciano Mendes F. Filho pela Paulinas (1988)
>>> É Proibido Chorar de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> Grandes Civilizações Desaparecidas - as Civilizações Pré-históricas de Jean-marc Brissaud pela Ferni (1978)
>>> Pão Diário 16 de N/d pela Rbc
>>> Gossip Girl - Only in Your Dreams de Cecily Von Ziegesar pela Little Brown (2006)
>>> Savanna Game - Segunda Temporada - Vol. 1 de Ransuke Kuroi pela Jbc (2016)
>>> Fisiologia do Exercício: Energia, Nutrição e Desempenho Humano de William D. Mc Ardle; Frank I. Katch; Outro pela Guanabara Koogan (1998)
>>> The Mouse and the Motrocycle de Beverly Cleary pela Dell (1965)
>>> A Garota do Calendário: Outubro de Audrey Carlan pela Verus (2016)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2004

Segunda-feira, 17/1/2005
Perdemos público em 2004? E daí?
Lucas Rodrigues Pires

+ de 7000 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Fico com algum receio quando leio as avaliações de jornais e revistas a respeito do cinema brasileiro em 2004. Em todos os textos a chamada principal (a idéia que os autores quiseram passar aos leitores) é que o nosso cinema perdeu espaço, perdeu público e voltou a estar em baixa - fechou o ano com 15% de participação. Não dizem exatamente que o cinema tupiniquim está em baixa, mas a conclusão que fica no ar é essa: voltamos a cair depois de quatro anos de crescimento e um 2003 inesquecível, quando se atingiu 22% do mercado nacional de cinema (22% dos ingressos vendidos em 2003 foram para algum filme nacional).

Quem não entende bem o mercado ou não acompanha os lançamentos, não sabe quem distribuiu certo filme, quantas salas exibiram etc. - coisas que fazem parte do estudo para lançamento de um filme (cada vez mais os trâmites extracinematográficos devem ser levados em conta) - vai com certeza ver nessas manchetes uma informação negativa e pessimista. Não será difícil alguns pensarem: "Tá vendo, voltou a ficar ruim nosso cinema". Mas o fato é que tal elucubração não equivale à realidade, pois não tivemos um filme arrebatador de público como foi Carandiru em 2003, mas no geral tivemos muito bons filmes com público singelo. Deixar se levar por números não é a melhor posição em se tratando de cinema.

Agora, meus melhores de 2004.

Filme: Narradores de Javé

Tenho este como um dos melhores filmes nacionais da última década e um dos mais injustiçados (em termos de público e de repercussão crítica). Quem não viu no cinema corra urgentemente para a locadora pegar o DVD. Uma história simples, protagonizada por gente simples numa empreitada quixotesca de salvar um povoado do alagamento por uma represa. É a luta da natureza contra o progresso, com esta necessariamente prevalecendo. Mas o grande lance de Narradores é que seu povo não perde jamais, inventa histórias e mesmo na tragédia é capaz de permanecer e reiniciar.

Menção também recebe De Passagem, de Ricardo Elias.

Diretor: Carlos Reichenbach
Carlão estava fora do circuito desde Dois Córregos, quando fez uma viagem ao seu passado e recriou sua convivência com um tio comunista na época da ditadura. Em Garotas do ABC, do qual também escreveu o roteiro, ele visita o universo das operárias do ABC paulista e seu cotidiano. Namoros, paixões, diversões, trabalho, são mulheres tentando sobreviver no meio rude tipicamente masculino do trabalho industrial que marca a região. Reichenbach sabe filmar como poucos e Garotas surge nas telas quase como uma homenagem ao cinema, com referências a diversos clássicos do século 20 e discussões de temas atuais nacionais, como o do neonazismo que vira e mexe reaparece no ABC. Carlão está cada vez mais maduro e filma o mundo feminino com a sensibilidade de poucos.

Ator: José Dumont e Daniel de Oliveira
Não tem o que falar de José Dumont. Tem é que se assistir a Narradores de Javé e rir com sua atuação fantástica como Antônio Biá. Outro que mereceu destaque em 2004 foi Daniel de Oliveira, o rostinho que surgiu para ser Cazuza nas telas... Pegue a cena inicial em que ele chega na casa de Frejat e vai logo cantando improvisadamente uma música. Desses pequenos lances que vive o cinema e faz de um ator um ator de verdade.

Atriz: Camila Morgado
Aqui indico a heroína do filme de Jayme Monjardim mais por falta de opção do que por uma excepcional atuação. Podia ter colocado aqui a Fernanda Montenegro de O Outro Lado da Rua, mas aí seria chover no molhado. Não agüento mais ler falando bem dela, elogiando sua atuação para qualquer coisa que faça. Admiro seu trabalho, mas ela já é uma unanimidade.

Roteiro: Narradores de Javé
O melhor filme do ano sem dúvida teve o melhor roteiro. Não dá pra falar, tem de ver.

Fotografia: Filme de Amor

A obra de Júlio Bressane é das mais herméticas e pouco compreendidas do cinema brasileiro. Filme de Amor parece fugir desse rótulo, sendo compreensível, mas não deixando de lado o toque Bressane de filmar. Neste, quase um tratado sobre o sexo, a fotografia é parte da narrativa. Cenas em cores, outras em preto e branco, enquadramentos baseados em pinturas, tudo neste filme tem uma razão de ser, cada plano foi desenhado e planejado com rigor.

Documentário: O Prisioneiro da Grade de Ferro
No ano que tanto se falou nos documentários, este foi sem dúvida o melhor deles, com um retrato (ou auto-retrato) do Carandiru nunca visto antes.

Ator coadjuvante: Os moradores de Javé
Aqui está difícil de escolher um, portanto, elejo todos os moradores de Javé como os melhores coadjuvantes do ano. Entre atores profissionais (como Gero Camilo) e pessoas da própria região, eles completaram magnificamente esse filme, com a exata pitada de humor, regionalismo e ingenuidade.

Atriz coadjuvante: Suely Franco
Roma, a mulher do personagem de Daniel Filho no filme Querido Estranho, baseado em obra de Maria Adelaide Amaral, merece destaque por seu papel dramático de mulher dedicada e apaixonada que só leva patada do marido no dia do aniversário deste. Sua dedicação é retribuída com ofensas, e transmitir ao espectador a dor moral é algo nada simples de fazer.

Trilha Sonora: Cazuza
Num ano em que não se destacou nenhuma trilha em especial, a música de Cazuza foi de fato o que de melhor acompanhou as imagens produzidas pelos nossos cineastas.

Surpresa positiva: Redentor
Um filme que une uma idéia original, um roteiro bem amarrado, humor inteligente e é o reflexo da própria brasilidade, tanto no que se vê nas telas como na saga que foi para Cláudio Torres realizar o filme - 8 anos desde que começou a escrever o roteiro.

Revelação: Heitor Dhalia e Marcos Bernstein
Neste ano, dois novos diretores apareceram ao cenário nacional em longas. O primeiro fez Nina, uma obra inspirada em Crime e Castigo que traz Guta Stresser (a Bebel de A Grande Família) como Nina, uma mente atormentada vivendo o esmagamento psicológico da vida urbana de São Paulo. A fotografia um tanto expressionista reflete o lado subjetivo que o diretor quis imprimir ao filme.

Já Bernstein tem experiência anterior como roteirista, sendo Central do Brasil seu mais famoso trabalho. Em O Outro Lado da Rua, ele dirige Fernanda Montenegro, que interpreta uma mulher solitária que se envolve com um homem que ela acredita ter matado a própria esposa. Da solidão ela passa a reencontrar a paixão e o amor na maturidade.

Filme estrangeiro

Claro que não vi todos os filmes, portanto só poderei selecionar entre aqueles que eu assisti. Entre eles, os melhores foram Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças, de Michel Gondry e com Jim Carrey, e Whisky (foto acima), dos uruguaios Juan Pablo Rebella e Pablo Stoll. Outros belos filmes que devem constar no topo da lista são Dogville, de Lars von Trier, e 21 Gramas, do mexicano Alejandro González Iñárritu.


Lucas Rodrigues Pires
São Paulo, 17/1/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Seriados made in the USA de Juliana Lima Dehne
02. A graça da coisa de Pilar Fazito
03. Três Idiotas de Alexandre Soares Silva


Mais Lucas Rodrigues Pires
Mais Acessadas de Lucas Rodrigues Pires
01. Olga e a história que não deve ser esquecida - 30/8/2004
02. Os narradores de Eliane Caffé - 5/2/2004
03. Babenco traz sua visão do país Carandiru - 17/4/2003
04. Quem tem medo de Glauber Rocha? - 19/7/2004
05. A Barsa versus o Google - 16/3/2006


Mais Especial Melhores de 2004
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/1/2005
19h32min
Fico impressionado como o cinema e a arte em geral no Brasil depende de incentivos do governo. Precisamos mudar essa realidade, acredito que temos boas idéias, mas a maioria dos artistas não podem realizá-las pois não temos investimentos suficientes. A falta de investimento é principalmente em virtude de limitações do governo sobre a quantidade de renúncia fiscal que as empresas podem realizar, mas deveríamos criar outras formas de investimento em artes que independense de ações do governo. Tenho ciência que em outros países, principalmente os desenvolvidos, as empresas investem idependentemente da ação do governo pois olham a artes como uma forma de divulgação de sua marca/produto. Outra forma de captação de recurso nesses países é a doação e a participação do cidadão comum, que realiza de forma simples e prática a renúncia fiscal. Para as empresas renunciarem também é simples e ao proponente os processos não são muito burocráticos como no Brasil. Acredito que ações neste sentido deveriam ser realizadas para aumentar os recursos captados, diminuir burocracias para minimisar os custos e podermos voltar a ter um crescimento não somente na área de cinema, mas também a outras áreas das artes. Acredito, por fim, que estes investimentos devem garantir mais acesso aos recursos artísticos, de preferência os de qualidade e os eruditos, à população de baixa renda e o desenvolvimento em cidades do Brasil, que estão fora do cirquito culural Rio/São Paulo, para que um quantidade maior da população brasileira possa ter acesso.
[Leia outros Comentários de Flavio]
17/2/2005
21h43min
Ode ao desincentivo do Governo. Se hay governo, soy contra. O governo atual não pensa na cultura e quando pensa, caga. Veja os exemplos do Gilberto Gil. Quando estava fora do governo, era muito mais antivo como militante cultural do que agora. Não se vê inventivo cultural para a população de baixa renda. São tantos artistas sem amparo, tentando custear seus sonhos e projetos com o suor dos seus esforços. Falta uma politica cultural eficiente. O PT não tem uma politica cultural. Muito se discutiu mas não se chegou a lugar nenhum.Desde os primeiros passos discutidos em Diadema, nos primeiros esncontros de cultura do partido. Lá estava eu, esperançoso e acreditando que alguma coisa iria mudar. Tudo está como antes no País de abrantes. Merda. Clovis Ribeiro
[Leia outros Comentários de Clovis Ribeiro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Texaco
Patrick Chamoiseau
Companhia das Letras
(1993)



Nos Bastidores da Censura
Deonísio da Silva
Estação Liberdade
(1989)



Infiltrado
Robert K. Wittman
Zahar
(2011)



Revista Nova Perspectiva Sistemica - 34
Noos
Instituto Noos
(2009)



A Bíblia mais Bela do Mundo 38
Pe. Antônio Charbel
Abril
(1965)



Manual Prático de Ioga
Julien Tondriau
Hemus



O Mundo Pitoresco Tomo I 5 EdiÇÃo
W M Jackson
W. M. Jackson
(1954)



Educação Física para o Pré Escolar
Celio José Borges
Sprint
(1987)



Small Island
Andrea Levy
Headline
(2004)



The Oc - the Outsider (com Cd)
Josh Schwartz
Richmond Publishing
(2007)





busca | avançada
53064 visitas/dia
2,2 milhões/mês