Primavera dos Livros do Rio 2005 | Cassiano Viana | Digestivo Cultural

busca | avançada
31 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
Últimos Posts
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Pedaço da Pizza: novidades depois de uma década
>>> Felipe Neto no Roda Viva
>>> Fabio Gomes
>>> O Menino que Morre, ou: Joe, o Bárbaro
>>> Sou da capital, sou sem-educação
>>> Uma vida bem sucedida?
>>> A morte da Capricho
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Bienal do Livro Bahia
>>> A primeira hq de aventura
Mais Recentes
>>> A interpretação do assassinato de Jed Rubenfeld pela Companhia das Letras (2007)
>>> Os Mistérios da Rosa-cruz de Christopher Mcintosh pela Ibrasa (1987)
>>> Las Glandulas Nuestros Guardianes Invisibles de M. W. Kapp pela Amorc (1958)
>>> Experiências Práticas de Ocultismo para Principiantes de J. H. Brennan pela Ediouro (1986)
>>> As Doutrinas Secretas de Jesus de H. Spencer Lewis pela Amorc (1988)
>>> Amigos Secretos de Anamaria Machado pela Ática (2021)
>>> A Vós Confio de Charles Vega Parucker pela Amorc (1990)
>>> O Segredo das Centúrias de Nostradamus pela Três (1973)
>>> Para Passar em Concursos Jurídicos - Questões Objetivas com Gabarito de Elpídio Donizetti pela Lumem Juris (2009)
>>> Dicionário espanhol + Bônus: vocabulário prático de viagem de Melhoramentos pela Melbooks (2007)
>>> Memorias De Um Sargento De Milicias de Manuel Antônio de Almeida pela Ática (2010)
>>> Turma da Mônica Jovem: Escolha Profissional de Maurício de souza pela Melhoramentos (2012)
>>> Xógum Volume 1 e 2 de James Clavell pela Círculo do Livro
>>> Viva à Sua Própria Maneira de Osho pela Academia
>>> Virtudes - Excelência Em Qualidade na Vida de Paulo Gilberto P. Costa pela Aliança
>>> Vida sem Meu Filho Querido de Vitor Henrique pela Vitor Henrique
>>> Vida Nossa Vida de Francisco Cândido Xavier pela Geem
>>> Vida Depois da Vida de Dr. Raymond e Moody Jr pela Circulo do Livro
>>> Vícios do Produto e do Serviço por Qualidade, Quantidade e Insegurança de Paulo Jorge Scartezzini Guimarães pela Revista dos Tribunais
>>> Viagem na Irrealidade Cotidiana de Umberto Eco pela Nova Fronteira
>>> Uma Só Vez na Vida de Danielle Steel pela Record (1982)
>>> Uma Família Feliz de Durval Ciamponi pela Feesp
>>> Um Roqueiro no Além de Nelson Moraes pela Speedart
>>> Um Relato para a História - Brasil: Nunca Mais de Prefácio de D. Paulo Evaristo pela Vozes
>>> Um Longo Amor de Pearl S Buck pela Circulo do Livro
COLUNAS

Quinta-feira, 29/9/2005
Primavera dos Livros do Rio 2005
Cassiano Viana

+ de 5000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Terminou nesse domingo (25), aqui no Rio, a quinta edição da Primavera dos Livros, feira anual promovida pela Liga Brasileira de Editores (Libre).

A Primavera não é um evento concorrido, cheio de marra e celebridade como a Flip, por exemplo. Os leitores estão ali pelos descontos; os jornalistas pelas "barbadas"; os autores pelo contato com os donos das editoras; os editores, por um espaço maior do que aqueles reservados nas Bienais de megastands.

Na quinta-feira, a Cristina Warth fez um retrospecto do evento, falando em consolidação. Angel Bojadsen (agora ex-presidente da Libre) foi direto e disse que o grande desafio pra qualquer editora é colocar livros nas livrarias (não é tão óbvio assim, leia os próximos parágrafos), informando que, em São Paulo (a Primavera terá sua versão paulista durante os dias 20 e 23 de outubro na OCA - Ibirapuera), será realizada uma assembléia geral da Liga, onde serão consolidadas propostas que indiquem qual o futuro desse segmento do mercado editorial no futuro.

Já Galeno Amorim, coordenador do programa Fome de Livro, do Viva Leitura e da Política Nacional da Leitura e de Bibliotecas Públicas, disse que as ações isoladas em todo país apontam a necessidade de construir uma política nacional do livro e da leitura. Para o representante do Ministério da Cultura é a pequena editora que garante a diversidade, pluralismo e riqueza editorial. Ele mesmo, em outros tempos, um pequeno editor (logo, um conhecedor das dificuldades dessa fatia do mercado editorial no país), anunciou um plano Pró-leitura que contemplará os próximos cinco anos e a perspectiva de 40, 45 milhões de reais em recursos anuais para viabilizar políticas públicas para o setor.

Tudo isso será anunciado, pelo que entendi, agora em dezembro, junto com uma agenda macro-política e a criação da tal Câmara Setorial do Livro, da qual a Libre já é um dos nomes e assentos garantidos. Essa, uma boa notícia.

Daí veio o melhor.

Os professores Fábio Sá Earp e George Kornis, economistas do Grupo de Pesquisas em Economia do Entretenimento da UFRJ, apresentaram os resultados do trabalho realizado sob encomendada pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

A partir de dados comparativos, tanto do Brasil como do Brasil em relação a outros países, eles mostraram que existe sim uma crise (a venda das editoras foi reduzida praticamente à metade, entre 1995 e 2003), mesmo levando em consideração o tal crescimento de 5% da economia e a tão declarada hype literária.

Algumas das causas dessa crise: 1) preço do livro (segundo eles, um livro deveria custar ao menos 1/3 do que custa hoje); 2) queda do poder aquisitivo/renda bruta de quem compra livro com freqüência; 3) Problemas de distribuição. Fora isso, o governo comprando menos a preços menores, pirataria, uso da Internet etc.

Alguém ainda veio me dizer: "a culpa da crise não é das editoras e sim dos poucos leitores".

Se esse mesmo alguém tivesse participado do debate saberia do efeito "Tostines" (ilógico e injustificável) que um dos pesquisadores identificou: segundo as editoras "o livro é caro porque vende pouco. E vende pouco porque é caro". Mané justificativa. É caro porque é caro, e as editoras (pequenas editoras) ainda não sabem administrar seus negócios de forma empreendedora e corporativa, de uma forma que gerem lucro, sem prejudicar o leitor e as vendas.

Os pesquisadores deram exemplos da similar da Libre na França, sempre deixando claro: é preciso aprender, organizar, profissionalizar o setor e abolir a idéia romântica de que a indústria do livro se resume a antologias, romances, livros de contos, poesias, manuais de estilo. Talvez por isso o nariz torcido da maioria. O professor Fábio deu a dica dos livros científicos de pesquisadores brasileiros, que poderiam ser mais baratos e poderiam render traduções para outras línguas. Outro dado: juntos, publicações religiosas e obras técnicas ainda perfazem a maior parte das vendas. Dentro do item "obras gerais", todo o resto: auto-ajuda e ficção.

Rolou um debate, sim. Debate caloroso, com descontentamento e muita gente desconfortável. Afinal, aquele seria dia de festa, certo? O que não deixa de ser produtivo: babar ovo é uma merda (desculpem). E quem baba dono de editora é autor, escritor fazendo lobby, implorando "pelamordedeus me publique!".

Pena que - até agora não encontrei - em nenhum jornal, site, blog, qualquer repercussão para esse debate, que vai além do que eles chamam, na pesquisa, de starsystem.

Parece que o melhor debate ainda é aquele que tem como objetivo confirmar o valor ou não de certos grupos de autores (sempre em detrimento a outros), ou aquele, que repercute a "multiplicação de novos escritores". Picuinhas literárias. Guerrinha de ego. Coisa de mulherzinha.

Alguém escreverá: sempre foi assim.

E eu, mentalmente, fico aqui pensando: é verdade: e é justamente por essas e outras que vivemos essa bosta que é até hoje.

No mais, na mesa sobre D.Quixote para Jovens, que contou com a presença de alunos de várias escolas daqui do Rio, Marina Colasanti foi só delicadeza em suas respostas. Já o Gullar parecia que falava para uma platéia de adultos. "Não: essa sua pergunta já foi respondida e não há nenhuma referência a Quixote em minha obra". Alguém deveria avisá-lo do quão prejudicial uma resposta como essa pode ser nessas horas; João Ubaldo por ele próprio: disse que não fazia mais palestras. Agora só respondia perguntas. Logo, faltou microfone; Borges e literatura fantástica: destaque para o Bráulio Tavares. O melhor (e provavelmente o mais esperado) lançamento foi o do livro de poemas do Chico César. Desculpe: não tenho saco pra isso de palestra sobre "blog é literatura?". (Esse tema realmente ainda rende algum debate?)

A oficina (palestra) sobre encadernação deveria ser melhor divulgada. Alguns (se não todos) debates deveriam ser registrados, sistematizados e disponibilizados ao público, no site do evento ou numa publicação.

É preciso que a Primavera dos Livros tenha vida longa porque é uma resposta de um grupo de editoras ao monopólio das maiores, dos grandes grupos, que, aparentemente, gastam muito repetindo um catálogo de vendas garantidas. O trabalho das pequenas, por sua vez, é garimpar títulos, novidades, apostar, abrir espaço. Não é à toa que essas maiores andam criando selos de "novos" e edições pocket. Eventos como a Primavera dos Livros e instituições como a Libre causam desconforto. Fico imensamente feliz que seja assim.


Cassiano Viana
Rio de Janeiro, 29/9/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. É hora de estudar fora de Carla Ceres
02. O gato diz adeus de Marcelo Spalding
03. 10 músicas: Michael Jackson de Rafael Fernandes
04. Sobre cafés e livros de Ana Elisa Ribeiro
05. Abismos literários de Luis Eduardo Matta


Mais Cassiano Viana
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
5/10/2005
22h38min
Estamos super orgulhosos de vc! muitos beijos...
[Leia outros Comentários de Ludmilla Viana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Escutando Sentimentos - 1ª Edição
Wanderley Oliveira & Ermance Dufaux
Dufaux
(2006)



Ricardo iii
William Shakespeare; Luiz Antônio Aguiar
L&pm Editores
(2007)



Pecados Sagrados
Nora Roberts
Bertrand Brasil
(2009)



A Horripilante História da Morte
Clive Gifford
Matrix
(2013)



Prólogos - Com um Prólogo dos Prólogos
Jorge Luis Borges
Rocco
(1985)



79 Park Avenue
Harold Robbins
Record
(1955)



Ainda Existe Esperança. a Solução para os Problemas da Vida
Enrique Chaij
Casa
(2010)



Sistema Gastroenterologico
Guia Didatico
Peprazol



Manual de Fisica
Dcl
Dcl
(2007)



Reparando Erros de Vidas Passadas
Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho
Petit
(2004)





busca | avançada
31 visitas/dia
2,2 milhões/mês