Por que eu não escrevo testimonials no Orkut | Adriana Baggio | Digestivo Cultural

busca | avançada
28879 visitas/dia
957 mil/mês
Mais Recentes
>>> 'D. Quixote de La Mancha pelas mãos de Canato'
>>> Projeto nacional de educação musical estará em santos no próximo dia 24.10, em Guarujá 25.09 e Santo
>>> Teatro Fase abre palco para comédia
>>> Artistas da 33ª Bienal participam do open studio na Residência Artística da FAAP
>>> Europa de Portas Abertas 2018
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
>>> Cidades do Algarve
>>> Gosta de escrever? Como não leu este livro ainda?
>>> Assum Preto, Me Responde?
>>> Os olhos de Ingrid Bergman
>>> Não quero ser Capitu
>>> Desdizer: a poética de Antonio Carlos Secchin
>>> Pra que mentir? Vadico, Noel e o samba
>>> De quantos modos um menino queima?
>>> Entrevista com a tradutora Denise Bottmann
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> O conservadorismo e a refrega de símbolos
>>> Ingmar Bergman, cada um tem o seu
>>> Em defesa do preconceito, de Theodore Dalrymple
>>> BRASIL, UM CORPO SEM ALMA E ACÉFALO
>>> Meus encontros com Luiz Melodia
>>> Evasivas admiráveis, de Theodore Dalrymple
>>> O testemunho nos caminhos de Israel
>>> UM OLHAR SOBRE A FILOSOFIA (PARTE FINAL)
>>> Os livros sem nome
>>> O mundo era mais aberto, mãe...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Quem é (e o que faz) Julio Daio Borges
>>> Retrato em branco e preto
>>> Dilma na Copa 2014
>>> Receita para se esquecer um grande amor
>>> Duas escritoras contemporâneas
>>> Henry Moore: o Rodin do século XX
>>> Entrevista com Antonio Henrique Amaral
>>> O assassinato de Jesse James pelo covarde Robert Ford
>>> Dando nome aos progres
Mais Recentes
>>> Analise de credito e risco de Christian marcelo rodrigues pela Ibpex
>>> Judas--maxi-serie-1-3-4-5-7-9-10-11-12-13-14-16. de Sergio bonelli pela Record
>>> Richard ferber de Bom sono pela Celebris
>>> Ze colmeia--numero 1--raro. de Editora abril pela Abril
>>> Turma da monica-coleçao coca cola de Editora globo pela Globo
>>> Almanaque do popeye--2--raro. de Editora rge pela Rge
>>> Cura pela agua--a nova ciencia de curar. de Louis kuhne pela Hemus
>>> Mandrake--254. de Editora rge pela Rge
>>> Gibi de ouro-os classicos em quadrinhos-mandrake-cavaleiro negro-ferdinando--nick holmes de Editora rge pela Rge
>>> Popeye--13--rge. de Editora rge pela Rge
>>> Maldito-a vida e o cinema de jose mojica marins,o ze do caixao. de Andre barcinski e ivan finotti pela 34
>>> Materiais de construçao de W. j. patton pela E. p. u (1978)
>>> Diferentes formas de amar de Susana balan pela Best seller
>>> O novo paradigma dos negocios de Michael ray e alan rizsler pela Um
>>> Prisma--girando a piramide corporativa. de Werner k. p. kugelmeier pela Publit
>>> A fazenda mal assombrada de Alexandre dias pela Lachatre
>>> Conhecendo e trabalhando com o visual basic 6.0. de Pedro luiz cortes e roberto alessandre scherr. pela Erica
>>> Aguerra se torna mundial de Folha de sao paulo pela Folha de sao paulo
>>> Visual basic--simples e objetivo 3.0. de Ignacio c. m. massum. pela Erica
>>> Windows 98--answers--certified tech support. de Martin s. mattews an carole boggs mattews pela Mcgraw-hill
>>> Wit: Jornada de um Poema de Margaret Edson pela Peixoto Neto (2000)
>>> Bestiário de Júlio Cortázar pela Edibolso (1977)
>>> Conflito de Culturas de Coelho de Sousa pela Ministério da Educação e Saúde (1953)
>>> Segredo Rebelde de Marcelo Ferla pela Futuro (2006)
>>> Planejamento e Organização do Turismo de Ivan Fernandes pela Campus (2011)
>>> Turismo e Empreendedorismo de Jovo Ateljevic pela Campus (2011)
>>> Stagium: As Paixões da Dança de Décio Otero pela Hucitec (1999)
>>> A Capitania das Minas Gerais de Augusto de Lima Júnior pela Livraria Itatiaia (1978)
>>> Histórias do Japão de José Arrabal pela Peirópolis (2004)
>>> As brumas de avalon de Marion zimmer Bradley pela Imago (1985)
>>> As brumas de avalon de Marion zimmer Bradley pela Imago (1985)
>>> Recordação da casa dos mortos de Dostoievski pela Saraiva (1949)
>>> Era no tempo do Rei de Luiz Antonio Aguir pela Ática (2009)
>>> Planejamento e gestao estrategica nas empresas. de Luiz alberto a. dos santos. pela Atlas
>>> Comportamento organizacional de John a. wagner e john r. hollenbeck pela Saraiva
>>> Bom sono de Richard ferber pela Celebris
>>> Em dia com a digestao de Serafina petrocca pela Epoca
>>> Religioes do povo de Giorgio paliari pela Am
>>> Escoliose--a causa das nossa dores fisicas. de Antonio benedito do nascimento pela Ottoni
>>> Gibi audax-ano 1-numero 5. de Editora abril pela Abril
>>> Gibi nick raider--4--chinatow de Ediroa record pela Record (2018)
>>> Programando em clipper 5.01. de Stephen j. straley pela Berkeley ebras
>>> Priv@cidade.com de Charles jennigs e lori fena pela Futura
>>> Adobe photoshop 5 in 24 hours de Carla rose pela Sams
>>> Liebieghaus de Vierte auflage pela Verte auflage
>>> Roses de David Squire pela Tiger Books International (1995)
>>> Sime Gen: The Unity Trilogy de Jacqueline Lichtenberg e Jean Lorrah pela Meisha Merlin Publishing (2003)
>>> O Poder Regulamentar Autônomo do Presidente da República de André Rodrigues Cyrino pela Fórum (2005)
>>> Los Llamados a Seguir a Cristo de Serafin Matellán pela Instituto Teológico de Vida Religiosa (1973)
>>> Reencarnação e Emigração Planetária de Dinkel Dias da Cunha pela Cátedra (1989)
COLUNAS

Quinta-feira, 6/10/2005
Por que eu não escrevo testimonials no Orkut
Adriana Baggio

+ de 26600 Acessos
+ 13 Comentário(s)

Tenho uma amiga muito querida que me cobra um depoimento em seu perfil no Orkut. Tentei explicar a ela porque não escrevo testimonials e acredito ter sido meio vaga. Pois bem, refleti um pouco mais sobre meus motivos e descobri que eles são mais numerosos do que imaginava.

Em primeiro lugar, não escrevo porque não levo o Orkut muito a sério. Acho bacana a proposta e acho importante participar disso. Importante "profissionalmente", não pessoalmente. É deprimente interagir com as pessoas, "mensurar" sua popularidade ou a afetividade dos seus amigos através do Orkut. No entanto, ele é ótimo para recuperar e manter contatos, fazer brincadeiras, formar uma network.

Estou me referindo à profissão mesmo - sou publicitária - mas também à necessidade de qualquer indivíduo estar atualizado com o que acontece em termos de novidades e tendências de comportamento. Você pode continuar sendo uma pessoa de sucesso em seus relacionamentos sem o Orkut, mas vai sentir-se um profissional defasado se não estiver à par das novas tecnologias e das possibilidades e mudanças que são inerentes a elas.

Um exemplo disso são os blogs (a gente fala bastante deles aqui no Digestivo.). Eles também passaram da utilização puramente pessoal e se transformaram em importante ferramenta para vários segmentos profissionais ou de utilidade pública. De diários virtuais evoluíram para espaço de divulgação e discussão sobre informações de interesse geral. Alguns se especializaram, tornando-se verdadeiras publicações. Hoje, além de continuarem sendo diários, os blogs também têm funções muito mais relevantes - são responsáveis por grandes furos de reportagem (você viu a cobertura via blogs da crise política do Governo?) e aglutinam informações e mecanismos de ajuda durante as tragédias (você viu como os blogs auxiliaram as vítimas do tsunami da Ásia e do furacão de New Orleans?).

As empresas também perceberam o potencial dos blogs como ferramentas de publicidade, relações públicas, marketing viral, etc. Grandes marcas já consideram seriamente os blogs em suas estratégias de comunicação. Portanto, ser publicitário, jornalista ou relações públicas, só para ficar no mais óbvio, sem conhecer as possibilidades dos blogs, é impossível.

Acredito que com o Orkut é a mesma coisa. Vamos acabar descobrindo novos usos para ele. Comercialmente falando, isso já acontece. Existem comunidades criadas por lojas ou por marcas, listas de discussão, e por aí vai. A Master, agência de publicidade curitibana e uma das maiores do Brasil, fez um recrutamento de estagiários através do Orkut. Perceberam em sua principal característica - a disponibilidade do perfil detalhado dos usuários - uma oportunidade de fazer a primeira "peneirada" na quantidade enorme de candidatos que invariavelmente aparecem nessas seleções.

Bem, todo esse latim aí em cima é só para explicar o primeiro motivo da minha restrição aos testimonials. Quanto ao segundo: por não levar o Orkut muito a sério, também não é toda hora que tenho saco para entrar e fazer a "manutenção". Sem falar nos "bad, bad donuts for you" que acabam com a paciência de qualquer um, ou no encerramento inexplicável do Netscape toda vez que eu tento acessar o perfil de determinada pessoa. Como redigir um depoimento sincero e relevante para alguém nessas condições?

A questão da relevância tem a ver com o terceiro motivo. Não sou expert em Orkut mas, pela lógica do programa, deduz-se que existe uma hierarquia (ou função) entre as mensagens que deixamos para nossos amigos. No entanto, as pessoas confundem testimonials com scraps e messages. Se eu fizesse algum depoimento para alguém, seria sincero, profundo e atemporal. É diferente de deixar um recado ou fazer algum comentário pontual, mais adequado para a página de scraps. Outra coisa ridícula - pode conferir! - é que grande parte dos testimonials começa assim: "Bem, o que dizer de Fulaninho de Tal.".

O quarto motivo é bem pessoal e tem a ver com a minha personalidade. Um depoimento sobre alguém de quem gosto teria emoção, subjetividade, referência a histórias e momentos compartilhados, segredos. Tenho um certo pudor em expor assim meus sentimentos de amizade, afeto ou amor. Pois é, a timidez me impede de dizer o quanto aprecio algumas pessoas.

Veja bem, o verbo é dizer. Isso significa que prefiro mostrar através de um sorriso, ao estender a mão, nas conversas, nas risadas. Ou seja, coisas impossíveis de se fazer no ambiente virtual, né? E depois, vamos dar o devido peso às coisas: declarações de amor e de afeto são muito importantes para estarem misturadas às bobagens que as pessoas escrevem no Orkut!

O último motivo, querida amiga, é que deixar um testimonial para você e não fazer o mesmo com outra pessoa poderia me colocar em maus lençóis. É delicado ranquear amigos! Prefiro deixar que essa "classificação" aconteça normalmente, através da dinâmica hipócrita do mundo real. Você sabe que é uma de minhas amigas preferidas, mas porque esfregar isso na cara dos menos afortunados?

Apesar de nunca ter deixado um depoimento para meus colegas de Orkut, tive a honra de receber dois. O fato de não escrever testimonials não impede que eu goste e agradeça os que foram deixados no meu perfil. Para mim, o Orkut é uma brincadeira, uma experiência, mas para outras pessoas talvez não seja. Vindo delas, mesmo sendo postada no ambiente artificial de um site de relacionamentos, uma mensagem tem grande valor.


Adriana Baggio
Curitiba, 6/10/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Pô, Gostei da Sua Saia de Duanne Ribeiro
02. Rotina, por que não? de Ana Elisa Ribeiro
03. Meus livros, meus tablets e eu de Ana Elisa Ribeiro
04. Um gadget de veludo de Vicente Escudero
05. O mago de Gian Danton


Mais Adriana Baggio
Mais Acessadas de Adriana Baggio em 2005
01. Traficante, sim. Bandido, não. - 16/6/2005
02. Por que eu não escrevo testimonials no Orkut - 6/10/2005
03. A importância do nome das coisas - 5/5/2005
04. O erótico e o pornográfico - 20/10/2005
05. É preciso aprender a ser mulher - 4/8/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
7/10/2005
20h20min
Delícia de artigo, Adriana: Tenho um amigo que não sabe mais o que fazer com tantos convites do Orkut... rs. Não sei onde arranjaria tempo para acessar tantas opções. Andei por lá e achei bem confuso, ainda me amarro mais nos blogs – nos favoritos. Mas seu artgo instiga a que a gente os acesse para saber mais dos queridos. Quem sabe daqui a pouquinho... Fique como beijinho da leitora amiga do DF ;-)
[Leia outros Comentários de Gisele Lemper]
13/10/2005
18h57min
Concordo com Adriana. Não quero ser popular na Internet. Acabamos, sem perceber, nos distanciando do contato humano. Além disso, o Orkut parece que promove o "ego" das pessoas, tornando-as indiferentes em relação ao mundo. Sei não...
[Leia outros Comentários de elvis lima costa]
25/10/2005
23h05min
Adriana: vc vai no "ponto" certo. Também acho esquisito a pessoa dar depoimento no Orkut sobre amigos. Para que isso? Qual a finalidade? Quando temos um amigo, pega-se o telefone e conversa-se, não é? Nunca as pessoas ficaram tão expostas. Não sei se é bom ficar tão visível. O importante é que vc está com olhos atentos para o que anda acontecendo. Parabéns pela matéria. Carolina Falcone
[Leia outros Comentários de Carolina Falcone]
5/11/2005
21h57min
Muito interessante a tua opinião sobre expor ou não sentimentos. Minha esposa fez um depoimento sincero e eu achei que deveria excluí-lo. Pedi a ela para que assim o fizesse e ela concordou.
[Leia outros Comentários de vanderlei carlos mad]
7/11/2005
10h31min
Talvez eu seja esquisita, mas eu sempre postei depoimentos no Orkut. E adoro os que meus amigos escreveram para mim. Os depoimentos – gosto mais da palavra inglesa testimonial, eu testemunho, o que eu digo é verdade – são como um cartão de visitas para aquela pessoa... e quando alguém estranho me adiciona no Orkut vou no perfil da pessoa verificar os testimonials que ela possui. Uma pessoa com testimonial no perfil, com fotos, com recados reais no scrap é uma pessoa real – e aí, as mensagens virtuais ali postadas me auxiliam a ver quem é quem. Os testimonials são como cartões de visita virtual – "vejam, eu sou essa pessoa, com esses amigos que falam isso de mim". Eu considero assim. Não tenho vergonha virtual assim como não considero menos virtual um telefonema. A tecnologia existe para nos comunicarmos, não importa qual seja. E é bom ter um recurso que coloca mais perto pessoas que estão longe de nós – como meus amigos baianos, na saudosa Salvador.
[Leia outros Comentários de Danicast]
7/11/2005
17h38min
É um saco mesmo esse negocio de Orkut, criei um pra mim e me arrependi, vou encerrar, não gostei desse negocio de depoimentos, acho que o que vivi com meus amigos de bom e' algo bem particular, e não quero que coisas tão particulares sirvam de pano de fundo para pessoas desconhecidas...
[Leia outros Comentários de Nivea Modesto]
21/11/2005
16h42min
Acredito que o Orkut realmente não tenha a pretensão de ser algo levado a sério. Ele é aquilo que as pessoas fazem dele, e a invasão da sua privacidade será sempre resultante da sua opção de se expor. Utilizo o Orkut por puro lazer (apesar de, como musicista, já ter feito muitos contatos legais por lá) e gostei muito de ler seu ponto de vista, Adriana. Agora, seu próximo texto bem poderia ser sobre a necessidade que as pessoas têm de demonstrar seua afeto deixando peixinhos, balõezinhos, coraçõezinhos e congêneres no scrapbook alheio. :D
[Leia outros Comentários de Jamila Maia]
15/2/2006
23h58min
Não consigo levar o ORKUT a sério. Imagino que a possibilidade de usar o Orkut seriamente esbarra, primeiro na exclusão digital e depois na qualidade de artigos e comentários postados no ORKUT. Seria necessario ter um perfil fantasma onde teriamos nossa verdadeira personalidade e um "perfil profissional", voltado somente para o "corretamente sério". Não, eu realmente não gosto desta superexposição que o Orkut traz. Comentários, "Scraps", tudo isto mostra o que o vírus "I Love You" revelou com precisão: somos todos carentes de atenção. E, Realmente somos extremamente numerosos no ORKUT, mas isso não implica em qualidade. É uma pena que, já no século 21 o acesso às necessidades básicas : educação, saúde, alimentação, moradia e emprego ainda seja um privilégio. Sempre que entro no ORKUT lembro de um quadro humorístico cujo bordão era "Não traz a máfia pro Brasil que esculhamba!". 8)
[Leia outros Comentários de Eurandi Corvello]
30/3/2007
20h21min
eu morro se não entrar pelo menos uma vez no dia no Orkut!!! sem ele eu não vivo!
[Leia outros Comentários de bruna kerlly]
19/5/2007
00h11min
Querida, eu amei o texto, apesar de ser o inverso de ti... Eu adoro escrever e receber testimoniais de amigos reais e virtuais... Eu tenho um carinho enorme pelo orkut, pois, através deste meio de comunicação, eu encontrei amigos que tinha perdido neste mundo real, frio e indiferente... Adoro comunicar-me com todos, sempre enviando carinho e esperança, pq vivemos num mundo repleto de pessoas "inteligentes", mas onde ninguém tem tempo de ser mão para segurar a mão do outro! Um grande beijo no coração!
[Leia outros Comentários de Natália M.Ribeiro]
18/1/2008
19h16min
Concordo com a matéria da Adriana, e lendo-a pude me identificar muito, pois muitas vezes as pessoas lhe cobram depoimentos sem ao menos você ter intimidade com ela. Sem falar que fica muito exposto também.
[Leia outros Comentários de Mariana Dias ]
25/2/2008
17h42min
Eu concordo com a sua matéria, Adriana. Às vezes as pessoas cobram depoimento sem a gente ao menos se conhecer, então fica um pouco complicado mesmo... O Orkut tem o lado bom e o lado ruim. Eu, por exemplo, fazia um tempão que não via meu primo e, depois que criei um Orkut pra mim, achei ele, e isso foi muito bom... Mas, por outro lado, é ruim, pois as pessoas fazem críticas, abusam da gente..., enfim. O Orkut tinha que ter mais segurança. Não me sinto segura no Orkut
[Leia outros Comentários de jaqueline v.d.M]
14/7/2013
23h07min
Não tenho usado o orkut.Não tenho dificuldade p/dar testemunho. Sempre há pontos positivos nos amigos.
[Leia outros Comentários de Nazareth Peres]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PRECISO DE VOCÊ
SÔNIA SALERNO FORJAZ

(1996)
R$ 8,98



DULCINA E O TEATRO DE SEU TEMPO
SÉRGIO VIOTTI
LACERDA
(1987)
R$ 38,00



CASAIS INTELIGENTES ENRIQUECEM JUNTOS - FINANÇAS PARA CASAIS - 141ª E
GUSTAVO CERBASI
GENTE
(2008)
R$ 9,90



OS CÉUS PROCLAMAM - LETRA E PARTITURA - VOLUME 5
JOÃO WILSON FAUTINI
IMPRENSA METODISTA
(1988)
R$ 70,00



AVENTURA NA HISTÓRIA - A ARCA PERDIDA (REVISTA) - ED. Nº 44
PATRICIA HARGREVES- REDADORA CHEFE
ABRIL CULTURAL
(2007)
R$ 8,90



A FUNÇÃO SOCIOECONÔMICA DA PROPRIEDADE
CÁSSICA CELINA PAULO MOREIRA DA COSTA
AMÉRICA JURÍDICA
(2006)
R$ 20,00



SOLO DE CLARINETA
ÉRICO VERÍSSIMO
GLOBO
(1976)
R$ 5,00



CARTA AOS ESTUDANTES - FAUSTO WOLFF (LITERATURA JUVENIL)
FAUSTO WOLFF
CIA. NACIONAL
(1987)
R$ 4,00



O HOMEM DA GLOBO - 1003
CLETO FALCÃO
GERAÇÃO
(1996)
R$ 10,00



DOIS MUNDOS UM HEROI: UMA AVENTURA NÃO OFICIAL DE MINECRAFT
REZENDEEVIL (PEDRO AFONSO REZENDE)
OBJETIVA/SUMA LETRAS
(2015)
R$ 9,00





busca | avançada
28879 visitas/dia
957 mil/mês