2005: Diário de bordo | Gian Danton | Digestivo Cultural

busca | avançada
32696 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Michael Jackson: a lenda viva
>>> Gente que corre
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Numa casa na rua das Frigideiras
>>> Reinaldo Azevedo no Fórum CLP
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Companheiro dileto
>>> O Vendedor de Passados
>>> Eugène Delacroix, um quadro uma revolução
>>> Meus Livros
Mais Recentes
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
>>> A Igreja Católica de Hans Kung pela Objetiva (2002)
>>> O Comunismo de Richard Pipes pela Objetiva (2002)
>>> Lições para o Cotidiano de Masaharu Taniguchi pela Seicho-No-Ie (1996)
>>> Guerra sem fim – Edição especial de Joe Haldeman pela Aleph (2019)
>>> O Renascimento de Paul Johnson pela Objetiva (2001)
>>> Homeopatia a Ciência e a Cura de Ralph Twentyman pela Círculo do livro (1989)
>>> A Descoberta do Amor em Versos de Diversos pela Cen (2003)
>>> O Islã de Karen Armastrong pela Objetiva (2001)
>>> O Sumiço do Mentiroso de Lourenço Cazarré pela Atual (1998)
>>> A Turma da Tia e os Bilhetes Misteriosos de Ganymédes José pela Ftd (1991)
>>> Camões Os Lusíadas de Luís Vaz de Camões pela L&PM Pocket (2008)
>>> Destruição e Equilíbrio de Sérgio de Almeida Rodrigues pela Atual (1989)
>>> Armadilha para Lobisomem de Luiz Roberto Guedes pela Cortez (2005)
>>> A Menina que Descobriu o Brasil de Ilka Brunhilde Laurito pela Ftd (2001)
>>> Guerra no Rio de Ganymédes José pela Moderna (1992)
>>> Paraíso de Toni Morrison pela Companhia das Letras (1998)
>>> Introduction à la Psycholinguistique de Hans Hörmann pela Larousse Université (1974)
>>> A idéia de cultura de Victor Hell pela Martins Fontes (1989)
>>> Poesia Concreta de Lumna Mara Simon (Org.) pela Abril (1982)
>>> Las Armas Secretas de Julio Cortazar pela Editorial sudamericana/ Buenos Aires (1970)
>>> Maio Apagou o Inverno de Carlos Roberto Douglas pela Ateniense/ S.P (1994)
>>> Utopia Selvagem de Darcy Ribeiro pela Nova Fronteira (1982)
>>> Twittando o Amor, Contando Uma História em 140 Caracteres de Teresa Medeiros pela Novo Conceito (2014)
>>> Estrela Oculta de Robert A. Heinlein pela Francisco Alves/ RJ. (1981)
>>> O Alimento dos Deuses de H. G. Wells (herbert George - 1866-1946) pela Francisco Alves/ RJ. (1984)
>>> Focus de Arthur Miller pela Ediouro (2001)
>>> Trinta Anos Depois da Volta - o Brasil na II Guerra Mundial de Octávio Costa (ilustr): Carlos Scliar pela Expressão e Cultura (1977)
>>> Tuareg (formato Original) de Alberto Vázquez- Figueiroa pela L&pm, Porto Alegre (2000)
>>> Cenas Noturnas na Bíblia (v. 1) : Tardes e Manhãs Que Conduzem... de Christian Chen pela Tesouro Aberto/ Belo Horizonte (2001)
>>> Fall of the House of Windsor (capa Dura; Sobrecapa) de Nigel Blundell & Susan Blackhall pela Contemporay Books/ L. A. (1992)
>>> Todos os Homens do Presidente de Carl Bernstein & Bob Woodward pela Francisco Alves/ RJ. (1977)
>>> A Primeira Comunhão de Verônica de Vários: Pia Sociedade de S. Paulo pela Edições Paulinas (1959)
>>> O Grande Livramento de Valdemiro Santiago: Apóstolo pela Impd (2009)
>>> Poema Sujo de Ferreira Gullar/ Pref.: Alcides Villaça pela Livr José Olympio Ed. (2001)
>>> Poema Sujo de Ferreira Gullar/ Pref.: Alcides Villaça pela Livr José Olympio Ed. (2001)
>>> Poema Sujo de Ferreira Gullar/ Pref.: Alcides Villaça pela Livr José Olympio Ed. (2001)
>>> Poema Sujo de Ferreira Gullar/ Pref.: Alcides Villaça pela Livr José Olympio Ed. (2001)
>>> Poema Sujo de Ferreira Gullar/ Pref.: Alcides Villaça pela Livr José Olympio Ed. (2001)
>>> O Poder dos Pais Que Oram de Stormie Omartian pela Mundo Cristão (2001)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2005

Terça-feira, 27/12/2005
2005: Diário de bordo
Gian Danton

+ de 3100 Acessos

O ano de 2005 começou com um tsunami devastando vários países da Ásia. No primeiro dia do ano fomos surpreendidos por essa notícia que parecia ser apenas um aviso do que viria pela frente. Parecia não, era.

2005 foi o ano das péssimas notícias. Todo o povo que havia depositado suas esperanças no PT viu, assustado, ser mostrado um esquema de corrupção, de desvio de verbas e compra de deputados que, ao contrário do esquema PC, não parece ter o objetivo de enriquecer alguém, mas sim fazer com que determinado grupo fique no poder definitivamente.

Seria hilário, se não fosse trágico ver Fernando Gabeira acusando Severino Cavalcante de querer transformar as CPIs em pizza e um deputado do Amapá pedir a cassação não de Severino, mas de Gabeira, só para ver, dias depois, seu aliado envolvido no escândalo do mensalinho.

Roberto Jéfferson parece ter dito: "Depois de mim, o caos"... e depois disso nada, nenhum símbolo ou monumento ficou de pé. Até o oposicionista PSDB teve de silenciar diante do fato de que o presidente de seu partido, Eduardo Azeredo, estava envolvido com o Valerioduto.

2005 foi também o ano em que o cidadão comum passou a se preocupar com o aquecimento global. Foi o ano em que o Zé Ninguém descobriu, estarrecido, que tudo está relacionado, que a fumaça que sai dos escapamentos dos carros pode provocar furacões nos EUA e seca no rio Amazonas.

Esses dois fenômenos juntos, se não tiveram, deveriam ter o impacto dos ataques de 11 de setembro. Os furacões, tantos que já não podiam mais ser nomeados e eram simplesmente chamados com letras com alfabeto grego, castigavam o Caribe e a costa dos Estados Unidos com a fúria de mil Bin Ladens.

Na Amazônia, a milhares de quilômetros de distância, os rios secaram e os peixes cozinharam nas águas escaldantes. Aqui em Macapá, muitos poços começaram a secar, deixando seus usuários sem água, já que a maior parte da cidade não tem saneamento básico.

Na área cultural, 2005 parece ter acompanhado esse clima de desesperança e perplexidade. Por mais que eu me esforce, não consigo lembrar de algo realmente muito importante, bom, que tenha acontecido em termos culturais.

Em termos musicais, o CD do Pato Fu Toda cura para todo o mal é um destaque, embora só repita fórmulas de discos anteriores, como o Televisão de Cachorro e Isopor. Mas é um daqueles discos que, embora não seja revolucionário, conseguem captar o espírito de seu tempo. Algo como o Legião Urbana V, que descreveu com perfeição a Era Collor (Ninguém vê onde chegamos/ os assassinos estão livres, nós não estamos/ Vamos sair, mas não temos mais dinheiro/ Os meus amigos todos estão procurando emprego).

A música título do disco do CD do Pato Fu parece dialogar com o ano 2005 ao exclamar:

É certo que milagre pode até existir
Mas você não vai querer usar
Toda cura para todo mal
Está no hipoglós, Merthiolate, sonrisal


2005 foi assim: a descoberta de que milagres podem até existir, mas você não vai querer usar.

Em cinema, 2005 teve alguns bons filmes, como Robôs, A Fantástica Fábrica de Chocolates (quase todos infantis, perceberam?) e o ótimo O Jardineiro Fiel. Mas a película que sintomaticamente arrebentou neste ano foi Dois Filhos de Francisco, cinema popular de boa qualidade, na definição de Fernando Meirelles (o diretor de O Jardineiro Fiel). Cansado da esperança política, o brasileiro voltou-se para um tipo de esperança mais individual e acompanhou com atenção a saga dos meninos cantores em busca do sucesso. O fato de o filme retratar, na verdade, um episódio de exploração infantil que se repete no Brasil todo não importou muito para o telespectador, inebriado com o sonho dos garotos transposto para a tela com um roteiro enxuto e direção competente. Dois filhos de Francisco se firmou justamente por não apresentar soluções coletivas ou políticas, mas por indicar a saga de um pai capaz de fazer qualquer coisa pelo sucesso de seus filhos. Ou seja, a família é o lugar onde restou a esperança.

Destaques no mercado editorial
Em termos literários, A Guerra dos Gibis - a formação do mercado editorial brasileiro e a censura aos quadrinhos (Companhia das Letras) certamente foi um destaque. Na obra, Gonçalo Júnior mostra como se formaram alguns dos mais importantes impérios de comunicação no Brasil (em especial a Rede Globo e a Ebal) e a guerra suja que foi travada nos bastidores e teve como vítima as histórias em quadrinhos.

Adolfo Aizen, dono da editora Ebal, é o personagem principal, mas é Roberto Marinho que protagoniza os momentos mais importantes dessa guerra. Empreendedor agressivo, Marinho usava de qualquer método para se livrar da concorrência, como quando revelou que Samuel Wainer, dono do jornal Última Hora, não era brasileiro (na época só brasileiros poderiam ter meios de comunicação no Brasil).

Como Marinho era um dos principais editores de gibis do Brasil, os inimigos se vingavam fazendo matérias sensacionalistas sobre as histórias em quadrinhos nas quais se tentava provar que as revistas provocavam desde preguiça mental à delinqüência juvenil.

Muito bem escrito e exaustivamente pesquisado, o livro de Gonçalo torna-se leitura obrigatória para quem quiser entender a história da comunicação do Brasil. Mas, num ano como este, destaca-se também por revelar os bastidores da briga pelo poder.

Outro livro que destaca é A misteriosa chama da rainha Loana, de Umberto Eco (Record). Na obra, um homem perde a memória e tenta recuperá-la, vasculhando o passado na forma de livros, pessoas, embalagens antigas e gibis.

Embora a maioria de nós queira esquecer 2005, Umberto Eco destaca o fato de que só quando o passado nos vem à mente é que podemos antecipar o que virá: "É o efeito bola de neve. A avalanche vai em direção ao vale, mas desce cada vez mais rápido porque vai aumentando pouco a pouco e carrega atrás de si o peso daquilo que havia antes. Do contrário não haveria avalanche, seria apenas uma pequena bola de neve que não desce nunca". Avalanche ou furacão, será sempre precioso lembrar de 2005.


Gian Danton
Macapá, 27/12/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Livrarias de Ricardo de Mattos
02. A aproximação entre Grécia e Rússia de Celso A. Uequed Pitol
03. Expressar é libertar de Paula Ignacio
04. Caetano, sem meio termo de Humberto Pereira da Silva
05. O céu tornou-se legível de Carla Ceres


Mais Gian Danton
Mais Acessadas de Gian Danton
01. Uma norma para acabar com os quadrinhos nacionais? - 25/7/2014
02. A Teoria Hipodérmica da Mídia - 19/7/2002
03. A teoria do caos - 22/11/2002
04. Público, massa e multidão - 30/8/2002
05. A maçã de Isaac Newton - 16/8/2002


Mais Especial Melhores de 2005
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LITERATURA BRASILEIRA EM DIÁLOGO COM OUTRAS LIT E LING
WILLIAM ROBERTO CEREJA E THEREZA COCHAR MAGALHÃES
ATUAL
(2005)
R$ 18,00



VEJA 25 ANOS REFLEXÕES PARA O FUTURO
HEBERT DE SOUZA E OUTROS
ABRIL
R$ 12,00



DIE LANDUNG IN DER NORMANDIE
DR. CHRISTIAN ZENTNER
MOEWIG
(1998)
R$ 55,00



CONTOS CLASSICOS-PATINHO FEIO, O
VÁRIOS AUTORES
CIRANDA CULTURAL
(2011)
R$ 9,90



ESTUDOS DE LÍNGUA E LITERATURA
DOUGLAS TUFANO
MODERNA
(1978)
R$ 5,00



TRANSPORTES, SEGUROS E A DISTRIBUIÇÃO FÍSICA INTERNACIONAL DE MERCADOR
MARCOS MAIA PORTO; CLÁUDIO FERREIRA DA SILVA
ADUANEIRAS
(2000)
R$ 45,00



O SEGREDO DOS SONHOS
PEDRO MESEGUER
PAULINAS
(1965)
R$ 12,00



O MAPA DO AMOR
AHDAF SOUEIF
EDIOURO
R$ 12,80



VEDA - VISÃO CONTEMPORÂNEA DA MILENAR CULTURA VÉDICA
ISWARA SWAMI COORD. / EDITOR
BHAKTIVEDANTA
R$ 10,00



VOCÊ É INSUBSTITUÍVEL
AUGUSTO CURY
SEXTANTE
(2002)
R$ 7,00





busca | avançada
32696 visitas/dia
1,3 milhão/mês