A dicotomia do pop erudito português | Andre de Abreu | Digestivo Cultural

busca | avançada
37543 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quinta-feira, 5/1/2006
A dicotomia do pop erudito português
Andre de Abreu

+ de 5300 Acessos

Tão mal divulgado quando o aniversário de morte de Tom Jobim, ofuscado pelas lembranças à morte de John Lennon, pensei encontrar um Via Funchal vazio na noite de 8 de dezembro. Mas, não. Nesta ocasião, uma casa praticamente lotada veria a única apresentação em São Paulo do quinteto português Madredeus, após três anos ausentes de nosso país.

Com um cenário simples restrito a uma cortina com a capa do penúltimo álbum, Um Amor Infinito (2004), a apresentação ganhava ares de um recital erudito dada a sobriedade do ambiente. Mas as semelhanças com a música erudita não se restringiam ao palco do grupo que já se intitulou como uma "orquestra de bolso". Assim como depois do primeiro movimento vem o segundo, em 1h30 de show o grupo seguiu praticamente à risca a ordem das músicas dos dois últimos trabalhos lançados pelo quinteto, o já mencionado Um Amor Infinito e Faluas do Tejo (2005).

Após 40 minutos de apresentação, um intervalo serviu para os músicos se recomporem e também para dividir conceitualmente o espetáculo, já que na segunda parte foram executadas apenas as canções de Faluas do Tejo. Com músicas exaltando Lisboa, a cidade-mãe do Madredeus, este trabalho marca simbolicamente um retorno às origens e uma resposta ao álbum anterior, que não agradou muito os fãs e a mídia especializada, talvez pelo excesso de sintetizadores em detrimento das cordas dos tradicionais violões, que agora voltaram em pleno vapor.

O repertório do álbum, e, consequentemente, do show, é de um lirismo para alguns até celestial, clima este reproduzido fielmente em cima do palco com ajuda de um trabalho de iluminação bastante apurado. Destaque para "O Canto da Saudade", uma legítima bossa lusitana. Aliás, o grupo não esconde a admiração pelo estilo brasileiro. Nesta vinda ao Brasil, Pedro Ayres, o líder da trupe, classificou a bossa como "a música mais bonita de todo o repertório cantado em português". Isso prova o porquê de tanta consideração com o nosso país; já em 1987, o primeiro álbum do quinteto, Os Dias da Madredeus, contava com uma canção intitulada "O Brasil". Além disso, o site oficial do grupo deu um destaque todo especial para as datas da turnê (ou digressão, como é utilizado em Portugal) brasileira com direito a um pequeno hot site, que foi praticamente a única fonte de informação para os fãs do grupo, já que poucos veículos da grande imprensa noticiaram a vinda do quinteto.

Sempre comentando o processo de criação antes de executar as músicas, Teresa Salgueiro, a voz do Madredeus, encantou a todos com sua simpatia e delicadeza. Apesar de já terem se passado quase 20 anos desde que foi descoberta por Pedro Ayres em uma tasca de Lisboa, Teresa ainda mantém a timidez e a presença de uma jovem iniciante. Mas bastam apenas poucos minutos de sua voz para termos certeza de que estamos diante de uma voz que em nada decepcionaria a falecida Amália Rodrigues.

Diversidade de ponta a ponta
A diversidade é um dilema que acompanha o grupo lisboeta desde sua criação, em 1985. Os fundadores do grupo, Pedro Ayres Magalhães e Rodrigo Leão, egressos de bandas do pop lusitano dos anos 80, acrescentaram a essas raízes na música pop o fado, o jazz e a bossa nova. O resultado disso é uma música praticamente impossível de se classificar, tanto é que os álbuns do quinteto são normalmente encontrados nas seções de world music das lojas de disco, principal destino dos grupos e bandas inclassificáveis. Uma rápida olhadela no público diversificado que preenchia a casa de espetáculos paulistana é uma prova disto. Era possível distinguir desde luso-descendentes a jovens "modernos", de senhoras portuguesas e crianças.

O que aparentemente poderia ser uma qualidade, às vezes não é. Uma amostra disso é como o Madredeus é visto pelos próprios portugueses. Os puristas do fado os consideram muito pop enquanto os fãs do pop os consideram eruditos demais. Essa dicotomia também atingiu a apresentação de São Paulo. Aqueles que foram em busca de uma apresentação de música pop se decepcionaram, pois a apresentação seguiu uma rigidez típica dos concertos eruditos. Apesar da ausência de partituras, todo o restante estava lá, músicos em trajes sociais, iluminação sóbria e canções executadas com a mesma perfeição e fidelidade das gravações originais. Improvisos, bises e a execução de sucessos antigos não tiveram lugar na apresentação do grupo, desapontando aqueles que esperavam ouvir um set de hits após tantos anos fora dos palcos tupiniquins.

A saudade em forma de música
Contradições à parte, o Madredeus conseguiu o feito de levar ao mundo o que há de melhor no fado português: o lirismo na voz suave e potente de Teresa Salgueiro, os belos e perfeitamente executados violões de Pedro Ayres e José Peixoto e a letras recheadas de melancolia, nostalgia e o culto aos heróis de outrora. Além do trio básico, a formação que esteve no Brasil ainda contou com o apoio do contrabaixo acústico de Fernando Júdice e dos teclados de Carlos Maria Trindade.

Aplaudidos de pé por longos minutos ao final da apresentação, o Madredeus cumpriu sua missão enquanto músicos, mas decepcionou toda uma audiência não acostumada a este tipo de show. Culpa da dicotomia do título deste artigo. O grupo atrai uma audiência popular e lhes entrega um concerto erudito.

Nota do Editor
Andre de Abreu é jornalista. Colabora quinzenalmente com o Jornal do Brasil, entre outras publicações.


Andre de Abreu
São Paulo, 5/1/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Crítica/Cinema: entrevista com José Geraldo Couto de Jardel Dias Cavalcanti
02. 'Hysteria' Revisitada de Duanne Ribeiro
03. De louco todos temos um pouco de Cassionei Niches Petry
04. Notas confessionais de um angustiado (II) de Cassionei Niches Petry
05. Depois do chover de Elisa Andrade Buzzo


Mais Andre de Abreu
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




YOU CAN READ A FACE LIKE A BOOK
NAOMI R. TICKLE
DANIELS PUBLISHING
(2003)
R$ 50,00



08/15 - A DERROTA - PÁGINAS SELADAS (VIRGENS)
HANS HELLMUT KIRST
EUROPA-AMÉRICA
(1957)
R$ 13,00



NOVELAS ESCOLHIDAS
LU SUN
IMAGO
(1988)
R$ 7,00



A ADEGA
VICENTE BLASCO IBAÑEZ
LIVRARIA BERTRAND
R$ 15,00



A CABALA E A NOVA ALQUIMIA
FRED ALAN
ALEPH
(2009)
R$ 34,90



SURGIMENTO, FUNCIONAMENTO E TÉRMINO DA SOCIEDADE ANONIMA
ROMANO CRISTIANO
IOB
(1990)
R$ 12,00



MINIDICIONÁRIO ANTONIO OLINTO INGLÊS PORTUGUÊS
ANTONIO OLINTO
SARAIVA
(2007)
R$ 10,00



MARKETING E COMERCIALIZACAO DE PRODUTOS TURISTICOS
ISABEL MILIO BALANZÁ
CENGAGE
(2003)
R$ 14,00



SACICI, SIRIRI, SICI
LUIZ GALDINO
DO BRASIL
(1985)
R$ 10,00



T&D - UMA ABORDAGEM ORGANIZACIONAL, POR GERENCIAMENTO DE PROJETOS
ROMEU CARLOS LOPES DE ABREU
QUALITYMARK
(2006)
R$ 45,00





busca | avançada
37543 visitas/dia
1,2 milhão/mês