Orkut Ano Dois | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
Mais Recentes
>>> Constituição da República Federativa do Brasil de Senado Federal pela Senado Federal (2006)
>>> Eterna Sabedoria de Ergos pela Fraternidade Branca Universal do Arcanjo Mickael (1974)
>>> Leasing Agrário e Arrendamento Rural como Opção de Compra de Lucas Abreu Barroso pela Del Rey/ Belo Horizonte (2001)
>>> Contratos Internacionais de Seguros de Antonio Marcio da Cunha Guimarães pela Revista dos Tribunais (2002)
>>> Amor de Perdição / Eurico, o Presbítero de Camilo Castelo Branco / Alexandre Herculano pela Círculo do livro (1978)
>>> Carajás de Paulo Pinheiro pela Casa Publicadora Brasileira (2007)
>>> Menopausa de Diversos pela Nova Cultural (2003)
>>> Guia de Dietas de Diversos pela Nova Cultural (2001)
>>> Seguros: Uma Questão Atual de Coordenado pela EPM/ IBDS pela Max Limonard (2001)
>>> O Significado dos Sonhos de Diversos pela Nova Cultural (2002)
>>> A Dieta do Tipo Sanguíneo - A B O AB de Peter J. D'Adamo pela Campus (2005)
>>> Cem Noites - Tapuias de Ofélia e Narbal Fontes pela Ática (1982)
>>> Direito do Trabalho ao Alcance de Todos de José Alberto Couto Maciel pela Ltr (1980)
>>> Manon Lescaut de Abade Prévost pela Ediouro (1980)
>>> A Reta e a Curva: Reflexões Sobre o Nosso Tempo de Riccardo Campa (com) O. Niemeyer (...) pela Max Limonard (1986)
>>> Introdução às Dificuldades de Aprendizagem de Vítor da Fonseca pela Artes Médicas (1995)
>>> Dos Crimes Contra a Propriedade Intelectual: Violação... de Eduardo S. Pimenta/ Autografado pela Revista dos Tribunais (1994)
>>> O Cortiço de Aluísio Azevedo pela Ática (1988)
>>> A Voz do Mestre de Kahlil Gibran pela Círculo do livro (1973)
>>> O Jovem e seus Assuntos de David Wilkerson pela Betânia (1979)
>>> Emília no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Brasiliense (1978)
>>> The Art Direction Handbook for Film de Michael Rizzo pela Focal Press (2005)
>>> A Escrava Isaura de Bernardo Guimarães pela Melhoramentos (1963)
>>> O Grande Conflito de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (1983)
>>> Filosofia do Espírito de Jerome A. Shaffer pela Zahar (1980)
>>> Muito Além das Estrelas de Álvaro Cardoso Gomes pela Moderna (1997)
>>> A Grande Esperança de Ellen G. White pela Casa Publicadora Brasileira (2011)
>>> É Fácil Jogar Xadrez de Cássio de Luna Freire pela Ediouro (1972)
>>> O Espião que saiu do Frio de John Le Carré pela Abril cultural (1980)
>>> A Primeira Reportagem de Sylvio Pereira pela Ática (1988)
>>> Distúrbios Psicossomáticos da Criança de Haim Grunspun pela Atheneu
>>> Aprenda Xadrez com Garry Kasparov de G. Kasparov pela Ediouro (2003)
>>> Poemas para Viver de P. C. Vasconcelos Jr. pela Salesiana Dom Bosco (1982)
>>> A Casa dos Bronzes de Ellery Queen pela Círculo do livro (1976)
>>> Warcraft Roleplaying Game de Christopher Aylott e outros pela Blizzard / Arthaus / wizards (2004)
>>> A Dama do Lago de Raymond Chandler pela Abril cultural (1984)
>>> ABC do Vôo Seguro de Manoel J. C. de Albquerque Filho pela O Popular (1981)
>>> A Relíquia de Eça de Queirós pela Klick (1999)
>>> Manual Completo de Aberturas de Xadrez de Fred Reinfeld pela Ibrasa (1991)
>>> Para Sempre - Os Imortais - volume 1 de Alyson Noel pela Intrínseca (2009)
>>> A Máscara de Dimítrios de Eric Ambler pela Abril cultural (1984)
>>> Rômulo e Júlia - Os Caras-Pintadas de Rogério Andrade Barbosa pela Ftd (1993)
>>> O Nariz do Vladimir de José Arrabal pela Ftd (1989)
>>> Perigosa e Fascinante de Merline Lovelace pela Nova Cultural (2002)
>>> Brincar de Viver de Maggie Shayne pela Nova Cultural (2001)
>>> O Grande Conquistador de Rita Sofia Mohler pela Escala (1978)
>>> Comédias para se Ler na Escola de Luis Fernando Veríssimo pela Objetiva (2001)
>>> As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança de John C. Maxwell pela Agir (2007)
>>> Dungeon master guide de Jonathan Tweet / Skip Williams pela Core Rulebook II (2000)
>>> Disfunção Cerebral Mínima de Antonio Branco Lefévre - Beatriz Helena Lefevre pela Sarvier (1983)
COLUNAS >>> Especial Orkut

Sexta-feira, 3/2/2006
Orkut Ano Dois
Julio Daio Borges

+ de 14100 Acessos
+ 4 Comentário(s)

Talvez como nenhum outro site antes, o Orkut é uma realidade para os brasileiros hoje. A importância que eu vejo no Orkut transcende qualquer julgamento moral (do comportamento das pessoas lá dentro) e qualquer opinião editorial (do que é publicado lá nas páginas). A importância que eu vejo no Orkut está no fato de que, para muitas pessoas, ele foi a primeira grande experiência — real e profunda — de "virtualidade". A primeira experiência (traumática), marcante, com a internet. A primeira experiência de se colocar na Rede, de fazer parte Dela — e de sofrer as conseqüências.

Porque existe uma diferença enorme entre ser um usuário passivo e um usuário ativo de internet. O passivo é aquele que lê, que timidamente reage, que até envia um e-mail de vez em quando. Já o ativo não se conforma em assistir à cena e vaiar ou bater palmas, ele se sente instado pelo que encontra na WWW e quer participar da sua construção. O usuário passivo não corre praticamente nenhum risco: ele quase não se expõe, ele não pode ser encontrado, ele olha para o abismo mas o abismo não olha de volta pra ele. Já o usuário ativo sabe que, depois de um certo tempo, tudo é possível: ele deixou uma parcela considerável de si mesmo na Grande Rede, ele não é mais um anônimo que pode se esconder Dela, ele está exposto e ele descobre, da melhor ou da pior maneira, que outras pessoas vão reagir...

Eu estou na internet desde 1998-99 — como usuário ativo — e não me espantam, em absoluto, as histórias tristes que ouço por aí de "orkuticídio". É típico, e todo mundo, que tem uma relação adulta com a World Wide Web, passa por isso. O espaço da internet é público e qualquer pessoa que coloque lá a sua "cara", vai estar suscetível ao escrutínio — e às opiniões nem sempre favoráveis — de outros internautas. Os seres humanos, em geral, são egoístas, mesquinhos, invejosos, maldosos e até bastante agressivos. E não só no Orkut. Acontece que o Orkut é talvez a única experiência possível de "mídia" ao alcance de muitas pessoas; é a única experiência de, subitamente, estar em praça pública. (Prepare-se para receber xingamentos, tomates, ovos podres e até uma certa dose de cuspe.)

Existem graus de envolvimento com a internet e cada grau implica em conseqüências, mais ou menos graves, para a vida real. O e-mail, por exemplo. Quem nunca brigou por e-mail? Ou pior: quem nunca sofreu linchamento virtual por e-mail (quando, por exemplo, dentro de uma lista de discussão, você dá uma opinião mais controversa e um monte de gente cai de pau em você)? O próximo estágio é um fórum constituído ou um grupo. No mundo corporativo, por exemplo. Eu lembro das respostas (ou mensagens) bombásticas, com cópia para virtualmente todo mundo, em que alguém (ou mais gente) era humilhado(a) publicamente. Acontecia no fórum, no grupo, na corporação, mas as conseqüências ultrapassavam os limites do PC. Quem não passou por isso alguma vez? O terceiro estágio talvez seja a publicação na internet, que é a Rede Mundial de Computadores (não podemos esquecer) — através de um site ou blog, e, para quem não tem acesso a (ou paciência para com) esses meios, através do Orkut.

A diferença da internet, para a vida real, talvez seja, justamente, uma diferença de meio. Pois, na vida social, ou profissional, você certamente encontra pessoas que não gostam de você, que simplesmente não simpatizam com você, mas as regras de convivência (ou de boa educação) não permitem que alguém te apedreje na rua toda vez que você passar. A pessoa que te detesta vai se conter. (E até a pessoa que te adora vai se conter, dependendo da ocasião...) Agora, imagine um ambiente em que essas regras, de politesse — digamos assim —, não existem (ou não estão bem estabelecidas). Ou pior: imagine um "lugar" onde alguém possa te apedrejar anonimamente, como aquele chute no traseiro que você recebe mas não sabe, exatamente, de onde veio. É a internet. E na internet, em princípio, não existe polícia pra te defender. (Defender você dos loucos, principalmente...)

Porque na internet, além dessas questões todas, existe um outro fenômeno acontecendo. Na vida real, você tende a circular nos meios em que as pessoas são mais ou menos iguais a você: têm, mais ou menos, os mesmos valores; reagem, mais ou menos, da mesma maneira a determinadas situações; não vão, normalmente, surpreender você (para o mal ou para o bem). Na internet, isso necessariamente não acontece. Mesmo que você descubra os sites ("locais", em inglês) que a sua turma freqüenta... Na internet, não funciona assim: em geral, na Web não existem espaços "fechados" pra ninguém. Não há as tradicionais "barreiras" que, na vida social, limitam o acesso a pessoas muito diferentes de você — seja pelo dinheiro, seja pela idade, seja pela cor ou raça, seja pela educação, seja pelo currículo, seja pelo que for. Ou alguém — para voltar ao nosso exemplo — é "barrado" no Orkut porque é pobre, velho (ou muito moço), preto (ou pele vermelha), analfabeto, desempregado ou feio?

Então, na internet, você encontra gente de todo tipo. E gente doente. Por quê? Por que parece que, na internet, existe mais gente doente do que em outros meios? Ora, porque essa gente — doente —, que você vê na internet, raramente iria te abordar na vida real — é gente com problemas, inseguranças, traumas e defeitos. Não é gente que entra, senta e cumprimenta. É gente que não se relaciona. (Minimamente.) É gente obsessiva que, de repente, pode ver você — no Orkut — e pode se apaixonar por você, e pode, no instante seguinte, odiar você e querer acabar com você. Existe esse tipo de gente. Eu já encontrei... Vááárias vezes. Não existe camisa de força para os louquinhos da Net. Como não existem barreiras — felizmente — para gente diferente, que, em outros ambientes, sofreria preconceito. (E, graças a Deus, eu encontrei mais gente desse último tipo do que do primeiro...) Na internet, às vezes parece que você está nas mãos dos loucos — mas, com o tempo, você aprende a se defender. Os loucos — por mais "loucos" que se pretendam — sempre se comportam da mesma maneira. E você aprende a reconhecê-los. (No Orkut, também.)

Assim, resumindo a ópera, eu obviamente não acho que o Orkut seja um mal em si. É apenas mais uma ferramenta. Como eu, evidentemente, não acho que a internet seja um mal em si. (Hoje eu posso afirmar sem medo: é burro que diz isso; ou não tem experiência o suficiente para saber...) Por isso, com toda a sua superficialidade, com toda a sua mediocridade, eu dou importância ao Orkut no Brasil. A humanidade, em grande parte, é superficial e medíocre. Porque seria diferente numa mídia de plena democracia, como a internet? Como entusiasta da Grande Rede, aliás, eu acho que as pessoas têm mais é que se expor e sofrer as conseqüências. Para amadurecer as suas idéias sobre internet. Já que, a meu ver, a internet é, fundamentalmente, uma experiência. Não é como a caixa passiva da televisão; não é como os jornais e as revistas que, no máximo, você amassa e joga fora. A internet é um pouco de você também. E você — seja através do Orkut, seja através de outra ferramenta — tem de aprender a conviver.

Para ir além
Leia também "Ensaio de interpretação do Orkut".


Julio Daio Borges
São Paulo, 3/2/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nos braços de Tião e de Helena de Renato Alessandro dos Santos
02. A falta que Tom Wolfe fará de Rafael Lima
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 3. Um Jogo de Poker de Heloisa Pait
04. O tremor na poesia, Fábio Weintraub de Jardel Dias Cavalcanti
05. Minha Terra Tem Palmeiras de Marilia Mota Silva


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2006
01. Novos Melhores Blogs - 17/3/2006
02. O Gmail (e o E-mail) - 3/3/2006
03. Por que os blogs de jornalistas não funcionam - 22/9/2006
04. Desconstruindo o Russo - 21/7/2006
05. The Search, John Battelle e a história do Google - 6/1/2006


Mais Especial Orkut
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/2/2006
12h07min
Olá Júlio, seu artigo é muito bom e muito verdadeiro. Não só através do Orkut, mas a internete é uma novidade onde as pessoas se mostram de uma forma que nunca fizeram antes. Até para namorar é diferente. Ninguém na vida real abordaria uma outra pessoa falando tudo o que fala na internete. Falar como um anônimo abre as câmaras de censura! (Será que é isso?) Fui uma das pioneiras em colocar textos literários na internete através do site da Hotbook. Adorei a experiência! Os textos que eu tinha na gaveta, de repente, foram pichados e aplaudidos, mas foram notados. Como todas as novidades, a internete e a experiência Orkut aos poucos vão se "normalizando". E, já que é tudo virtual, os louquinhos vão ficando mais louquinhos!
[Leia outros Comentários de Vera Carvalho Assump]
8/2/2006
12h38min
Julio, desculpe-me se não tenho mais a dizer sobre este texto. É que ele está soberbo. É isso. Um abraço!!!
[Leia outros Comentários de Alessandro de Paula]
1/3/2006
20h21min
Gosto muito das histórias relacionadas ao orkut. Vários amigos(as) já sairam por causa de ciúmes de namoradas(os). Há também uma história sobre uma pessoa que começou a apagar todos os scraps depois de ser perseguida por extraterrestres que a encontraram através do orkut, entre outras!
[Leia outros Comentários de Saulo Arruda]
4/10/2006
12h54min
Julio, excelente texto. É curioso que a crítia mais comum aos dias de hoje seja ao individualismo, e aí quando aparecem ferramentas que, de uma forma ou de outra, promovem uma certa participação pública, elas são criticadas como prejudiciais à privacidade. Acredito que a internet, e ferramentas como o Orkut, p. ex., sejam os avatares de uma nova democracia. Talvez essa democracia não seja mais inteligente mas, pelo menos, será mais participativa. É bom lembrar também que ferramentas não são boas nem más, não adianta dizer que as facas são ruins porque cortam: elas são ruins porque tem um imbecil que as seguram, ou boas porque tem uma dona de casa tirando a pele do bife com elas.
[Leia outros Comentários de Rafael Britto]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SUPERINTERESSANTE EDIÇÃO 204 ORKUT
VARIOS AUTORES
ABRIL
(2004)
R$ 4,97



DIÁRIO DE BILOCA
EDSON GABRIEL GARCIA
ATUAL
(1989)
R$ 7,00



LIRA DOS VINTE ANOS
ALVARES DE AZEVEDO
MARTIN CLARET
(2012)
R$ 10,00



VIVENDO, AMANDO E APRENDENDO
LEO BUSCAGLIA
RECORD
R$ 10,00



OS PENSADORES- PENSAMENTOS
BLAISE PASCAL
NOVA CULTURAL
(1988)
R$ 35,90
+ frete grátis



CARCAÇA DE NEGRO
MÁRIO MAESTRI
TCHÊ!
(1988)
R$ 25,82



A CAIXA DO FUTURO
MALBA TAHAN
CONQUISTA
(1964)
R$ 12,00



INHERITANCE
CHRISTOPHER PAOLINI
LAUREL LEAF
(2011)
R$ 7,50



THE FULFILLED WOMAN
LOU BEARDSLEY AND TONY SPRY
HARVEST HOUSE
(1975)
R$ 25,00



O IMPRESSIONISMO
MAURICE SERULLAZ
ZAHAR
(1989)
R$ 9,00





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês