Alguém para correr comigo, de David Grossman | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
57441 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Sexta-feira, 17/2/2006
Alguém para correr comigo, de David Grossman
Julio Daio Borges

+ de 7600 Acessos
+ 1 Comentário(s)


David Grossman por Vardi Kahana

"Se uma pessoa, não importa quem, resolve se colocar dentro de uma couraça e proteger sua alma, somente durante algum tempo, para conseguir cumprir uma missão difícil, não importa o quê, será que depois de cumprida a missão ela será capaz de voltar a ser de novo ela mesma, exatamente como era antes?"

É óbvio, existem escritores e escritores. Segundo Oscar Wilde, livros bons e livros ruins - é o que importa. Já segundo George Orwell, livros de que gostamos e livros de que não gostamos. Depois, tentamos explicar por quê - mais isso já é racionalização... David Grossman então, Alguém para correr comigo então, é um autor, é um livro, que não te pega logo na primeira página, mas que vai te pegando, te pegando... Até o ponto em que você se apaixona pela heroína, pelo herói, pela história, pelos demais personagens. Não tem uma explicação racional; simplesmente acontece (ou não). Mas eu vou ensaiar aqui, claro, uma explicação.

É vício de escritor: quando a mágica acontece, ou à medida que ela vai acontecendo, você, que escreve, tenta entender qual é a manha do escritor. Ele usa palavras difíceis ou fáceis? Ele usa frases longas ou curtas? Eu ia lendo o David Grossman e ia pensando nessas coisas... Aparentemente, não havia nada de mais nas suas palavras - eram palavras normais. Nenhum vocabulário de não sei quantos mil vocábulos. Nenhum Shakespeare, portanto. Suas construções eram simples, sua ordem era direta - não requeria, como diz o ditado, prática nem tampouco habilidade.

Não havia outras referências literárias. Em Alguém para correr comigo, ninguém lia ou citava outros autores. Não, diretamente. Não eram pessoas normais, no entanto, as do livro - eram pessoas encantadas. Mas não porque lessem, ou porque fossem intelectuais ou coisa parecida. Mas pelo simples fato de serem jovens e de terem, ainda, alguns ideais. Não necessariamente jovens de corpo; mas "jovens" no sentido de lutar por alguns sonhos. Alguns. Em alguns momentos - não o tempo todo. Na duração do livro, apenas.

O bonito é que David Grossman, apesar de ser judeu, não está falando, em nenhuma hora, de crenças religiosas, nem políticas - como é tão comum hoje em dia. O discurso corrente é que se não há ideologia, ou se não há religião, não existem outros sentimentos pelos quais valha a pena viver. Logo "religiosidade" e "patriotismo", segundo George Orwell (de novo), dois impulsos tão primitivos... A beleza da história de Alguém para correr comigo reside na crença, aparentemente banal, de que o ser humano vale a pena. O outro vale a pena.

Eu queria poder transmitir todo o brilho do livro sem contar a história que ele encerra, mas não vou conseguir. São mais de 400 páginas e - eu espero que você não se assuste com essa revelação -, terminado o volume, acabamos acostumados com as presenças de Tamar, Assaf , Dinka, Shai, Teodora, Léa e os demais, como deve ser com todo grande romance. Por mais que você siga atentamente o enredo e o desenrolar da história, há reviravoltas espantosas. Então eu queria narrar um pouco aqui, mas sem estragar a sua surpresa. Que inveja de você que, pela primeira vez, vai embarcar nessa saga...

David Grossman, com aquelas palavras simples e com aquelas estruturas aparentemente ao alcance de qualquer pessoa, é um sujeito muito habilidoso. Um dos grandes temas do livro é o encontro de Tamar e Assaf, os dois protagonistas. Grossman alterna suas histórias à medida que o livro vai avançando. O elo entre os dois é Dinka. Assaf é um jovem que trabalha na prefeitura e que, de repente, se vê incumbido da missão de encontrar a dona de Dinka, uma cachorra. Dinka vai levando-o até as pessoas... Até as amizades de Tamar. Tamar é a sua dona.

Tamar, por sua vez, está imbuída de outra missão: resgatar Shai. Não, não posso dizer aqui qual é a ligação entre Tamar e Shai, porque, senão, estragaria tudo. É uma das grandes surpresas de Alguém para correr comigo. Basta lembrar uma das passagens mais bonitas do livro, uma das que me fez chorar, de Shai sobre Tamar: "Ela é tudo que tenho no mundo". Você já chorou ao ler alguma coisa similar? Pois vai chorar.

Adivinhe o que acontece então? Assaf, conduzido por Dinka - a cachorra que é também apaixonante -, à medida que vai se aproximando de Tamar, vai conhecendo-a através das outras pessoas, e vai se apaixonando por ela (como nós). Cada pessoa lhe conta um pouco de Tamar. Cada uma lhe conta sobre o quão especial é Tamar: sobre o quão bonita, inteligente, atenciosa, intensa, viva... é Tamar. E junto com as pessoas, Assaf vai topando com as coisas de Tamar. Com a mochila de Tamar, com o diário de Tamar. Assaf lê o diário de Tamar! Assaf tem de encontrar Tamar a qualquer custo. Tamar, quando sabe, quase não o perdoa...

E Tamar, pelo seu lado, tem de traçar um plano mirabolante para encontrar Shai, para ser levada até Shai, para salvar Shai. Tamar canta na rua, porque Shai tocava na rua, porque ela quer ser levada até onde ele está - para convencê-lo a voltar, para resgatá-lo, para devolver-lhe sua liberdade. Shai toca divinamente, mas está viciado em heroína. Shai toca para sustentar seu vício. Shai está preso, fisica e psicologicamente - mas Tamar acredita que vale a pena lutar por Shai.

Assaf corre com Dinka pra baixo e pra cima, até que encontram Shai e Tamar. Nós, leitores, ficamos torcendo para que eles logo se encontrem, mas não podemos fazer nada a não ser torcer e esperar. Na torcida e na espera, porém, vamos nos apaixonando também por Assaf - esse rapaz tão sensível, destemido e obstinado. Embora seu objetivo seja devolver Dinka a Tamar, Assaf sofre, fisica e psicologicamente, por causa de Tamar - a ponto de nós nos perguntarmos por que, para ele, encontrá-la se torna tão fundamental... Ao contrário dos sentimentos de Tamar, que estão expressos, desde o início, em tudo o que ela pensa, diz ou faz, os sentimentos de Assaf não nos são diretamente revelados - Assaf demonstra, Assaf faz escolhas, Assaf segue um caminho. Tamar se constrói, para nós, através do que externa de sua personalidade. Já Assaf, pelo que internaliza. Tamar é mulher. Assaf é homem. Nós não sabemos ainda, mas já desconfiamos em que isso vai dar...

Na Flip do ano passado, David Grossman disse que o livro é um pouco sobre como os jovens, hoje, são obrigados a se desfazer, desde cedo, das suas ilusões. No mundo como está, acredita Grossman, as crenças logo são esmagadas pela realidade, mesmo numa fase em que é saudável acreditar; em que faz parte, inclusive, do amadurecimento querer, por exemplo, mudar o mundo. David Grossman pareceu sinceramente triste em constatar que, com ameaças como atualmente as do terrorismo, da miséria, da guerra, até do individualismo, a juventude tenha perdido a única chance de cultivar ainda alguns sonhos. A juventude tenha deixado de ser juventude, em resumo.

Felizmente, há uma contradição entre sua fala e sua realização. Alguém para correr comigo é uma linda resposta a um mundo aparentemente descrente e cheio de pessoas para quem o sonho não diz mais qualquer coisa. Porque, por mais que David Grossman acredite, realmente, que estamos num beco sem saída, em termos de ideais, seus personagens são críveis, vivem numa era que é a nossa, compartilham da mesma atmosfera e - ainda assim - sonham, e realizam. Tamar e Assaf, obviamente, são estranhos num universo que não os aceita, que os persegue, que os rejeita - mas sobrevivem a ele, não só fisica mas espiritualmente. Alguém para correr comigo, na pior das hipóteses, é a afirmação de que existem pessoas diferentes no mundo. Pessoas como Tamar, como Assaf. Como Dinka. Pessoas como David Grossman - antes de escritor, um ser humano.

"Como se sempre alguém tivesse de se sacrificar(...), para que os outros pudessem começar algo novo..."

Para ir além







Julio Daio Borges
São Paulo, 17/2/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O túmulo do pássaro de Elisa Andrade Buzzo
02. Livros para um cruzeiro de Eugenia Zerbini
03. Meus álbuns: '00 - '09 ― Pt. 1 de Rafael Fernandes
04. Teoria dos jogos de Gian Danton
05. Gênio: apontamentos ensaísticos de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2006
01. Novos Melhores Blogs - 17/3/2006
02. O Gmail (e o E-mail) - 3/3/2006
03. Por que os blogs de jornalistas não funcionam - 22/9/2006
04. Desconstruindo o Russo - 21/7/2006
05. The Search, John Battelle e a história do Google - 6/1/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/2/2006
21h15min
Belíssimo o seu artigo, sobre um autor diferente e um livro que a gente, agradecida, fica louca pra ler... imediatamente. Um abraço feliz.
[Leia outros Comentários de Gisele lemper]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A LITERATURA NO BRASIL VOL. 1 TOMO 1
AFRÂNIO COUTINHO
SUL AMERICANA
(1956)
R$ 6,90



TRATADO DE FISIOLOGIA MÉDICA
GUYTON & HALL
ELSEVIER
(2011)
R$ 180,00



COM LICENÇA, EU VOU À LUTA
ELIANE MACIEL
CIRCULO DO LIVRO
R$ 5,00



PRÉCIS DE PATHOLOGIE CHIRURGICALE TOME III GLANDES MAMMAIRES - ABDOMEN
PIERRE DUVAL A. GOSSET E. JEANBRAU P. LEC...
MASSON ET CIE
(1914)
R$ 50,60



SATIRICON
PETRÔNIO
CÍRCULO DO LIVRO
R$ 9,00



PÔQUER PHIL HELLMUTH APRESENTA:LER E TIRAR PROVEITO
JOE NAVARRO / MARVIN KAR /PHIL HELLMUTH
MADRAS
(2013)
R$ 59,13



O DIREITO E OS ADVOGADOS NOS EUA
ERWIN N. GRISWOLD
FORENSE (RJ)
(1967)
R$ 31,28



A REINVENÇÃO DO BAZAR - UMA HISTÓRIA DOS MERCADOS
JOHN MCMILLAN
ZAHAR
(2004)
R$ 30,00



MARIA DA PAZ
ARNALDO NISKIER
MONDRIAN
(2001)
R$ 9,33



O JOVEM PASTOR DE NUVENS
SAMIR MESERANI
ATICA
(1996)
R$ 5,65





busca | avançada
57441 visitas/dia
1,8 milhão/mês