Eleições: democracia como um falso slogan | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
67078 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Mega evento de preparação ao ENEM reúne personalidades e conteúdo exclusivo ao público jovem
>>> Lançamento do livro 'Pesquisa e ensino de história na Amazônia'
>>> Maurício Limeira lança coronavídeo GUERRA
>>> Mostra de Teatro traz quatro peças para assistir on-line
>>> Festival Som na Faixa apresenta edição online com atrações da música instrumental
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Coisa mais bonita é São Paulo...
>>> Cuba e O Direito de Amar (1)
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> Carol Sanches, poesia na ratoeira do mundo
>>> O fim dos livros físicos?
>>> A sujeira embaixo do tapete
>>> Moro no Morumbi, mas voto em Moema
>>> É breve a rosa alvorada
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Saudade do amanhã
>>> Cata-lata
>>> A busca
>>> O poder da história
>>> Caraminholas
>>> ETC. E TAL
>>> Acalanto para a alma
>>> Desde que o mundo é mundo
>>> O velho suborno
>>> Normal!
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Bailes & Festas
>>> Une jeune fille normale
>>> O retorno dos que não foram
>>> A Música Erudita no Brasil
>>> Vândalos são eles
>>> Nelson ao vivo, como num palco
>>> Nelson ao vivo, como num palco
>>> Suzana Andres
>>> Que exemplo arrebatador a Colômbia dá ao mundo
>>> Poeira, pra que te quero?
Mais Recentes
>>> Coleção Concursos - Volume.11 de Aniello Aufiero pela E.Aufiero (2007)
>>> Coleção Concursos - Volume.11 de Aniello Aufiero pela E.Aufiero (2007)
>>> Escritos e ambiente do Novo Testamento de Odette Mainville (org) pela Vozes (2002)
>>> Nunca pare de lutar de Ludmila Ferber pela Thomas Nelson (2012)
>>> The secret / o segredo de Rhonda Byrne pela Ediouro (2007)
>>> Medical update. Demência vascular n°20 / 2005 de Vários pela Bolina (2005)
>>> As Dez Leis da Realização e A força de Ian Mecler pela Best bolso (2012)
>>> Diário de um Banana Volume 7: Segurando Vela de Jeff Kinney pela V&R (2013)
>>> Diário de um Banana Volume 12: Apertem os Cintos de Jeff Kinney pela V&R (2017)
>>> Diário de um Banana Volume 9: Caindo na Estrada de Jeff Kinney pela Vr (2015)
>>> O conceito de amor em Santo Agostinho de Hannah Arendt pela Instituto Piaget
>>> O inusitado na vida e na morte de Ellio Tigger-Hiriesty de J. V. Di Bobbo pela J. V. Di Bobbo (1982)
>>> Os quatro grandes de Agatha Christie pela L&Pm Pocket (2014)
>>> A mulher que escreveu a biblia de Moacyr Scliar pela Companhia de Bolso (2007)
>>> 1919 de John dos Passos pela Abril Cultural (1983)
>>> As Brumas de Avalon: O prisioneiro da árvore de Marion Zimmer Bradley pela Círculo do livro
>>> As Brumas de Avalon: A grande Rainha livro dois de Marion Zimmer Bradley pela Imago (1982)
>>> As Brumas de Avalon: A senhora da Magia de Marion Zimmer Bradley pela Imago (1982)
>>> Sem olhos em gaza de Aldous Huxley pela Abril Cultural (1985)
>>> A igreja Latino-americana no contexto mundial de Martin N. Dreher pela Sinodal (1999)
>>> Se houver amanhã; Nada dura pra sempre de Sidney Shedon pela Best-Bolso (2010)
>>> A teia da aranha de Agatha Christie pela L&Pm Pocket (2014)
>>> Um brinde de de Agatha Christie pela L&Pm Pocket (2014)
>>> Punição para a inocência de Agatha Christie pela L&Pm Pocket (2014)
>>> Diário de um Banana Volume 8: Maré de Azar de Jeff Kinney pela Vr (2014)
>>> As Brumas de Avalon: O gamo-rei de Marion Zimmer Bradley pela Imago (1982)
>>> O senhor dos ladrões de Cornelia Funke pela A página (2012)
>>> Coração de tinta de Cornelia Funke pela A página (2010)
>>> O Mistério de Jesus de Vamberto Morais pela Edições (1990)
>>> O Gesto Essencial - Literatura, Politica e Lugares de Nadine Gordimer pela Rocco (1995)
>>> Brandão Entre o Mar e o Amor de Jorge Amado;José Lins e outros pela Record (2000)
>>> Getting Things Done: A Arte de Fazer Acontecer de David Allen pela Elsevier (2005)
>>> Dracula - Pre-Intermediate - Acompanha CD de Bram Stoker pela Disal (2011)
>>> O Jovem Torless de Robert Musil pela Biblioteca Folha (2003)
>>> O Andar do Bêbado: Como o Acaso Determina Nossas Vidas de Leonard Mlodinow pela Zahar (2009)
>>> Questões Comentadas - Direito Administrativo de Matheus Carvalho e Raphael Santana pela Juspodivm (2016)
>>> Inteligência Emocional no Trabalho de Hendrie Weisinger,PhD pela Objetiva (1997)
>>> O caçador de pipas de Khaled Hosseini pela Nova Fronteira (2006)
>>> Encontro com o Cristo de Jesus de Wilson Ribeiro pela Master Book (1999)
>>> A História do Século 20 Para Quem Tem Pressa: Tudo Sobre os 100 Anos que Mudaram a Humanidade em 200 Páginas! de Nicola Chalton; Meredith MacArdle pela Valentina (2017)
>>> Ficando Longe do Fato de Já Estar Meio que Longe de Tudo de David Foster Wallace pela Companhia das Letras (2012)
>>> A novela do curioso impertinente - Edição Bilíngue de Miguel De Cervantes Saavedra pela Relume Dumara (2005)
>>> Gestão da Educação Corporativa: Cases, Reflexões e Ações em Educação a Distância de Eleonora Jorge Ricardo pela Pearson Prentice Hall (2007)
>>> Porongos: Fatos e Fábulas de Cesar Pires Machado pela Praça da Matriz (2011)
>>> Maomé - Uma Biografia do Profeta de Karen Armstrong pela Companhia das Letras (2002)
>>> Merlin Volume 3: Teia de Traições de M. K. Hume pela Novo Século (2014)
>>> APRENDENDO A ESCREVER (AZUL) de EDITORA TODOLIVRO pela TODOLIVRO
>>> 13 Razões Para Votar no PT de BITTENCOURT, AURELIO MARCONDES E LINS pela MATRIX
>>> #Por Que Eu Leio de HARPER COLLINS pela HARPERCOLLINS
>>> La Sabiduría Para Ser Feliz y Crear la Paz de Daisaku Ikeda pela Azul Índigo (2019)
COLUNAS >>> Especial Eleições 2006

Segunda-feira, 25/9/2006
Eleições: democracia como um falso slogan
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 6300 Acessos
+ 1 Comentário(s)

"Democracia é o direito que temos de escolher quem vai nos enganar"
Elias Canetti em Massa e Poder

Afinal de contas, será que ao elegermos um entre os vários candidatos que estão aí, estaremos realmente elegendo quem vai nos representar ou, ao menos, quem verdadeiramente desejamos que nos represente? Não.

Os candidatos que se apresentam como nossos futuros representantes foram escolhidos por nós para serem nossos candidatos a nos representar? Não.

Se mesmo não sendo candidatos escolhidos por nós para nos representar decidimos escolher um deles como nosso representante, será que ele poderá representar nossos interesses num quadro social onde quem manda é o poder econômico e não mais o poder político? Não.

Nós acreditamos em fantasmas. E apesar de todas as informações sobre a jogatina do poder que temos tido, desde O Príncipe, de Maquiavel, até Como iludir o povo com falsos slogans de liberdade e igualdade, de Lênin, dentre tantas obras políticas, caminhamos como cegos, assoviando no escuro para não ficarmos com medo de assombração. Mas, como ensinou Freud, assoviar no escuro afasta o medo, mas não acende a luz. Explico no próximo parágrafo, para não soar tão esotérico.

As eleições nos dão uma falsa sensação de controle da situação social na qual estamos metidos. É como assoviar no escuro. Essa sensação é como uma droga produzida nos laboratórios do sistema republicano em que vivemos e que nos é vendida a baixo preço como uma idéia de que estamos com as rédeas nas mãos, realmente escolhendo nosso presente e nosso futuro. Precisamos dessa ilusão para não nos metermos em ações desesperadas e perigosas. Votar, então, é preservar a nossa vida e o atual sistema de dominação, dentro de uma fantasia meio gasta, mas ainda assim necessária(?) da crença na ação política. É como a religião, nos protegendo do medo do absurdo da existência, nos dando respostas para o que não tem resposta. Não acendemos a luz, mas o som doce e musical de nosso assovio nos dá uma paz anestesiante no escuro. Paz de cemitério?

Vamos descer mais baixo. E os candidatos, afinal os fatos falam por si. Se usarmos nosso bom senso de observação das patéticas aparições desses seres o que temos como expectativa? Uma sensação de circo dos horrores! Não vou perder tempo falando de nenhum deles, eles falam por si mesmos e a imprensa tem falado diariamente e exaustivamente deles e eles ainda se exibem para nós com suas risíveis palhaçadas em nobre horário político televisivo. Basta!

A opção única que temos: escolher dos males o menos pior? Se esse é o princípio que norteia nossas decisões políticas, porque não temos culhões para rejeitarmos as alternativas imundas, que controle realmente temos sobre nossa existência social? Nenhum.

O que nos resta? O direito de dizer não a todos eles? Mas, ainda assim, não estaremos participando do circo montado por eles? E, afinal, que circo é esse? O da falsa idéia de que a representação política ainda tem sentido hoje em dia. A idéia mórbida de que votando em alguém estaremos garantindo um direito democrático de participação no jogo social.

No fundo gostaríamos de ter outros candidatos, melhores do que estes que temos agora, pois, ingênuos que somos, acreditamos que o problema é o dos candidatos e não o da situação histórica contemporânea: do fim da política como instância representativa do cidadão. Não foi só o sindicato que sofreu abalos nos últimos anos, perdendo sua força social e seu poder de representatividade, foi a própria noção de política que mudou face ao novo modo de organização econômica capitalista. Mas parece que ninguém percebeu.

Será que não estamos cientes de que estamos sendo enganados com mais uma velha história que mais parece um cadáver que não acaba de morrer nunca? Maquiavelicamente, o poder econômico financia a política como quem, para não perder o braço, oferece um pedaço do dedo.

Não é hora de começarmos a pensar em outras formas de se fazer política? Ou ao menos questionar essa que aí está.

Nunca tanta sujeira foi exibida em tão pouco tempo. Não se assuste, portanto, a nossa burguesia se daqui a alguns poucos anos candidatos do PCC se imporem à cena política e se tornarem a melhor opção de voto para o povo brasileiro. É melhor que percam logo o braço e alguma perna para não perderem a cabeça. Os subúrbios ainda vão gritar, e bem mais alto do que se imagina, sobre os muros de seu isolamento social.

Parece que na atual conjuntura eleitoral talvez a única questão realmente interessante é se perguntar se a foto do Enéas na cabine de votação virá com a sua barba ou sem ela. Rir não é o melhor remédio?

Temos que nos perguntar ainda mais uma coisa: afinal, se o cheiro que estamos sentindo é o da podridão e a forma que enxergamos é a do grotesco, que país está sendo espelhado em nossa realidade política?


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 25/9/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Margeando a escuridão de Elisa Andrade Buzzo
02. Ninfomaníaca: um ensaio sob forma de cinema de Wellington Machado
03. Por que comemorar o dia das mães? de Débora Carvalho
04. Por que Coetzee de Daniel Lopes
05. Mulheres de cérebro leve de Ana Elisa Ribeiro


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2006
01. Guimarães Rosa: linguagem como invenção - 12/4/2006
02. Orkut, ame-o ou deixe-o - 27/1/2006
03. Bienal 2006: fracasso da anti-arte engajada - 24/11/2006
04. Renato Russo: arte e vida - 26/7/2006
05. Eleições: democracia como um falso slogan - 25/9/2006


Mais Especial Eleições 2006
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/9/2006
20h17min
Seguindo o raciocínio do artigo, a filosofia política atual é ensinada pelo cancioneiro popular: "esmola para um homem se não mata de vergonha, vícia o cidadão". Assim, uma cesta básica garante 10 votos; ruim com ele, pior sem ele. A única saída é aceitar quem supostamente nos dará um pouco mais de esmola. Mudança para melhor ficará apenas em nossos sonhos, afinal, o povo está muito domesticado pela mídia para se pensar em revolução.
[Leia outros Comentários de Marcos da Silva]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UMA OU OUTRA FORMA DE TIRANIA
MARCOS VINÍCIUS FERREIRA DE OLIVEIRA
7 LETRAS
(2006)
R$ 12,00



NIETZSCHE: FILOSOFIA E PENSAMENTOS - A INFLUÊNCIA DO PENSAMENTO E
EDITORA GEEK
GEEK
R$ 25,82



CAMINHOS DO MUNDO E DA VIDA
ANTONIO DE SOUSA
SCORTECCI
(2008)
R$ 15,00



O FANTASMA QUE FALAVA ESPANHOL - COL. QUE MISTÉRIO É ESSE ?
LUIZ GALDINO - 4ª EDIÇÃO
FTD
(1991)
R$ 7,00



PROENF: SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: CICLO 6. MÓDULO 3
CARMEN ELIZABETH KALINOWSKI
ARTMED
(2006)
R$ 9,90



O PENSAMENTO VIVO DE DA VINCI
DA VINCI
MARTIN CLARET
(1985)
R$ 6,90



SOMOS AS ÁGUAS PURAS
CARLOS RODRIGUES BRANDÃO
PAPIRUS
(1994)
R$ 15,00



DIGITAL FORTRESS
DAN BROWN
ST MARTINS PRESS
(2004)
R$ 20,00
+ frete grátis



A PROFECIA DO MAGO
RENATA DE CASTRO MELO-MAURÍCIO MONTNOVE
FREITAS BASTOS
(1992)
R$ 27,65



COMO VOCÊ SE CHAMA?
R. MAGALHÃES JR.
EDITORA DOCUMENTÁRIO
(1974)
R$ 10,00





busca | avançada
67078 visitas/dia
2,0 milhão/mês