Renato Russo: arte e vida | Jardel Dias Cavalcanti | Digestivo Cultural

busca | avançada
79144 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto 8x Hilda reúne obra teatral de Hilda Hilst em ciclo de leituras online
>>> Afrofuturismo: Lideranças de de Angola, Cabo Verde e Moçambique debatem ecossistemas de inovação
>>> Ibraíma Dafonte Tavares desvenda preparação e revisão de texto
>>> O legado de Roberto Burle Marx é tema de encontro online
>>> Sala MAS/Metrô Tiradentes - Qual é a sua Cruz?
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Kate Dias vive Campesina em “Elise
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A discreta crise criativa das novelas brasileiras
>>> Um post sem graça
>>> Política em perguntas
>>> Os Estertores da Razão
>>> Encontro com Marina Silva
>>> Palavrões
>>> Pequena poética do miniconto
>>> Memórias de um caçador, de Ivan Turguêniev
>>> O número um
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
Mais Recentes
>>> Esperança Viva. Uma Escolha Inteligente de Ivan Saraiva pela Casa Publicadora Brasileira (2016)
>>> Esperança Viva. Uma Escolha Inteligente de Ivan Saraiva pela Casa Publicadora Brasileira (2016)
>>> Cascão 360 - Outubro/2000 - Uma Folha De Jornal, Mil Idéias na cabeça de Maurício de Sousa pela Globo (2000)
>>> Chico Bento 354 - Agosto/2000 - O Fenômeno de Maurício de Sousa pela Globo (2000)
>>> Magali 185 - Julho/1996 - Gato De Guarda - Editora Globo de Maurício de Sousa pela Globo (1996)
>>> Ed & Lorraine Warren Lugar sombrio de Carmen Reed e AL snedeker & Ray Garton pela Darkside (2021)
>>> 1822 de Laurentino Gomes pela Nova Fronteira (2010)
>>> A cabana de William P. Young pela Sextante (2008)
>>> 1808 de Laurentino Gomes pela Planeta (2014)
>>> Eram os Deus Astronautas? de Erich von Daniken pela Edições Melhoramentos (1977)
>>> Pequena Filocalia - O Livro Clássico da Igreja Oriental de Vários Autores pela Paulus (1985)
>>> Os Sertões de Euclides da Cunha pela Nova Cultural (2002)
>>> Búfalo - Zodíaco Chinês de Catherine Aubier pela Pensamento (1982)
>>> Sociologia e Sociedade - Leituras de introdução á Sociologia. de José de Souza Martins pela Livros Tecnicos (1977)
>>> Luz Emergente - A Jornada da Cura Pessoal de Barbara Ann Brennan pela Cultrix (1993)
>>> Os homens dos Pés Redondos de Antônio Torres pela Francisco Alves (1973)
>>> Maça Profana de Wellington Soares pela The Books (2003)
>>> Teologia do Novo Testamento de George Eldon Laad pela Juerp (1985)
>>> Colette - Uma Biografia de Allan Massie pela Casa Maria (1989)
>>> Enigmas Bíblicos Revelados de Ernesto Barón pela Ceg (1998)
>>> Salvador de Sá e aluta pelo Brasil e Angola 1602-1686 Vol. 353 de C. R. boxer pela Ed. da usp (1973)
>>> Relações da Psicanálise com analistas, instituições e pacientes de David Zimmermann pela Artes Médicas (1988)
>>> Os Africanos no Brasil Vol. 9 de Nina Rodrigues pela Companhia Ed. Nacional (1997)
>>> Na Colméia do inferno - 1ª coleção veredas de Pedro Bandeira pela Moderna (1991)
>>> Os libertos: sete caminhos na liberdade de escravos da Bahia no século XIX de Pierre verger pela Corrupio (1992)
>>> Ao passar das caravanas ciganas de Valéria Sanchez Silva Contrucci pela Zenda (1995)
>>> O Jesus Histórico de Otto Borchert pela Sociedade religiosa edições vida nova (1985)
>>> Contra a Maré: Watchman Nee de Angus Kinnear pela Clc (1989)
>>> Encontro Com a Morte de Agatha Christie pela Record (1987)
>>> Por uma sociologia do protestantismo brasileiro de Vários autores pela Umesp (2000)
>>> Liberdade e Exclusivismo: ensaios sobre os batistas ingleses de Zaqueu Moreira de Oliveira pela STBNB edições (1997)
>>> Teologia Oriental: A identidade das igrejas orientais católicas no Codex Canonum Ecclesiarum Orientalum Vol. III de Thodoro Corrêa de Oliveira pela Gráfica (2009)
>>> Introdução ao estudo do novo testamento de Broadus David Hale pela Juerp (1985)
>>> Aquinas - Selected Philosophical Writings de Tomás De Aquino pela Oxford University Press (1993)
>>> Histórias Com Gente Dentro de Guaracy Pinto pela do Autor (2011)
>>> A Morte da Socialite de Guaracy Pinto pela do Autor (2014)
>>> Fort of Apocalypse - Vol. 10 de Yu Kuraishi e Kazu Inabe pela Jbc (2017)
>>> Fort of Apocalypse - Vol. 1 de Yu Kuraishi e Kazu Inabe pela Jbc (2017)
>>> Fort of Apocalypse 2 de Yu Kuraishi e Kazu Inabe pela Jbc (2017)
>>> O Fazedor de Nuvens de Guaracy Pinto pela do Autor (2014)
>>> Yu Yu Hakusho - Volume - 13 de Yoshihiro Togashi pela Jbc (2014)
>>> Yu Yu Hakusho - Volume - 12 de Yoshihiro Togashi pela Jbc (2014)
>>> Yu Yu Hakusho - Volume - 11 de Yoshihiro Togashi pela Jbc (2014)
>>> Yu Yu Hakusho - Volume - 6 de Yoshihiro Togashi pela Jbc (2014)
>>> Yu Yu Hakusho - Volume - 5 de Yoshihiro Togashi pela Jbc (2014)
>>> Yu Yu Hakusho - Volume - 4 de Yoshihiro Togashi pela Jbc (2014)
>>> Yu Yu Hakusho - Volume - 8 de Yoshihiro Togashi pela Jbc (2014)
>>> Noções Básicas de Citologia, Histologia e Embriologia de L.C. Junqueira; J. Carneiro pela Nobel (1988)
>>> Fairy Tail Zero de Hiro Mashima pela Jbc (2017)
>>> Um Time Muito Especial de Jane Tutikian pela Atual (2009)
COLUNAS >>> Especial 20 anos do Dois

Quarta-feira, 26/7/2006
Renato Russo: arte e vida
Jardel Dias Cavalcanti

+ de 7100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

"Os assassinos estão livres, nós não estamos"
Renato Russo em "O Teatro dos Vampiros"

Para os verdadeiros artistas não existe uma separação entre arte e vida. Essa separação esquizofrênica só existe para os acadêmicos, que se acostumaram a pensar apenas com a cabeça e não com as vísceras. E se vamos falar em Renato Russo, o que interessa são as entranhas e não o raquítico cérebro.

Existe uma tradição dentro do rock de uma espécie de artista maldito, semelhante à mesma tradição que existe na literatura com nomes como o de Rimbaud, Verlaine, Lautreamont e Oscar Wilde. No caso do rock, a tradição é marcada pelo abuso de álcool, cocaína, alucinógenos e sexo (às vezes com o tempero do homossexualismo declarado e/ou transformismo encenado). Esta tradição existe também na filosofia, na música, na pintura, no teatro e no cinema como foram os casos de Nietzsche, Charlie Parker, Van Gogh, Antonin Artaud, Bukowski, Kerouac, Pasolini (para citar apenas alguns). Se eu fosse falar do jazz, mencionaria Charlie Parker e Billie Holliday apenas para não esquecer deste estilo também grandioso nas suas pulsões incontroláveis. Sem esses casos, com certeza a arte e o pensamento seriam apenas um exercício masturbatório e ralo de intelectuais acadêmicos.

No caso do rock, que também necessita do fertilizante da loucura e da vida intensa (existe diferença?), temos os nomes de Jim Morrison, Jimi Hendrix, Janis Joplin, Cazuza, Cássia Eller, dentre outros tantos não menos importantes. São figuras que levaram a arte mais a sério que a própria vida. Merecem o pedestal por isso, além de outras virtudes que comentaremos em seguida. Para ser mais preciso, e é bom ser preciso neste momento, não separaram a arte da vida e fizeram da própria vida uma obra de arte. Conectando criação e existência, compuseram para nós, simples mortais, músicas que brotavam de seus sentimentos mais profundos, como uma espécie de extensão física de seu próprio interior em efervescência.

Vamos nos deter agora no caso específico de Renato Russo. Quando olhamos ou ouvimos o som do Legião Urbana é evidente que o que nos atrai imediatamente é a presença de Renato Russo, como quando ouvimos o The Doors e não conseguimos sentir senão a presença peremptória de Jim Morrison. O mesmo ocorre quando ouvimos o Barão Vermelho e só pensamos em Cazuza. Não se trata de desprezar os outros músicos que, por sua vez, sustentam de alguma forma a presença dessas figuras à frente do palco. A questão é que estes nomes citados, e o Renato Russo é um deles, conseguem acumular em si mesmos uma força poética e uma presença sedutora que acabam por silenciar os outros componentes da banda. E não é apenas pelo fato de que eles são os cantores que isso acontece, se não nem lembraríamos do nome de Jimmy Page, do Led Zepellin, para ficar com apenas um exemplo. Não, o caso é mais complexo e diz respeito à própria força presencial dessas figuras, à sua capacidade de terem uma dimensão artística que supera a presença dos outros membros, de trazerem em si todas as tensões existenciais que o público recebe como uma bomba sobre suas vidas.

Um show começa. Renato Russo está diante do microfone, empunha-o como se fosse uma arma. A arte é perigosa. Numa república de conformados, então, mais ainda. Olha para o público com uma certa timidez. Mas não é isso, é a alma melancólica de poeta perigoso ameaçando nossas seguranças compradas com cartão de crédito que se impõe. Angústia, dor, solidão, ódio, descrença, crítica à estupidez política tupiniquim. Sua voz expressa o calor de um caldeirão incendiado pelo brilho e horror da vida, tudo ao mesmo tempo. "Parece cocaína, mas é só tristeza".

Para Renato Russo a arte e o álcool substituem a gilete que sangraria o pulso ou o coquetel molotov (tão necessário, às vezes) que poderia levá-lo à prisão. Necessidades de quem conhece as perversidades da vida e se sente incomodado com elas. Por isso, empunhar o microfone é coisa séria, angústia primitiva, fruto de uma necessidade vital de estar dentro do rock e da vida como o rock e a vida estão dentro dele. Tornar-se músico é responder a essa vibração de uma forma efetiva. É também querer ter um instrumento de contaminação para todos que passarem por perto.

Concentram-se na sua voz a ira política, numa crítica feroz ao nosso otimismo forjado pelos poderosos: "Nas favelas, no senado, sujeira por todo lado... e todos acreditam no futuro da nação... que país é este?", e a dor do amor: "A tempestade que chega é da cor dos seus olhos". E também há ainda a doçura melancólica: "é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã" ou "sempre precisei de um pouco de atenção... esse é o nosso mundo". Quem não se rende?

O público de Renato Russo é fiel, ligado a ele por uma intensidade sentimental-artística juvenil, rebelde, inconsolável, selvagem. Quando Renato pergunta: "Que país é esse?". A resposta é imediata e certeira: "É a merda do Brasil".

Sim, resposta certeira; ou alguém consegue ser otimista num país em que negros são abatidos como vermes por forças repressivas que os transformam em marginais apenas por causa de sua cor, onde crianças crescem ao lado de esgotos a céu aberto, onde mães deitam lágrimas sobre filhos que dormem chorando sem um mísero copo de leite para matar sua fome noturna, onde doentes morrem em filas de espera que mais lembram campos de concentração nazista, onde o projeto educacional do governo não é mais que uma fraude ou piada, onde os políticos são apenas uma ameaça aos bens públicos?

O tipo de voz que sempre precisamos é como a de Renato Russo, dolorida, sincera, feroz, crítica, amarga, melancólica, descrente, arrasante, cristalizada pelo pó da dor e perfumada pelo álcool do amor, soltando a fumaça da poesia como um xamã que revela o teatro de sombras que é a nossa existência: grandiosa e medíocre, fugaz e brilhante - ao mesmo tempo.


Jardel Dias Cavalcanti
Londrina, 26/7/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. De onde vem a carne que você come? de Wellington Machado
02. As noites insanas de Zizi Possi de Márcio Seidenberg
03. Tàpies, Niculitcheff e o Masp de Jardel Dias Cavalcanti
04. Em defesa dos cursos de Letras de Ana Elisa Ribeiro
05. É Natal! de André Pires


Mais Jardel Dias Cavalcanti
Mais Acessadas de Jardel Dias Cavalcanti em 2006
01. Guimarães Rosa: linguagem como invenção - 12/4/2006
02. Orkut, ame-o ou deixe-o - 27/1/2006
03. Bienal 2006: fracasso da anti-arte engajada - 24/11/2006
04. Renato Russo: arte e vida - 26/7/2006
05. Eleições: democracia como um falso slogan - 25/9/2006


Mais Especial 20 anos do Dois
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/7/2006
01h49min
Seria Renato Russo uma reencarnação de Nostradamus? "Os assassinos estão livres, nós não estamos”. Tem verdade mais atual e verdadeira do que essa?
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
26/7/2006
19h32min
se o poeta é a antena da raça, Russo acabou desvendando uma fatia de nossa tragédia tupiniquim.
[Leia outros Comentários de jardel]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Televisão - a Vida pelo Vídeo
Ciro Marcondes Filho
Moderna
(1988)
R$ 5,00



O privilégio da servidão: O novo proletariado de serviços na era digital (edição revista e ampliada)
Ricardo Antunes
Boitempo
(2020)
R$ 69,00



Teoria e Metodologia (dossiê)
Revista Tempo, Nº 2, Vol 1 - 1996
Relume Dumará
(1996)
R$ 31,28



Exame da Oab Segunda Fase - Área Trabalhista
Agostinho Zechin Pereira
Saraiva
(2007)
R$ 8,38



Seresta Mineira
Lar de Paula
Lar de Paula
R$ 40,00



Diário de uma garota nada popular
Rachel Renée Russe
Verus
(2012)
R$ 15,00



O Jornalismo Canalha
José Arbex Jr
Casa Amarela
(2003)
R$ 20,00



Sciencia Sexual Contribuições para o Seu Estudo Virgindade
Asdrubal Antonio D Aguiar
Livraria Teixeira
(1924)
R$ 106,61



Natal Especial
Halia Pauliv de Souza
Vozes
(2003)
R$ 11,00



Doze Capítulos Sobre Escravizar Gente e Governar Escravos
Roberto Guedes, Denise Demétrio
Mauad
(2017)
R$ 49,00





busca | avançada
79144 visitas/dia
2,4 milhões/mês