2008, o ano de Chigurh | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
31759 visitas/dia
922 mil/mês
Mais Recentes
>>> Caixa Cultural recebe grande mestre de Shakuhachi
>>> Pesquisadores analisam como se forjam as políticas urbanas das metrópoles
>>> Formação on-line de Gramática para preparadores e revisores de texto
>>> Ballet Acadêmico da Bahia apresenta Clássicos Disney no TCA
>>> Sesc Belenzinho apresenta Vertin e seu novo álbum Pásssaro Só
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
>>> As pedras de Estevão Azevedo
>>> O artífice do sertão
>>> De volta à antiga roda rosa
>>> O papel aceita tudo
>>> O tigre de papel que ruge
Colunistas
Últimos Posts
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
>>> Sarau Libertário em BH
Últimos Posts
>>> Casa de couro IV
>>> 232 Celcius, ou Fahrenheit 451
>>> Mãe
>>> Auto contraste
>>> Os intelectuais e a gastronomia
>>> Cabeças Cortadas
>>> Fiandeiras
>>> A mim importa, e a você?
>>> O INVISÍVEL
>>> Considerações finais: a arte de fazer política
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Cristóbal Balenciaga
>>> Rio das Ostras (II)
>>> Poesia vira imagem: Ronald Polito e Guto Lacaz
>>> O melhor de 2008 ― literatura e cinema
>>> Primeiros copos da noite
>>> O cristianismo para Nietzsche
>>> E Viva a Abolição - a peça
>>> O conto como labirinto em Milton Hatoum
>>> Aos plagiadores em geral
>>> Referências
Mais Recentes
>>> Sarney: a biografia de Echeverria, Regina pela Leya (2011)
>>> Charles Chaplin de Flavia Muniz pela FTD (2017)
>>> Pequeno livro de reflexão de Anônimo pela Wkids (2010)
>>> Este é o dia do seu milagre: experimente o sobrenatural poder criador de Hinn, Benny pela Bompastor (2001)
>>> O fascinante império de Steve Jobs de Michael Moritz pela Universo dos livros (2010)
>>> Tratado de Responsabilidade Civil - Doutrina e Jurisprudência de Rui Stoco pela Revista dos Tribunais (2014)
>>> Mentoring - Abrindo Horizontes, Superando Limites, Construido Caminhos de Rosa Elvira Alba de Bernhoeft pela Gente (2001)
>>> O Direito à Cidade de Henri Lefebvre pela Centauro (2008)
>>> O Direito à Cidade de Henri Lefebvre pela Centauro (2008)
>>> O Direito à Cidade de Henri Lefebvre pela Centauro (2008)
>>> Coração Ferido de Chelsea Cain pela Suma de Letras (2007)
>>> Noturno de Havana de T. J. English pela Pensamento Cultrix (2011)
>>> Luzia-Homem de Domingos Olímpio pela Escala (2007)
>>> Cinco Minutos e a Viuvinha de José de Alencar pela Escala (1999)
>>> O Poder da Oração Que Cura de Larry Dossey pela Agir (2015)
>>> Coleção Espetáculos do Galpão - Textos de Rua de Eduardo Moreira (Org.) pela Autêntica (2007)
>>> Zé Carioca - Nº 2395 de Equipe Disney pela Abril (2015)
>>> Zé Carioca - Nº 2394 de Equipe Disney pela Abril (2015)
>>> Zé Carioca - Nº 2392 de Equipe Disney pela Abril (2015)
>>> Zé Carioca - Nº 2371 de Equipe Disney pela Abril (2015)
>>> Pato Donald - Nº 2432 de Equipe Disney pela Abril (2015)
>>> Pato Donald - Nº 2430 de Equipe Disney pela Abril (2015)
>>> Pato Donald - Nº 2429 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Pato Donald - Nº 2428 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Pato Donald - Nº 2410 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Pato Donald - Nº 2406 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Pateta - Nº 48 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Pateta - Nº 37 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Pateta - Nº 36 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Pateta - Nº 35 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Pateta - Nº 04 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Minnie - Nº 39 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Minnie - Nº 34 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Minnie - Nº 02 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Mickey - Nº 881 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Mickey - Nº 848 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Mickey - Nº 837 de Equipe Disney pela Abril (2016)
>>> Novos Andarilhos do Bem de Luciana Chaui-Berlinck pela Autêntica (2012)
>>> Currículo e Políticas Públicas de Luiz Alberto Oliveira Gonçalves pela Autêntica (2003)
>>> A Poesia Vai à Escola de Neusa Sorrenti pela Autêntica (2013)
>>> Segredos de Um Rato de Laboratório - Meninas Não Entram (Cachorros Tudo Bem !) de Trudi Trueit pela Gutenberg (2012)
>>> Segredos de Um Rato de Laboratório - Mamãe, Tem Um Dinossauro no Lago Beeson de Trudi Trueilt pela Gutenberg (2013)
>>> O Homem e a Montanha de João Camillo de Oliveira Torres pela Autêntica (2011)
>>> Ensino Régio na Capitania de Minas Gerais ,1772 - 1814 de Thais Nivia de Lima e Fonseca pela Autêntica (2010)
>>> D. Maria da Cruz e a Sedição de 1736 de Angela Vianna Botelho pela Autêntica (2012)
>>> Inventamos ou Erramos de Simón Rodríguez pela Autêntica (2016)
>>> Estética Filosófica Para o Ensino Médio de Fernando R. de Moraes Barros pela Autêntica (2012)
>>> Melhor é o fim das coisas do que o início delas de Fialho, Cristina pela Getsêmani (2014)
>>> O Ensaio Geral - Marx e a Crítica da Economia Política (1857-1858) de João Antônio de Paula (Org.) pela Autêntica (2010)
>>> A Profecia de Samsara de Leticia Vilela pela Gutenberg (2014)
COLUNAS >>> Especial Melhores de 2008

Sexta-feira, 2/1/2009
2008, o ano de Chigurh
Vicente Escudero

+ de 3200 Acessos


La Muerte

Em Onde os velhos não têm vez (Alfaguara, 2006, 256 págs.), de Cormac McCarthy, os personagens seguem o mesmo destino das rajadas de vento que esfriam o deserto do Texas no fim do dia: sopros de vida, cruzando audaciosamente a terra seca até o esgotamento, para morrerem num vale qualquer, sem vestígios.

O ano é 1980, o local, sudoeste do Texas, fronteira com o México. Um caçador, veterano da Guerra do Vietnã, chamado Llwelyn Moss, depara-se com o resultado de uma transação entre narcotraficantes mexicanos malsucedida: carros e corpos de cães e homens crivados de balas, abandonados no deserto. Distante dali, um corpo jazendo sob uma árvore guarda o destino dos envolvidos na história: uma mala com dois milhões de dólares que desencadeará uma caçada sanguinária envolvendo Llwelyn, a polícia, traficantes e um assassino psicopata.

A narrativa é conduzida por Ed Tom Bell, xerife do Condado de Terrell, desolado com a escalada da violência na região da fronteira entre Estados Unidos e México. Veterano da Segunda Guerra Mundial, que abandonou os parceiros durante uma batalha e ainda assim fora condecorado, é incapaz de enfrentar o recrudescimento dos criminosos, cada vez mais violentos.

A caçada flui sem arrependimentos, sem as vidas se cruzarem, mas colidindo. Num ambiente quase completamente masculino, o mal envolve o homem sem valores morais ou consciência como uma tempestade de areia no deserto, entrando pelas narinas, separando-se do pó nos pulmões e subindo pelo pescoço num ritmo vertiginoso até a destruição. Anton Chigurh, assassino em busca do dinheiro, age como um fantasma, incorporando terror aos espíritos dos homens que cruza, deixando a loucura escrupulosa decidir seus destinos em um insignificante cara ou coroa, matando-os da mesma forma como os frigoríficos matam bois: através um dispositivo que projeta uma barra de ferro retrátil, impulsionada pelo ar comprimido de um cilindro portátil.

McCarthy, crítico dos personagens cerebrais, das análises psicológicas profundas, já desqualificou a obra de Henry James, dizendo que seus livros não são literatura. Tal crítica é despropositada, sendo Onde os velhos não têm vez um contraponto ao estilo do escritor naturalizado inglês. Sem utilizar vírgulas, a caçada pelo dinheiro acompanha o estilo das narrativas bíblicas, descritivas, sem descanso para qualquer exame apurado dos conflitos, carregando a tensão a uma continuidade quase insuportável. Esta aridez da linguagem, apesar de funcionar como estilo, representar o desamparo dos personagens e a escassez das vidas secas no deserto, sobrecarrega a narrativa, mas não a compromete.

Ainda que algumas qualidades de sua escrita, como as ricas descrições das paisagens, estejam ausentes, o exercício literário de Onde os velhos não têm vez, último livro da Trilogia da fronteira de McCarthy, acertou em cheio a crise de valores que cerca a atual miscigenação da cultura americana, representada na transformação silenciosa, e quase psicotrópica, da área de fronteira delimitada pelo Rio Grande. E talvez tenha se equiparado ao silêncio e isolamento de seu autor: assim como seus personagens práticos, sem reflexão e aparentemente sem consciência, McCarthy segue solitário, dando entrevistas duas vezes a cada década.

A caçada vista pelos olhos dos irmãos Coen
A controvérsia acerca da qualidade literária dos livros de McCarthy não se repete nos trabalhos cinematográficos dos irmãos Coen. Desde Fargo, até o atual Queime depois de ler, a crítica vê seus trabalhos com bons olhos. Em Onde os fracos não têm vez, tradução equivocada ou corruptela do título original, retirado por McCarthy do poema "Velejando para Bizâncio", de Yeats, os irmãos não fizeram concessões para o público que torce pelos mocinhos no cinema.

Os acontecimentos são acompanhados pelas câmeras até o fim. Se a vítima, atingida por chumbinhos disparados de uma espingarda, agoniza, a cena acompanha a vida até seu final. As planícies, morros e despenhadeiros são apresentados até onde a vista alcança, pintando a desolação impenetrável do deserto. O paraíso acabado, como metáfora, surge no traficante e sua mala cheia de dinheiro, abandonado morto ao pé de uma árvore, simbolizando a tentação da mordida no fruto proibido. Uma simples garrafa de leite ou o reflexo em um televisor preenchem a consciência vazia dos personagens: é a garrafa que sua enquanto o xerife, tenso, está inerte; é o reflexo dele na televisão, distorcido, que revela a ele o caráter de Chigurh. A coisificação do ser humano, presente no livro de McCarthy, é reproduzida com perfeição, construindo a premonição do pior inimigo possível e a incapacidade dos personagens diante do destino.

Também não há música. A caminhada de Llwelyn pelo deserto, que em outros tempos seria acompanhada por uma flauta e um banjo, tem como companhia o barulho rascante das botas apertando a terra. Mortos, sem marcha fúnebre, são velados pelo zunido das moscas. Um pitbull persegue Llwelyn em uma corredeira, mas a sensação de afogamento é produzida pela barulho incessante da correnteza. A exceção é uma balada, tocada durante a agonia de Llwelyn, quando adormece em uma praça, baleado, e é acordado por mariachis entoando uma canção sobre arrependimento. Este é universo cômico dos irmãos Coen.

Pois é esse humor negro, que permeia o filme até o fim, a característica marcante da dupla e a conjunção entre o livro e o filme. Se McCarthy tirou o título de um poema de Yeats sobre o vigor do amor e dos jovens, justamente da estrofe que descreve uma paisagem romântica onde a juventude viceja, para dar nome a um livro em que um assassino, Chigurh, incorpora a morte inevitável num deserto abandonado, os irmãos Coen completaram a obra e deram à peste o rosto de totem de Javier Bardem, coberto por um penteado de coroinha.

Hoje, estima-se que o México tenha trinta por cento de suas terras cultiváveis ocupadas por plantas psicotrópicas. Em 1980, época em que o tráfico cresceu de forma descontrolada na fronteira com os EUA, não havia a narcocultura, movimento que enraizou as drogas na juventude sem perspectivas do México, uma década depois. Daí surgiu o culto a La Muerte, figura santa em forma de caveira, coberta por um manto vermelho, protetora dos chicanos que esquartejam e violentam os rivais na disputa pelo tráfico. Chigurh, na profecia de McCarthy e dos irmãos Coen, é a prece atendida daqueles ajoelhados nesse altar.

Para ir além






Vicente Escudero
São Paulo, 2/1/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Como uma Resenha de 'Como um Romance' de Duanne Ribeiro
02. Em nome dos filhos de Luís Fernando Amâncio
03. Em defesa da arte urbana nos muros de Fabio Gomes
04. Píramo e Tisbe de Ricardo de Mattos
05. Sobre mais duas novelas de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2009
01. Amor aos pedaços - 7/5/2009
02. E a lei cedeu diante dos costumes - 11/6/2009
03. O naufrágio é do escritor - 12/3/2009
04. 2008, o ano de Chigurh - 2/1/2009
05. Amantes, tranquila inconsciência - 8/10/2009


Mais Especial Melhores de 2008
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UM AMOR DE CINEMA: UMA LISTA, DOIS CARAS, DEZ FILMES
VICTORIA VAN TIEM
VERUS
(2014)
R$ 8,00



BAÍA DE GUANABARA: DESCASO E RESISTÊNCIA
EMANUEL ALENCAR
MÓRULA EDITORIAL
(2016)
R$ 20,00



COMO TRANSFORMAR SONHOS EM REALIDADE
NERIVALDO LIRA ALVES
THOMAS NELSON BRASIL
R$ 20,17



GUIA DO ESTUDANTE VESTIBULAR + ENEM HISTÓRIA 2018
JOSE CESAR DE SOUZA
ABRIL
(2018)
R$ 19,90



IMAGINE AN ENGLISH COURSE FOR BEGINNERS Nº 1 + EXTRA ACTIVITIES 2 VOL
COORD RITA DE CÁSSIA TRAFANE SANTOS
CENTRO CULTURAL AMERICANO
(1995)
R$ 25,00



DINÁMICAS DE RECREACIÓN Y JUEGOS - SILVINO JOSÉ FRITZEN
SILVINO JOSÉ FRITZEN
LUMEN
(1995)
R$ 15,00



RUPTURAS POSSÍVEIS: REPRESENTAÇÃO E COTIDIANO NA SÉRIE OS ASSUMIDOS (QUEER AS FOLK)
SOFIA ZANFORLIN
ANNABLUME
(2005)
R$ 39,48



TODAS AS MULHERES DE HITLER
ERICH SCHAAKE
LAFONTE
(2012)
R$ 7,00



IMAGINÁRIO DA MAGIA. MAGIA DO IMAGINÁRIO
MONIQUE AUGRAS
VOZES
(2009)
R$ 32,00



GRETA GARBO(BIOGRAFIA)
ALFREDO STEMHEIM
SAMPA
(2016)
R$ 7,00





busca | avançada
31759 visitas/dia
922 mil/mês