O naufrágio é do escritor | Vicente Escudero | Digestivo Cultural

busca | avançada
60446 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Nasi e Scandurra apresentam clássicos do IRA! no Sesc Santo André
>>> Douglas Germano apresenta 'Umas e Outras'
>>> Mostra de Cinemas Africanos acontece em São Paulo e Curitiba a partir de 6 julho
>>> Iecine abre inscrições para a Oficina de Crítica e Fruição Cinematográfica
>>> Orquestra Modesta retorna ao Sesc Santo Amaro com 'Canções Para Pequenos Ouvidos 2'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
>>> A compra do Twitter por Elon Musk
>>> Epitáfio do que não partiu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
>>> A dor
>>> Parei de fumar
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Longa vida à fotografia
>>> iPad pra todo mundo
>>> Minha pátria é a língua portuguesa
>>> Minha pátria é a língua portuguesa
>>> Wikipedia e a informação livre
>>> Público, massa e multidão
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> Os Clássicos e a Educação Sentimental
>>> O youtuber é um novo dândi?
>>> Silêncio e grito
Mais Recentes
>>> Eu Como Assim Ou Assado? - Conhecendo Melhor o Que Você Come de Michele Iacocca pela Ática (2007)
>>> Onde Está Elizabeth? Como Resolver um Mistério sem Se Lembrar... de Emma Healey / 1ª Ed pela Record (2016)
>>> Ver!ssimo - Diálogos Impossíveis - 1 Edição de Luis Fernando pela Objetiva (2012)
>>> A Linguagem Falada Culta na Cidade de São Paulo - Vol. IV - Estudos de Dino Preti, Hudinilson Urbano pela T. A. Queiroz (1990)
>>> Acenos e Afagos - Confira! de João Gilberto Noll pela Record (2008)
>>> Urupês e Outros Contos - Confira! de Monteiro Lobato pela Principis (2019)
>>> Stopwatch 1 Students Book & Workbook Com Cd de Simon Brewster pela Richmond (2016)
>>> Princesa da Inocência (príncipes Di Castellani) / 1ª Ed - Confira !!! de Lani Queiroz pela 3dea (2019)
>>> Sangue no Inverno - Confira !!! de Mons Kallentoft pela Benvirá (2011)
>>> Robin Hood - Starter - Confira !!! de John Scott pela Oxford Bookworms (2008)
>>> Álvares de Azevedo : o Poeta Que Não Conheceu o Amor foi Noivo da Mort de Luciana Fátima da Silva/ Livro Assinado!! pela Annablume (2009)
>>> William Tell and Other Stories - Confira! de John Excott pela Oxford (2010)
>>> Engenharia Ambiental - Conceitos Tecnologia E Gestao de Maria Do Carmo Calijuri / Davi Gasparini Fernandes Cunha pela Elsevier (2013)
>>> Como Ficar Rico sem Cortar os Cartões de Crédito de Robert T. Kiyosaki / Sharon L. Lechter pela Elsevier / Campus (2004)
>>> Modern British Short Stories de Malcolm Bradbury pela Penguin Books (1988)
>>> Cultura do Medo - Confira! de Barry Glassner pela Francis (2003)
>>> A Mitopoese da Psique - Mito e Individuação (confira Agora!) de Walter Boechat pela Vozes (2008)
>>> High Up 2 Student´S Book de Vários Autores pela Macmillan (2013)
>>> Os Pensadores - Sócrates / Capa Dura de Nova Cultural pela Nova Cultural (1999)
>>> Maluca por Você de Rachel Gibson; Cassia Zanon pela Jardim dos Livros (2014)
>>> Sonho Grande: Como Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sircupira de Cristiane Correa pela Primeira Pessoa (2013)
>>> Tutancâmon de T. G. Henry James pela Folio (2005)
>>> Um Holograma para o Rei de Dave Eggers pela Companhia das Letras (2015)
>>> Morrendo de Vergonha - um Guia para Tímidos e Ansiosos de Barbara G. Markway; Cheryl N. Carmin; Teresa Flynn pela Summus (1999)
>>> Uma Vida para Seu Filho de Bruno Bettelheim pela Campus (2022)
COLUNAS

Quinta-feira, 12/3/2009
O naufrágio é do escritor
Vicente Escudero

+ de 5100 Acessos
+ 2 Comentário(s)


Ilha da consciência, na costa do Chile

A vida de um náufrago em uma ilha deserta talvez tenha sido o enredo mais repetido da literatura, numa quantidade um pouco maior do que a atual avalanche de histórias sobre os dilemas dos escritores, metalinguagem excessiva em tempos de escassez da criatividade, apesar da boa escrita.

Recordo algumas referências das minhas leituras na infância. Livros sobre homens perdidos na selva, pessoas abandonadas em barcos à deriva e sobreviventes de desmoronamentos embaixo de escombros. O cinema também tratou de captar a essência: Brooke Shields, em Lagoa Azul, envelhecendo numa ilha deserta; Tom Hanks, em Náufrago, exaltando a excelência da FedEx; além da série sem roteiro Lost.

Pequenas variações da vida de Robinson Crusoé, personagem criado por Daniel Defoe em 1719, chamadas de "robinsonades", histórias sem a mesma finalidade do romance, de legitimar a superioridade dos valores cristãos e a doutrina colonialista do antigo Império Britânico. Enquanto o tenaz Crusoé lutou durante quase três décadas, com a mesma dignidade que exibia no mundo civilizado, para suplantar os desafios da vida selvagem e encontrar um meio de fugir da ilha, mantendo a sanidade ― seja lendo a Bíblia ou conversando com um papagaio ―, Tom Hanks cria o necessário para manter-se vivo, quase se suicida, mas foge da ilha e realiza a entrega de uma encomenda extraviada. No século XVIII os povos bárbaros deveriam se curvar ao Império Britânico; hoje, o exército é de mensageiros expressos, que arriscam a vida pela entrega na hora certa. Coisas da vida.

Daniel Defoe inspirou-se na vida de Alexander Selkirk para criar Robinson Crusoé. Alexander, um pirata escocês aspirante que viveu sozinho por quatro anos na ilha Más a Tierra, no arquipélago Juan Fernández, localizado na costa do Chile ― hoje batizada de ilha de Robinson Crusoé ―, no início do século XVIII, depois de uma tentativa fracassada de motim durante uma expedição pelo Pacífico. Defoe, um inglês filho de puritanos integristas, educado para ser pastor, escritor versátil e um dos pioneiros do jornalismo econômico ― apesar de sucessivos fracassos mercantis ―, sofreu tamanha perseguição de devedores que se escondeu em Bristol, onde podia sair tranquilamente apenas aos domingos, já que no "Dia do Senhor" não era permitida a cobrança de dívidas. Daí surgiu seu apelido: "Gentleman Sunday", o "Cavalheiro Domingo".

Selkirk conheceu Defoe na pensão Leão Vermelho, na Bristol do início do século XVIII. Ambos eram crentes fervorosos. A religião de Defoe era proveniente da rígida educação escolar, enquanto Selkirk se entregara à Providência nos titubeios da esperança, durante a estadia na costa do Chile. A crença comum criou a amizade e o autor conheceu o personagem, afinal, os laços com Selkirk não devem ter sido amealhados através da teoria econômica dominical extravagante de Defoe.

A história já havia sido publicada por outros autores, autorizados por Selkirk. Só depois de dez anos do encontro e de uma estadia na prisão, Defoe inspirou-se nela para criar Robinson Crusoé. Sob a influência da disputa entre os impérios da Espanha e Inglaterra, que lutavam ferozmente pelas colônias nas Américas, dominado pela doutrina puritana que o acompanhava como uma chaga, Defoe transformou a história do pirata solitário num manual da colonização escravagista, uma mistura do Livro de Jó, do Antigo Testamento, com o Manual do Escoteiro-Mirim.

Defoe iniciou o movimento do realismo literário, abandonando o tratamento universal dos acontecimentos, através da narrativa em primeira pessoa e da determinação de lugares e datas. A estética passou a ser instrumento do conjunto de ideias defendido por Defoe a tal ponto que seu sucessor, Jonathan Swift, qualificou-o como um trapaceiro moralizador pela seriedade com que defendia seus valores na literatura.

Mas o Cavalheiro Domingo foi além dessas qualificações de Swift, e Robinson Crusoé, sua maior obra, representa não um início torto do realismo, em que a escravidão e a colonização são defendidas abertamente, mas uma restrição do foco narrativo para o universo interior do autor e suas angústias. A ilha é menos colônia do que consciência, Robinson Crusoé é mais Defoe do que Selkirk. A semelhança entre Autor e personagem é tão grande que a ausência de libido em Robinson Crusoé, suspeito, é a mesma de um puritano fervoroso. Defoe?

O que é um autor? Qual a sua relação com a obra? J. M. Coetzee, em seu discurso na entrega do Prêmio Nobel de literatura, tratou essas questões citando trechos de Robinson Crusoé. A pegada fresca na areia, encontrada pelo personagem enquanto caminhava pela praia... Seria de algum visitante da ilha ou do próprio náufrago? Aposto que era do Autor. Daniel Defoe encontrando Selkirk e transformando-o em Robinson Crusoé, na consciência repleta de valores e capaz de dominar a ilha, vencendo seus desafios. A metalinguagem atual também nasceu nessa pegada.


Vicente Escudero
Campinas, 12/3/2009


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cinemateca, Cinemateca Brasileira nossa de Elisa Andrade Buzzo
02. Carta aberta a quem leu Uma Carta Aberta ao Brasil de Adriane Pasa
03. Tirem as Viseiras! de Heloisa Pait
04. Saia curta, liberdade longa. de Adriane Pasa
05. Bnegão, Rodrigo Campos; e mais de Duanne Ribeiro


Mais Vicente Escudero
Mais Acessadas de Vicente Escudero em 2009
01. Amor aos pedaços - 7/5/2009
02. O naufrágio é do escritor - 12/3/2009
03. E a lei cedeu diante dos costumes - 11/6/2009
04. 2008, o ano de Chigurh - 2/1/2009
05. Amantes, tranquila inconsciência - 8/10/2009


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
13/3/2009
09h19min
A repetição do naufrágio tende a estabelecer um elo com a solidão, com o trabalho laboratório de emoções do escritor, que precisa às vezes ter a solitude pra sua ação de escrever, pensar, criar. Toda vez que colhemos um olhar seja do poeta, do cronista, ou até do contista sobre um objeto, sobre um relacionamento, sobre o amor, temos com certeza a transcendência do olhar sobre a ótica cor de rosa ou azul pastel do coração. E pouco são os leitores capazes de entender. É preciso de sensibilidade aguçada.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias Perei]
18/3/2009
22h30min
num sei... de repente mais do que naufrágio, pode ser um mergulho profundo... em seu próprio ser, no inconsciente coletivo... num sei... ;-))
[Leia outros Comentários de Gisele Lemper]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Em Nome da Segurança Nacional
Maria Helena Simões Paes
Atual
(1995)



Crianças sem problemas
Eduardo Goldenstein Luiz A. S. Freitas
Clinch
(1992)



Divórcio Em Buda - Confira!
Sándor Márai
Companhia das Letras
(2003)



Lá Vem História: Contos do Folclore Mundial
Heloisa Prieto
Companhia das Letrinhas
(1997)



O Livro das Virtudes para Crianças
William J. Bennett
Nova Fronteira
(1997)



Não Leve a Vida tão a Sério
Hugh Prather
Sextante
(2003)



Um minuto para mim
Spencer Johnson
Record
(2008)



Ser Protagonista - Matematica - 1º Ano
Felipe Fugita e Outros
Sm
(2015)



O ônus da Prova
Scott Turow
Supersellers
(1990)



Terminal
Robin Cook
Record
(1997)





busca | avançada
60446 visitas/dia
1,8 milhão/mês