O beatle George | Luiz Rebinski Junior | Digestivo Cultural

busca | avançada
33901 visitas/dia
891 mil/mês
Mais Recentes
>>> CRIANÇAS DE HELIÓPOLIS REALIZAM CONCERTO DE GENTE GRANDE
>>> Winter Fest agita Jurerê Internacional a partir deste final de semana
>>> Coletivo Roda Gigante inicia temporada no Jazz B a partir de 14 de julho
>>> Plataforma Shop Sui dança dois trabalhos no Centro de Referência da Dança
>>> Seminário 'Dança contemporânea, olhares plurais'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Saudades não envelhecem
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> É cena que segue...
>>> Imagens & Efeitos
>>> Segredos da alma
>>> O Mundo Nunca Foi Tão Intenso Nem Tão Frágil
>>> João Gilberto
>>> Retalhos ao pôr do sol
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Vinicius
>>> 2011 e meus álbuns
>>> A arte da crítica
>>> Livros e Saúde
>>> Além do Mais em 2005
>>> O enigma de Lindonéia
>>> O enigma de Lindonéia
>>> The Guardian contrata blogueiros para fazer jornalismo
>>> Discutir, debater, dialogar
>>> I Fink U Freeky
Mais Recentes
>>> La Vie Amoureuse de Vénus - déesse de l'amour de Francis de Miomandre pela Flammarion (1929)
>>> Les amours d'Élisabeth d'Angleterre de J H Rosny Jeune pela Flammarion (1929)
>>> Le Silence de Nadia de Jeanne de Coulomb pela Libraire Henri Gautier (1923)
>>> Eclipse de Stephenie Meyer pela Intrínseca (2009)
>>> Le Rosaire de Florence L Barclay pela Payot (1926)
>>> Os Elefantes não esquecem de Agatha Christie pela Nova Fronteira (2002)
>>> A construção do Brasil de Jorge Couto pela Forense Universitária (2011)
>>> Medicina de Reabilitação nas Lombalgias Crônicas de Julia Maria D' Andréia Greve e Marcos Martins Amatuzzi pela Roca - Brasil (2003)
>>> O exercício e a cardiologia do esporte de Paul D. Thompson pela Manole (2003)
>>> Medicina do Esporte de W. Hollman e T. Hettinger pela Manole (2005)
>>> Derrame Pleural de Franscisco S. Vagas , Lisete R. Teixeira e Evaldo Marchi pela Roca - Brasil (2003)
>>> 50 Anos a Mil de Lobão pela Nova Fronteira (2010)
>>> Furacão Anitta - Biografia Não Autorizada de Leo Dias pela Agir (2019)
>>> A Bela e a Fera - Edição Oficial do Filme de Elizabeth Rudnick pela Universo dos Livros (2017)
>>> A organização dirigida por valores de Richard Barrett pela Alta Books (2017)
>>> A Filiação Divina de Carlos Lema Garcia pela Quadrante (2002)
>>> Onde Cantam os Pássaros de Evie Wyld pela DarkSide (2013)
>>> O Espírito Santo na Experiência Cristã de James D Crane pela Juerp (1978)
>>> O Homem Moderno e a Imagem Bíblica do Homem de Leo Scheffczyk pela Edições Paulinas (1976)
>>> 50 Histórias de Ninar de Thomas Tig pela Girassol (2009)
>>> A Arte e a Ciência do Amor de Dr. Albert Ellis pela Record (1966)
>>> Acupuntura Coreana da Mão - Atlas de Bolso de Choo H. Kim pela Ícone (2019)
>>> Competência: Repertório de Jurisprudência e Doutrina de Arruda Alvim/ Teresa Arruda Alvim Pinto/ Ubiratan do Couto Mauricio pela Revista dos Tribunais/ SP. (1986)
>>> Manifesto Judeu Messiânico de David H. Stern pela Louva-a-Deus (2006)
>>> Responsabilidade Tributária dos Sócios no Mercosul de João Luis Nogueira Maria pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2001)
>>> O conquistador de Almas de C. H. Spurgeon pela Pes (2014)
>>> Helena - Clássicos da literatura - Texto Integral de Machado de Assis pela Ciranda Cultural (2017)
>>> 100 Anos de Comunicação Espírita em São Paulo - 1881 a 1981 de Eduardo Carvalho Monteiro pela Madras (2003)
>>> Herança- Orientações Práticas de Celso Laet de Toledo Cesar (desembargador/ Tj/ Sp) pela Oliveira Mendes/ Del Rey (1997)
>>> Herança- Orientações Práticas de Celso Laet de Toledo Cesar (desembargador/ Tj/ Sp) pela Oliveira Mendes/ Del Rey (1997)
>>> Sermões de spurgeon sobre as grandes orações da biblia de Charles Haddon Spurgeon pela RBC Publicações (2018)
>>> The Virtues of Aristotle de D. S. Hutchinson pela Routledge (1986)
>>> Dia a dia com Tozer de A. W. Tozer pela Publicações pao diário (2017)
>>> Mundo Animal Caldas Fofinhas de Não Informado pela TodoLivro
>>> Mundo Animal Caldas Fofinhas de Não Informado pela TodoLivro
>>> Meu Livrinho de Pano Animais de Não Informado pela TodoLivro
>>> Canções Classicas Toque e Sinta Seu Lobato Tinha um Sítio de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Canções Classicas Toque e Sinta Seu Lobato Tinha um Sítio de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Canções Classicas Toque e Sinta Seu Lobato Tinha um Sítio de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Canções Classicas Toque e Sinta Seu Lobato Tinha um Sítio de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Os Três Porquinhos de Não Informado pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Os Três Porquinhos de Não Informado pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Pinóquio de Não Informado pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Pinóquio de Não Informado pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Chapeuzinho Vermelho de Não Informado pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Chapeuzinho Vermelho de Não Informado pela TodoLivro
>>> Contos com Abas Chapeuzinho Vermelho de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Contos com Abas Chapeuzinho Vermelho de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Contos com Abas Três Porquinhos de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Contos com Abas Três Porquinhos de Ruth Marschalek pela TodoLivro
COLUNAS

Quarta-feira, 23/2/2011
O beatle George
Luiz Rebinski Junior

+ de 6700 Acessos
+ 3 Comentário(s)


LIANA TIMM© (http://timm.art.br/)

Não é preciso ser nenhum aficionado pelo quarteto de Liverpool para deduzir que John Lennon e Paul McCartney foram os gênios que levaram os Beatles à posição de maior banda de rock que já pisou ― e provavelmente pisará ― neste planeta. Talvez genial não seja um adjetivo definitivo para a dupla, mas transitório. Em suas carreiras solo, nem Paul nem John fizeram álbuns à altura dos melhores momentos dos Beatles ― ainda que tenham construído carreiras exuberantes, mas infinitamente menores quando em perspectiva à história musical do grupo. Coube ao coadjuvante da banda esse papel.

George Harrison fez o mais fantástico ― e genial ― álbum-solo gravado por um Beatle. All things must pass é daqueles álbuns apaixonantes, que não se consegue largar até que a música comece a encher o saco, não pelo conteúdo, claro, mas pela exaustiva repetição. Todo mundo conhece a história de monopólio da dupla Lennon-McCartney sobre as composições e principais decisões do grupo. O que alijava os outros dois integrantes de qualquer participação mais incisiva na banda, tendo como missão nada além do que executar o que a dupla principal criava. Ainda assim, All things must pass não é uma superação de um músico mediano que passou quase uma década burilando suas músicas enquanto apenas executava pérolas criadas por mentes mais geniais que a sua.

Mesmo com a presença castradora da dupla Lennon-McCartney, Harrison emplacou alguns dos sons mais interessantes ― e maduros musicalmente ― do repertório dos Beatles, o que inclui "Love you too", de Revolver, "Within you without you", de Sgt. Pepper's, e "While my guitar gently weeps", do White Álbum. Três canções fantásticas, que enriqueceram musicalmente a banda. Isso sem falar de hits poderosos como "Here comes the Sun", "I need you" e "Something", a música mais regravada dos Beatles depois de "Yesterday". O que quer dizer que All thing must pass não foi o que se pode chamar de golpe de sorte. Em 1970, o ano da separação dos Beatles, os quatro integrantes da banda lançaram discos separadamente. Paul compôs uma obra-prima ― "Maybe i'm amazed" ― que rivaliza com suas composições de maior sucesso, mas, no geral, seu disco de estreia não é tão bom. Lennon fez Plastic Ono band, um disco amargo com bons momentos ("God", em que Lennon diz: "eu não acredito nos Beatles, só acredito em mim", e "Mother", mais uma canção que tentava exorcizar fantasmas do passado). E Ringo... Bem, Ringo lançou um álbum (ou melhor, dois) inexpressivo, com diversas regravações.

Na faixa-título de All thing must pass, George canta que "tudo deve passar/ nada na vida pode durar pra sempre/ então, devo seguir meu caminho/ e encarar um novo dia". Depois que os Beatles se separaram, tudo que seus ex-integrantes diziam era interpretado como uma resposta velada às antigas rusgas. Isso pode até fazer algum sentido no caso de Harrison, mas All things must pass é muito mais um grito de independência do que dedo em riste. Harrison finalmente estava livre para colocar suas canções à prova não mais dos companheiros de banda, mas do público, e, principalmente, de si próprio.

O que poderia ser melhor para um jovem oriundo do subúrbio de Liverpool (uma cidade portuária e à época decadente) do que ser um Beatle na fervilhante década de 1960? No final da década em que os Beatles emergiram para o sucesso, Harrison queria qualquer coisa, menos continuar sendo um besourinho, ainda que o cabelo e a barba crescidas já tivessem expulsado a ingenuidade dos anos de formação. Harrison e Lennon foram os responsáveis pela interrupção dos shows dos Beatles a partir de 1966. Estavam de saco cheio da beatlemania e acreditavam que os shows não contribuíam em nada para o aperfeiçoamento deles como músicos. Uma meia verdade que ajudava a disfarçar o incômodo real: os rapazes não se suportavam mais. "Não conseguia me relacionar com mais ninguém. Nem mesmo [...] com meus amigos, minha mulher, ninguém!", disse George, em 1983, a Geoffrey Giuliano, um dos muitos biógrafos dos Beatles.

Ainda assim, com um clima pouco amistoso, a banda teve fôlego para fazer álbuns genias, como Sgt. Pepper's e o famoso White Álbum, nos anos que restaram até McCartney se adiantar a Lennon, que foi persuadido pelo colega a não revelar sua saída do grupo antes do lançamento de Let It be, e avisar ao mundo que estava deixando a banda ― uma mágoa que Lennon levou para o caixão.

Por mais traumático que tenha sido para milhares de fãs, o fim dos Beatles era a carta de alforria que George e John tanto sonhavam. É incrível pensar como uma coisa tão fantástica ― a existência dos Beatles ― se tornou um fardo para aqueles que mais usufruíram de suas benesses. Mas, mais incrível ainda, é acreditar que os Beatles viviam em um permanente estado de vazio existencial, principalmente John e George. E acabar com a banda talvez tenha sido a melhor maneira de encontrar algo que preenchesse esse vazio. Daí os Beatles saírem em voo solo fazendo discos e mais discos.

All things must pass, nesse sentido, parece ter tido o efeito de uma superdose de Prozac em Harrison. O disco é todo sentimento. Um misto de melancolia e fé no futuro ronda o álbum todo, especialmente em músicas como "Isn't it a pity?", "Let it down", "Run of the Mill" e "Beware of darkness", canções que, isoladas, fariam de qualquer disco um clássico atemporal. Mas o álbum triplo de Harrison (o primeiro da história do rock), ainda tinha a maravilhosa faixa-título, "All things must pass", capaz de emocionar um ogro, e o insuperável cover de "If not for you", de Bob Dylan. Além de canções mais ensolaradas, como a evocação do blues em "Plug me in" e o tributo à fé oriental em "My sweet lord", a música que, de alguma forma, eclipsou o disco todo. A canção, sem dúvida, é linda, mas, executada de forma isolada e repetitiva, pode dar a falsa impressão de que All thing must pass é uma compilação de mantras Hare Krishna. Impressão que é logo dissipada nos primeiros acordes de "Wah-Wah", o rockão folk orquestrado que vem logo depois de "My sweet lord".

Em uma entrevista para o lançamento do projeto The Beatles Anthology, em 1995, ao ser indagado sobre sua carreira solo, Harrison diz ao entrevistador, com um sorriso irônico no rosto, que nunca teve uma carreira fora dos Beatles, que não promovia seus álbuns, não cantava em programas de rádio ou tevê e dificilmente excursionava. Harrison nunca conseguiu fazer um álbum que superasse All thing must pass (e poderia?), mas criou álbuns fantásticos nos anos posteriores, como Dark horse (que daria nome à sua própria gravadora) e Living in the material world. Além de ter participado dos dois discos do Traveling Wilburys no final dos anos 1980 (a banda que formou com Bob Dylan, Roy Orbison e Tom Petty).

Ainda assim, Harrison parece nunca ter se recuperado da experiência de ter participado dos Beatles. Sua reclusão em Friar Park, onde sofreu um atentado de um maluco esquizofrênico, era uma atitude compatível à sua personalidade, mas, pelo que se lê nas entrevistas que Harrison concedeu depois da separação dos Beatles, ter participado da maior banda de rock de todos os tempos não seria uma escolha tão fácil caso pudesse ter traçado seu destino.

Nota do autor
Este texto foi inspirado pela leitura de "O mistério em George Harrison", presente no livro Ponto Final, a imperdível coletânea de ensaios sobre os anos 1960, do jornalista Mikal Gilmore.


Luiz Rebinski Junior
Curitiba, 23/2/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas de leitura sobre Inácio, de Lúcio Cardoso de Cassionei Niches Petry
02. Do inconveniente de ter escrito de Cassionei Niches Petry
03. Entrevista com Dante Ramon Ledesma de Celso A. Uequed Pitol
04. Escritor: jovem, bonito, simpático... de Marta Barcellos
05. A poeira do outros e o sabor da realidade de Fred Linardi


Mais Luiz Rebinski Junior
Mais Acessadas de Luiz Rebinski Junior em 2011
01. O beatle George - 23/2/2011
02. Dostoiévski era um observador da alma humana - 7/12/2011
03. Os contistas puros-sangues estão em extinção - 4/5/2011
04. O mistério em Thomas Pynchon - 22/6/2011
05. O negócio (ainda) é rocão antigo - 20/4/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
26/2/2011
12h09min
Apesar de composto de regravações, "New York City", de John Lennon, foi brilhante, e "Band on the Run", na minha opinião, perfeito. Talvez eu diga isso por "fui" contra a maré. Conheci primeiro os Beatles separados, para descobrir, ainda criança, vendo "Help" na antiga TV-E, hoje TV Brasil, que Lennon & McCartney eram os gênios de Liverpool. Não, não minimizo George. Penso que ele e Ringo eram o contraponto, os "garçons" que serviam não somente a segunda guitarra e a bateria. Mas nenhuma é ou foi perfeita. Por outro lado, nenhuma outra esteve tão perto da perfeição.
[Leia outros Comentários de Claudio Pereira]
26/2/2011
14h20min
"All Things Must Pass" é mesmo uma proeza - sincero, catártico, modesto. É uma experiência religiosa para mim, e olha que eu sou ateu. De certa forma, é meu disco predileto de toda a carreira dos Beatles, solo ou não. Mas que "Apple Jam" é um saco, é. hahaha
[Leia outros Comentários de Junior Martuchelli]
27/12/2011
13h25min
Quem está lendo isso no final de 2011 não pode perder o documentário do Martin Scorsese sobre o George Harrison. É simplesmente sensacional.
[Leia outros Comentários de Juca]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




THE STORIES OF EVA LUNA (4670P)
ISABEL ALLENDE
SEAL BOOKS
(1991)
R$ 14,00



MANUAL DE PRÁTICA FORENSE CIVIL
JOSÉ SEVÁ
E. V. EDIT. LTDA.
(1993)
R$ 12,00



A MONTANHA PARTIDA ( O MISTÉRIO DA EXPEDIÇÃO)
ODETTE DE BARROS MOTT
BRASILIENSE
(1970)
R$ 9,00



DIVINA AMANTE
FRANK G SLAUGHTER
RECORD
R$ 4,80



ENTRE A POBREZA E A LOUCURA
ROBERTA KELLY BEZERRA DE FREITAS
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



O BEM AMADO
EVELYN WAUGH
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1961)
R$ 19,00
+ frete grátis



GUIA BRASILEIRO DE PRODUÇÃO CULTURAL 2004
EDSON NATALE E CRISTIANE OLIVIERI
ZÉ DO LIVRO
(2003)
R$ 13,00



MICROTENDÊNCIAS - AS PEQUENAS FORÇAS POR TRÁS DAS GRANDES MUDANÇAS DE AMANHÃ
MARK J. PENN
BESTSELLER
(2008)
R$ 26,00



DROGAS POR QUE AS PESSOAS USAM? É POSSÍVEL PREVENIR? (2624)
FRANCISCO BAPTISTA NETO
INSULAR
(2009)
R$ 24,00



O CÁLCULO COM GEOMETRIA ANALÍTICA - 2 VOLUMES
LOUIS LEITHOLD
HARBRA
(1994)
R$ 179,90





busca | avançada
33901 visitas/dia
891 mil/mês