Brasil em novo tempo de cinema | Humberto Pereira da Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
87759 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto 8x Hilda reúne obra teatral de Hilda Hilst em ciclo de leituras online
>>> Afrofuturismo: Lideranças de de Angola, Cabo Verde e Moçambique debatem ecossistemas de inovação
>>> Ibraíma Dafonte Tavares desvenda preparação e revisão de texto
>>> O legado de Roberto Burle Marx é tema de encontro online
>>> Sala MAS/Metrô Tiradentes - Qual é a sua Cruz?
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
Últimos Posts
>>> Kate Dias vive Campesina em “Elise
>>> Editora Sinna lança “Ninha, a Bolachinha”
>>> “Elise”: Lara Oliver representa Bernardina
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Rumo certo
>>> Homenagem a Fred Leal, do podcast É Batata
>>> A melhor companhia para o Natal
>>> A proposta libertária
>>> Semana da Canção Brasileira
>>> Mashup Camp Day One
>>> Estranha coincidência
>>> Aula com Suassuna
>>> O pingente que deu certo
>>> Fidelio, primeira parte
Mais Recentes
>>> Contos tradicionais do Brasil (Literatura Popular) de Luís da Câmara Cascudo pela Global (2004)
>>> A verdadeira história de vida e morte de Raimundo Jacó - Missa do Vaqueiro de Pedro Bandeira pela Juazeiro do Norte
>>> A Escola da Anarquia (Pedagogia/Educação Anarquista) de Josefa Martín Luengo pela Achiamé (2007)
>>> Piaget, Vygotsky, Wallon: Teorias Psicogenéticas em Discussão de Yves de la Taille/Marta Kohl de Oliveira/Heloysa Dantas pela Summus (1992)
>>> Por uma outra Globalização: Do pensamento único à consciência universal de Milton Santos pela Record (2011)
>>> Educação Libertária: Textos de um Seminário (Pedagogia/Educação Anarquista) de José Maria Carvalho Ferreira (Org.) pela Achiamé (1996)
>>> Pensamento e Linguagem (Pedagogia/Educação) de Lev Vigotski pela Martins Fontes (2005)
>>> A formação social da mente (Pedagogia/Educação) de Lev Vigotski pela Martins Fontes (2007)
>>> Cultura Insubmissa (Estudos e reportagens) de Rosemberg Cariri/Oswald Barroso pela Nação Cariri (1982)
>>> Globalização, democracia e terrorismo de Eric Hobsbawn pela Cia. das Letras (2007)
>>> A Produção Cultural para a Criança de Regina Zilberman (Org.) pela Mercado Aberto (1982)
>>> Desenvolvimento e Educação da Criança - Aplicação de Piaget na sala de aula (Pedagogia/Educação) de David Elkind pela Zahar (1978)
>>> Pedagogia do Risco - Experiências anarquistas em Educação (Pedagogia/Educação) de Sílvio Gallo pela Papirus (1995)
>>> Recordando Paulo Freire: Experiências de Educação Libertadora na Escola (Pedagogia/Educação) de Maria Oly Pey (Org.) pela Achiamé (2007)
>>> O Anarquismo Hoje - Uma reflexão sobre as alternativas libertárias de Jorge E. Silva pela Achiamé (2007)
>>> História da Língua Portuguesa – II. Século XV e Meados do Século XVI de Dulce de Faria Paiva pela Ática (1988)
>>> Discurso sobre o Filho-da-Puta (Sociologia/Antropologia) de Alberto Pimenta pela Achiamé (1997)
>>> Propaganda Ideológica e Controle do Juízo Público de Noam Chomsky pela Achiamé (2003)
>>> A Pedagogia Libertária na História da Educação Brasileira (Pedagogia/Educação) de Neiva Beron Kassick/Clovis Nicanor Kassick pela Achiamé (2004)
>>> Vygotsky, quem diria?! Em minha sala de aula (Pedagogia/Educação) de Celso Antunes pela Vozes (2002)
>>> Educação: Projetos e valores (Pedagogia/Educação) de Nilson José Machado pela Escrituras (2021)
>>> Guia Prático do Português Correto – Volume 2 Morfologia de Cláudio Moreno pela L&PM Pocket (2003)
>>> Arte e Anarquismo de Pierre Ferrua/Michel Ragon/Gaetano Manfredonia/Dominique Berthet/C. Valenti pela Imaginário (2001)
>>> A propriedade é um roubo e outros escritos anarquistas (Filosofia) de Pierre-Joseph Proudhon pela L&pm (2008)
>>> Moderna Plus. Matemática Paiva 3 de Manoel Paiva pela Moderna Plus (2010)
>>> Moderna Plus. Matemática Paiva 2 de Manoel Paiva pela Moderna Plus (2010)
>>> Gramática do Texto – Texto da Gramática de Samira Yousseff Campedelli & Jésus Barbosa Souza pela Saraiva (2001)
>>> Moderna Plus. Matemática Paiva 1 de Manoel Paiva pela Moderna Plus (2010)
>>> Matemática volume único ensino médio de Gelson Iezzi, Osvaldo Dolce e David Degenszajn pela Atual (2011)
>>> As Ilhas da Corrente de Ernest Hemingway pela Nova Fronteira (1970)
>>> Aprender e Praticar Gramática – Edição Renovada de Mauro Ferreira pela Ftd (2007)
>>> Poesia Sobre Poesia - Com Dedicatória de Affonso Romano de Santanna pela Imago (1975)
>>> A Agonia do Grande Planeta Terra de Hal Lindsey e C. C. Carlson pela Mundo Cristão (1973)
>>> A Chave de Rebeca de Ken Follett pela Record (1980)
>>> The Golden Tarot de Liz Dean pela Cico Books (2008)
>>> O Universo Numa Casca De Noz de Stephen Hawking pela Mandarim (2002)
>>> Novíssima Gramática Ilustrada Sacconi de Luiz Antonio Sacconi pela Nova Geração (2008)
>>> O Que Fiz para Merecer Isto? a Incompreensível Justiça de Deus de Anselm Grün pela Vozes (2007)
>>> Gramática - Português Fundamental de Douglas Tufano pela Moderna (2001)
>>> Antonio Lizárraga - Quadrados em Quadrados de Maria José Spiteri pela Edusp (2004)
>>> E se? de Randall Munroe pela Companhia das letras (2014)
>>> A outra vida de Susanne Winnacker pela Novo Conceito (2013)
>>> Você está pronta para ficar rica? de Jean Chatzky pela Elsevier (1998)
>>> Você está pronta para ficar rica? de Jean Chatzky pela Elsevier (1998)
>>> Você está pronta para ficar rica? de Jean Chatzky pela Elsevier (1998)
>>> A garota que você deixou para trás de Jojo Moyes pela Intrínseca (2014)
>>> Uma longa jornada de Nicholas Sparks pela Arqueiro (2013)
>>> Pântano de Sangue de Pedro Bandeira pela Moderna (2009)
>>> Hellsing - Volume - 1 EAN: 9788545700319 de Kohta Hirano pela Jbc (2015)
>>> Tentação sem limites de Babi Glines pela Arqueiro (2014)
COLUNAS

Quarta-feira, 26/2/2014
Brasil em novo tempo de cinema
Humberto Pereira da Silva

+ de 3400 Acessos

O Que se Move

O Que se Move - Cartaz de divulgação

1.
O momento denominado Retomada do cinema brasileiro deu-se em meados dos anos de 1990. Com o desmanche dos anos Collor, só com a chegada de Fernando Henrique Cardoso ao poder e a aprovação de leis de incentivo fiscal foram realizados filmes que despertaram a atenção de público e crítica: Carlota Joaquina (1995), de Carla Camurati, O Quatrilho (1995), de Fabio Barreto, Baile Perfumado (1996), de Lírio Ferreira e Paulo Caldas, Central do Brasil (1998), de Walter Salles, Cronicamente Inviável (2000), de Sergio Bianchi, então entre os filmes emblemáticos do período.

Com a Retomada, festivais importantes em anos anteriores ganharam novo estímulo - Gramado, Brasília -, assim como outros surgiram e foram impulsionados pelos ventos da nova conjuntura cultural - Tiradentes, Paulínia, Cine PE, entre outros. Ano após ano novos diretores despontaram e se firmaram; seus filmes instigaram discussões, foram objetos de acalorados debates no âmbito de uma nova crítica, que também surgiu e ganhou ressonância nesse novo contexto. O livro de Luiz Zanin Cinema de novo (2003), creio ser o balanço mais completo e sintético do que se realizou até Cidade de Deus (2002), de Fernando Meirelles.

Passada a Retomada, a produção cinematográfica nacional se diversificou significativamente: comédias, temática histórica, dramas individuais, violência urbana dão o tom dos filmes que passam em festivais ou são exibidos no circuito comercial. Considerada a diversidade fílmica nos anos recentes, há um aspecto que merece especial destaque, depois da consolidação da produção com a Retomada. Sem que se precise o início - talvez Cinema, Aspirinas e Urubus (2005), de Marcelo Gomes, ou O Céu de Suely (2006), de Karim Aïnouz -, o impulso renovador, a necessidade de se manifestar com certa ousadia nos planos formal e temático, tem contagiado uma geração que não se mostra em princípio com preocupação de fazer concessões.

Para essa geração recente, o cinema desponta como veículo de expressão artística, tanto quanto de termômetro de pulsões presentes ou de reavaliação de nosso passado. O ápice desse momento com sopro de ar fresco, creio, ocorreu no ano passado, com O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho.

Premiado no Brasil e no exterior, detonador de intensos debates, o filme de Kleber Mendonça revela ser mais um sintoma que reflete um novo tempo no cinema nacional do que um caso isolado, um projeto solto com qualidades amplamente destacadas pelos mais diversos seguimentos da crítica. Ora, os sinais do tempo anunciam que O Som ao Redor não é avis rara, que está na companhia de filmes que merecem tanta atenção quanto; destes, destaco O Que se Move, de Caetano Gotardo.

2.
Trata-se do primeiro longa metragem de Gotardo, que faz parte do coletivo paulista Filmes do Caixote, responsável por dois outros filmes que atestam a força do grupo: Trabalhar Cansa, de Marco Dutra e Juliana Rojas, e Quando Eu Era Vivo, de Marco Dutra. A filmografia do Filmes do Caixote, em especial O Que se Move, deixa no ar o espírito de desafio, de risco providencial ao campo artístico, sem que se sinta a contaminação de artifícios ou maneirismos de iniciativas antes de tudo pretensiosas.

O Que Se Move é uma fita que explora fait divers em torno da perda; no caso, do filho que, fruto do acaso, se aparta da mãe; esta, por sua vez, se culpabiliza pelo destino dramático ou trágico do filho. O cinema - e a arte em geral - mostrou esse tema das mais diversas formas. O que é verdadeiramente notável em O Que Se Move é que Gotardo não se intimida e concebe uma obra que perturba à medida que se procura, mas não se encontra similar, e assim deixa a sensação de frescor diante de uma narrativa desconcertante.

Claro, há referências, influências, mas O Que Se Move foi realizado de forma a diluir ingredientes e experimentar o novo, sem os cacoetes da experimentação pela experimentação. A narrativa flui de modo estranho e inesperado, até que o elemento surpresa se desfaz, sem que, contudo, o espectador perca o envolvimento com o que está por vir. Em cada cena, cada enquadramento, uma dimensão da vida que exige o máximo de atenção. Neste sentido, um dos filmes mais ousados de nossa recente filmografia; fruto de um momento que se revela poroso a iniciativas inovadoras.

Feito este destaque, a "nova onda" de filmes inovadores se depara com o problema de acolhimento de público. Esses filmes, nas palavras do crítico Jean-Claude Bernardet, são "irrelevantes" desse ponto de vista. No momento atual, enquanto comédias globais como Até Que a Sorte nos Separe 2 fazem quatro milhões de espectadores, os três filmes do Filmes do Caixote não chegam a 100 mil. A questão da "relevância" ou "irrelevância" foi tratada também por Kleber Mendonça, numa diatribe com o diretor da Globo Filmes, Cadu Rodrigues, em seguida à recepção crítica de O Som ao Redor. Para Kleber, qualquer um que "lançar um filme no esquema da Globo Filmes faria 200 mil espectadores no primeiro final de semana".

A questão que está em pauta é velha na história da arte e diz respeito à autonomia de criação. O adjetivo "irrelevante" nas palavras de Bernardet assume conotação negativa, mas me parece que essa negatividade encerra mal entendido: para Bernardet o cinema brasileiro "relevante" é aquele que atinge o público, o grande público.

Bernardet cita Tropa de Elite, como exemplo de filme "relevante"; mas o caminho que José Padilha deu à sua carreira responde sobre o sentido da "relevância", sobre o cinema com que se afina... Se esse é o ponto, o que se tem em vista é o mercado e seus humores. Neste sentido, "relevância" ou "irrelevância" não passa de jogo de palavras para a submissão às regras do mercado.

Assim, caso Caetano Gotardo se submetesse às condições de "relevância", jamais teria feito O Que Se Move. Não teríamos, pois, um filme que se oferece como objeto de culto, e não mais um produto para alguns minutos de entretenimento. "Irrelevante" do ponto de vista do grande público que vê o cinema como diversão, O Que se Move toca a sensibilidade de quem quer que veja um filme como obra de arte. Que seja bem vindo O Som ao Redor, O Que se Move e o propósito de filmografia recente no país que se pauta pelo desafio, pelo risco e pela ousadia formal.

É evidente que a importância desses filmes - e desse momento em nosso cinema - está para ser contada. Mas me parece fora de questão que neles respira-se uma nova atmosfera, diferente e inovadora. A determinação dessa nova geração, que se coloca à margem da Globo Filmes e das pressões de mercado, não deve escapar àqueles que sejam sensíveis à uma maneira de entender que o cinema pode se orientar pelo primado da autonomia da criação artística.


Humberto Pereira da Silva
São Paulo, 26/2/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Dos sentidos secretos de cada coisa de Ana Elisa Ribeiro
02. Estação Esperança de Elisa Andrade Buzzo
03. Um lugar para o tempo de Elisa Andrade Buzzo
04. Ilustres convidados de Carla Ceres
05. Necrófilos da vanguarda roqueira de Diogo Salles


Mais Humberto Pereira da Silva
Mais Acessadas de Humberto Pereira da Silva em 2014
01. Tectônicas por Georgia Kyriakakis - 13/8/2014
02. O medo como tática em disputa eleitoral - 8/10/2014
03. Gustavo Rezende: uno... duplo... - 22/1/2014
04. Monticelli e a pintura Provençal no Oitocentos - 5/2/2014
05. O momento do cinema latino-americano - 11/6/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Viagem de Theo
Catherine Clément
Cia das Letras
(1998)
R$ 14,87



O Livro dos Espíritos
Allan Kardec
Ide
(2009)
R$ 12,00



O Povo das Águas : Ensaios de Etno-história Amazônica
Antônio Porro
Edua
(2017)
R$ 27,20



Parasitoses, Guia para o Seu Combate
José Luís da Silva Leitão
Litexa
R$ 21,00



Libras - Conhecimento Além dos Sinais
Maria Cristina da Cunha Pereira e Outros
Pearson/anhanguera
(2013)
R$ 14,00



Os governos militares 1969-1974 - história da república brasileira
Hélio Silva
Três
(1975)
R$ 5,00



Seis Mulheres na Madrugada, Romance
Modesto Navarro
Caminho
(1995)
R$ 44,66



Páginas Recolhidas
Machado de Assis
W M Jackson
(1950)
R$ 8,00



Portugal e a Europa, 15 X 15 um Olhar Sobre a Europa, Fotografia
Vários Autores
Instituto Camões
(2000)
R$ 18,00



Segurança Do Paciente
Fábio Luís Peterlini
Martinari
(2014)
R$ 10,00





busca | avançada
87759 visitas/dia
2,4 milhões/mês