Émile Zola, por Getúlio Vargas | Celso A. Uequed Pitol | Digestivo Cultural

busca | avançada
67107 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Filó Machado encerra circulação do concerto 60 Anos de Música com apresentação no MIS
>>> Mundo Suassuna, no Sesc Bom Retiro, apresenta o universo da cultura popular na obra do autor paraiba
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha”: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O fim da inocêcia blogueira
>>> Allen Stewart Konigsberg
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse
>>> Escrevendo com o inimigo
>>> FLAP! Uma bofetada na indiferença*
>>> Eles – os artistas medíocres
>>> Meu beijo gay
>>> A história de Rogério Xavier e da SPX (2023)
>>> Waldstein por Andsnes
Mais Recentes
>>> Livro Revista Jurídica De Jure VOL 12 nº 21 de Vários pela Del Rey / Ministério Público (2013)
>>> Livro Energia. As Razões Da Crise E Como Sair Dela de Ernesto Moreira Guedes Filho, Jose Marcio. Camargo, Juan Gabriel Perez Ferres pela Gente (2002)
>>> Livro Água Salobra de Bernadette Lyra pela Cousa (2017)
>>> Livro Sonata Ao Amor - Romance Esírita de Christina Nunes pelo Espírito Iohan pela Lumen (2012)
>>> Pra cima e pra baixo de Carla Irusta pela Palavras projetos (2021)
>>> Pelos olhos de minha mãe: Diários, memórias e outras lembranças de Laura Huzak Andreato pela Palavras projetos (2021)
>>> Para onde me levam os meus pés? de Cibele Lopresti Costa pela Palavras projetos (2021)
>>> Oswaldo Treinador Esportivo de Fernando A. Pires pela Palavras projetos (2023)
>>> Oswaaaaaldo! de Fernando A. Pires pela Palavras projetos (2023)
>>> Os pães de ouro da velhinha de Annamaria Gozzi pela Palavras projetos (2024)
>>> Ooobbaaaa! de pela Palavras projetos (2019)
>>> O Reciclador de Palavras de Barbara Parente pela Palavras projetos (2021)
>>> O gato que não parava de crescer de Fernando A. Pires pela Palavras projetos (2023)
>>> O dragão da Maldade e a Donzela Guerreira de Marco Haurélio pela Palavras projetos (2022)
>>> O almanaque de Lia de Luís Dill pela Palavras projetos (2022)
>>> No Museu de Susanna Mattiangeli pela Palavras projetos (2023)
>>> Nig-Nig de Andréia Vieira pela Palavras projetos (2023)
>>> Li M'in: uma criança de Chimel de Dante Rigoberta; Liano pela Palavras projetos (2018)
>>> Lábaro: O enigma da bandeira brasileira de Elifas Andreato pela Palavras projetos (2022)
>>> 80 Degraus de Luís Dill pela Palavras projetos (2018)
>>> Estamos Todas Bem de Ana Penyas pela Palavras projetos (2022)
>>> Duas asas de Cristina Bellemo pela Palavras projetos (2024)
>>> Divisão Azul: Um agente infiltrado de Fran Jaraba pela Palavras projetos (2021)
>>> Campos de concentração de Narcís Molins i Fábrega pela Palavras projetos (2023)
>>> Ave do Paraíso de Georgina martins pela Palavras projetos (2018)
COLUNAS

Terça-feira, 6/5/2014
Émile Zola, por Getúlio Vargas
Celso A. Uequed Pitol
+ de 4700 Acessos

Em 1906, a revista estudantil Panthum, da faculdade de Direito de Porto Alegre, recebeu um artigo assinado por um jovem estudante sobre um dos escritores mais populares na província: Emile Zola. No Brasil das primeiras décadas do século XX, o escritor morto em 1902 ainda era figura famosa e influente nos círculos literários nacionais, naturalmente afrancesados e um tanto atrasados em relação às novidades culturais do Velho Continente, que já ensaiava o modernismo enquanto ainda líamos os naturalistas e realistas. Tais círculos eram sobretudo compostos por estudantes e graduados em Direito. O curso então congregava todos os jovens com inclinações humanísticas, ainda que não necessariamente jurídicas. Muitos deles, se vivessem hoje, talvez não optassem pelo Direito: seriam estudantes de Filosofia, de Letras, de História, de Jornalismo ou de algum outro curso da área. Entre estes jovens encontrava-se o autor do ensaio: Getúlio Dorneles Vargas.

Quando digo "estes jovens", refiro-me especificamente a estes que, sendo estudantes de Direito, não eram necessariamente juristas natos. Segundo o testemunho dos que foram colegas de Getúlio, como João Neves da Fontoura e outros, ele se destacava menos pelo desempenho acadêmico do que pela cultura geral, principalmente literária, e pela habilidade oratória, que faziam dele um estudante extremamente popular entre seus pares.

Transposto para o papel tamanho ofício, "Zola e a crítica" conta cinco páginas e impressiona pela desenvoltura. Getúlio não está lá como diletante, como jovem fã de literatura de 24 anos que resolve falar de seus poetas preferidos para outros jovens fãs de literatura de 24 anos. Está lá como quem quer escrever um artigo a sério. Dialoga com estudiosos como um De Sanctis, um Silvio Romero, um José Veríssimo e um Alcides Maya, demonstrando conhecer, e bem, a fortuna crítica sobre seu objeto de análise; compara a recepção à obra de Zola em sua França natal e no resto do mundo; analisa o clima social, cultural e político do país e relaciona-o à obra; tece comentários sobre o artista e defende-o de seus detratores, citados um a um; e tenta, enfim, reabilitar a escola Naturalista, que já era alvo de ataques no momento em que Getúlio escrevia. É um verdadeiro ensaio de crítica. Mas um ensaio diferente do que estamos acostumados a ler.

Em "Zola e a crítica", Getúlio nada fala do estilista Zola ou do narrador Zola: nem sequer cita-lhe trechos para análise. Em vez disso, prefere exaltar a capacidade do escritor em perceber o momento histórico: "Ninguém melhor tinha o sentimento da conflagração das massas, e sabia objetivar no romance o movimento das multidões. O arrojo coletivo desses operários individualmente humildes, educados na passividade cega da obediencia,como desagregam de si parcelas de energia, formando essa resultante uniforme, assustadora e irresistível, que se despenha como uma avalanche levando em seu seio uma ameaça de explosão." Elogia, e muito, o Zola reformador social e artístico - "A França já se não satisfazia mais com o canto dos rouxinóis. Era preciso um reformador, para quebrar a estagnação planimétrica em que se atufara a Arte, talhando novos moldes para a idealização da vida. Um reformador e um crente, que tivessea inabalável convicção do mérito da sua obra, e algum tanto da rudeza nativa do povo, que fosse a ressonância da voz dos oprimidos e a vibração poderosa do descontentamento da época".

O leitor mais atento notará que esta última frase - Um reformador e um crente, que tivessea inabalável convicção do mérito da sua obra, e algum tanto da rudeza nativa do povo, que fosse a ressonância da voz dos oprimidos e a vibração poderosa do descontentamento da época - ficaria muito bem na boca de qualquer partidário de Getúlio. Era isso que apresentava ao povo e é isso que seus defensores vêem nele até hoje: o reformador e o crente. Mas um tipo bem peculiar de crente, que não só convivia harmonicamente com o reformador como inclusive lhe dava suporte. A fé do crente Getúlio era a mesma de Zola e de muitos outros de seu tempo: o positivismo. Sob esta pedra Getúlio ergueu sua própria Igreja, adaptando-a às necessidades históricas.

O ensaio completo de Getúlio está aqui.


Celso A. Uequed Pitol
Canoas, 6/5/2014

Quem leu este, também leu esse(s):
01. 'As vantagens do pessimismo', de Roger Scruton de Celso A. Uequed Pitol
02. Dois Idiotas de Paulo Polzonoff Jr


Mais Celso A. Uequed Pitol
Mais Acessadas de Celso A. Uequed Pitol em 2014
01. Miguel de Unamuno e Portugal - 12/8/2014
02. Entrevista com Dante Ramon Ledesma - 9/9/2014
03. A vida exemplar de Eric Voegelin - 10/6/2014
04. Ler Oswald Spengler em 2014 - 25/3/2014
05. Émile Zola, por Getúlio Vargas - 6/5/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Livro Literatura Estrangeira Ramsés A Batalha de Kadesh Volume III
Christian Jacq
Bertrand Brasil
(2007)



The Jewish Museum of Budapest
Edited by Ilona Benoschofsky, Alexander Scheiber
Corvina
(1987)



Sucessos do Marketing Farmacêutico no Século XX
Paulo A. Freire
Dpm
(2001)



Piero della francesca 539
Mestres da Pintura
Abril Cultural
(1977)



Isto É Nºs 1
Vários Autores
Encontro Editorial
(1976)



Crônicas de Nossa época
Luiz Hildebrando
Paz e Terra
(2001)



Luzes da Torá Volume 1 : Gênesis
Rabino Shlomo Riskin
Sêfer
(2012)



Os Pensadores
Giordano Bruno+Galileu Galilei+Tommaso Campanella
Abril Cultural
(1973)



O Pequeno Sabia Perdido
Elizabeth Baguley
Ciranda Cultural.
(2024)



Livro Literatura Estrangeira Lola e o Garoto da Casa ao Lado A Fórmula Perfeita Para Paixão e o Humor
Stephanie Perkins
Novo Conceito
(2012)





busca | avançada
67107 visitas/dia
2,1 milhões/mês