O que você comeu no café da manhã? | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
38609 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FÁBRICA DE CALCINHA, PARTE DA MOSTRA CENA SUL, EM TRÊS APRESENTAÇÕES NO SESC BELENZINHO
>>> PROJETO MÚSICA EXTREMA, DO SESC BELENZINHO, TRAZ EM MARÇO A BANDA REFFUGO, DE DEATH METAL
>>> ESPETÁCULO DE DANÇA ENCHENTE, COM DIREÇÃO DE FLAVIA PINHEIRO (PE), EM TRÊS DATAS NO SESC BELENZINHO
>>> EU e MÁRIO DE ANDRADE Livro de Anotações para Viagens Reais e Imagin
>>> Atom Pink Floyd Tribute retorna ao Rio Grande do Sul
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras
Colunistas
Últimos Posts
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
Últimos Posts
>>> Latitudes & Longitudes
>>> Renovação
>>> Prefácio
>>> Descendências
>>> Nem mais nem menos
>>> Profissão de fé
>>> Direções da véspera III
>>> Mirante
>>> In Albis
>>> Mulher, ontem hoje e sempre
Blogueiros
Mais Recentes
>>> LONDON LONDRES
>>> Lembrando a Tribo
>>> A grama do vizinho
>>> Um raio-x da violência
>>> Sobre o som e a fúria
>>> Comic Riffs
>>> Picasso versus Duchamp e a crise da arte atual
>>> Meu assassino
>>> Circo Roda Brasil
>>> Música do acaso
Mais Recentes
>>> To The Lighthouse de Virgina Woolf pela Wordsworth Classics (2002)
>>> La Jeune Fille À La Perle de Tracy Chevalier pela Folio (2014)
>>> Le Petit Nicolas de Sempé-Goscinny pela Folio (2012)
>>> The Rise of The Islamic State de Patrick Cockburn pela Verso (2015)
>>> The Wonderful Wizard of Oz de L. Frank Baum pela Barnes & Noble (2005)
>>> Gaudy Night de Dorothy L. Sayers pela Bourbon St Books (2012)
>>> The Murder of Roger Ackroyd de Agatha Christie pela Harper (2002)
>>> Dicionário de Sonhos de Zolar pela Nova Era (2009)
>>> PODEROSA - Diário de Uma Garota que Tinha O Mundo Na Mão de Sérgio Klein pela Fundamento (2006)
>>> Um Plano Simples de Scott Smith pela Companhia das Letras (1993)
>>> Ruth Rocha Conta a Odisséia de Ruth Rocha pela Companhia das Letrinhas (2006)
>>> Ruth Rocha Conta a Ilíada de Ruth Rocha pela Companhia das Letrinhas (2007)
>>> As Aventuras do Barão de Munchausen de Rudolf Erich Raspe pela Iluminuras (2010)
>>> O Fantástico Mistério de Feiurinha de Pedro Bandeira pela FTD (1999)
>>> Lisbela e o Prisioneiro de Osman Lins pela Planeta (2015)
>>> Mídia - Propaganda Política e Manipulação de Noam Chomsky pela Martins Fontes (2013)
>>> Reinações de Narizinho de Monteiro Lobato pela Brasiliense (2001)
>>> Caçadas de Pedrinho de Monteiro Lobato pela Brasiliense (2004)
>>> A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak pela Intrínseca (2007)
>>> As Brumas de Avalon 4 - O Prisioneiro da Árvore de Marion Zimmer Bradley pela Imago (2008)
>>> As Brumas de Avalon 3 - O Gamo-Rei de Marion Zimmer Bradley pela Imago (2008)
>>> As Brumas de Avalon 2 - A Grande Rainha de Marion Zimmer Bradley pela Imago (2008)
>>> As Brumas de Avalon 1 - A Senhora da Magia de Marion Zimmer Bradley pela Imago (2008)
>>> Política Para Não Ser Idiota de Mario Sergio Cortella, R. Janine Ribeiro pela Papirus (2007)
>>> Penelope de Marilyn Kaye pela Galera Record (2008)
>>> Memórias de Um Sargento de Milícias de Manuel Antônio de Almeida pela BestBolso (2010)
>>> Eu Sou Malala de Malala Yousafzai pela Companhia das Letras (2013)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Martin Claret (2010)
>>> Histórias Brasileiras de Verão de Luis Fernando Verissimo pela Objetiva (2002)
>>> Minhas Memórias de Lobato de Luciana Sandroni pela Companhia das Letrinhas (2002)
>>> Diários do Vampiro - O Confronto de L. J. Smith pela Galera Record (2012)
>>> Diários do Vampiro - O Despertar de L. J. Smith pela Galera Record (2009)
>>> Minha Luta 1 - A Morte do Pai de Karl Ove Knausgaard pela Relógio D'Água (2009)
>>> Viagem ao Centro da Terra de Júlio Verne pela L&PM POCKET (2006)
>>> A Volta ao Mundo em 80 Dias de Júlio Verne pela L&PM POCKET (2005)
>>> As Mil e Uma Noites (Adaptação) de Julieta de Godoy Ladeira pela Scipione (2000)
>>> A Biblioteca Mágica de Bibbi Bokken de Jostein Gaarder & Klaus Hagerup pela Companhia das Letras (2003)
>>> Doidinho de José Lins do Rego pela José Olympio (2007)
>>> Til de José de Alencar pela Martin Claret (2012)
>>> A Viuvinha de José de Alencar pela FTD (1999)
>>> Iracema de José de Alencar pela Árica (2009)
>>> Capitães da Areia de Jorge Amado pela Companhia das Letras (2008)
>>> O Gênio do Crime de João Carlos Marinho pela Global (2009)
>>> O Gênio do Crime de João Carlos Marinho pela Global (2005)
>>> Segredos da Minha Vida em Hollywood de Jen Calonita pela Galera Record (2007)
>>> O Apanhador no Campo de Centeio de J. D. Salinger pela Editora do Autor
>>> Ilusões Perdidas de Honoré Balzac pela Companhia das Letras (2002)
>>> Minha Vida de Menina de Helena Morley pela Companhia das Letras (2005)
>>> O Mistério das Bolas de Gude de Gilberto Dimenstein pela Papirus (2006)
>>> Pietr, O Letão de Georges Simenon pela Companhia das Letras (2014)
COLUNAS

Sexta-feira, 20/7/2012
O que você comeu no café da manhã?
Marta Barcellos

+ de 3400 Acessos

Numa das histórias mais bizarras do filme Para Roma com amor (só perde para a estrelada pelo diretor Woody Allen), o personagem vivido por Roberto Benigni fica famoso do dia para a noite. Típico cidadão de classe média, que reclama de novidades ameaçadoras à sua rotina, como a tecnologia que tira empregos e o avanço chinês, Leopoldo Pisanello subitamente é perseguido por paparazzi e jornalistas interessados em saber o que comeu no café da manhã, se prefere dormir de bruços ou de frente, com que mão escova os dentes.

Como ele prefere suas torradas?, pergunta a jornalista, séria, no estúdio de TV onde o pacato funcionário vai parar. O filme está no começo e por vício ainda aguardamos alguma espécie de explicação para a intempestiva celebrização do personagem. Ele teria sido confundido com alguém? Mas logo lembramos: epa, nada de esclarecimentos realistas, é um filme de Woody Allen. Melhor assim. Podemos nos deleitar com as piadas e embarcar nas situações inusitadas.

Mas, na saída do cinema, o papo é inevitável. Interpretar. Quais foram as vítimas da ironia do diretor, em cada um dos quatro episódios que correm paralelos? Consta que os italianos vestiram a carapuça como um todo, e ficaram até indignados com a forma como foram tratados no filme. Pode ser. No caso da história de Benigni parece haver um consenso da crítica especializada de que a zombaria de Allen tem como endereço a indústria da celebridade, com certa origem italiana - daí inclusive a denominação "paparazzi".

Já eu associei a ironia a outra questão. Talvez por andar desatenta a revistas de celebridades ou canais de fofocas, as situações do filme me lembraram mais as fotos de pratos e os comentários banais sobre rotina postados nas redes sociais. Depois do impacto inicial da cena do estúdio de TV, não é mais a aleatoriedade da fama que causa estranhamento no filme (pessoas são famosas porque são famosas, ora), e sim a exposição do íntimo e privado no espaço público.

Estranhamento à parte, o episódio não nos parece familiar porque sabemos da existência de uma indústria que persegue artistas ou jogadores de futebol. Não foi por meio dela que você soube qual prato alguém - um tanto distante - comeu no almoço de domingo, ou que esta pessoa acordou cheia de preguiça para trabalhar. Você não tinha interesse, mas acabou sabendo, se sentiu próximo a alguém que não era próximo, e afinal a sensação não é ruim. Você começou a se acostumar com essa "evasão de privacidade", tão simpática, humana, camarada. Algo natural e espontâneo - não fosse o fato de ser estimulado pela indústria da tecnologia, tão eficaz para mudar nossos comportamentos. Você era alguém discreto, gostava de ser assim. Mas parecia rabugento com essa mania de freqüentar o espaço público da internet de forma tão compenetrada. Um dia, rendeu-se a algum estímulo novo, um botão, uma solicitação, colocou a foto da festa, você na viagem. Ou, sucesso retumbante, compartilhou bichinhos e crianças.

É um nivelamento por baixo, claro. Quem não tem muito a dizer, porque é famoso apenas porque é famoso, pode compartilhar sem problemas o que comeu no café da manhã ou a sua forma de escovar os dentes. Parece mesmo democrático - talvez daí a simpatia que tudo isso gera. Mas imagine se todo o espaço público, que em sua origem era um espaço político e intelectual, for tomado pelo privado desta forma. Imagine o tempo que perdemos se somarmos os segundos de atenção dados a intimidades dos novos famosos que todos nós somos agora.

Se o espaço público esperar de mim apenas que eu conte o que comi no café da manhã, porque cargas d'água vou me dar ao trabalho de construir um texto com 5 mil caracteres para expressar minha opinião sobre o novo filme de Woody Allen e a questão do público e do privado?

É verdade que acabei escrevendo, porque ainda tenho o estímulo do espaço (público) do Digestivo para textos longos. Escrevi, e juro que minha próxima coluna não será sobre meus hábitos alimentares. A não ser que gerem uma crônica não sobre mim, mas sobre todos nós, a humanidade, nossos afetos e nossas idiossincrasias.

Veja bem: sou uma entusiasta do uso da primeira pessoa, pela honestidade que este caminho impõe, pelo posicionamento que ele acarreta. Por isso, depois de tantos anos condicionada à total impessoalidade do jornalismo, no qual a primeira pessoa era terminantemente proibida (não é mais), aderi à onda dos blogs. Não para confidenciar que tinha ido ao dentista de manhã, mas para me posicionar sobre aquilo que eu achava importante, ou mesmo contar alguma história pessoal curiosa, que remetia ao outro, ao público, ao debate público.

Mas os tempos dos blogs diletantes acabaram. Agora a coisa é para profissional. No lugar da caixa de comentários; Facebook, Twitter e sucessores a caminho. Outros estímulos, outras configurações. Outros interesses que fizeram da internet, afinal, um lugar lucrativo. O risco é que estejamos nos acostumando a gerar e consumir apenas o conteúdo banal de nossas próprias vidas. E sem perceber o quão comum já é conhecer a intimidade de anônimos-celebridades. Como no filme de Allen.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 20/7/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Adolescentes e a publicação prematura de Carla Ceres
02. Por falar em outras línguas de Carla Ceres
03. Bento XVI e os bastidores do Vaticano de Humberto Pereira da Silva
04. Flexibilidade Histórica de Daniel Bushatsky
05. Querido site de compras coletivas de Carla Ceres


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2012
01. A Paris de Chico Buarque - 19/10/2012
02. O fim do livro, não do mundo - 20/4/2012
03. O Facebook e a Alta Cultura - 17/8/2012
04. O direito autoral vai sobreviver à internet? - 27/1/2012
05. Esquecendo de mim - 25/5/2012


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O MONOPÓLIO DO CRIME: OS ESTRANHOS LAPSOS DE LARRY LOMAN
EDGAR WALLACE
FRANCISCO ALVES
(1993)
R$ 21,28



SCENE DESIGN - A GUIDE TO THE STAGE (EM INGLÊS) - TEATRO - CENOGRAFIA
HENNING NELMS
DOVER PUBLICATIONS, INC. NEW YORK
(1970)
R$ 50,00



AMOR ALÉM DA VIDA
RICHARD MATHESON
BUTTERFLY
(2018)
R$ 13,00



EXPLICANDO A ARTE BRASILEIRA
LUCÍLIA GARCEZ & JÔ OLIVEIRA
EDIOURO
(2003)
R$ 20,00



VIVENDO O EVANGELHO - 2 VOLUMES
ANTONIO BADUY FILHO, ANDRE LUIZ
IDE
(2010)
R$ 50,00



O CAÇADOR DE PIPAS
KHALED HOSSEINI
NOVA FRONTEIRA
(2003)
R$ 10,00



A LEITURA DO JORNAL NA SALA DE AULA: DIALOGISMO E ALTERIDADE
EDILAINE VIEIRA LOPES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00



O CRIME DO PADRE SÓRIO: MAÇONARIA E IGREJA CATÓLICA NO RIO GRANDE DO
LUIZ EUGÊNIO VÉSCIO
UFSM
(2001)
R$ 22,90



A ROUPA E A MODA (UMA HISTÓRIA CONCISA)
JAMES LAVER
COMPANHIA DAS LETRAS
(1989)
R$ 45,00



DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO: FUNDAMENTO À PRÁTICA NO ENSINO RELIGIOSO
RUDINEI LASCH
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 167,00





busca | avançada
38609 visitas/dia
1,1 milhão/mês